Problemas no PBF

FaleRPG - Problemas no PBF

Bem-vindo, Visitante. Por favor faça o Login ou o Registro.
Julho 19, 2018, 04:56:10 am

Início Ajuda Busca Calendário Logar-se Registrar Jogar Dados Voltar para o Site The Geek Space 9
+  FaleRPG
|-+  Só RPG
| |-+  Dicas e Material
| | |-+  Problemas no PBF
« tópico anterior tópico seguinte »
Páginas: [1] Ir para o Fundo Imprimir
Autor Tópico: Problemas no PBF  (Lida 1084 vezes)
Eilchen.
Conhecedor
*****
Offline Offline

Mensagens: 973


« Online: Setembro 25, 2012, 04:07:40 pm »

Bem, eu fiz esse tópico porque vejo alguns problemas encontrados em RPG. Queria saber a opnião de vocês, para modificar algo, acrescentando ou tirando.



Tempo.
O tempo real em um RPG de fórum flui um pouco diferente, tende a demorar um pouco mais. Mesmo que o Mestre diga, o tempo no turno está parado ou avançando de forma mais rápida, o tempo para nós jogadores vai ser sempre o mesmo. O que pode ser rápido em um RPG de mesa, como atravessar uma simples ponte, ou conjurar uma magia, no PBF, as mesmas ações podem levar dias, até semanas.

 Em um RPG de mesa, o jogador acaba fazendo o inesperado, também ocorre no PBF, porém na mesa o mestre precisa pensar rápido, muitas vezes não deixando a aventura interessante. Também acontece com o jogador, “você tem 15 minutos para atravessar a floresta, pode seguir em linha reta pelo caminho rápido, ou dar a volta pela floresta”, é o jogador que decide o que fazer, na mesa, precisando decidir rápido.

Muitos jogadores/mestres, tendem a ter problemas com o tempo real. A demora para fazer uma ação, a espera por um post, ou conseguir fazer algo na aventura que o jogador/mestre sempre quiseram fazer, parecer ser impossível. Nessas horas que o mestre/jogador deve tirar proveito, saber usar o tempo de um PBF a seu favor.
 
 
Nessas horas, que jogadores e mestres devem tomar proveito. O jogador, tem mais tempo para pensar e fazer sua ação no PBF, e o Mestre também, em como deixar a aventura mais interessante, sem medo de errar fazendo algo que complique a aventura. Por isso, quando jogamos um PBF devemos sempre lembrar, as coisas tendem a demorar um pouco mais. O mestre, precisa estar ciente que os jogadores querem evoluir, as aventurar podem demorar, para isso ocorrer bem o mestre e jogadores tem que dosar no PBF, tempo de aventuras, sistema de evolução entre outros fatores.


Ausência de jogadores:
Como em qualquer jogo, é normal jogadores se ausentarem, seja em um RPG ou em um jogo de futebol. É triste, as vezes o mestre e jogadores empolgados para prosseguir com a campanha, e de repente um jogador some. Eu estou participando de uma campanha de D&D 4.0, já tem um bom tempo, acho que tivemos 15 meses e infelizmente ocorre em um sábado, quando trabalho, por isso só participei de 8 sessões. Dentre as vezes que não pude comparecer, eu sei que o mestre narrou para apenas 1 jogador.

Quando em um RPG um jogador ou dois não postarem, existe outro querendo jogar e convenhamos, é melhor um bom jogador do que dois reclamando e atrapalhando. Diferente de uma mesa de RPG, achar jogadores em um PBF é muito mais fácil, jogadores do mundo todo podem se encontrar na FaleRpg e postarem em qualquer horário, enquanto em uma mesa, é difícil formar um grupo, se reunirem ou mesmo ter tempo.

Nessas horas que devemos ter paciência, eu mesmo não me importo de jogar um PBF sozinho até aparecer mais jogadores. E o mais importante, se aquele jogador está postando, significa ele está gostando, mesmo sozinho o desbravador está curtindo a aventura, quer se aventurar. Diferente dos outros 4 jogadores que não postam, então, antes de parar uma campanha por falta de “muitos” jogadores, devemos pensar, “melhor ter um jogador que curte minha campanha, ou 4 jogadores que só vão atrapalhar?”.


Interpretação:
Embora interpretar na mesa seja legal, na mesa muitas vezes temos dificuldades para interpretar, se queremos parecer ser malvado com o personagem, ou um herói com aquela luz pela cabeça dependemos muito dos dados, raramente conseguimos interpretar aquela cara de mau ou heroica. Já no PBF, podemos tirar vantagens disso, passando para o PBF perfeitamente como nosso personagem vai se comportar e expressar, seja nas expressões faciais ou modo de agir.

A interpretação é extremamente importante, especialmente na descrição do cenário influência muito. As vezes, em um RPG de mesa não temos como descrever detalhadamente o cenário, mesmo que conseguimos, parece não ficar tão nítido na mente como uma boa leitura. Nesse momento que o PBF se sobressai, a descrição e toda interpretação do ambiente, detalhes para ficar como queremos jogar.


Sistema, dados e regras.
Bom, todo jogo precisa de regra, até mesmo um jogo de petecas tem regras, o que dirá um RPG. Mas claro, que cada jogo tem que ter regras conforme o ambiente e o tipo de jogo.  Em um RPG não é diferente, porém o mestre/jogador devem ficar atentos nas diferenças entre mesa e PBF. Algumas vezes, o mestre está tão empolgado com o RPG que acaba esquecendo de detalhes no PBF, todo jogador que evoluir, quer conquistar e se aventurar, não importa a temática, seja um D&D ou um RPG baseado em THE SIMS. Na hora de ciração é que o mestre deve ficar esperto, sabendo que no PBF a evolução do RPG pode demorar mais e estar preparando para não ser tão rígido, como em uma mesa.

No RPg de mesa, os dados são a atração. Quando se joga em grupo ver o colega tentar algo complicado como um blefe para um policial, e o mestre pedir para rolar os dados, não tem preço o suspense e a cara dos colegas até os dados pararem. Ver a cara dos colegas, e o clima de “ele se deu mau”, ou “ele se deu bem”, é a melhor parte. Os dados em um RPG de mesa,  colocam um suspense, até mesmo fazem parte do clima, muito mais do que apenas julgar. Porém, diferente do PBF a rolagem é rápida, quando tempo leva para rolar os dados? 5 segundos?

Já no PBF, ou o mestre rola os dados em casa e posta no jogo, ou usa os dados do fórum, colocando os atributos, quantidade de dados e levando um tempo para saber o resultado. Isso tende a demorar um pouco mais e não ter aquele clima do RPG de mesa. Nessas horas que o mestre precisa ficar ligado, saber se ele precisa ser tão duro ou pode ser mais maleável. Precisa mesmo ser tão rigido? Esperar dias para conseguir chegar em um estratégia? Ou já colocar uma alternativa para à tarefa, pensando em como fazer para não deixar a cena travada?

Em alguns PBFs, alguns mestres tendem a fazer estilo super trunfo, não que seja o correto mas para o RPG fluir de forma natural, pode ser uma solução. Conforme o valor do atributo o mestre diz o CDS, sem rolar os dados e não levar um tempo para a postagem. Se tiver tempo, claro que os dados é o melhor.
« Última modificação: Setembro 25, 2012, 04:12:20 pm por Eilchen. » Registrado
Wyczek
Conhecedor
*****
Offline Offline

Mensagens: 1116


Space Gnome

« Responder #1 Online: Outubro 31, 2014, 11:38:56 pm »

Nossa, nem tinha visto este tópico.

Parece fundamental; e é inacreditável que ninguém tenha respondido. Deverei ser o primeiro. Aguarde por favor.


* * * * *
TEMPO:

Bem observado.
O uso do tempo real, na modalidade PbF, não pode ser pensado da mesma forma que num jogo síncrono. Porque, não importa quão rápido seja a frequência de postagens, PbF não é RPG de Chat, nem RPG de mesa.

Penso que as postagens do narrador e dos jogadores, devem buscar uma forma literária de comunicação que aproveite cada palavra e cada frase, e que possua autonomia poética, de modo a não conduzir a narração coletiva a interações circulares desinteressantes entre os participantes.
De certo modo, isso significa dizer também que, narrador e jogadores, não podem ter medo de descrever suas escolhas; não dá se pra jogar PbF 'com cautela': tem que 'soltar a matilha espiritual de uma vez'. Se não for assim, estamos pensando o PbF como se fosse um jogo presencial; e não é isso: o texto em cada postagem deve ser rico o suficiente em conteúdo - o que não significa necessariamente quantidade de texto, mas sobretudo qualidade de texto -, para que os próximos a postar possam trabalhar sem problemas técnicos, diretamente a partir daquilo.

Não dá para esquecer aqui que, existem técnicas narrativas que promovem a passagem mais rápida do tempo IN-game; no entanto, vale ressaltar que nem todos os jogadores dispõem de competência técnica para trabalhar macro-ações de seus PJs - às vezes, é preciso treinar os participantes a esse tipo de abordagem de passagem temporal extenso.
Uma vez, narrando PbF com jogadores inexperientes, eles tiveram dificuldade em compreender o que seria uma 'fase narrativa' do jogo, em que a proposta era que as ações de seus PJs seriam na realidade macro-ações no tempo in-game. Ou seja, eu queria que respondessem à seguinte pergunta, por exemplo: "O que seu PJ pretende fazer neste dia/mês, de modo geral?"
Mas não, eles queriam continuar jogando como se fosse tudo em tempo real. xDDD

Eu percebi que às vezes nos faltam ferramentas narrativas (dentro dos próprios sistemas de RPG frequentemente!) para trabalhar uma passagem de tempo que não tente simular o tempo real. O RPG PbF particularmente é uma das modalidades que MAIS precisa desse tipo de alternativa ao meu ver, para "fazer as coisas acontecerem" sem levar décadas de sua vida real. xD

Para concluir este tema: estabelecer uma FREQUÊNCIA DE POSTAGEM padrão é muito importante ao meu ver, num PbF. Isso representa um dos parâmetro fundamentais, que auxiliará enormemente a determinar o quão se pode 'abusar' ou não de interações circulares in-game. xD


AUSÊNCIA DE JOGADORES:

RPG PbF: Ninguém está autorizado a sumir sem justificativa. xD
Acho importante o grupo estabelecer uma regra de frequência de postagem, e o que o narrador deve fazer, caso ocorram imprevistos (O narrador interpretar o PJ do jogador faltante? ou conceder a interpretação daquele PJ a um outro jogador presente? Fazer o PJ do jogador faltante perder a ação? Interromper o jogo? Outro...?)

Já li uma ideia genial de um narrador que, frente a essa realidade da ausência de jogadores, ele criou uma premissa de jogo que já PREVIA o sumiço dos jogadores: A premissa instaurava que os PJs eram alvos de fenômenos 'sci-fi' estranhos, em que às vezes, 'aleatoriamente', o personagem via-se perdido no espaço extra-dimensional, e sumia de repente, e ficava inconsciente ou em transe por tempo indeterminado... E então ressurgia mais tarde naquele lugar (assim que o jogador voltasse ao forum). xD


INTERPRETAÇÃO:

Não identifiquei nenhum problema relevante na modalidade PbF em relação à interpretação, e que você tenha escrito ali. (Acho que a ideia era discutir problemas). Mas concordo com a diferenciação que fez em relação às dificuldades encontradas no RPG de mesa. Apenas me permito esclarecer o seguinte:
o RPG de mesa é cênico, enquanto que o RPG PbF é literário. São linguagens muito diferentes, então os problemas que existem num podem não existir no outro. Acho que na escrita literária, a gente tem sobretudo dificuldade às vezes em expressar certas geometrias das coisas concretas - ou tem que ser um grande talento poético. Pode ser muito trabalhoso ou difícil, por exemplo, descrever no PbF a ambientação de uma peça de uma dungeon, ou de uma caverna, sem se utilizar de recursos alternativos. Na linguagem cênica do RPG de mesa, é possível transmitir certas ideias de modo muito mais enfático. Mas uma dificuldade aparentemente comum no RPG de mesa, é ter que improvisar muita coisa boa rapidamente. Isso é um grande desafio. Além de tentar manter a concentração, o 'bom humor' e a inspiração durante várias horas seguidas. Isso não é nada fácil para algumas pessoas - eu por exemplo, que sou "bipolar". xD


SISTEMA, DADOS E REGRAS:

Regras? RPG não tem regras. xD

Obviamente, trata-se de uma piada rpgística; vide-a no link abaixo:
http://www.falerpg.com.br/forum/index.php?topic=4866.0

Agora, particularmente sobre a rolagem de dados nos jogos PbF, que é o assunto que você estendeu mais: Acho que a apresentação dos resultados aleatórios no tópico de jogo deve ser opcional. Nenhum narrador precisa realmente expôr qualquer resultado técnico, mas com certeza precisa expôr o resultado narrativo. Se o narrador tiver disposição e recursos rápidos para realizar essas divulgações, ótimo - a estrutura do forum de certo pode auxiliar nesse sentido. Senão, também não acho particularmente que seja o fim do mundo, não haver exposição técnica dos resultados. Acho que no PbF, todo mundo mundo quer e HISTÓRIA antes de mais nada. Não vamos nos esquecer da proposta literária dessa modalidade de RPG. Ok, RPG é lúdico. Então, não me entendam errado: sou defensor da transparência (da maior parte!) dos resultados, até por questões didáticas referentes ao sistema que se está utilizando. O problema é que nossos recursos digitais (mesmo nossos foruns com recursos de rolagens aleatórias) nunca estão realmente à altura da experiência tátil, presencial.

Para uma exposição atraente, eu procuro desenvolver formatações padrões para postar, e inclusive coleciono links de imagens de faces de dados coloridos............. veja por exemplo ao final desta página:
http://zinemax.proboards.com/thread/575/rpg-virtual-pbf-torre-caos?page=2
Registrado
Páginas: [1] Ir para o Topo Imprimir 
« tópico anterior tópico seguinte »
 
SMF 2.0.10 | SMF © 2014, Simple Machines
Simple Audio Video Embedder

FaleRPG, Problemas no PBF - Theme by Mustang Forums
Página criada em 0.122 segundos com 27 procedimentos.