Histórico Coletivo

FaleRPG - Histórico Coletivo

Bem-vindo, Visitante. Por favor faça o Login ou o Registro.
Setembro 22, 2018, 06:16:30 pm

Início Ajuda Busca Calendário Logar-se Registrar Jogar Dados Voltar para o Site The Geek Space 9
+  FaleRPG
|-+  Mesa de Jogo
| |-+  PBFs - Fantasia e Medieval
| | |-+  O Reino da Vastidão de Além-Mar (Moderador: Wyczek)
| | | |-+  Histórico Coletivo
« tópico anterior tópico seguinte »
Páginas: [1] Ir para o Fundo Imprimir
Autor Tópico: Histórico Coletivo  (Lida 354 vezes)
Wyczek
Moderator
Conhecedor
*****
Offline Offline

Mensagens: 1121


Space Gnome

« Online: Junho 29, 2017, 11:12:25 pm »

PRÓLOGO:

Foi exatamente no vilarejo periférico de Bradbaum, que vocês formaram a atual equipe de aventureiros dispostos a viajar para a longínqua Ilha dos Desafios, de acordo com um 'campeonato público' proposto pelo decadente lorde Viztu Oscleron.

Isso se deu de uma forma... bastante peculiar. Alguns mais místicos chamariam de "uma série de acasos do destino"; outros, mais céticos, de "um conjunto de coincidências". Chame como quiser, o primeiro fenômeno significativo obviamente, foi o "chamado" de oportunidade, rara, daquele insólito concurso. Mas como o porto na costa menos distante Ilha dos Desafios era relativamente longe de onde viviam, acabaram tendo que viajar pelo Continente certas distâncias memoráveis, e a caminho, Bradbaum era bem conhecida por aventureiros (inclusive herois de renome!) por sua antiga, porém grande e sempre elegante pousada de madeiras rústicas caras, nos ermos daquelas colinas verdejantes e temperadas.

O humano Iyas, um grande beberrão nas horas vagas, deixou lá uns quantos contos na mesa de garantia, antes de colapsar a cabeça sobre a mesma; alguns viajantes não muito sensatos e escorregadios então resolveram sair um pouco das linhas tradicionais de respeito mútuo da casa; não contavam porém com os olhos e ouvidos atentos de elfos que havia por lá; Sylence Beltith, a solitária arqueira-nômade drow, percebeu que um grupo de estranhos estava prestes a realizar o mal-feito com o pobre rapaz semi-inconsciente; enquanto isso, Cael Galadin, elfo jovem e lutador e que estava junto deles os tentando deter, e não por acaso: tratava-se de seus próprios colegas da comitiva da famosa Dama dos Encantos, uma poderosa e exuberante feiciteira alta elfa, que estava por ventura naquela semana a pousar seus empregados em Bradbaum. Mas a importante Dama a essa altura já deveria estar dormindo em seu suntuoso leito vip - não tinha tempo pra ficar controlando todo tempo as ações inescrupulosas de seus súditos malcriados. Não demorou muito, um alvoroço se formou, intenções descobertas, bebidas e garrafas atiradas, seguido de armas sacadas e empunhadas.
Aparentemente, em função da crise do Continente, e particularmente do grande evento do lorde que estava entrando em curso havia menos de um mês, a pousada de Bradbaum gozava de uma super-lotação havia vários dias já; aventureiros e grupos já formados e contratados pelos mais diversos magnatas, para faturar o prêmio prometido: um castelo... E pelo visto havia a sensação de que a atmosfera competitiva do 'campeonato' já tinha começado, antes mesmo de se chegar a Ilha dos Desafios. Olhares cruzados e fulminantes entre os clientes destemidos. Cadeiras chegaram a ser arremessadas, e houve alguns feridos; mas felizmente nenhum óbito, exceto talvez o óbito de supostas amizades...! Mas também a gênesis de algumas outras. Durante a luta caótica no ambiente claustrofóbico, um verdadeiro fenômeno de massa que os não apenas os bardos adoram assistir por inspiração - quando não participar ativamente -, que deve ter durado além dos 15min até que a ordem plena fosse re-estabelecida pelo dono do emprendimento, obviamente Iyas acabou despertando-se e sendo literalmente empurrado para sucumbir em algum dos 'lados' da disputa de massas. Finalmente, deu-se que a inadvertida defesa dos bens de Iyas por Cael e Sylence acabou colocando-os de um mesmo lado - quase um mero acaso pois no calor daquela 'batalha', havia na realidade incontáveis lados; alguns eram grupos de aventureiros inimigos ou adversários de longa data, seja por motivos raciais, religiosos, comerciais, acadêmicos, políticos, ou meramente 'esportivos'... Porém, a conjuntura dos eventos teve outras consequências: no dia seguinte, muitos clientes resolveram despedir-se dos serviços da nobre pousada; e o pobre Cael, por motivos que não lhe foram propriamente explicados, acabou sendo demitido do serviço que prestava a sua ama; uma grande sombra estabeleceu-se sobre sua pessoa desde então, mas os seus novos amigos haviam entendido aquilo apenas como um simples 'choque de demissão', e ainda mais por ter servido a alguém tão relevante quanto a Dama dos Ecantos; mas Cael não conseguia parar de pensar nela; é então que uma outra viajante, a fada Vanessah, interveio, pois esta era entendida em Magia, inclusive na vertente aquática e de tipos de encantamento - ela conhecia muitas estórias da Dama elfa; e logo isso abriu os olhos do jovem elfo. Mas Vanessah também conhecia o poder da dominação mental do charme - tinha quase certeza de que Cael estava sob efeito profundo de um terrível e poderosíssimo encantamento - que inclusive lhe interessava em termos de objeto de estudo mágico; porém nada contou sobre sua hipótese. Mesmo assim, isso abriu-lhes novas perspectivas, e resolveram andar os 4 juntos desde então e formar o grupo de aventureiros oficial para a Ilha dos Desafios - o próprio serviço da taverna, em parceria com o lorde Oscleron, numa antevidência, já dispunha inclusive de cópias de contratos para os clientes aventureiros que quisessem formar um grupo por lá mesmo em função do concurso tão difundido.
Outro fenômeno muito curioso, é que para Vanessah, Sylence tinha uma relação potencialmente forte com o mundo dos sonhos, ela pressentia isso, e não era a toa: a drow, n'alguns de seus sonhos antigos, da época sombria e assustadora, de quando, muito jovem ainda, fugira da capital real e da presença de sua família impositiva, tinha visto algum horror surreal, indescritível. Para Vanessah, que naturalmente conhecia muito bem as presenças de fantasmagoria de torpor, havia um certo medo ou pavor contido na profundeza do olhar da drow, algo fechado a sete chaves. Em outras palavras, um Lorde dos Pesadelos, como uma alma gêmea  viscosa e sombria, perseguia aquela 'infante' de pele escura e rosto belo. Este assunto, assim como o da Dama dos Encantos, traduzia todo o interesse que você agora alimentava por aquela expedição, junto daqueles novos amigos - algo que você não se incomodava em definir. Ocorre que, desde a saída conjunctural de vocês de Bradbaum como grupo, tudo até o dia de hoje após o naufrago, se deu incrivelmente rápido, tendo tido pouquíssimo tempo de visitarem mesmo as eventuais questões supostamente mais iminentes.

O momento, talvez, seja agora.
« Última modificação: Junho 29, 2017, 11:13:46 pm por Wyczek » Registrado
Wyczek
Moderator
Conhecedor
*****
Offline Offline

Mensagens: 1121


Space Gnome

« Responder #1 Online: Julho 08, 2017, 10:27:41 am »



PRÓLOGO DE AYODELE:

Sugiro que apenas Ninna leia isto por enquanto - por isso o Spoiler!

Spoiler for Hiden:
Você tinha visto aqueles novos cartazes e muito ouvido o povo comentando sobre o Concurso, na Ilha dos Desafios. O prêmio para o time vencedor, um Castelo pertencente a um pequeno reinado próximo ao imenso território da antiga e outrora próspera Ludov, seria oferecido pelo proponente do Concurso, um tal de Lorde Oscleron. E nada mais... Ora, um Castelo desses, era um bem raro e totalmente aristocrático; e, no curto prazo, era astronomicamente superior a qualquer coisa que você se julgava capaz de conquistar...! Uma oportunidade imperdível... para uma garota sonhadora e destemida feito você.
Assim, fez suas malas - ou melhor, sua mochila! -, catou sem permissão alguma boa porção de Carvão-Mágico do Sr. Pondé (ele ficaria furioso!! mas um dia você voltaria com o prêmio e tudo, para retribui-lo, por tudo que fez por você, e ele ficaria muito orgulhoso!), e saiu de fininho como quem não quer nada, pronta para uma verdadeira jornada como nunca antes tinha experienciado em toda sua existência...!

Celbret, de onde você vinha, era um reino extenso e de longas estradas latitudinais, também famoso por suas colinas verdejantes e seus muitos bosques profundos; Tinha um povo simpático, semi-nômade e bastante misto, no entanto era uma região bastante despovoada; O Circo era uma especialidade dos celbretianos, bem como a diversidade e criatividade de seu rico Artesanato. Você vinha de uma cidadezinha mais ao Sul, uma dessas que se instalaram a séculos, a beira do amplo Lago Sombrio com seu tradicional comércio; você agora tomava uma longuíssima estrada em direção a Leste, pois seu objetivo era alcançar a remota cidade-satélite e portuária Bradbaum, embora os locais a chamassem pelo nome original: Bradembaum. A distância era grande, e o trajeto poderia apresentar surpresas indesejáveis, de acordo com boatos sinistros de ultimamente...! até porque, provavelmente a crise acabava afetando indiretamente todas as regiões do Continente de algum modo, até mesmo a pacífica Celbret, não sairia intocada...! Assim sendo, você preferiu pela segurança e comodidade de uma boa carruagem. A viagem, permeada de imprevistos, acabou lhe custando um pouco caro: o seu precioso anel, sua primeira obra-prima! A carruagem levou 5 dias até Bradbaum; e era de lá que zarparia o navio que levaria os "Desafiantes", para uma ilha no meio da Vastidão do Oceano, e uma localidade ainda mais apartada de tudo o que a maioria das pessoas normais que habitam a porção dita civilizada do Continente, está acostumada a visitar... Poderia ser uma viagem sem volta! Mas por alguma razão, isso só fazia o Desafio tornar-se aos seus olhos ainda mais emocionante e imperdível...!

Já na distante Bradbaum, cidade pequena, "turística", de viajantes e aventureiros buscando pousada em lugares relativamente ermos, você se dirigiu imediatamente à sua famosa Taverna. Você nem conhecia ninguém, nem teve tempo de inscrever-se direito no Concurso, que uma briga terrível já se instalava rapidamente no ambiente! Você ficou escondida o tempo todo até terminar a bagunça; no fim, tomando conhecimento das informações necessários a novos participantes, você consegue, por pura sorte, a boa vontade de um grupo meio perdido e meio sem noção, para o qual faltava apenas um 5º elemento na última hora - e eles nem sabiam direito daquela regra! Aparentemente, um era um Mercenário Humano do Deserto, que não sabia ler na língua de vocês a documentação - e mal sabia falar! -, uma outra era uma Caçadora Drow que não realmente se importava com "regrinhas" por escrito, um outro era um Elfo Alto quietão e sem atitude alguma, e por último, uma Fada que não tinha realmente como ler porque não parava de falar... No fim, você mesma acabou conciliando toda aquele incômodo burocrático, lendo para eles, e se acertaram depois entre si e com a administração do grandioso Concurso. Para eles, tanto faz tanto fez: pareciam estar muito mais interessados em embarcar no dia seguinte na expedição navegante de uma vez - com quem quer que fosse esse 5º elemento obrigatório para a inscrição - a se preocuparem em como cuidar depois de uma menina maluca metida a artesã e que carregava uma oficina inteira nas costas em sua bagagem.

Na viagem de navio, puderam enfim se conhecer melhor, mas ainda havia richas mal resolvidas entre os diferentes grupos de desafiantes, alguns que aparentemente detinham estórias competitivas ainda anteriores a esta...! No entanto, quando o calendário e os céus astronômicos pareciam indicar ao capitão estarem já a menos de uma semana da chegada à Ilha dos Desafios - depois de mais de 1 mês pelo menos -, um Ataque Pirata enfurecido bombardeou e invadiu o navio de vocês, provocando o naufrágio e o assassínio sem mercê, e, provavelmente, sem prisioneiros também... Deviam estar em busca de algo muito valioso e de especial, para destruir assim tantos bens e tantas vidas, de uma vez só e com tanta cólera......!

Mas você sobreviveu...!
Incrivelmente, por ser pequena e em algo astuta, você conseguiu se esconder dentro de uma das grandes caixas de bens diversos do navio que afundava; caixas que então foram saqueadas de forma engenhosa pelos Piratas da Vastidão, talvez até com alguma espécie de grua naval. Passaram-se desde então, alguns poucos dias talvez, com você sozinha na escuridão total e na expectativa... comendo sementes secas da caixa em que estava, alternando com suas rações de viagem que restavam, e bebendo dos últimos goles da água potável da cabaça que você portava na cintura. Você tinha muita dificuldade de ouvir o que os Piratas da Vastidão falavam, do lado de fora, até porque tinham um sotaque esquisito e o qual você nunca tinha ouvido antes...! Mas você estava tão zonza e perdida com tudo aquilo, e com a falta de luz diária, que só mais tarde iria conseguir refletir e re-lembrar de algumas das coisas que conseguiu ouvir naqueles momentos...!

Finalmente, n'algum daqueles dias, parece que a sua caixa e uma outra, são erguidas até um pequeno bote, levando 2 Piratas a bordo, em direção a uma Praia. Eles falavam pouco, mas você já sabia que tinham chego até a Ilha dos Desafios, ou a ilha de Arkhóreas. Aparentemente, os Piratas queriam apenas entregar aquela mercadoria para algum contato especial na ilha, e assim que desceram as caixas, você ouviu a voz de uma jovem moça, que então negociou algo com eles... que foram embora depois. As caixas foram abertas, e você é descoberta! E a fraquinha luz do final da alvorada, logo ao nascer do sol, já era suficiente para cegar seus olhos.

Mas tinha chego em terra firme, e com vida...! Um Prodígio!!!... Mas... pobrezinhos, de seus companheiros de Desafio.............. e de todo mundo aliás....! Que coisa terrível, aliás!!! Aquilo era bastante chocante para você, e não sabia realmente o que pensar, ainda. Mas, será que eles, do seu grupo, tiveram alguma chance como você, de sobreviver...? E será que ainda haveria Concurso, depois de tudo aquilo...?!? Talvez, você fosse a única sobrevivente......!! E agora???
Bom, agora, tinha que lidar com aquela jovem, que devia estar um tanto surpresa com sua presença, e que a recebia na Praia, fora da caixa.
« Última modificação: Julho 09, 2017, 09:31:15 pm por Wyczek » Registrado
JP Vilela
Aprendiz
**
Offline Offline

Mensagens: 83


« Responder #2 Online: Julho 08, 2017, 09:28:16 pm »

 
*Post em Construção*

Por sugestão do mestre, venho aqui copiar as descrições dos ambientes que criei que constam lá no Diário de Bordo, para aquela pagina ficar mais concisa e direta.


----------------------------------------------------------------------------------

Quozor

Também conhecido como o Império do Norte, é um país formado por diversas cidades estado que compartilham da mesma cultura no Q'arr Jaf, o Continente Árido. A língua oficial é o T'halan, um exótico dialeto bem diferente do Idioma Comum.

Foi a capitania vitoriosa durante a grande guerra civil que ocorreu a vinte anos atrás. É governado por uma centenária linhagem de feiticeiros, versados em magia  de sangue muito poderosa,  rituais secretos e necromancia.

Seres amorfos controlados por essa linhagem operam na construção de edificações e estradas, durante as noites. Capazes de erguer altíssimos  templos abobados, obeliscos e muralhas, dentre outras estruturas magníficas que decoram o horizonte ao longo das cidades estado do império.


Vel'parl

Uma das cidades estado que formam a capitania de Quozor. Possui grande população, grandes portos e exuberantes jardins suspensos no distrito mais nobre, mantidos por magia em meio ao clima quente do lugar.

É a casa da Companhia de Faris, e é a cidade para onde Iyas foi levado quando pequeno depois da sua tribo ter sido saqueada pelos escravagistas.



« Última modificação: Julho 08, 2017, 09:31:31 pm por JP Vilela » Registrado
Páginas: [1] Ir para o Topo Imprimir 
« tópico anterior tópico seguinte »
 
SMF 2.0.10 | SMF © 2014, Simple Machines
Simple Audio Video Embedder

FaleRPG, Histórico Coletivo - Theme by Mustang Forums
Página criada em 0.192 segundos com 31 procedimentos.