FaleRPG

Mesa de Jogo => PBFs - Fantasia e Medieval => O Reino da Vastidão de Além-Mar => Tópico iniciado por: Wyczek em Agosto 14, 2016, 05:39:20 pm

Título: Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 14, 2016, 05:39:20 pm
CAPÍTULO I
A Ilha dos Desafios


♦ ♦ ♦ ♦ ♦

https://www.youtube.com/watch?v=2MUogkgXezw (https://www.youtube.com/watch?v=2MUogkgXezw)


Todos: Iyas, Cael Galadin, Sylence Beltyth, Vanessah

Finalmente, vocês 4 'desembarcaram' de sua balsa improvisada dos restos do navio, após aquela fatídica noite explosiva e incandescente, na qual os piratas fizeram grandes somas às custas de tantas vidas importantes...

Sobreviventes semi-acordados, vocês se esgueiram em terra-firme numa breve praia exótica, com mais vegetação e rochas do que areia propriamente; e ao lado de um velho ancoradouro de madeira abandonado - ou pelo menos sem nenhuma embarcação além da que vocês trouxeram. O sol já se levanta forte pela manhã, com algumas nuvens no céu. A frente de vocês, término da praia e acima de um patamar elevado com um lance amplo de escadas, estabelece-se uma pequena aldeia no sopé de um monte arredondado ao fundo; de volta à baia, há uma porção urbana baixa e portuária a beira-mar, com alguns pequenos casebres pobres alinhados numa região obscurecida pela sombra profunda de uma gigantesca falésia que se ergue a direita de vocês, e na qual, ao topo, ainda impõe-se um antigo farol, sofrido por muitas décadas (ou séculos) de ventos marítimos. Já, do outro lado da baia (a esquerda), há um imenso rochedo com um castelinho ao topo - por acaso, seria o governante deste local?

Aliás... seria ISTO, afinal de contas, a própria Ilha dos Desafios??

Voltando-se para trás, de onde vocês trouxeram a deriva suas sofridas presenças, notam a caminho do horizonte um grande navio com 2 mastros; provavelmente ancorado, porém a algumas milhas da costa, a observá-los com a lateral voltada para a ilha... como se fosse uma sentinela guardiã a postos.

De repente, uma pessoa que andava pela praia, vinda da direção das casas de madeira, se aproxima de vocês, notando-os, enquanto estavam ainda tentando se re-orientar e se re-habilitar a caminhar plenamente - pois não sabem ainda exatamente quantas horas ou dias ficaram inconscientes, desde o naufrágio. Era uma jovem moça, com roupas simples ou talvez até maltrapidas, seu rosto, apesar de jovial, tinha várias manchas de sujeira ou de ferimentos ou cicatrizes, mas que todavia não pareciam lhe incomodar em sua atitude - talvez fosse a consequência de uma árdua rotina de trabalho. Então ela diz-lhes, num tom estranhamente amigável e como quem não quer nada:

- Oi! Quem são vocês? - olhava-os aos poucos, intrigada, talvez, com 'tamanha diversidade'.


referência visual da falésia do farol (só que de noite)
(http://www.johnlund.com/Images/Lighthouse-Starry-Skies.jpg)

referência visual do navio (obs: ignorar insígnias)
(http://artist-3d.com/free_3d_models/uploads/pirate-boat-historic-sailboat-img.jpg)

referência da moça:
(http://t12.deviantart.net/XrfF3J2LKUCBYZo1ovm1a7UaLfA=/300x200/filters:fixed_height(100,100):origin()/pre11/4505/th/pre/f/2013/227/2/5/vampire_portrait_by_i_m_m_o-d6i9kn4.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Agosto 14, 2016, 06:22:37 pm
Vanessah estica as pernas e as asas. Teve que dar vários pequenos voos para não morrer afogada e suas asinhas estavam doendo.

- Aaaauuuttchh! Mas o que aconteceu? Como foi que acabamos naquela balsa? Quantos dias ficamos no mar? Que ilha é esta? Alguém tem sorvete?

A menina chega perto dela.

- Oi, eu sou Vanessah, fada de Yavimaya, conhece Yavimaya? Que ilha é esta? E você, quem é? Tem outras fadas aqui?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Agosto 14, 2016, 10:57:08 pm
O homem de pele escura observou a jovem aproximar com uma expressão emburrada, não era para menos, devido a sequencia de acontecimentos que o levaram ao atual estado de náufrago. Além de estar exausto por passar tanto tempo sem nenhum descanso, com medo de cair do balsa e consequentemente se afogar, não havia comido nada antes do ataque. Seu estômago roncava e sua garganta estava ressecada.

Por trás das feições carrancudas, estava feliz de já terem descoberto sinais de civilização em relativamente pouco tempo. Ele e o grupo tiveram muita sorte, poderiam ter ficado a deriva até que a fome, o sol e a sede os voltassem um contra o outro até um mísero e trágico fim. Surpreso que a jovem nativa também falava o idioma dos companheiros.

Tentou endireitar sua postura e deixar que os mais eloquentes falassem. Por enquanto, não havia motivos para se separar de seus colegas de desastre.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Agosto 15, 2016, 02:06:49 am
Cael estava atirado no chão, com os olhos exaustos voltados para o azul do céu e a respiração ofegante tão pesada que parecia ter nadado desde o local onde o navio fora atacado até a praia. A cabeça doía, e doera e voltara ao normal por várias ocasiões enquanto fazia o trajeto de "balsa" com seus companheiros rumo ao desconhecido. Não estava claro o que estava acontecendo, mas tudo parecia errado e fora do lugar. Precisava se concentrar tanto para lembrar coisas simples... Mas a maioria delas não lhe estavam vindo à memória no momento. O que era isso... desidratação...? Insolação??

Ouviu a aproximação da moça e logo em seguida sua pergunta, mas não tentou virar o rosto para ela, parecia uma tarefa complicada demais naquele instante. Logo antes de sequer pensar em uma resposta para dar ouviu a agitada voz da fada e suas inúmeras perguntas... Até tentou balbuciar algo, mas Cael definitivamente precisava respirar fundo um pouco mais antes de conseguir juntar algumas sílabas e por os pensamentos no lugar.

 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Agosto 16, 2016, 09:36:29 am
Era difícil responder ao questionamento da pequena fada com relação a quantidade de dias que permaneceram em alto mar, a própria Drow não fazia nenhuma ideia.
A mesma estava sentada próxima aos demais, um capuz cobria seu rosto de possíveis raios solares, sempre preferiu mais a tranquilidade da noite. Levantou-se então e verificou seus equipamentos para ver se estava tudo em ordem.

Fitou toda aquela vegetação e rochas a sua volta, suspirou pois sabia que estava perdidos e que hora ou outra teria de tentar rastrear, encontrar abrigo, comida etc... fazer isso apenas para si mesma era uma tarefa fácil, poderia dormir em algum galho firme de arvore, comer algumas frutas, caso se perdesse não tinha problema, porém... agora fazia parte de um grupo a "responsabilidade" era um pouco maior. Mas, seus olhos se deslumbraram ao notar uma escadaria que dava direto a uma aldeia, uma certeza ela já tinha... "a ilha não era desabitada", aquela poderia mesmo ser a tal "Ilha dos Desafios"

Assim que notou que alguém se aproximava, instintivamente sacou seu arco e uma flecha, porém ao notar que não parecia ser alguém hostil, se desarmou.

Ao notar que a fadinha tomara a frente e já começava com o interrogatório a Drow se aproxima cautelosamente, chega próxima a pequena Vanessah e sussurra:

- Tente não falar demais... - Então volta sua atenção para a moça - Somos viajantes... nosso navio foi atacado!! Poderia informar onde exatamente estamos?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Agosto 16, 2016, 07:27:59 pm
- Oras! Mas quem está falando demais? Eu não falo demais. Nós fadas somos extremamente sintéticas e objetivas! Você jamais irá ver uma fada fazendo um sermão prolixo. De forma alguma, não é de nossa natureza. Eu só abro a boca quando tenho certeza.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Agosto 17, 2016, 07:04:56 pm
O elfo colocou-se sentado na areia da praia com dificuldade, enquanto tinha a respiração ainda pesada e o suor lhe escorria pelo rosto, então dirigiu a palavra à companheira fada:

- Perdoe a intromissão, pequenina Milady, mas me parece ser uma das fadas detentas de muitas certezas. Portanto... Deve ser muito sábia. - o tom era enigmático, mais difícil ainda de se interpretar por causa da voz ofegante e lenta.

E talvez essa tenha sido uma das maiores frases que os companheiros de viagem ouviram Cael dizer durante o curto tempo que lhe conheciam.
Após a frase concluída ele sacudiu a cabeça e bateu com a mão espalmada na lateral do rosto algumas vezes, como se tentasse livra o ouvido de água... Ou talvez simplesmente perdera a sintonia dos próprios pensamentos....
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 19, 2016, 09:11:56 am
Todos

A jovem da praia respondia à Fada que se dizia de Yavimaya:

- Nãão... não conheço. Mas, é... tem sim, algumas fadas por aqui também.- Apontava vagamente para a cidadezinha mais acima, mas também aparentemente em uma direção distante mais além do pequeno castelo. Para Iyas, que não era um ser de origem feérica, chegava a ser difícil de se acreditar, que Fadas pudessem ser tão comuns por aí mundo afora - seja lá em que paradeiro vocês acabaram se metendo...! A garota retomava: - Eu sou a Béthia... Então, bem vindos.

Daí, a contemplar sem estupor ou preocupação a apresentação feita por Sylence, também acrescenta:

- Faz tempo que ninguém do Continente vem até aqui; os piratas não deixam. - Dizia isso com se soubesse exatamente de onde vocês vinham. Então, pausava um pouco e observava o cansaço, o suor e o pesar de suas presenças quasi-moribundas. - Vocês parecem meio cansados... Porque não vão na estalagem lá em cima...? Ah... Aqui, é a Ilha de Arhkóreas... - Esse nome não lhes era estranho, mas não poderiam ter certeza de que fosse a tal Ilha dos Desafios; ela ficava tão longe no meio do oceano, que nos velhos mapas que vocês tinham tido a ocasião de ver, sequer aparecia!

Béthia, que parecia calma para uma adolescente comum, se entretinha com a discussão que começava a imperar entre os jovens viajantes.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 19, 2016, 09:40:35 am
Iyas

A ideia de uma estalagem logo parecia lhe apetecer o paladar...! estava faminto, ou sedento por uma boa dose de cerveja; porém, só tinha alguns trocados...! Olhou em direção ao vilarejo além dos amplos degraus, procurando por qualquer casarão com cara de taverna ou pousada; chamou-lhe finalmente a atenção um largo edifício de madeira e alvenaria com janelões, seguindo a direita depois das escadarias e indo mais longe, mas praticamente a beira da barreira da praia.


Cael Galadin

Era muito difícil para você se levantar ou mesmo ficar equilibrado... Aquela armadura de metal enferrujado parecia ter o peso de um elefante, mal-distribuído pelo seu torso. Você chegava a cogitar, talvez num devaneio por desidratação, que aquela armadura era a culpada por todo o seu mal estar e fadiga muscular...! Um desejo iminente de se livrar daquele 'fardo' crescia em seu leve coração élfico.


Sylence Beltyth

Aquela ilha parecia bastante rica e abundante, pelo menos se considerar a vida solitária de andarilhos dos ermos feito você mesma. Não era um paraíso, de certo, e talvez custasse-lhe um pouco de tempo para aprender os segredos de sobrevivência naquele lugar remoto e peculiar; mas havia plantas, e se tinha uma aldeia então deveria ter água potável, e animais era seguro que tinha, pois sons estranhos de aves ou talvez de outros animais distantes, não poderiam escapar aos ouvidos de um caçador atento.


Vanessah

Você pressentia que aquela jornada estava sendo cada vez mais perfeita pra você ampliar seus conhecimentos mágicos. Um naufrágio no meio da Vastidão do oceano! E agora isolados numa ilha... Parecia algo sensacional, e emocionante!


imagem de referência da suposta estalagem observada por Iyas
(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTyM7K21zTXqCn8-2q2o-qfSubDmMMxQBbNWT5ZIEU94Ir5x74q)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Agosto 19, 2016, 12:53:57 pm
O naufrago assentiu com a cabeça para a jovem após ela fornecer aquelas informações,  pigarreou e engoliu seco para limpar a garganta:
 
- Parece bom. - falou carregado de sotaque.
 
Não era muito versado no idioma do restante dos companheiros e por conta disso era um melhor ouvinte que orador. Sempre demorava um pouco para formar suas frases mentalmente antes de proferi-las. A viagem até então já havia o ajudado a pegar a prática de muitas expressões que se quer havia estudado em sua terra natal, porém não tinha muita necessidade de sair tentando conversar abertamente e consequentemente expressar mal o que gostaria de dizer.
Virou-se para o ruivo companheiro caído e ofereceu lhe a mão, apontando com a outra para o prédio que avistou. Um sorriso cansado e cooperativo habitou seu rosto enquanto encarava o elfo.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Agosto 19, 2016, 06:20:20 pm
Vanessah raramente levava qualquer dinheiro, pois suas necessidades eram poucas e qualquer peso que carregasse (tanto pelo peso quanto pelo volume) tinha que ser bem calculado, devido seu tamanho. Portanto, se tinha levado algum trocado na viagem, é bem possível que tenha perdido (em todo caso ela dá uma olhada nos seus bolsos).

Ela começa analisar a situação:

"Se tem árvores, tem frutas e folhas, então com comida eu não preciso preocupar pois não como carne mesmo, acharei o que precisar para comer fácil. Os animais que podem ser problema, não sei quais existem por aqui, então tenho que tomar cuidado, sou nova e bonita demais para ser engolida por um sapo gigante. Por enquanto tenho que me manter perto deste grupo, queira ou não ainda preciso deles para me proteger, e eles com certeza precisarão de mim também. Não posso dormir na floresta ainda, mas se eles forem para algum alojamento na vila, isto também não será problema para mim, pois posso me instalar no telhado de onde eles forem sem precisar gastar nada, nisto nós fadas somos igual passarinhos. Depois que eu conhecer um pouco melhor o terreno, aí poderei sair procurando minhas parentes feéricas d'além mar."
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Agosto 19, 2016, 08:29:36 pm
Cael levantou os olhos para o companheiro e distorceu os lábios em um sorriso meio forçado e levou uma mão à lateral da armadura, tentando tatear e desatar as amarras.

- Agradeço pela gentil oferta, mas primeiro preciso resolver algo aqui mesmo. - com bastante dificuldade começava a desprender a pesada armadura que lhe impedia de mover-se livremente e se levantar da areia.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Agosto 19, 2016, 09:50:56 pm
Iyas recolheu o braço e deu um passo para trás, olhando em volta mais uma vez enquanto o elfo fazia o que estava a fazer, dai seu olhar recaiu na garota nativa, tentando estuda-la melhor. As feridas o chamavam atenção.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Agosto 20, 2016, 11:00:12 am
Aquele nome não lhe era estranho, talvez depois procurasse algum mapa para tentar ter alguma ideia se essa poderia ser ou não a ilha que estavam se dirigindo.

A Drow aguardou que todos concordassem antes de tomar sua decisão, não que se importasse com a opinião alheia, mas sabia que se algo hostil acontece ela certamente não daria conta sozinha, então era melhor manter-se no grupo e fazer parte do grupo.

Sylence olhou para os dois que ainda estavam um pouco para trás - Vocês vão?! - A mesma já sabia a resposta porém sua pergunta pareceu mais uma maneira de apressar os dois, e aproveitou esse tempo também para especular um pouco sobre a região com a moça que havia os acolhido - Esse lugar... como é a vegetação, animais, etc!! - Sua pergunta foi algo meio repentino, deixando transparecer seu interesse em conhecer a fauna local, afinal não sabia se teria de sair por aí.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Agosto 20, 2016, 06:34:33 pm
- Milady... - aos poucos os nomes daqueles que lhe acompanharam até a ilha iam ressurgindo na memória confusa de Cael - Milady Sylence, não se preocupe comigo... - se é que a drow teria o porquê de se importar com o elfo - Pode reunir os demais e seguir em frente, eu irei alcançá-los depois. - respondia enquanto removia a parte da frente da armadura com um suspiro pesado.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Agosto 20, 2016, 09:08:54 pm
- Ok... - Limitou-se a responder, seu tom parecia um pouco seco e seus olhos logo se desviaram para a moça que fora a primeira habitante da ilha que se aproximou do grupo
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Agosto 22, 2016, 12:16:57 am
Foi retirado de seus pensamentos pelo chamado da outra companheira, então olhou mais uma vez para o elfo caído e deu de ombros. Talvez Cael precisasse mesmo de um tempo para recobrar forças, concluiu. Mas se fosse ele o faria em uma taberna enquanto comia algo e não ali no sol no meio do nada. Mas aquilo realmente não era de sua conta. Esperava que o companheiro de naufrágio ficasse bem por ali, porém ao olhar em volta, não parecia que aquela praia fosse um lugar hostil.

- Humm...  Até... – disse ao começar a caminhar sem pressa, acompanhando Sylence.

Enquanto o fazia checava o que ainda estava preso ao seu corpo, tinha checado inúmeras vezes enquanto estava no mar, detestaria ter perdido uma de suas armas, e principalmente suas economias, pois já sabia exatamente onde iria gasta-las.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 23, 2016, 05:41:31 pm
Vanessah

Embora você nunca estivesse tido numa ilha em toda sua vida, seus amplos conhecimentos animalísticos lhe permitiriam vislumbrar alguma faceta daquela geografia remota... ou pelo menos, era isso que você esperava.

Teste de Animalogia moderado, marcado por Consciência

Medíocre: 2.4
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/0/09/Dice-1.svg/40px-Dice-1.svg.png) (http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d5.gif) (http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d5.gif)

Marcas: 0
(http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d1.gif) (http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d2.gif) (http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d3.gif)

Infelizmente, o desgaste da viagem provavelmente estava impedindo-lhe uma saudosa reflexão naquele momento... Um sapo gigante numa ilha como aquela? Sim, mas quem sabe próximo a locais úmidos, obscuros e com vegetação arbustiva; na praia você deveria temer caranguejos guerreiros grandões, e outros crustáceos gigantes que porventura pudessem aparecer... E claro, muito cuidado com aves-de-rapina a ceu aberto; você poderia ser incomodada a noite por corujões e afins por sinal. Muito bem pensado!


Cael Galadin

...Que alívio você sentiu, ao retirar uma das peças mais pesadas daquele ferro-velho...! Queria se atirar para atrás na areia e soltar um grande suspiro. É como se seus pulmões voltassem a ter espaço para inspirar e encherem-se plenamente; você não perde mais tempo, se apressa em retirar todo o material metálico de seu corpo, a desfivelar cada porção... uma tarefa um pouco demorada e mais complicada do que você gostaria que fosse; na realidade, você começa até a estranhar a dificuldade... é como se nunca tivesse feito aquilo na vida...! Ocorre-lhe um estranho pensamento...... por qual raios está a vestir uma armadura pesada? E é então que, certas lembranças começam a retornar-lhe a tona, numa enxurrada assustadora mas inconstante...

Ainda iria demorar até você se lembrar... de tudo exatamente. Mas iria ocorrer n'algum momento, você pressentia isso. Estava a retirar, numa mistura de tristeza e alegria, a última peça da armadura... a emoção de alguém que se estraviou na vida por muito tempo, e só agora se reencontrava... e seus olhos, agora quase umedecidos, fitaram naquele momento e com estupefação, aquela espada de duas mãos ao lado de suas pernas, e que você, agora, SABIA, era incapaz de empunhar! Não havia aflição em você, mas um desejo irremediável de voltar a viver com todas as suas forças!


Sylence Beltyth

Béthia não parecia realmente ostentar um grande conhecimento teórico sobre a natureza de Arkhóreas, tanta foi a perplexidade de sua expressão facial, diante do questionamento de Sylence:

- Ãhh? As plantas...? Os bichos...? - Parecia indecisa; até refletir e concluir: - Hmm..... as tortugas daqui são bem saborosas...! - disse alimentando um breve sorriso mostrando os dentes.


Iyas

Você nota que nem todas aquelas manchas eram feridas no rosto da garota; pareciam mais respingos ressecados a pouco tempo, de alguma sujeira de molho, possivelmente até... de sangue de algum animal em preparação talvez? Você não deixa de perceber os olhos claros de Béthia, de um verde prateado estranho e raro... com pupilas extremamente pequenas mesmo considerando o dia ensolarado; olhos amedrontadores! e um estranho calafrio lhe percorre a espinha ao vê-la falar... Havia algo de diferente naquela jovem; mas você não sabia dizer se era ela particularmente, ou se talvez fosse o padrão geral dos habitantes daquela ilha.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Agosto 23, 2016, 07:34:24 pm
Cael deu um alto suspiro, enchendo os pulmões com o aroma salgado do mar e jogando a cabeça para trás, enquanto começava a rir alto, quase a gargalhar, mas não sabia ao certo se ria da ironia de sua situação ou de sentir uma estranha e doce sensação de liberdade, fosse ela do interior sufocante da armadura ou se da sensação de estar completamente perdido.

O elfo levantou da areia em um pulo, como se estivesse com as energias renovadas, embora ainda sentisse o corpo pesado e desgastado.

...E aquela espada... Certamente conseguia levanta-la, mas não sabia como fizera para usa-la como uma arma até então... Lhe era algo totalmente inexplicável, tanto quanto antes ser capaz de usar perfeitamente uma armadura tão pesada quanto a que estava usando e agora parecia que ela equivalia ao peso de centenas de pedras sobre seu corpo.

Só agora que estava "livre", Cael voltou  atenção para a nativa que aparecera para eles. Cumprimentou-a com um grande e gentil sorriso:

- Ah. Perdoe-me ignora-la anteriormente. É um prazer conhece-la, senhorita. - curvou-se brevemente em uma reverência.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Agosto 25, 2016, 12:24:53 am
Desde pequeno Iyas sempre foi desconfiado e curioso em uma igual proporção, aquela sensação em relação a nativa não o ajudava a relaxar em uma situação em que ele e seu grupo deveriam estar tecnicamente "a salvo", escaparam de morrerem no imensurável mar. Nada garantia que tipo de recepção teriam quando encontrassem outros habitantes ali.

Aquilo o lembrou de histórias de terror que contavam nos alojamentos da Companhia de Faris: Tribos reclusas que devoravam seus prisioneiros. Ao menos naquelas histórias, os sacrifícios eram tratados como reis por um tempo antes de serem servidos no banquete.

Após ouvir Cael, deu alguns passos em direção a jovem:

- Que no seu rosto? - inquiriu, em um tom neutro, enquanto tocava a própria face. 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Agosto 25, 2016, 01:37:25 pm
Ao ouvir a resposta da garota, Syllence da um sorriso beeeem forçado  - Ah sim... tortugas... - Sua vontade era parar de caminhar ali mesmo se ajoelhar erguer as mãos para o céu e gritar "SOCORRO!!!". Porém não faria isso ali, naquele momento teve a certeza de que essa garota não duraria nem 20 minutos em um lugar novo e hostil.

Notou a aproximação do elfo que finalmente se apresentou àquela moça que os acolheu, a drow olhou de rabo de olho para o elfo, sabia que suas raças não eram exatamente "amiguinhas", não que isso fosse um problema, mas instintivamente sentia que não poderia baixar a guarda perto daquele sujeito.

Voltou novamente sua atenção à garota - Quem é o responsável por essa vila ou essa ilha?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Agosto 28, 2016, 09:27:17 pm
- Então? Para onde vocês vão?

Vanessah pergunta ao grupo, pois por enquanto apenas os seguiria, estava meio cansada e ficar com o grupo por enquanto era mais seguro. Claro que tinha curiosidade de explorar a ilha e conhecer outras fadas, mas isto amanhã cedo, depois de dormir um pouco. Ela não demonstrava desconfiança da estranha ou de qualquer companheiro, aliás era uma de suas características não prestar muita atenção em possíveis maldades das pessoas, por isto se enturmava bem (ou acreditava que sim, pois gostar de todo mundo não quer dizer que todo mundo gosta dela.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Agosto 31, 2016, 02:49:36 pm
- Vamos procurar um lugar para ficar e algo para comer!! - Respondeu a drow para apequena tagarela - Mas, no momento minha prioridade é descobrir se estamos onde deveríamos... - Dizia enquanto dava um longo suspiro, apesar de adorar uma boa aventura, ela não se sentia confortável estando em um lugar totalmente desconhecia.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Setembro 10, 2016, 06:05:07 pm
https://www.youtube.com/watch?v=Xepbmq2eQAU (https://www.youtube.com/watch?v=Xepbmq2eQAU)

Todos

A nativa de olhos exóticos observava curiosa o naufragado elfo Galadin regojizando-se - para alguns, seria de modo catatônico - na areia morna da praia; vocês provavelmente o entendiam melhor do que outros observadores, mas aquilo seguramente pareceu-lhes sensivelmente estranho, dado que vindo de um sujeito comumentemente tão apático; claro que depois daquilo pelo que passaram... é coerente até.

Béthia apenas se riu brevemente do questionamento nervoso de Iyas; olhou para ele nos olhos - dos quais ele precisou se esquivar involuntariamente -, e então esfregou uma das manchas vermelhas da bochecha, que um pouco evaporou-se parcialmente com os claro raios de sol matutinos; mas pareceu então comovida com a apresentação cavalheiresca, talvez uma atitude inesperada por parte de qualquer viajante sobrevivente de uma catástrofe como a recente.

- Sejam bem vindos... - repetiu meio sem jeito e de qualquer forma, a Cael. Depois respondeu a Sylence: - Responsável?... tem o prefeito... - parecia tentar contar nos dedos - e tem o mago-conselheiro... É, é isso! -; e aproveitou a deixa das palavras da drow dirigidas por último a vocês, para interpôr-se: - Péra...! Aonde é que vocês queriam chegar? e ainda acrescentou, do nada, e com um brilho nos olhos - para o desespero de Iyas: - Ah! Eu poderia ir com vocês? que tal??

Vocês se recordam de que, na breve explanação no Continente, a respeito da realidade da Ilha dos Desafios, haveria, na cidadezinha portuária, algum tipo de governo simples, e até mesmo uma espécie de barão ou mago-conselheiro com sua própria mansão. A sorte, talvez, parecia começar a sorrir-lhes outra vez...


Vanessah

Para quem conhece bem o Reino Animal, faz parte também ter uma noção relativamente adequada das coisas do mundo com as quais animais se relacionam; isto é, o que comem, aonde dormem e etc. Você julga que, com um pouco de tempo observando os hábitos de animais daquelas paragens, você seria capaz de descobrir que frutas, flores ou vegetais seriam adequados para sua própria alimentação se realmente necessário; similarmente, poderia chegar a conclusões de que tipo de árvore, ninho ou talvez até toca, seriam as mais seguras para dormir, caso na cidadezinha não conseguisse encontrar nenhum bom recanto de telhado ou chaminé limpa, ou varanda de quarto 'emprestada'. Você tem muitas cartas na manga - e ainda alguns trocados na bolsa; então, não é o caso de precisar se desesperar - ainda que isso pudesse até ser de sua índole apressadiça. Mas você sente pena é daqueles sujeitos mais 'massivos' do que você, pois precisam carregar, cuidar e alimentar seus grandes corpos, que, sinceramente, não parecem ser capazes de feitos maiores que os seus exceto pelo aspecto mais bruto da força muscular.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Setembro 15, 2016, 09:26:49 pm
Iyas coçou a testa ainda sem entender o que acabou de ver. Uma substância sumir daquela forma poderia ser fruto de algum processo alquímico, ou magia... De qualquer forma, não conseguiu uma resposta que o deixasse menos desconfiado, apenas mais perguntas. Ao ouvir a indagação enérgica da garota, olhou para a Drow e de volta para a garota com uma breve responta:

- Por enquanto... - respondeu, cruzando os braços brevemente e olhando para trás, na direção de Cael, vendo se ele tinha alguma intenção de acompanha-los. Em seguida voltou-se para a garota, meneando com a mão em direção a vila, começando a andar para lá sem pressa.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Setembro 15, 2016, 10:16:29 pm
A drow foi memorizando os nomes, apesar de que aparentemente eram apenas duas pessoas as atoridades máximas daquele lugar, era tudo que Sylence queria saber até a garota começar a especular - Bem... então... - Tentou enrolar um pouco até achar uma boa desculpa - Digamos que nós estavamos em um missão secreta, então... não podemos falar sobre os detalhes... - Tentou disfarçar, apesar de que ela não estava mentindo e sim ocultando a verdade.
Aproveitou a deixa do pedido da garota para tentar faze-la esquecer da primeira pergunta - Ir conosco... hum, isso tem que ser muito bem estudado, até porque eu não sou a lider desse grupo... - Dizia ela enquanto com a mão direita apontava para os companheiros - Eu apenas tomei a frente na conversa!! - Sorriu um pouco sem graça - Então isso é uma decisão que não cabe apenas a mim!! Nós vamos pensar sobre isso depois. Tivemos uma longa e turbulenta jornada até chegar aqui, e acho que todos nós precisamos de um bom descanso!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Setembro 16, 2016, 03:24:26 am
Carregando apenas a espada cujo a ponta vinha arrastando na areia da praia e formando uma linha atrás do elfo - havia deixado a armadura para trás, já que eram peças demais para carregar e estava beirando a exaustão, mas fazia questão de esconder o cansaço de seu semblante - Cael apressou-se para o lado de Béthia e tocou-lhe de leve, quase que hesitante, o ombro:

- Como Milady Sylence disse, acredito que hoje tudo o que poderemos fazer é encontrar um bom lugar para repor as energias após o trágico incidente que tivemos, mas amanhã, tenho certeza que este grupo não encontrará adversidade alguma em desfrutar de sua companhia. - tinha um sorriso gentil e alegre, como se o "incidente" que sofrera não houvesse sido real, ou pelo menos não real o suficiente para abalá-lo.

Apesar do elfo se esforçar para parecer estar sentindo-se muito bem, seus olhos não conseguiam deixar de demonstrar a fadiga e até um pouco de desorientação.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Setembro 16, 2016, 05:29:13 pm
- Ai gente, que frescura esta de ficar esperando para ver quem vai liderar o grupo. Mesmo eu que sou a mais inteligente não faço questão de liderar nada. Vamos só achar um lugar para esticar as pernas em segurança e pronto - As fadas eram criaturas calmas, mas nem por isto menos pragmáticas, e Vanessah resolve ir direto aos pontos - É Béthia né lindinha, então lindinha, eu e meus amigos estamos muito precisando de um bom banho de água doce, pois este sal tudo deste mar vai deixar meus cabelos ho-rro-ro-sos. Para mim basta duas canecas de água doce e fico nova em pétalas rapidinho, já meus amigos de grande porte provavelmente vão precisar de algumas horas de descanso. Então vamos logo para a vila mais perto né galera? Depois discutimos detalhes.

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Setembro 17, 2016, 11:37:38 pm
https://www.youtube.com/watch?v=1OCm6KNOsfY (https://www.youtube.com/watch?v=1OCm6KNOsfY)


Todos

Béthia pareceu frustrada com a decisão evasiva de vocês, mas não deixou de manter o mesmo sorriso natural - ou talvez irônico agora? - em seu rosto desde o momento que a viram pela primeira vez. Não disse nada por um momento, então inclinou lateralmente a cabeça um pouco, mordeu o beiço inferior e se despediu balançando a palma da mão aberta no ar na altura do umbigo, enquanto terminava de dar umas risadas do conteúdo ou forma do pronunciamento arisco de Vanessah, dizendo: - Não se preocupem... a estalagem fica logo ali!... - apontava para o prédio que Iyas vinha contemplando de longe. Porém, a expressão da garota parecia traduzir-se, com uma estranha clareza a vocês, nas seguintes palavras de desdém: "Só não contem muito com as pessoas deste lugar."


Cael Galadin

Foi só em seguida de retirar sua mão caliente do ombro de Béthia, que sobressaltou algo em seu ser élfico mais íntimo e visceral... O ombro dela tinha sido gélido ao seu toque, mesmo no calor do sol da manhã. Uma temível memória remota de estórias folclóricas e místicas de seu povo, que você ouvia quando criança ou lia em livros infantis, começou a montar-se rapidamente como um quebra-cabeça em sua mente... Somente os Elfos é que tinham o tato para esse tipo de coisa; e na realidade você entendeu que estava diante, não de uma jovem e graciosa adolescente, digna, respeitável e enérgica, mas sim diante de uma criatura não-Humana, possivelmente muito traiçoeira e peversa, talvez até mesmo uma aberração da própria Vida, e oriunda do mundo do Além... Você só não entrou em estado de alerta instintivo, e denunciou um possível estupor, porque sua mente navegava lentamente em prol da restituição de sua própria existência, perdida há muitos anos - de tal modo que, para você realmente ter medo ou pavor de alguma coisa, você primeiro tinha que re-conhecer quem você era... Neste sentido, em sua própria deriva pessoal, é que você mantinha a disposição, talvez, de conviver lado a lado mesmo com a pior das criaturas do mundo se fosse o caso; não obstante, você tem a noção de que um Elfo ou uma Elfa normal não faria isso, a não ser que tivesse uma excelente razão para tal.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Setembro 17, 2016, 11:48:04 pm
https://www.youtube.com/watch?v=McRr3r-iJs4 (https://www.youtube.com/watch?v=McRr3r-iJs4)


Todos

O vilarejo da provável Ilha dos Desafios era por demasiado pitoresco, e não deveria conter muito mais do que uns 50 habitantes...! Já antes de subir os primeiros degraus da escada de arenito, bem fraturado, era possível contemplar a geografia do pequeno centro urbano, e havia pessoas sim, aqui e acolá, circulando, fazendo seus afazeres, ou já marcando presença na praça central com seus pequenos estandes comerciais com lonas estendidas numa altura simples e conveniente.

Vocês têm, finalmente, a possibilidade de conhecer (e no melhor dos casos, desfrutar de) uma nova cidade, depois de muitas semanas de viagens exaustivas - e desorientadoras.


Esta seria a vista 'topográfica', caso estivessem sobrevoando a baia
(https://scontent.fpoa4-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14264969_10154434623215912_6012999708379611537_n.jpg?oh=eb782c7604594181c312873889abc4ed&oe=5901556D)

Mapa & Legenda:
(https://scontent.fpoa4-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14202701_10154434623505912_7039751597851942355_n.jpg?oh=848d4c915d9d1514310a8e10cb2e1e36&oe=591DD207)
P Prefeitura
C Castelinho
T Taverna
G Ginásio - quartel ou centro de treinamento
F Forte
f Farol
I Igreja
A Armoraria
W Oficina
M Biblioteca Mística
1 cais
2 estranho casarão ou chalé de pedra na praia
3 escadarias da barra
4 - 6 casebres a beira-mar
7 - 23 casas
24 poço
25 - 42 casas
43 - 44 casas de campo: fazendas
PS: Existe uma grande fonte redonda na praça central, logo em frente à Prefeitura (mas acabou ficando sem número)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Setembro 18, 2016, 01:15:27 am
O náufrago continuava a rumar em direção a taverna. Sentiu vontade de ir na fonte, mas não sabia os costumes locais e talvez se jogar lá para tirar todo aquele sal não seria das melhores ideias. Ao menos estava levemente aliviado de ver uma organização urbana a qual era fácil de entender, certamente as moedas que carregava teriam algum valor ali.  Queria muito beber algo. E por mais incrível que pareça, não precisaria ser álcool, pois estava com muita cede e água fervida já seria ótimo para satisfazer suas necessidades mais primárias.
Estava um tanto frustrado por não ter conseguido se expressar direito com a garota estranha, a qual o grupo acabou por faze-la se afastar, ainda estava intrigado com o ar que ela transmitia. Talvez fosse para melhor mas curiosamente ainda queria conversar, ou ao menos tentar conversar com ela um pouco mais.

Mas agora que estava de volta entre pessoas, sentia aquele desconforto que o acompanhava sempre desde jovem, que as pessoas ao seu redor não entendessem seu problema na pele e o vissem como alguém doente. Suspirou fundo, sentindo as partes pálidas de sua pele arderem pela quantidade de sol que há havia tomado, principalmente nas mãos e no rosto. Sentia falta de seu turbante que acabou perdendo durante o naufrágio, precisaria achar um substituto logo mais.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Setembro 18, 2016, 09:10:40 am
- Sabe aquela sensação de "acho que vamos precisar dela"?! - Suspirou a Drow, mas antes de se achegar na taverna parou e pediu para que os companheiros parassem também - Nós não conhecemos ninguém aqui então acho seguro não ser muito especifico quanto ao que procuramos e outra coisa muito importante... tentem não gastar muito, pois não sabemos se vamos precisar de dinheiro daqui para frente!!
Assim que acabou de dizer isso a mesma seguiu para a taverna, chegou próxima ao balcão - O que tem para beber e comer?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Setembro 18, 2016, 10:47:40 am
- Acho que ela falou com vocês, eu não gasto nada mesmo.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Setembro 18, 2016, 11:18:29 am
 O elfo ruivo colocou a mão no bolso da calça em busca de algum dinheiro, pois não se lembrava se realmente tinha algum tostão. Ao ver as três moedas na mão, virou-se à fada e comentou com um sorriso irônico:

  - Não que eu tenha muito o que gastar mesmo.... - colocou-se ao lado da drow no balcão e incluiu: - Quanto custa o que tem para beber e comer?

Quanto a sensação que teve ao tocar a jovem Béthia, iria compartilhar seus pensamentos sobre aquilo com o grupo, mas não ainda. Talvez enquanto comiam, ou seria melhor na manhã seguinte quando todos estivessem descansados e revigorados para lidar com a estranha possibilidade.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Setembro 18, 2016, 01:32:15 pm
https://www.youtube.com/watch?v=1s2ZB0pZ1Pc (https://www.youtube.com/watch?v=1s2ZB0pZ1Pc)


Todos

Apressaram-se sem pensar para chegar até a estalagem, ignorando os olhares curiosos dos moradores da ilha, e de algum pedinte imundo e petulante que ficara no caminho. Finalmente, a taverna; ela detinha o título Taverna dos 7 Mares. Apesar de provavelmente não ser composta pelos mais finos materiais, era larga e espaçosa, e demonstrava que, se tinha algo que aquela gente entendia, era de composição de bares; quiçá o atendimento, a clientela e os preços, e de preferência o menu também, fossem igualmente satisfatórios...! - para pobres e necessitados feito vocês, naqueles sórdidos dias.

Os melhores lugares provavelmente eram aquelas mesas retangulares rentes aos janelões que davam vista ampla para o mar reluzente azul; com certeza uma paisagem de encher os olhos até mesmo dos aventureiros menos sensíveis.

Ideia de ambientação
http://www.final-fantasy-14.org/content/gallery/gridania/gridania-carline-canopy.jpg (http://www.final-fantasy-14.org/content/gallery/gridania/gridania-carline-canopy.jpg)
(http://www.final-fantasy-14.org/content/gallery/gridania/gridania-carline-canopy.jpg)

(http://i.fokzine.net/upload/13/09/130904_202647_ffxiv_04092013_185134.png)

- Ora, ora! Quem temos aqui! Sejam bem vindas, crianças! - lançou-lhes, sorridente e intrigado, um taverneiro de bochechas e barriga generosas. Chamava-se Sokraz, e tinha um ar de quem conhecia muitos rumores. Assim, certamente percebendo algo de inequivocadamente diferenciado em vocês, observou-os pausadamente com a mão coçando as barbas cacheadas, e então retomou naturalmente: - Os tempos andam difíceis para nós aqui, mas hoje especialmente posso oferecer-lhes o café da manhã completo a todos, tudo por apenas 1 conto! - Isso parecia ser um preço muito bom para a média de preços em tavernas... considerando que vocês eram 4 pessoas... ou talvez quase 4 pessoas. - Escolham um lugar e fiquem a vontade, que os serviremos já, já! Meus jovens.

Sokraz
(https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/da/13/15/da13154f08fe00bedb512b4ce1771d67.jpg)

A Taverna dos 7 Mares estava longe de estar lotada; havia no máximo uns 2 ou 3 grupos pequenos de clientes espalhados por aí nas mesas redondas do centro ou nas mesas retangulares rente às janelas, alguns desses grupos mais silenciosos, outros menos; e também havia alguns sujeitos solitários sentados, ou nos bancos do balcão mesmo, ou em mesas. Como era de costume em estalagens "do mundo", a clientela era composta das mais diversas raças - então parece que nem Arkhóreas, seria, escapava desse padrão.

Um sujeito engomado, de pernas cruzadas e confortavelmente instalado em seu canto ao lado de uma das amplas janelas, e numa mesa que parecia particularmente especial e não muito longe do balcão, lançava-lhes um persistente olhar, de tal modo que sua atitude não havia como passar-lhes desapercebida.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Setembro 18, 2016, 03:18:57 pm
Iyas bateu sem muita força, mas de maneira a chamar atenção com uma moeda no balcão, arrastando-a em direção ao taberneiro, abaixando sua cabeça brevemente e um gesto de reverência ao homem, em seguida a erguendo e o olhando nos olhos.

- Pago... - pigarreou - Água bastante, traga... - falou sem muita certeza da estrutura da frase - Obrigado. - acenando com a cabeça e desviando o olhar do trabalhador.

Deu meia volta, rapidamente olhando para Sylence não por muito tempo e começou a rumar para uma das mesas com espaço para todos, a qual julgava bem posicionada perto da janela. Tinha de honrar a ajuda que havia recebido no continente daqueles dois que acompanhava.

Tentou encarar nenhum desconhecido, principalmente aquele que os observava de maneira óbvia, mas o mantinha em seu cone de visão.  Afastou uma das cadeiras e sentou-se, descansando as costas e soltando um breve suspiro aliviado por conta disso.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Setembro 19, 2016, 07:10:59 pm
- Crianças? - Falou em um tom irônico, afinal sua raça assim como os elfos era bem duradoura, de maneira que era até mesmo possível que a drow fosse mais velha que o taberneiro.

- Muito generoso de sua parte meu senhor, certamente aceitamos a sua gentileza!! - Disse a garota de maneira cortes.

Sylence acompanhou o companheiro de viagem até a mesa, e sentou-se de maneira que ficasse de costas para o rapaz que insistia em encara-los, assim que os demais se sentaram ela falou - Suponho que todos repararam no engomadinho ali atrás que está encarando a gente, certo? - Ela fez uma pausa - Ignoramos, pressionamos ou mandamos nossa fadinha tagarela ver o que ele quer? Se ele engraçar, acho que daqui eu consigo enfiar uma fecha entre os olhos dele!! - Brincou na ultima frase

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Setembro 19, 2016, 09:10:56 pm
Vanessah estava lavando seus preciosos cabelos numa xícara de água, tirando o sal deles.

- Eeeeiii! Eu não sou tagarela! Nós fadas somos extremamente sintéticas e objetivas! Temos o dom de dialogar sem enrolação e sem verborragia desnecessária. Provavelmente por isto acredita que tenho a melhor aptidão para conversar com estranhos sem cometer gafes. Tudo bem, você deve estar certa mesmo lindinha, vou quebrar esta para vocês.

A fada então levanta voo até a mesa ao lado.

- Oi senhor engomadinho, tudo bem? Sou Vanessah, fada. Não queria incomodar, mas minha amiga ao lado, aquela lindinha de pele escura, está levemente incomodada com seu olhar insistente. Talvez você seja apenas tímido, e esteja criando coragem para chegar nela, apesar que não seria uma boa situação mesmo que não fosse tímido, pois ela não deve estar de bom humor agora, mas se por acaso estiver querendo alguma eu posso dar o recado de forma sutil, afinal nós fadas somos bem discretas. Caso contrário dava para parar de encarar? É que o pessoal do continente tem umas frescuras, coisa cultural, não se ofenda, então seria bom para não irritar os outros, e eu não ter que te transformar numa lagartixa, tá bom, fofo?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Setembro 19, 2016, 09:39:35 pm
A falação da fada apenas confirmou o que Sylence havia dito, ela falava demais, isso era bom, afinal não precisaria se preocupar com esse tipo de abordagem, porém seus pensamentos positivos com relação a pequena caíram por água abaixo assim que ouvira a abordagem da mesma, Sylence em um gesto rápido levou a mão ao rosto demonstrando toda a negatividade que estava sentindo com relação aos comentários da pequena tagarela.

(http://www.blouinartinfo.com/sites/default/files/20120814facepalm-promo1.png)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Setembro 19, 2016, 11:59:10 pm
O sujeito que anteriormente havia rapidamente respondido ao agradecimento da elfa com um cansado sorriso  não conseguiu entender metade do que a companheira em miniatura havia dito. Não conseguiu esconder sua face de incredulidade enquanto a fada tagarelava com o estranho. Enquanto ela  Ainda falava Iyas colocou sua mão esquerda sob a mesa e retirou sua adaga qiue encontrava-se presa na grossa faixa de tecido que tinha na cintura, por via das dúvidas ficou com ela em punho, repousada em uma das pernas.

Discretamente observava os arredores tentando identificar  se o estranho não estava acompanhado de mais pessoas sentadas em outras mesas, fazia isso mesmo não esperando que aquilo fosse se tornar um problema, foi treinado a ter esse tipo de reação. Ao entrar não havia percebido direito, pela urgência em pedir uma bebida, mas agora reparava o quanto o lugar era suntuoso para uma taverna em uma ilha no meio do nada. Honestamente ele estava esperando por algo muito mais rústico. 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Setembro 20, 2016, 12:27:43 am
https://www.youtube.com/watch?v=W3TRaUvArIU (https://www.youtube.com/watch?v=W3TRaUvArIU)


Sylence & Cia

- Ora, minha cara... - respondeu o taverneiro bem humorado - e talvez um pouco ousado; - Sou capaz de reconher a gurizada de QUALQUER raça, a pelo menos 1 milha de distância! Isto é: antes mesmo de desembarcarem por cá; pois então! Oh! oh! oh! - acrescentou, enquanto enxugava umas canecas.


Vanessah & Cia

O homem que sentava a uma mesa luxuosa no canto, e que encarava a sua companhia, era um jovem-adulto - talvez mais adulto do que jovem! - de um olhar provocador e elegante. Deveria ter boas maneiras pelo porte aristocrático... no entanto, não era o que vinha demonstrando... Na realidade, ele parecia mais um desses comerciantes interessados em negociar seriamente alguma coisa, ou ainda talvez, um desses ricos cidadãos-do-mundo que gostava amplamente de conversar com estrangeiros - não importando quem fossem ou de onde viessem.

Homem que os fitava:
(https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/236x/21/5e/c3/215ec3b83e307317c9ae99cbc017068c.jpg)

Primeiramente, o sujeito fica bastante ansioso com sua chegada, e coça a barbicha, arregalando os olhos fixados em você - ou seriam suas fabulosas asinhas extra-planares que ele mirava?? Ele então faz uma breve reverência sobre a mesa e um gesto com a mão de cortesia, mas você estava tão apressada em falar que mal dá bola; então ele começa a ficar embaraçado frente ao bombardeio de informações: - Er... Ehh... Pois sim... Pois não...! Seguramente, Senhorita...! - E isso é tudo que ele conseguiu pronunciar em meio a sua fala incessante; e de vez em quando, ele inclinava a cabeça sobre os seus ombros, pra tentar enxergar melhor o grupo lá na outra mesa, onde estavam instalados Sylence, Iyas e Cael - Mas que barbaridade!! Além de não cumprir suas orientações, VOCÊ é que valia a pena contemplar, hipnoticamente, não é mesmo?

Ao final de todo aquele constrangimento, o homem no entanto não olhou mais na direção do grupo. Parou atônito, refletindo... Então, fitando-a, lançou apenas uma palavra com um olhar iluminado e levantando o indicador timidamente: - "Continente"?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Setembro 20, 2016, 12:56:28 am
Iyas & Cia

O sujeito aquele parecia inofensivo, e não parecia carregar consigo nenhuma arma; a não ser que, feito você, carregasse uma arma pequena, e, como todo pirata sorrateiro e habilidoso, apunhalasse sua vítima na região mais frágil, antes que se pudesse ver o cintilar da lâmina. Alguma coisa em suas feições ou jeito, lembravam de longe um pirata típico, talvez fosse perigoso se aproximar dele; mas antes de tudo, era apenas um nobre arrogante. Não havia mais ninguém ao seu redor, exceto o taverneiro gordo - e Vanessah, que já começara a importunar o homem. Todos os outros poucos clientes, estavam distantes e espalhados, e não pareciam prestar muita atenção ao que se passava ao seu entorno. Lhe chamou a atenção que não havia só humanos, entre esses clientes; bom, você já estava começando a se acostumar com isso, afinal de contas!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Setembro 20, 2016, 01:12:03 am
Vanessah percebe que ele tá interessado é no resto do grupo, não nela:

- Ah, é tímido! Que fofo. Gostou mesmo de minha amiga né? É, ela é lindinha mesmo, não tanto quanto eu, mas é de se entender que você goste de uma mulher mais massiva. Você também até que é bonitinho, embora não ache que seja bem o estilo de homem que ela goste. Mas o importante é tentar né? Quem sabe com um presente ela não te dê uma chance. Mulheres adoram presentes, mesmo da raça dela. Se quiser mandar flores, se bem que talvez não tenha flores por aqui, mas quem sabe um chocolate? Toda mulher gosta de chocolate. Aliás qualquer pessoa no mundo gosta de chocolate. Se quiser eu levo um pra ela em seu nome, já que você é tímido.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Setembro 20, 2016, 06:22:09 am
Ao ouvir tantas palavras rápidas e confiantes da pequena fada, não pôde se conter em começar a rir de um modo um tanto contido e sem tentar iniciar um ato grosseiro demais, mas logo cruzou os braços sobre a mesa e deitou a cabeça sobre eles, abafando o riso que não conseguia conter.... Do pouco que vagarosamente se lembrava do seu tempo com a Dama dos Encantos, com certeza as situações - elas quais passava eram muito mais sérias, formais e talvez até monótonas... Portanto fazia muito tempo que o elfo não tinha nada com o que achar graça.

Não conseguiria formar nenhuma frase no momento.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Setembro 20, 2016, 10:49:08 am
Assim que a Drow viu que Iyas se preparava para o pior a mesma fez um sinal de negativo com a cabeça de maneira calma - Vamos ficar apenas alertas, se empunharmos nossas armas aqui sem nenhum motivo aparente pode ser pior... - Falou ainda em tom calmo, porém ainda estava incomodada com a abordagem da pequena.

A pior parte é que Sylence podia ouvir tudo o que era dito, e estava seriamente pensando em colocar um alto na cabeça da fada - Alguém por favor, faz ela parar de falar de mim naquela mesa...

(http://questoesdefamilia.com.br/wp-content/uploads/2015/02/garota-envergonhada.jpg)

A drow agradeceu aos deuses por sua pele ser de coloração escura, pois, se fosse clara todos poderiam ve-la extremamente corada, mas isso não lhe impediu de tapar o rosto envergonhado com as mãos, este já estava coberto pelo capuz de sua capa.
Era por esse motivo que ela gostava de estudar bem os locais, e as pessoas, seu maior erro foi não ter previsto o quão louca era aquela fadinha, os deuses certamente estavam gargalhando de rir nesse momento, e ela no seu subconsciente prometia a si mesma que tentaria não mais deixar a nanica tagarela cuidar das partes sociais do grupo 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Setembro 20, 2016, 11:12:41 am
Ouvindo as palavras de Sylence, o elfo pigarreou, tentando se recompor e levantou-se da cadeira, dirigindo-se para a fadinha:

- Milady Vanessah, poderia parar de importunar esse senhor? Se ele tem algo a dizer deixe que o faça. Se continuar a lhe dar sugestões de como agir acredito que ele acabará por nada fazer. - não esperava assim conseguir o silêncio da fada, mas, quem sabe, ela resolveria dirigir suas muitas palavras para Cael em vez de incomodar tanto ao estranho quanto a companheira de grupo.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Setembro 20, 2016, 11:25:55 am
Todos

A primeira vista, tinha sido uma péssima ideia enviarem Vanessah para um primeiro contacto com o fino senhor - ou enfim, qualquer pessoa que fosse! e Sylence particularmente tinha mais de 2 motivos óbvios para se sentir ainda mais orimida: 1) a sugestão da indicação da criaturinha indiscreta veio por parte da Drow justamente; 2) A Elfa Negra estava sendo, prático e sistematicamente, 'oferecida em casamento' a um ser humano desconhecido em praticamente toda a integridade. Para Sylence, certamente, seria de bom tom dar um jeito de encerrar aquele papo de uma vez por todas!
Mas, por outro lado, é verdade que a Fada de vocês, notoriamente sem noção (seria?), estava fazendo-os ganhar "tempo", ou pelo menos, tempo no sentido de permitir que pudessem analisar por mais tempo as características e formas de reação daquele sujeito curioso; mas, se isso realmente era tão útil quanto a forçosa inutilidade do outro resultado que vinha se impondo - e que os expunha também, de certo modo -, isso só o futuro saberia responder.

Finalmente, o homem, meio atônito - pois é como se ele estivesse sendo interrompido a todo instante -, pigarreou com o punho fechado sob o bigode bem cuidado, e disse, primeiro com um tom mais baixo:

- Sua amiga é, de fato apreciável em suas virtudes presentes... - então ressaltou a você, aumentando o tom: - Óh! E você, graciosa senhorita, é, pois então, uma raríssima espécimen dos sonhos fabulosos...! Um encanto! Gostaria de um dia ter uma tela de pintura com vossa imagem... - conclui com uma voz mais fechada, séria, e contemplativa. - Se isso estivesse a meu alcance, evidentemente... Bem... eu poderia pagar uma boa quantia por tal obra...

Foi então nesse momento, que, Galadin interveio - e uma expressão de alívio poderia esperada no rosto do humano, embora, a bem da verdade, ele parecia ser bom em se adaptar às situaçãos mais adversas, e já não parecia tão aborrecido com Vanessha quanto no princípio.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Setembro 20, 2016, 06:15:25 pm
Apesar de baixinha, o ego de Vanessah deveria ter no mínimo dois metros e vinte nove e meio, o engomadinho (agora já promovido para fofinho) acaba de tocar-lhe num ponto fraco.

- Ai que lindo! Além de fofo tem bom gosto! Nós fadas sempre valorizamos o belo, e seria um prazer posar para seus melhores artistas se encontrar algum por aí. Aliás já faria pela arte, pagando então... Nos procure quando encontrar um bom pintor.

;)

Depois ela voa de volta para sua mesa.

- Eu não estava importunando ele. Até que ele é bonzinho, e tem até bom gosto. - depois fala mais baixo - Acho que ele gostou de você, amiga.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Setembro 21, 2016, 10:18:48 am
O estômago de Iyas rugia enquanto ele olhava enfadonho para o nada a sua frente com o queixo apoiado na mão do braço esquerdo com o cotovelo sob a mesa. Questiona-se quanto tempo ainda iria demorar para conseguir comer e beber algo.

Havia discretamente guardado sua arma de volta na faixa da cintura e soltava um suspiro entediado.

- Ou querer ele asas de fada para poção... - comentou em um baixo tom, levantando as sobrancelhas com um sorriso de canto de boca
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Setembro 21, 2016, 01:42:00 pm
- Rum! Audácia! - Fecha a cara, empina o nariz e vira o rosto.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Setembro 21, 2016, 04:37:08 pm
Sylence levanta o rosto com um olhar feroz como se estivesse prestes a matar a pequena fada - Eu espero que ele te pegue antes de mim... porque perder as asas será o menor dos seus problemas!!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Setembro 21, 2016, 04:57:35 pm
- Tá, se não gostou dele tudo bem, a gente arruma outro para você. Mas não adianta ficar nervosa, que aquele blablabla de que tem mulher que fica mais bonitinha quando está nervosa é pura conversa de homem frouxo.

- Que gente esquentadinha. Espero que tragam logo a comida para vocês. Deve ser muito chato ser um dos massivos cujo humor é ditado pela fome. Ainda bem que nós fadas somos leves como o vento e singelas como as flores de onde viemos.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Setembro 21, 2016, 07:16:59 pm
Apesar de continuar achando graça da fadinha e agora até da drow respondendo para ela, resolveu manter um pouco da compostura e adicionou em um tom gentil, embora levemente brincalhão:

 - Milady Vanessah. Se quer tanto encontrar um par para nossa companheira, talvez seja melhor quando sairmos dessa ilha. Pense nos problemas que unir criaturas de localidades tão distantes pode gerar... Além disso... - a expressão em seu rosto tornou-se mais ríspida e Cael baixou muito o tom da voz, sussurrando tão baixo que talvez Iyas tivesse dificuldade de ouvir - Havia algo de muito errado com a jovem que nos encontrou na praia mais cedo... Quem garante que muitos outros aqui não sejam tão... Suspeitos quanto...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Setembro 21, 2016, 07:50:25 pm
Vanessah fica um pouco mais séria e voa para os ombros do colega.

- É? Você acha mesmo?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Setembro 21, 2016, 08:09:47 pm
Iyas

Para Iyas, realmente o cochichar do povo Élfico era muito difícil de ser ouvido - particularmente quando não era para ser ouvido! era um sibilar como uma doce brisa de primavera, que apenas acariciava gentilmente as orelhas mas sem realmente penetrar os ouvidos; deixando somente uma vaga ideia de que algo estava sendo comunicado; ainda assim, como o jovem rapaz queria de fato que você também o ouvisse, você foi outorgado escutá-lo sem precisar realizar grande esforço naquela ocasião.


Vanessah

O humano não teve muito tempo de responder-lhe, porque você escapou de sua frente tão rápido quanto chegara - e também, tão rápido quanto falava. Ele apenas sinalizou então positivamente com a cabeça, como que concordasse com tudo o que você disse. E voltou a seus afazeres, que eram... não muitos! aparentemente olhar imersivamente através de uma lupa monocular, um manuscrito que tinha em mãos.

Você julga, com sua magnífica sabedoria, que, se conseguiu alguma coisa satisfatória e imediata com sua intervenção corajosa, foi fazer o sujeito parar, definitivamente, de importuná-los com seu olhar. Um mérito totalmente seu, diga-se de passagem! É plausível até que ele nunca mais sequer ousasse COGITAR olhar na direção da mesa de vocês agora.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Setembro 22, 2016, 07:55:38 pm
O comentário do ruivo do trio de orelhas pontudas o chamou atenção, Iyas iria tocar nesse assunto em algum ponto, e ficou ligeiramente satisfeito de sua suspeita não ter sido apenas paranoia.

- Era a Jovem suspeita... - concordou virando-se na direção de Cael - Olhos estranhos tinha... - franzia o cenho enquanto compartilhava a impressão -   No rosto coisa estranha ... Como sangue, mas desaparecer quando ela tocar. - gesticulou tentando reproduzir da forma como a garota citada havia feito aquilo na praia.

O fato dela ter aparecido justo quando estavam para chegar na ilha também era curioso, perguntava-se se aquilo era coincidência depois das coisas ditas.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Setembro 22, 2016, 09:14:15 pm
Cael sorriu sem humor e continuou em seu sussurro:
- Falemos sobre isso quando não houverem tantos estranhos ao nosso redor... Enquanto não soubermos nada do que se passa aqui... É melhor desconfiar de todos... - o elfo parou por uns instantes e encarou o ar a sua frente, como se lembrando de algo - - Bem... Talvez seja esta paranoia apenas um resquício de quando eu estava à serviço da Dama dos Encantos... Eu não sei... - baixou os olhos e coçou a cabeça, pensativo -Minha memória está meio... Confusa, mas lembro que eu nunca podia baixar a guarda. - o olhar distante e perturbado sugeriam que Cael sentia-se bastante desconfortável em falar do sem "trabalho" anterior.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Setembro 22, 2016, 10:07:16 pm
https://www.youtube.com/watch?v=f3GCpwI8OsQ (https://www.youtube.com/watch?v=f3GCpwI8OsQ)

Cael Galadin

Enquanto você tinha o olhar perdido naquele vazio do interior do estabelecimento, um vulto de assombro atravessa fulminantemente o seu tórax...! Sua mente a deriva reconstruia logicamente alguns fatos, de modo que era inevitável que você acabasse por chegar aquela terrível descoberta, mais cedo ou mais tarde:

"Então, ELA morreu...?!" Ela, a grandiosa Dama dos Encantos, sucumbiu, como um reles mortal, seguido do ataque dos piratas à embarcação aonde todos vocês estavam......? Só isso então explicaria o fato de você ter sido liberto daquele terrível encantamento que lhe custou incalculáveis danos a sua vida estraviada de aventureiro a tanto tempo, provavelmente...

Ao contrário do que qualquer pessoa normal pensaria da relação de uma meretriz poderosa com seu servo autômato, a fatalidade da morte da Dama dos Ecantos, para você não representava alívio algum, mas uma frustração mortal incompreensível, uma melancolia infinita. Seus olhos começaram a ficar úmidos, sem uma clara explicação, e os dedos de sua mão começavam a tremer. Uma espécie de desespero tomava conta toda sua vida naquele momento.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Setembro 24, 2016, 12:23:13 pm
Enquanto ouvia seus companheiros ainda falando sobre casamento a mesma bate a mão na mesa e fala em tom alto - SERÁ QUE DA PARA MUDAR DE ASSUNTO??
- Acho sabia permanecermos atentos a tudo e a todos, eu também não confio muito nesse lugar, e nessas pessoas... o melhor a fazer é agir normalmente, porém manter-se atento!! - Falou em tom baixo, agora um pouco mais calma

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Setembro 24, 2016, 04:29:39 pm
Cael deitou o rosto contra a mesa e cobriu a cabeça com suas mãos trêmulas, muito confuso e envergonhado dos controversos sentimentos que se passavam em seu interior

 Agora o próprio corpo tremia a tudo à sua volta era tão distante e desimportante... Seria algum efeito colateral do poderoso feitiço do qual ele tinha acabado de sair? O elfo esperava que fosse. Não queria lembrar-se do rosto daquela mulher a cada instante como um fantasma que teimava em assombrar seus pensamentos. Desejava não sentir mais a falta dela....

Mas...

Será que a Dama tinha, de fato, desaparecido com o navio para as profundezas obscuras do desolado oceano? A dúvida lhe consumia muito mais do que queria e a dor no peito não podia ser simplesmente ignorada. Por que sua própria liberdade parecia importar bem menos do que a perda de uma "bruxa tão inescrupulosa"?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Setembro 25, 2016, 11:37:56 pm
O humano concordou acenando positivamente com a cabeça para Sylence, embora ele não estivesse confortável o suficiente para puxar assunto talvez precisasse para passar o tempo. Só queria saciar sua fome e sede de uma vez. Sua garganta estava tão seca que estava com vontade de levantar-se invadir a cozinha do lugar pegar algo para beber finalmente. Respirou fundo antes de tentar quebrar o gelo, sabia que o que iria dizer soaria estúpido:

- Precisar shemagh novo.... - disse, olhando para as duas companheiras - colocando a mão no pescoço, se referindo a peça de vestuário que havia perdido, a qual não fazia a mínima ideia se possuía algum nome no idioma comum aos outros três da mesa.


Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Setembro 26, 2016, 11:55:24 pm
Todos

O cheiro da comida misturado a um brando vapor úmido já começava a se expressar no ambiente, enquanto começavam a ouvir um chiado de pressão que provavelmente vinha da cozinha, lá do outro lado longínquo da taverna.

Iyas estava cada vez mais nervoso e isso já era visível a vocês; e não era pela presença de possíveis inimigos por perto, nem tampouco pelo seu truculento alcoolismo - ao que vocês já tinham praticamente se habituado ao longo das viagens com ele. Mas, a qualquer momento, seriam servidos pelo visto; vocês em geral estavam confortáveis em esperar mais um pouco do que ele... bem, talvez, exceto Cael, que parecia agora muito abatido, assim de repente - sua face franzida quando puderam notá-la, revelava uma tristeza ou angústia profunda. Sylence, por ser de linhagem élfica também, poderia reconhecer em seu colega, o fato de que estava perdido em seu próprio mundo - algo próximo a um transe, este último, fenômeno raro e que ocorre em certos membros da espécie élfica em geral. Por sua vez, Vanessah interrompeu toda sua intensa atividade de expressão verbal, e começou a prestar a atenção subitamente no Elfo; não sem cautela, mas também com muita curiosidade: a Fada entendia que poderiam se tratar de efeitos de Magia Aquática poderosíssima! Se pelo menos o garoto massivo de orelhas pontudas falasse mais (não tanto quanto alguns pequenos seres, evidentemente!), talvez fosse possível que Vanessah concluísse pelo menos algumas de suas hipóteses.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Setembro 30, 2016, 06:35:42 am
- Se você quis dizer que está com fome, eu concordo plenamente... - Falou a drow dando um longo suspiro.

Quando o cheiro da comida começou a tomar o ambiente a garota automaticamente já se via mais aliviada, pois sabia que era questão de tempo até que seus lábios fossem de encontro ao banquete.

Sylence havia notado que o companheiro de viajem estava um pouco distante, a principio ela decidira não se meter naquilo, afinal, ele era um elfo e ela uma drow... mas, seu coração não lhe permitia simplesmente ignorar o problema de um companheiro de viajem, ela virou seu rosto na direção do elfo - O que aconteceu?

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Setembro 30, 2016, 07:34:13 pm
Demorou um pouco para que Cael percebesse que a pergunta fora dirigida à ele. O elfo ergueu a cabeça e fitou a Drow com surpresa... Demorando ainda mais alguns segundos - rearranjando os pensamentos dispersos - para finalmente lhe responder:

- Hmmm... - desviou o rosto por instantes para Iyas, ele tinha dito algo, mas o elfo não ouviu, então voltou-se para Sylence com um sorriso amarelo estampado nos lábios - Só me sinto um pouco atordoado pelo naufrágio que sofremos... - suspirou e manteve o sorriso forçado- Obrigado por se preocupar, mas não se incomode comigo, provavelmente só preciso por algo no estômago. - tinha vergonha dos caminhos que sua mente ousava tomar e ficaria ainda mais constrangido se deixasse alguma palavra sobre aquilo escapar para os ouvidos dos novos companheiros.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Setembro 30, 2016, 08:10:46 pm
A fada pousa sobre o ombro do elfo. As fadas são naturalmente atenciosas, e como uma representante da mais nobre linhagem (pelo menos no conceito dela) Vanessah tinha um instinto carinhoso muito forte.

- É mesmo fofinho, você está com uma carinha de dar pena. Sinto uma "nuvem escura" a sua volta. O mar pode deixar a gente meio desorientado por alguns dias. Bom, a gente digo vocês, massivos, pois nós fadas não nos desorientamos facilmente. Ainda bem que vocês tem a gente para ajudar vocês. - ela se arruma nos cabelos dele, segurando-lhe as têmporas - Não tenha medo, não vai doer (eu acho) vamos só tirar os resíduos deletérios de magia ruim que estão impregnados neste seu corpinho, lindinho.

E concentra, buscando ver se consegue identificar a fonte do mal no rapaz. Talvez a magia fosse forte demais para o nível dela, mas ela nunca admitiria isto, muito menos para si mesma. Uma mágica de detecção de mágica não prejudicaria o rapaz (ou prejudicaria? Não, é claro que não, ela era boa demais para afogar o amigo sem querer, afinal era uma fada superior, nascida de uma flor superior e destinada a feitos superiores)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Outubro 01, 2016, 01:55:09 am
Fome...? - repetiu sem muito ânimo, demorando uma fração de segundo para entender seu fracasso na comunicação - Sim... - riu sem graça, tentando disfarçar o embaraço, virando o olhar para a mesa e fechando os olhos para massagear os glóbulos com os dedos. Sentindo-se além de ansioso pela comida, um momentâneo inútil naquele tipo de interação social.

O diálogo subsequente dos orelhas pontudas chamou sua atenção e o fez voltar a atenção ao companheiro ruivo. Sabia que encher a barriga o deixaria mais animado, deixaria qualquer naufrago mais animado até onde ele sabia. Continuou a observar curioso o que a engraçada miniatura de pessoa estava fazendo com Cael.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Outubro 01, 2016, 09:08:19 am
- Gentileza sua, Milady Vanessah. - olhou pra cima, tentando ver a fada, o que era difícil já que estava sobre sua cabeça - Já me sinto sortudo de tê-los por perto. - não tinha certeza do que Vanessah iria tentar fazer, muito menos se conseguiria algo, mas mesmo assim deixou que prosseguisse.  Tinha a impressão de que não recebia esse tipo de atenção provavelmente há muito tempo, portanto estava tocado pela preocupação daquelas pessoas consigo.

Estava até surpreso, pois antes estivera agindo de uma forma tão estranha que achava que seus atos poderiam ter afastado ainda mais aquelas pessoas. E o que poderia ser mais estranho do que horas atrás ser capaz de manejar uma espada longa e vestir apropriadamente uma armadura pesada e agora simplesmente não poder.

Talvez estivesse ainda mais surpreso com o interesse de Sylence em seu "estado deplorável", já que mais cedo ela o olhara meio torto, como praticamente qualquer Drow olharia para um elfo.

Tal rivalidade não era exatamente comum à Cael, pois sua família não era tão próxima assim de todas as convenções élficas - principalmente por suas terras estarem situadas em regiões mais afastadas-, isso incluía a falta da relutância natural em aceitar Drows. Sua morada estivera mais perto das cidades de outras raças do que da própria.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Outubro 07, 2016, 11:01:55 pm
https://www.youtube.com/watch?v=cHJLdF2WNxI (https://www.youtube.com/watch?v=cHJLdF2WNxI)

Todos

De repente, suas narinas sacodem-se, e seus cabelos vibram de alegria irracional; seus olhos brilham ao enxergar um farto desjejum colonial se aproximar em duas amplas bandejas trazidas pelas enormes mãos do taverneio Socraz, que estampava no rosto um sorriso nas bochechas - atrás das barbas é claro.

Havia suco de maracujá, leite, café, mel, pão (italiano), cubos de manteiga, schmia de frutas vermelhas, salame, queijo... e algumas outras especiarias. Como aquilo tudo poderia ter custado apenas 1 conto? A resposta lhes seria dada pelo próprio dono:

- Tenham um bom café da manhã, minhas caras senhoras e senhores. Mas queiram aceiter, por obséquio, o gesto generoso do Senhor Graadmonz - apontava com o polegar na direção do sujeito engomado que permaneceia ocupado em seu canto lendo seus manuscritos. - Não me perguntem por quê; ele fez questão de brindá-los com um café especial tamanho-família; o que, diga-se de passagem é muito maior e saboroso do que eu mesmo tinha-lhe sugerido inicialmente... o que me deixa bastante constrangido, não vou esconder! Mas, sejamos felizes, então! - ainda complementa sorridente. Depois, coçando a cabeça, e segurando ainda as bandejonas agora vazias, olha para baixo e para o seu lado, aonde estava na realidade uma criança atendente: misteriosamente muito quieta, e que vestia uns trajes leves, alguns como véus escuros, mas que quase a ocultavam do mundo externo, tanto que só agora e por pouco notaram a presença dela; tinha a pele num tom meio azulado como na penumbra, e também tinha olhos extremamente belos - o pouco que podia-se distinguir dela, na realidade. - Ora... então... dizia o senhor Socraz, como que estendendo a mão na direção de Iyas, tentando comunicar alguma coisa, talvez, à criança; porém, esta, nem fazia menção de se mover, e estava olhando fixamente na direção de vocês. Então, atrapalhado, o taverneiro bufou, sacodiu a cabeça inconformado, e sacou do próprio bolso uma moeda de 1 conto, e procurou entregá-la diretamente nas mãos de Iyas, desculpando-se perante o mesmo: - Perdõe-me pelo incômodo, meu caro rapaz; é absolutamente imperioso!

Obviamente, Sylence e Cael já tinham entendido: a criança era da antiga raça élfica - e, ainda mais especificamente, Drow. Também, por estarem sentados mais próximos da beira da mesa do lado do corredor, também lhe podiam distinguir facilmente os contornos de suas pequenas orelhas pontiagudas.


Vanessah

Teste de Magia Elemental
ID: Magia Elemental
Dificuldade: difícil
Atributo marcador: Sonho
Atributos auxiliares: Consciência, Presença

Bom: 8.4
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/d/d7/Dice-6a.svg/40px-Dice-6a.svg.png) (https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/d/d7/Dice-6a.svg/40px-Dice-6a.svg.png), (http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d5.gif) (http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d1.gif) (http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d4.gif), (http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d1.gif)

Marcas: 0
(http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d2.gif) (http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d3.gif)
Você não conseguiu realmente "ler" aquilo que estava ocorrendo com a pessoa de Cael; mas você teve bastante nitidez quanto à questão de se tratar da existência de severa Magia Aquática; um efeito passivo atualmente. Mas era o que você vinha desconfiando desde o princípio quando se conheceram: o jovem Elfo, provavelmente amante inexperiente, tinha sido mais uma das pobres vítimas indefesas da capsiosa Dama dos Encantos, e agora talvez ela tenha se cansado dele ou de seus serviços, e o rejeitado "cruelmente". Talvez ela ainda tivesse algum domínio ou influência sobre a mente ou o corpo dele, mas você tem quase certeza de que pressentiu apenas resquícios fragmentários de magia em seu corpo; algo que não poderia desencadear grandes riscos, exceto talvez ao bem-estar físico e psicológico do rapaz; você julga que seria necessário todo um novo e poderoso ritual de encantamento em Magia Aquática, para re-integrar aquele terrível charme despedaçado - e assim mesmo é que estaria o coração dele, ironicamente... Parece que seu trabalho terapêutico, o de salvar e apaziguar as frustrações de seus amigos seres massivos, vai estender-se um pouco além do que você esperava, estes dias em Arkhóreas, a Ilha dos Desafios.


Sylence

Uma curiosidade que lhe veio a mente somente agora... Sim, é verdade que o pobre Cael é um Elfo, e você uma Elfa Negra, de linhagem fina Drow por sinal. E que uma sombria história ancestral separaram para sempre suas raças. Mas, um outro fato relevante, é que você não é uma Drow convencional; na realidade, você mesma abandonou o seu povo, a sua própria cultura, em profunda repúdia aquela existência vil e regiamente serviçal de uma nação inteira arquiteturada em affaires políticos, prestações de contas e administrações mundanas sem graça. Tirando, portanto, os contos e as tradições Drow os quais você pouco dava bola de qualquer omodo - e os quais pregavam obviamente o ódio senão a destruição última dos covardes Elfos malditos da superfície -, você percebe que existe muito mais semelhança entre você e os demais andarilhos do mundo que seguem seus mesmos passos (tais como Iyas, Vanessah e Cael Galadin), do que entre você e sua própria famíla ou povo de seu reino natal - "um bando de acomodados burocratizantes", e você sabe que está sendo generosa.

Não é a toa, portanto, que você acabou, sem refletir muito, construindo esta comitiva mista, indiferentemente da presença de um Elfo da superfície; pois lhe interessa andar junto às pessoas que pensam que nem você: O mundo livre e aberto, é dos viajantes.


criança atendente dos belos olhos
(http://cdn.playbuzz.com/cdn/dc71c606-37e6-4897-88a1-6d2b86f5fc89/fb3175a9-e8ba-4670-b970-44e1f8196786.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Outubro 08, 2016, 07:50:55 am
- Oh, coitadinho do meu amiguinho, está cheio de magia residual em você! - Vanessah fala fazendo cafuné no elfo para ele não ficar muito triste. - Isto está me cheirando a coisa daquela mocreia! Que mulher mais baixa, usando um homem e deixando-o abandonado assim depois. Ha! De "dama" ela só tem o nome e no idioma de vocês tem nomes bem mais apropriados. Nós fadas não usamos estes nomes vis, mas bem que ela merecia. Mas não fique triste, nós vamos cuidar de você. Se eu der sorte ainda acho minhas irmãs fadas por aqui, quero aprender mais de magia elemental com elas sabe, mas mesmo se não achar posso ir cuidando de você homeopaticamente, vai ficar lindão de novo. O importante agora é cuidar para não ficar psicologicamente abalado, pois é assim que ela escolhe as vítimas dela. Nada melhor para se proteger de ataques mentais do que um amor novo e verdadeiro, sabe? Como sempre dizemos: "É preciso amor pra poder pulsar, É preciso paz pra poder sorrir, É preciso a chuva para florir". Aposto que um elfo lindinho e nobre como você vai achar alguém com um coraçãozinho bem fofo que te fará esquecer aquela drama dos desencantos. Se não tiver nenhuma digna por aqui podemos procurar em outro lugar.

Vanessah corre os olhos pelo local, já querendo numerar as possíveis candidatas dignas para seu amiguinho, mas teria que ser uma bem especial. Um dia Vanessah ainda iria ficar muito poderosa, ou melhor dizendo, ainda mais poderosa, pois poderosa ela já era, e iria acertar as contas com aquela dama dos desencantos cujos predicados não tinham nome nos idiomas nobres das fadas. Vanessah queria transformar ela numa lombriga enorme e dar de comer para um avestruz.

Quando a comida chega ela fica feliz pelos seus amiguinhos, ela da um sorrisinho e um sinal de "obrigo" com as mãozinhas para o engomadinho tímido da outra mesa.

- Até que ele é bonzinho né?

Ela só faz uma careta quando vê o salame.

- Augh! Como pessoinhas tão fofas e boazinhas como vocês podem comer algo tão nojento feito de partes nojentas de um animal nojento! Arf, deve ser horrível ter que se alimentar de outros animais. Sinto peninha de vocês. Ainda bem que o mel parece de boa qualidade.

Vanessah comeria apenas um cubinho pequeno de manteiga coberto com mel, e talvez bebericaria um pouquinho de leite da caneca de um de vocês.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Outubro 09, 2016, 12:27:24 am

Como o elfo havia dito que não tinha nada, a drow deu de ombro, porém não pode deixar de mensionar - Bem... se quiser conversar, depois me procure!!

A mesma repousou a cabeça na mão enquanto observava a pequena fada tagarela fazer mais uma vítima - Ela encontrou outra vítima... pobre elfo!! - Comentou em tom ironico

Os olhos de Sylence brilharam com o banquete, não se lembrava quando fora a ultima vez que comera algo como aquilo - Depois devemos agradecer a eles!! - Disse ao grupo referindo-se a seu "bem feitor". Porém algo lhe fez sessar, aquela bela criança que ela tinha certeza de assim como ela se tratar de uma pequena drow. Sylence ficou encarando a criança e até chegou a sorrir para a mesma, finalmente decidiu virar-se para seu grupo - volto logo!!

A drow se levantou e foi em direção a criança, tentou não se aproximar muito da mesma para não assusta-la, então abaixou-se para ficar na altura da menina - Olá!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Outubro 09, 2016, 02:30:24 am

Cael respondeu à Sylence com um sorriso, acenando a cabeça positivamente com muito cuidado, pois Vanessah ainda mantinha-se entre seus cabelos.

Ao perceber que a fada tinha mais conhecimento da situação que ele enfrentava do que podia imaginar, Cael sentiu-se mais constrangido. O elfo não lembrava de ter revelado tanto assim sobre o que passou nas mãos da Dama dos Encantos.
Mas à medida que Vanessah acariciava seus cabelos, falava, falava mais e inundava os ouvidos de Cael com muitas informações, o elfo começava a se sentir um pouco mais tranquilizado. Até que começou a achar graça novamente das palavras da pequenina.

- Então tem como meta arranjar um par romântico para cada um de nós? - questionou achando graça.
Mas voltou a ficar reflexivo, imaginando se os tais resquícios de magia nele poderiam indicar que "ela" ainda estava viva... Incomodado com a direção que seus pensamentos estavam o levando novamente, a um possível "abalo psicológico", Cael chacoalhou aquelas questões da cabeça e aproveitou a chegada do banquete para servir-se de suco de maracujá, já que não bebia nada fazia um tempo.

- Para ser franco, esse tipo de carne não me agrada muito. - respondeu ao comentário da fadinha.

Estava curioso sobre o motivo do estranho lhes oferecer o banquete, e também receoso... Da última vez que aceitou um convite generoso demais... "Perdeu" 15 anos de sua vida. Porém Cael estava ainda mais curioso sobre a ida da drow até a criança, que só notara agora, quando olhou na direção das duas... Observava-as discretamente, enquanto ajeitava-se de forma ereta na cadeira.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Outubro 09, 2016, 09:43:04 am
Iyas acompanhava a conversa dos companheiros enquanto lacrimejava um pouco e tinha as bochechas cheias de pão e do salame que os outros dois haviam reclamado. Não perdia tempo em devorar a comida que havia sido servida, já tendo repartido mentalmente a refeição em 3 partes iguais e separado algumas pequenas frutas para a fada, o que prevenia de se preocupar em comer mais do que os outros sem o consentimento deles. Mas tinha quase certeza que seus colegas não chegariam a comer tudo o que estava ali... Talvez elfos fizessem como as plantas e se alimentassem de luz solar também, ou algo do tipo. Mas sendo ele um homem de princípios certamente não iria desperdiçar nada, nem que tivesse que sair rolando daquele recinto.

Havia pego de volta a moeda e havia de concordar com Sylence que depois deveriam averiguar o que o financiador daquele dejejum estava querendo com eles. Com certeza não seria caridade com estranhos. Acompanhava a conversa de Vanessah e não podia deixar de notar que voltaram a citar a tal "Dama dos Encantos" cujo nome já havia ouvido por cima em algumas outras conversas paralelas no navio mas não sabia muito bem qual a importância dessa pessoa.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Outubro 13, 2016, 03:45:17 pm
Vanessah escuta a drow falando falando que "ela fez outra vítima", realmente o pobre elfo era mais uma vítima inocente da Drama dos Desencantos.

- Eu sei, mais uma vítima inocente daquela bruxa, mas nós vamos cuidar bem dele.

Vanessah não entende porque algumas risadinhas mal disfarçadas entre seus amigos.

- Ah, é o poder da primavera. Nós fadas sempre ajudamos as flores a florescer, então pessoas boas com coraçõesinhos bons como vocês são como um imenso jardim que eu tenho que cuidar bem. - depois assume um ar filosófico inspirada - Os humanos dizem que "o tempo cura todas as feridas", isto é ingenuidade dos humanos, nós, fadas, sabemos que é o amor quem cura todas as feridas. Você vai ver, elfozinho lindo, como ainda vai ficar livre de todo mal que um dia fizeram com você.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Outubro 18, 2016, 09:21:44 am
Iyas então puxou o cesto onde haviam os pães para perto do elfo ruivo um pouco incomodado por estar sendo intrometido e assim sem olhar nos olhos do companheiro, sem antes pegar mais um para si.

- Coma... - sugeriu tentando não ser imperativo - Fome você parecer ter... Na pria. - Dando uns tapinhas sem jeito nas costas do colega.

Não queria que aquele banquete se perdesse por falta de apetite dos parceiros. Se seus colegas de equipe não comessem não estariam no seu primor para os próximos problemas que surgiriam ali e ele sabia que um elo fraco em um grupo de guerreiros muito bem poderia ser a perdição para todos os outros em situações extremas. Além disso, de onde ele vem não se é nada bem visto desperdiçar comidas, principalmente frutas que são tão difíceis de se cultivar, tendo regiões onde é simplesmente inviável a produção de tais alimentos. Custam uma fortuna e são difíceis de encontrar.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Outubro 18, 2016, 09:30:07 am
-  Agradeço pelas palavras reconfortantes, Milady Vanessah,  entretanto neste momento vamos nos concentrar em curar nossa fome,  sede e,  principalmente,  nosso corpo,  pois há pouco fomos vítimas de um perigoso naufrágio,  que pelo menos de mim, exigiu muita energia. - enquanto servia-se da comida à mesa, imaginou que talvez o cansasso excessivo fosse devido ao peso que antes carregava consigo quando chegou à praia com os companheiros. Estava pensativo quando percebeu o gesto de Iyas lhe oferecendo o pão- Ah,  muito obrigado. - sorriu calorosamente e aceitou o pequeno gesto da oferta do pão,  servindo-se com a educação que ainda trazia consigo de quando ainda estava com sua família nobre.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Outubro 30, 2016, 05:33:31 pm
https://www.youtube.com/watch?v=sAME_nxccpM (https://www.youtube.com/watch?v=sAME_nxccpM)



mais uma imagem do interior da taverna
(http://game.wakesidevision.com/wp-content/uploads/2010/09/Carline_Canopy1.jpg)


Vanessah

A Taverna dos 7 Mares era aquele lugar amplo tal como um grande jardim interno, mas sem planta alguma praticamente, ou melhor, essencialmente com plantas mortas: a madeira talhada com esmero pelos seres massivos - um final trágico para árvores tão bonitas...! Você com certeza não se sentia muito bem em qualquer lugar artificalmente "humano" como aquele, que era obra senão de tais assassinatos; você preferiria uma taverna feita de árvores naturais, ou pelo menos, em que a madeira fosse "viva", então era difícil para você entender o gosto dos seres grandes por aquele tipo de construção, quando não propriamente revoltante.

Enfim, você ia fazendo essa reflexão arbitrária, mas essencial à sua entidade feérica, a medida que seus olhos passeavam pelo ambiente cadavérico, em busca, na realidade, de um par em potencial ao seu lindo amigo Elfo, o Cael Galadin. Chamá-lo de 'Humano', bem, apenas como forma de simplificação reducionista; na realidade você reconhecia na linhagem dos Elfos uma sabedoria única sobre a Magia e a Natureza; mas é óbvio que nunca teriam a episteme desses mundos como vocês Fadas tinham, porém estavam seguramente muito acima dos Humanos e talvez de muitas outras espécies ditas "civilizadas" mas menos iluminadas em relação à verdade profunda de gaia.

Você identifica 5 grupos distintos de clientela - bom, isto é, além do próprio grupo solitário do Sr. Graadmonz, que demorou um pouco até fosse possível que, ocasionalmente, levantasse a cabeça e respondesse com uma breve graça a seu reconhecimento. Essas mesas estavam relativamente distantes da de vocês, duas delas eram mesas solitárias, com apenas 1 cliente: aparentemente uma Anã de cabelos dourados, e outra um Gnomo de pele rosada. Duas outras mesas eram ocupadas por 2 clientes, uma delas com uma Pequenina sorridente e um Lagartiano roxo, e a outra por uma Humana altiva e... veja só! uma Fada por acaso; uma Fada pálida-cinzenta, provavelmente, ser da Montanha. Finalmente, havia mais uma mesa, e que era ocupada por 3 sujeitos apreciando bebidas com modéstia: um Goblin vermelho, um Humano de pele clara e um Minotauro castanho-escuro. Afora a clientela ocupando mesas, você também percebe que havia também um garçom que era um Elfo de cabelos pretos e curtos - quer dizer, curtos para o padrão dos Elfos. Ah, e claro! também havia aquela  misteriosa menina camuflada atrás de seus belos olhos, e que tinha acompanhado o taverneiro Sokraz; uma pequena garçonete provavelmente. Tinha os olhos fantásticos, da profundidade do Mar ou do Espaço, e até para uma Fada, isso era surpreendente.

Bom, você logo percebe que a tarefa de achar uma nova companheira ao nível de Cael seria uma tarefa que exigiria uma boa inspiração de sua parte, se dependesse somente dessa mista e vaga clientela atual. Até lhe ocorreu, num pequeno insight eclíptico, a pergunta fundamental: 'Afinal, que tipo de moça seria do agrado de Cael?', você realmente não tinha muita certeza - ainda. Bom, e você quase ia esquecendo: havia no próprio grupo de vocês a sua querida amiga Drow, Sylence Beltyth, a arqueira; quem sabe já não houvesse alguma coisa secreta entre os dois, que inclusive justificasse o fato de andarem juntos agora?


Cael Galadin

A medida que você degustava aquele refrescante suco natural, e se sentia muito melhor aos poucos de toda uma sede mortal - é como se você não bebesse algo de verdade há eras! - você observava recluso a pequena criança Drow e sua correspondência com Sylence. Você ficou a imaginar como seriam as relações entre os Elfos Negros afinal de contas; seria possível que fossem realmente bondosos com as suas crianças em geral, como são vocês Elfos Altos? ou será que Sylence era apenas uma ovelha-negra, desgarrada e que agia fora dos padrões daqueles Elfos Subterrâneos, geralmente tidos como socialmente rígidos e de tradições hierarquicamente crueis?

E qual seria o passado histórico daquela criança? Ela parecia tão quieta, tão fora deste mundo, com aqueles seus olhos alegóricos. Talvez, abandonada no mundo à própria sorte... e coletada a trabalhar pelo Sr. Sokraz, em um destino mais equilibrado do ponto de vista social? Mas, se fosse realmente uma atendente, não parecia apresentar a menor competência cognitiva para aquele tipo de tarefa; embora o rechonchudo taverneiro parecia ter paciência em abundância.


Sylence Beltyth

Lhe ocorre, naquela contemplação do olhar, que aquela criança Drow poderia ser uma pequena princesa, tal como você e sua irmã eram ou foram. Mas lhe chama atenção comportamental sobretudo a quietude dela: não parecia ter iniciativa alguma para falar, e talvez até muito menos para se mover! ela parecia um ser introspectivo demais. Em sua comunidade Drow, você sabia bem, crianças que se alinhavam com comportamentos problemáticos, e por que não até, autistas, eram geralmente rejeitadas, as vezes das piores formas possíveis; desperdiçando ao seu ver, grande potencial. E essa era a sua própria estória de vida por sinal: tendo sofrido de uma sociedade rígida e tão estrita, incapaz de reconhecer em cada indivíduo, seu talento exclusivo por devir. Enfim, o que quer que possa ter traumatizado aquela criança, se fosse o caso, você esperava que os responsáveis por ela fossem pessoas decentes, pelo menos. Pois, a bem da verdade, você seria capaz de assassinar a sangue-frio, qualquer um que ousasse fazer mal àquele jovem ser - e o Sr. Sokraz que se cuidasse.

A criança não parecia responder-lhe naturalmenta, mas fitava-a de algum modo curioso, bem a sua frente, estática, assim como um gato doméstico fita o seu dono nos olhos. Você acredita que pelo menos sua confiança tinha começado a conquistar, pois ela não pareceu assustada nem um pouco. Mas era um pouco desconsertante... aquilo, aquela experiência; e você, ainda que esforçando-se para mimetizar os gestos - quase inexistentes! - dela, por dentro, sua mente estava agitada, como aliás é a mente dos adultos aflitos; você começava a se perguntar o quanto mais tempo seria capaz de 'suportar' isso. Finalmente, ela aproxima a pequena mão de sua aljava de flechas, presa a sua cintura; parecia querer resgatar uma flecha dali... Isso, sem dizer uma palavra, e sem pedir autorização verbal - afinal de contas, você começava a desconfiar de que ela era incapaz de falar.


Iyas

Era o paraíso! Alimentar-se cegamente, vorazmente, depois de tanto sofrimento recente... E você era o homem mais feliz da terra naquele momento; bom, quase. Faltava apenas Amal, sua musa; se esta estivesse, nem que fosse apenas por sua presença platônica em Arkhóreas, aí então, seguramente, seria a completude para você. Sua alegria - e determinação - em comer e beber tudo o que aquele manjar tinha a oferecer-lhe, não lhe impediu de equilibrar-se racionalmente, no sentido de guardar para seus companheiros - pelo menos aquilo que seria justo; e você estava acostumado já a saber: Elfos comem pouco, e Fadas então, menos ainda...! Você realmente teve MUITA sorte em acabar configurando-se com tal equipe de aventureiros, e sempre sobrava muito mais para você nas refeições; e quase nunca eles se incomodaram com essa sua glutonice tipicamente Humana. Mas, a bebida alcóolica lhe fazia falta... Será que o "Sr. Engomado" não poderia resolver isto também...? Enfim, talvez fosse pedir demais.

Eventualmente, e progressivamente, você começa a aproveitar os intervalos entre as garfadas - e as mãozadas -, para observar com mais atenção seu entorno. Aquela taverna, seus clientes e atendentes tão diversos quanto possível. Claro, de qualquer forma, seu olhar sempre voltava-se para a sua própria mesa, e particularmente para seu prato, sempre cheio a cada nova rodada.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Novembro 01, 2016, 11:02:40 pm
O mau gosto estava estampado no lugar. Típico de humanos, ainda não aprenderam a trabalhar com coisas vivas. Vanessah torce um pouco o nariz, mas só poderia desejar que um dia, ainda distante, os massivos evoluam.

Tão como as paredes, o ambiente também não tinha tantas boas opções de companhia para seus amiguinhos, mas ela anota assim mesmo todo mundo que tivesse por ali, vai que no futuro alguém se destacava. Ou vai que algum dos amiguinhos não tivesse um gosto tão refinado quanto Vanessah. Pelo menos para a planta carnívora do grupo (Iyas), não seria tão difícil assim de encontrar algo.

O ambiente é artificial também pela composição de seus frequentantes. Vanessah nunca viu tantos seres massivos diferentes num espaço só. Claro, aquilo SERIA lindo se fosse verdadeiro. Tantas pessoas lindas convivendo em paz, tá certo que comendo coisas nojentas de carne, mas estavam relativamente "na delas".

Minotauro, lagartiano, anã (anotação mental, a anã poderia estar ao nível da planta carnívora), gnomo... aquilo até parecia um quadro feito por fadas, com várias florzinhas diferentes num mesmo jardim, era belo e triste por não ser algo que ela sentisse que é verdadeiro. Ela comenta com os amiguinhos:

- Estranho ver tantas raças juntas, não é? Vocês massivos gostam tanto de brigar e ofender uns aos outros, mas aqui tem tantas pessoas diferentes! É quase uma utopia feérica. Como será que este lugar conseguiu isto que não é possível em canto nenhum do continente?

Ela espera para ouvir o que seus amiguinhos achavam logo depois observava a outra fada naquele ambiente, tinha que ir lá se apresentar.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Novembro 02, 2016, 08:54:29 am
Todos

Na verdade, Vanessah parecia naquele momento ter memória curta - ou será que o naufrágio perturbou suas lembranças...?

Ocorre que, já era relativamente comum para vocês todos, mesmo em algumas regiões no Continente - mas especialmente na famosa estalagem de Bradbaum em que se conheceram - essa misturança toda de espécies. As tavernas do mundo costumavam ser bastante mistas, exceto talvez em alguns reinos por deveras herméticos e reclusos, como por exemplo, comunidades subterrâneas de alguns Anões e Drows que não gostam de visitantes, e também algumas florestas densas de reinados Elfos ancestrais e relativamente secretos, e claro, certas comunidades esparsas de Fadas, que preferem sociabilizar a vida apenas com seres silvestres que pensam a natureza de forma semelhante. Talvez, pela própria origem feérica de Vanessah, esta última estivesse bem menos familizariada, do que qualquer um de vocês, com tamanha diversidade racial,

Agora, numa coisa a reflexão em voz alta da Fada trazia um apontamento curioso: Como de fato poderia haver toda essa diversidade numa ilhota remota como a Ilha dos Desafios? Se sua colonização tivesse sido... Humana por exemplo (?), não seria de se esperar que houvesse uma hegemonia de Humanos? Isso poderia lhes ser um motivo de intriga ou dúvida histórica a partir de agora; uma contribuição vanessianah a seus pensamentos já confusos.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Novembro 02, 2016, 11:33:28 am
Cael não percebera, até ouvir novamente a voz de Vanessah, que toda sua atenção estava agora na interação da integrante drow do grupo com a misteriosa criança silenciosa de mesma espécie - interação que despertara toda sua curiosidade, afinal drow não era uma raça a qual o elfo tivera grande convívio, mesmo que fossem quase que uma espécie de primos de sua própria - e então a pequena fada o despertou de sua compenetrada contemplação sobre aquelas duas. E ele a respondeu:

- Não é como se eu saísse brigando com qualquer raça que encontro no meu caminho... Afinal esse grupo não seria possível se assim fosse. Na verdade eu não tenho nenhum motivo para criar alguma desavença com um membro de outra raça. Pertenço aos elfos e, mesmo assim, me encontro em um grupo com uma drow. Até onde sei, esses dois não costumam se relacionar muito bem. Mas eu acredito que não posso trazer rancores para com uma pessoa apenas porque ela não tem as mesmas características físicas que a minha espécie. - ao terminar o suco de seu copo seus olhos voltaram-se outra vez ao membro do grupo que estava mais distante dos outros - - Mas eu sei que tem algo de errado aqui... Desde que encontramos a garota na praia... - respirou fundo e recordou da jovem que lhes recebeu ao chegarem na ilha -A diversidade aqui é grande demais para um lugar possivelmente tão pequeno e isolado... E outra vez... Nós mesmos representamos essa diversidade e,bem, também estamos aqui...- seus pensamentos pareciam se nublar um pouco enquanto sua atenção se dividia na questão de Vanessah e nas ações de Sylence.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Novembro 02, 2016, 12:49:14 pm
- Mas isto porque meus amiguinhos são mais evoluídos que os amiguinhos dos outros. Você é mais nobre que os seus irmãos mal-passados e ela é mais nobre que os irmãos bem-passados dela. Coisa mais linda de se ver tanta nobreza numa mesa só. Pausa - Vou falar com minha irmãzinha cinzenta.

Ela voa para a mesa da outra fada.

- Oi irmã. Eu sou Vanessah, nasci de uma orquídea de Yavimaya. Você veio das montanhas? É tão bom achar outra fada. Estou procurando nossas irmãs fadas das águas, mas claro sempre é bom ver todas as irmãs. Adorei suas anteninhas, mimetizou das borboletas ou mariposas? Eu mimetizei minha forma dos felinos da minha floresta.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Novembro 02, 2016, 05:15:14 pm
Agora, parcialmente satisfeito, o humano comia com mais calma. Depois de custar um pouco para guardar os pensamentos  Dela, que haviam escapado do fundo de sua mente conseguia voltar a realidade, precisava manter uma boa alimentação e recuperar-se do desgaste daquele naufrágio. Como fora bem instruído anos atrás, seu corpo tinha de estar no primor da eficiência para qualquer desafio que aquele lugar iria jogar sobre ele e isso só poderia ser atingido com um bom descanso depois dessa refeição.

Assim se recordava que não podia ser mais forte que um minotauro, ou mais rápido que um elfo, nem mais inteligente que uma fada... Mas ser um ser uma criatura equilibrada entre essas características era o que tornava humanos tão capazes, era o que Faris sempre o lembrava.  Enquanto ouvia a conversa dos companheiros um pouco distraído, acabava de empurrar goela abaixo  uma grande mordida do atual sanduíche  com ajuda do suco, pigarreou para poder falar:

- Poder ser como o grupo... Q'irar  - queria ter dito "raças"- ...diferentes ... Vir - custou uns momentos para achar o termo correto - pelo prêmio... - comentou para Cael, já que era o único que estava na mesa no momento.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Novembro 02, 2016, 05:57:57 pm
Desejou boa sorte à Vanessah, que rumava na direção da mesa de sua semelhante, enquanto alcançava para si um pedaço do pão a eles servido (que Iyas ainda não tinha devorado) e adoçava-o com schimia de frutas, quando o humano lhe dirigiu a palavra:

- É provável, no entanto se forem como nós certamente vieram em outro navio e chegaram antes... Nesse caso, se ainda almejamos concluir o desafio, estamos em desvantagem... - pensou um pouco enquanto mastigava o pão e observava com mais cuidado as pessoas presentes na taverna, sempre mantendo uma parte da atenção em Sylence e agora também em Vanessah, não conseguia deixar de pensar no que Béthia era, no que ela deveria ser e se outros ali poderiam compartilhar da mesma... "existência" dela - Entretanto... -torceu os lábios, pensativo - Nós somos quatro porque este era o número para que um grupo fosse fechado e estivesse apto para a ilha... Não há nenhuma mesa com mais de três integrantes além da nossa. - Cael voltou a atenção para o sujeito que pagara a refeição à eles, como era mesmo o nome? Graadmonz?

Cael terminou de degustar seu pão e voltou-se à Iyas:

- Eu já retorno. - o elfo levantou-se de sua cadeira e dirigiu-se até onde o generoso sujeito que antes fora abordado pela fada estava. Cael puxou uma cadeira para o lado oposto da mesa do homem e sentou-se nela, ficando de frente para o senhor Graazmonz e o observando em silêncio, sem esboçar nenhuma intensão de que faria algo a seguir, nem mesmo alguma expressão que denunciasse o objetivo de sua presença à mesa.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Novembro 08, 2016, 04:35:08 pm
Ver uma de sua raça fora algo que realmente causou-lhe surpresa, por alguns instantes ela lembrou-se de seu lar, seus pais sua irmã e sua infância, uma vida que ela havia deixado para trás já a alguns anos, ela não era a mesma, não era mais a criança rebelde e aventureira.

Aquela pequena realmente atiçava sua curiosidade, esta que jamais a abandonou, seria ela de uma linhagem real, talvez rejeitada, entre outras teorias que passavam por sua mente.

A drow puxou uma flecha e entregou a garota, aguardando para ver qual seria sua reação.

Imaginando que talvez ela não entendesse o idioma comum Syllence tentou se comunicar na lingua drow

- De onde você é, e onde estão seus pais?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Novembro 10, 2016, 11:37:18 pm
https://www.youtube.com/watch?v=qHLajwNFoy8 (https://www.youtube.com/watch?v=qHLajwNFoy8)


Vanessah

Você atravessa quase a metade da taverna para chegar até aquelas duas moças: a Fada de tom acinzentado e a Humana que parecia ser uma jovem-adulta de bom porte.

- Olá! - Respondeu aquela Fada tão diferente. - Sou, sim! De que floresta você veio? Nunca a vi por aqui!... Por acaso, você veio da Floresta Mística? - Fez menção de olhar para fora da taverna, n'algo entre o grande balcão do Sr. Sokraz, e a porta pela qual vieram; isso enquanto tocava de leve nas suas antenas e nas suas asas etéreas, talvez pra sentir melhor sua textura - aquilo que era raro pra você nela, devia ser raro para ela em você.

A Humana que estava na mesa aproveitou então para se apresentar a você:

- Layle. Ferreira, a seu dispôr.

- Niwo. Historiadora, a seu dispôr.

Parece que as pessoas dessa ilha tinham um jeito peculiar de se apresentar... ou foi apenas coincidência dessa estranha dupla.


Niwo - Fada da Montanha
(https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/fe/7a/41/fe7a4178ee479c6a5f4e2f3c1268b667.jpg)
Layle - Humana
(http://66.media.tumblr.com/9f983bb852a788e47db195a04bafadcd/tumblr_o75tkp8KaY1sw1lcoo2_250.png)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Novembro 14, 2016, 08:16:12 am
Vanessah conversa com as novas amiguinhas.

- Ah, sim, vim de uma floresta mística sim, a grande floresta de Yavimaya, mas é uma floresta mística do grande continente. Fica depois de Lorwyn que fica depois de Ravnica. É um pouco longe, mas você conhece o continente? Quando quiser viajar por lá, tem muitos lugares incríveis que eu recomendo, afinal qual fada não gosta de viajar né? Viajei muito só para aprender magias novas. Mas conheci amiguinhos lindos e agora estou protegendo eles também. Oi Layle, que prazer lindinha! Vocês são tão prestativas, se precisarem e alguma coisa nossos amigos estão a disposição também, todos nós gostamos muito de ajudar. Este ferrinho no seu nariz é para indicar que é ferreira? Ele não coça não?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Novembro 20, 2016, 12:18:27 am
https://www.youtube.com/watch?v=at8102o0xxs (https://www.youtube.com/watch?v=at8102o0xxs)


Cael Galadin

O Senhor Graadmonz levanta o olhar de repente para você, percebendo sua presença, exatamente no momento em que você se sentava.

- Oh! Pois não. Sente-se por favor!... - disse com um ar de contentamento - Em que posso ajudá-lo, meu caro?? - concluía com um gesto resoluto, e com uma pontuação final, mais uma setença nas anotações que escrevia.


Sr. Graadmonz
(https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/236x/21/5e/c3/215ec3b83e307317c9ae99cbc017068c.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Novembro 20, 2016, 09:02:08 pm
https://www.youtube.com/watch?v=QZ3JeBl-dWg (https://www.youtube.com/watch?v=QZ3JeBl-dWg)


Sylence Beltyth

A menina pegou a flecha com sua pequenina mão, e a aproximou de seu próprio rosto; ficou a contemplar o objeto, aparentemente ignorando tudo aquilo que você lhe falou... Seria surda? muda? ou falava outra língua que nada tinha a ver com a língua Drow?

Passou uns segundos daquela mesmice, ela então devolveu-lhe lentamente a flecha. Aquilo não fazia nenhum sentido pra você. Mas parece que agora, a garota queria uma segunda flecha.

O Sr. Socraz lá em seu balcão já começava a ficar aflito: pigarreou alto. Mas sem efeito algum na criança.


Iyas

Deixaram você sozinho com as moscas. Ou melhor seria: com aquele magnífico café colonial! Nada mal! você refletiu. Bom, Sylence ainda estava ali próxima da mesa. Parecia tentar se comunicar com aquela misteriosa infante dos olhos mágicos. Você só podia achar graça da paciência imensa e da enorme energia que sua amiga Drow deveria esta dispendendo, para conseguir qualquer coisa da relação com uma criança como aquela - tão persistente em sua própria teimosia e egocentrismo.


menina Drow
(http://cdn.playbuzz.com/cdn/dc71c606-37e6-4897-88a1-6d2b86f5fc89/fb3175a9-e8ba-4670-b970-44e1f8196786.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Novembro 21, 2016, 11:59:40 pm
- Me ajudar? - o elfo abriu um largo sorriso - Depois do magnífico banquete que o senhor nos ofereceu? Não, não! O senhor já nos ajudou demais! E sem pedir nada em troca! Um verdadeiro benfeitor. - mencionou apenas esperando ouvir o humano dizer algo que desmentisse sua afirmação, pois sentia-se verdadeiramente desconfortável de ter recebido tal "presente" sem motivo algum. Aliás desconfiança daquele gesto era o que não faltava nos pensamentos de Cael, que manteve-se calado sobre o assunto e tentou ser o menos suspeito possível - Vim aqui para agradecer, Milorde Graadmonz. É muito gentil. - lhe estendeu o braço para um aperto de mãos - Este é um gesto cordial entre os humanos, estou certo? - .... mas e se tocasse naquele homem e descobrisse que ele poderia ter a mesma origem que a misteriosa jovem da praia?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Novembro 22, 2016, 10:03:52 am
Entre um pedaço e outro de fruta cortada com a faca presente em sua mão direita o humano acompanhava a tentativa de interação da elfa azulada com aquela misteriosa criança, não podia deixar de sentir um pouco de empatia pela situação, visto que as vezes era bem difícil comunicar-se com pessoas que falavam o idioma “comum”. Após alguns segundos observando o silêncio da criança Iyas tentou sem muitas esperanças pronunciar-se de onde estava sentado:

- Duvido que você consiga me entender.... não é, Pequenina? – disse no idioma de sua terra natal, com uma naturalidade e fluência bem diferentes de sua usual fala travada e limitada que utilizava com os companheiros.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Novembro 22, 2016, 01:04:22 pm
Syllence fica observando a garotinha tão curiosa quanto ela mesma, aparentemente ela também não conhecia a linguagem Drow, ou não estava muito interessada em falar. Assim que o balconista tentou chamar a atenção, a Sylence o fuzilou com o olhar, deixando claro que ela havia "alugado" a atendente por alguns minutos. A Drow até pensou em dar uma outra flecha a ela porém ficou apreensiva e preferiu aguardar um pouco, na realidade tentando intuir ou antecipar se aquilo era realmente viável, e se não levaria risco a nenhum dos lados.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Janeiro 29, 2017, 12:09:10 am
Cael Galadin

Ouvindo suas palavras de agradecimento, o Senhor Graadmonz formulou um sorriso natural no rosto - isto é, o mais natural que suas maliciosas sobrancelhas lhe permitiam! -, e respondeu-lhe:

- Óh! Pois fico bastante lisonjeado com vossa sincera consideração, Senhor-Mestreee...... - parecia esticar a palavra no tempo, até sua mente resgatar alguma informação perdida - ....Galadin! - concluiu, com a mesma satisfação de alguém que acredita intensamente que acabou de acertar a resposta a uma questão teórica de uma prova complicada. Evidentemente, se você foi até aquela mesa com algum tipo de ansiedade por respostas, agora, subitamente supreso, seu coração acelera! Como alguém daquela ilha remota poderia conhecer o seu nome???

Tanto foi a sua estupefação naquele momento, que você perdeu o foco do tato, de modo que, se você cogitava realizar algum experimento sério e em paralelo, cumprimentando a mão do homem, você só iria perceber mais adiante que sequer prestou atenção no evento.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Janeiro 29, 2017, 12:33:21 am
https://www.youtube.com/watch?v=QZ3JeBl-dWg (https://www.youtube.com/watch?v=QZ3JeBl-dWg)

Sylence, Iyas

O taverneiro Sokraz diminuiu-se e eclipsou-se rapidamente da cena, logo percebendo que o assunto era sério para sua cliente, e talvez mais: poderia ser uma péssima ideia intrometer-se nas relações de outras espécies, ainda mais em se tratando de Elfos Negros vingativos! Afinal de contas, ele deveria saber muito bem, com toda sua enunciada experiência, que se tratava de uma relação entre Drows; mas Iyas ainda mal tinha começado a perceber que aquela criança não era Humana.

A garotinha talvez tenha ouvido as palavras de Iyas, dirigidas a ela, pois parece que olhou brevemente na direção do rapaz; mas se as compreendeu, isso é outra estória. Talvez, ela de fato não fosse surda: apenas cabeça-dura mesmo!

Contudo, a pequena Drow, sem acesso a uma segunda flecha, pareceu ficar levemente mais ansiosa - ou perdida; e em dado momento, seus olhos até parece que faiscaram...! mas sem o acompanhamento de outra reação do corpo dela.

Para você, Sylence, a misteriosa menina não parecia oferecer nenhum perigo iminente a ninguém. No entanto, começa a passar pela sua cabeça, a conjectura doida, se ela não tinha alguma espécie de dom místico ou sobrenatural emergente; uma suposição, ao mesmo tempo cômica e levemente assombrosa; cômica porque se a garotinha tivesse algum poder especial, ela parecia ser uma total errática naquilo que fazia ou tentava fazer, e assombrosa porque, vai que um dia ela despertasse um tal suposto poder e resolvesse fazer sumir com todos aqueles que zombaram dela no passado? Porque fato é que, empatia ela não parecia ter muito.
Assim, ela continuava a parecer insistir com que você lhe entretivesse com algum outro item "valioso".
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Janeiro 29, 2017, 12:47:43 am
Vanessah

- Nossa, que legal! Você veio do Continente! - exclamou Niwo entusiasticamente. - Ela veio do Continente! - repetiu, no mesmo tom, para Layle que já sabia.

Depois, riram de alguns de seus comentários, e Niwo indagou-lhe:

- E quem são os seus amigos? Vocês chegaram quando?...... Aliás, COMO fizeram pra chegar?? - Em toda sua empolgação, Niwo parece que só na última frase percebera que algo 'não colava muito direito' naquela tão belíssima narrativa da Fada de Yavimaya; sua empolgação não acabou, apenas foi despertada ainda mais a sua curiosidade, mas agora também mesclada a um certo tom de preocupação racional.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Janeiro 29, 2017, 01:15:45 am
Iyas se surpreenderia muito se obtivesse qualquer tipo de resultado que não fosse aquele.

Deu um breve e conformado suspiro e reclinou-se na cadeira, descansando do banquete, sem antes pegar mais um pão e saborear lentamente enquanto voltava a observar os arredores a as interações de seus companheiros.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Fevereiro 03, 2017, 06:15:05 pm
Varias coisas se passaram pela mente da Drow, algumas não muito agradaveis, aquela garota era bem misteriosa, era uma típica drow.

- Vamos fazer um trato? Eu te dou mais uma dessas se você disser algo!! O que acha?

Syllence na verdade pretendia lhe dar outra flecha de qualquer maneira, porém achou que poderia tentar algo antes do agrado

- Então vamos tentar de novo? Desta vez com algo simples, qual é seu nome?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Fevereiro 03, 2017, 06:45:16 pm
- Sim, eu vim do continente! - Responde com igual entusiasmo.

- Pois é, meus amigos fofinhos. Tem aquela lindinha azul que é a Syllence, ela tem cara de brava mas é uma gracinha, o elfinho lindo é o Cael, ele tá parecendo meio tristinho né? Dá até vontade de fazer cafuné. E estamos também com aquele ser carnívoro, o Iyas. Ele não é tão bonitinho assim por fora, mas é fofinho por dentro. Ai amiga, nem te conto...

Na verdade Vanessah Fada conta, conta tudo, desde que saiu de Yavimaya, algumas cidades que passou, como esbarrou com os lindinhos fofinhos amiguinhos até quando o barco deles se desfez todo e quase afogaram. Ela era "levemente" dramática e detalhista.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Fevereiro 04, 2017, 12:11:21 am
Cael fitou o sujeito em silêncio por alguns instantes, a surpresa estampada no rosto pálido. E então o jovem elfo pigarreou e retornou ao seu humor anterior, até mais animado, pois agora começava a rir como se houvessem lhe contado uma piada eficientemente hilária.

- "Mestre"... - franziu o cenho em uma expressão quase cômica e continuou em meio a risos - É tão estranha essa palavra, tão destoada, quando acompanhada do meu nome, diria até de mau gosto, absurda, quase tanto quanto o senhor me chamando por este sobrenome, o que nos leva a um tópico mais essencial de nossa amistosa conversação. - parou de rir subitamente - Como o senhor, em suas obscuras inteirações, tomou o conhecimento da graça desta linhagem? - cruzou os braços sobre a mesa e, apesar de manter uma expressão bem-humorada no rosto, não deixava de encarar o senhor Graadmonz como se estivesse interrogando a um prisioneiro mal intencionado.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Fevereiro 04, 2017, 02:14:03 am
https://www.youtube.com/watch?v=M1Ai15gHGXk (https://www.youtube.com/watch?v=M1Ai15gHGXk)

Syllence Beltyth

Teste de persuasão:
Habilidade:
[0] DROWISMO

Atributos:
[0] VITALIDADE
[3] PRESENÇA
[0] CONSCIÊNCIA

Marca:
[N/A] RESOLUÇÃO
[Afetando Drowismo Negativamente-Caoticamente!] CAOS

(http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d1.gif)

(http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d4.gif)
(http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d6.gif)->(http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d6.gif)->(http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d4.gif)
(http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d2.gif)



(http://www.yucata.de/netimages/games/StoneAge/d1.gif)
Apesar de ter se re-estabelecido razoavelmente bem com o farto, mas nem tão saboroso assim pro seu gosto, café especial da Taverna dos 7 Mares, você estava ainda bastante cansada de sua salgada deriva oceânica; Porém, você não conseguia se dar por conta de que sua própria capacidade de se relacionar socialmente com as outras pessoas naquele momento estava levemente defasada pela sua condição, mas ainda assim dava o melhor de si para ser convincente com aquela garotinha retraída; aquela relação parecia ter algum valor especial para sua pessoa...

A menina ficou hesitante ouvindo sua voz pela segunda vez; ela queria aceitar a sua flecha, mas ao mesmo tempo não parecia querer se comprometer com aquele 'pacto' diferente. Sinal de que... "Talvez ela estivesse começando a levar alguém como você realmente a sério?" Você se perguntava.

Quase que subitamente, a garota tira-lhe a flecha da mão......! talvez, aproveitando-se de seu cansaço espiritual, mas, desta vez, ela não fica contemplando de perto e obsessivamente o objeto... ela olha para o 2º plano, bem na direção de seu rosto. Com um ar apreensivo. Seus belos olhos profundos reluzem desalento, enquanto segura a flecha com ambas as mãos. Parece que ela abriria a boca para dizer algo... mas apenas solta uma vogal baixinha prontamente interrompida; um fonema que você não reconhece em seu alfabeto; mais uma interjeição do que uma letra ou palavra. Talvez, aquela criança Drow tivesse alguma dificuldade com o ato da fala - se é que não fosse muda no fim das contas.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Fevereiro 04, 2017, 02:49:59 am
https://www.youtube.com/watch?v=V7qww2BqdUI (https://www.youtube.com/watch?v=V7qww2BqdUI)

Vanessah

Niwo e Layla pareciam bastante intrigadas e emocionadas com toda aquela sua epopeia aventuresca, ainda que volta e meia tenham tentado evocar alguma ideia ou pergunta, mas mesmo que o fizessem, você daria-lhes pouquíssimo tempo para então continuar narrando sua estória pessoal e do grupo de qualquer jeito.

Depois que finalmente você contou a elas praticamente tudo que podia sobre você e sua companhia de amiguinhos massivos, e que parecia não haver mais nenhum segredo útil a revelar sobre o seu real propósito - e quiçá até o deles...! -, Niwo diz, impressionada:

- Vanessinhah! Isso é tão lindo! - Você não tinha mais certeza se ela tinha pego essa forma de falar por sua própria influência, ou se uma Fada da Montanha teria esse tipo de cultura convencionalmnete. - Você e seus amigos são tão corajosos! Viajando tanto por causa de um Concurso mortífero como esse! Eu espero sinceramente que dê tudo certo e que vocês sejam os vencedores...!

Layla tomava a palavra por sua vez: - Eu acho que vocês têm tudo pra ser os campeões desse troço!... Ora, se o destino os acolheu desse jeito; Vocês chegaram atrasados... Mas também, o fato é que foram os únicos que chegaram no fim das contas!! Então...... Heh! - sacou uma cigarrilha e acendeu-a - Olha, se precisarem de alguma coisa com metal pesado, posso atendê-los direitinho lá na minha ferragem, saca? - Sorriu, fumando, deitando a cabeça levemente pra enxergar você melhor.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Fevereiro 04, 2017, 03:29:04 am
https://www.youtube.com/watch?v=wKfUDyXB1lY (https://www.youtube.com/watch?v=wKfUDyXB1lY)

Cael Galadin

- Ora, não tem problema algum; posso chamá-lo de "Senhor Galadin", se assim for de seu agrado! Você escolhe, meu caro rapaz!... Por sinal, perdõe-me por não ter me apresentado corretamente antes... são tantos incidentes estranhos estes tempos...! - coçava a cabeça - Meu nome é Ivktós Graadmonz... E Mais conhecido pelas redondezas como "O Intendente Monz". E desse modo, sou uma espécie de correspondente administrativo, dos assuntos Continentais aqui nesta longinquérrima Ilha de Arkhóreas... A famosa..... "Ilha dos Desafios"! - Entoou por último, abrindo os braços emotivos, os seus olhos brilhando com uma pompa invejável.

Além disso, o Senhor Graadmonz não parecia realmente intimidado com sua postura altiva e de aspecto incognitamente provocativo. No entanto, ele parecia gostar de uma conversa, por assim dizer, relativamente aberta com as cartas na mesa e com um Q de animação: - Saiba que, existe uma EXCELENTE razão, Senhor Galadin, para eu re-conhecer tanto o senhor, como inclusive cada um de seus companheiros que estiveram a se sentar naquela mesa logo ali atrás...! A razão disso, pois, é que SOU EU, quem estava a espera todo este tempo, pela chegada das equipes do Concurso da Ilha dos Desafios!! - Pausou um pouco para observar a sua reação àquelas palavras que ele deveria julgar impactantes a você mesmo, e logo então retomou com um tom dramatúrgico: - Ahhh!! Mas que tragédia terrível.....! essa que ocorreu com o navio dos candidatos! Um ataque pirata, estou certo disso...? É realmente muito lamentável!! Mas ainda assim, estou extremamente contente pelo fato de que pelo menos 1 grupo conseguiu, de forma milagrosa, chegar até cá...!! Imagine então a minha emoção, quando pude re-conhecer, quem hoje realmente estava a pôr os pés dentro da taverna!! Pois todo mundo que vive aqui em Arkhóreas, já tinha perdido a esperança de presenciar o Concurso, e que este tinha caído por terra... ou melhor, por água abaixo..........! Ééé, meu caro; Foram quase 2 semanas de puro alvoroço, depois da data marcada, na qual o navio de vocês nunca veio a chegar...!

A conversa do Senhor Graadmonz era bastante interessante e surpreendente, além de divertida, aos seus ouvidos élficos. Porém, sempre deixava-lhe com um pé atrás, por alguma razão intuitiva.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Fevereiro 13, 2017, 01:46:48 am
Enquanto todos os companheiros continuavam a interagir com diversas pessoas daquele lugar, o estrangeiro permanecia descansando, agora cruzando uma das pernas e se concentrando na interação de Cael com o sujeito suspeito. Parecia ser a mais interessante e importante de se acompanhar, portanto tentava aguçar suas não muito impressionantes audição e visão humanas no que aqueles os dois conversavam.

Para dificultar seu trabalho, várias das palavras comuns usadas em conversas do dia-dia no idioma local ainda não lhe eram conhecidas. O que sempre era um estorvo que o acompanhava desde que zarpou do Árido Continente, mas estava sofrendo ainda mais de uma fulminante falta de vontade de se levantar daquela cadeira e aproximar dos dois.   
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Fevereiro 13, 2017, 09:45:20 pm
A Drow estava dando os eu melhor, até porque nunca fora conhecida por suas habilidades sociais, mas lhe dizia que estava indo bem. No fundo nem ela mesma entendia o porque do interesse naquela pequena, talvez sentisse saudade de seu povo que deixou para trás ou de algo que perdeu quando ainda era criança, ela não sabia dizer que sentimento era aquele, mas, ela não queria simplesmente ignorar aquela garotinha.

Ela estava tão distraída que foi pega desprevenida, pela garota que pegou outra de suas flechas.

- Eu não tenho tantas flechas assim...- Pensou enquanto sorria sem graça fitando a garotinha - Você é bem rápida, não é qualquer um que consegue me pegar desprevenida!! - Dizia enquanto colocava a mão sobre a cabeça da pequena; - Eu não sei muito bem o que aconteceu com você ou se você confia ou não em mim, mas... quem sabe qualquer hora que você esteja livre, se você quiser, posso te ensinar a usar um arco e flecha!! - Assim que disse isso o estômago da Drow roncou, e então ela se levanta: - Acho que eu e meus companheiros vamos ficar por aqui durante um tempo, se você precisar de qualquer coisa, pode me procurar!!

Após dizer isso Syllence se retirou e voltou para a mesa, para comer, já que seu estomago não aguentava mais ficar vazio.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Fevereiro 14, 2017, 02:34:19 pm
Cael ficou alguns instantes em silêncio o observando, ponderando, intrigado, sobre o que o sujeito cantava-lhe sobre a ilha em que estavam, mas logo deu um abafado risinho e se recompôs para responder:

-É um prazer conhecê-lo,  senhor intendente. Quanto a mim, o senhor aparentemente já conhece não parece que não preciso me apresentar. - sentia uma leve ponta de desconforto e ansiedade por estar diante de alguém que sabia quem o elfo era, mas o qual tudo o que se tinha conhecimento era o que ele mesmo tinha a dizer de si - Sim, foram piratas…. - não gostava do fato do Sr. Graadmonz estar concluindo os acontecimentos sem que Cael tivesse dito nada, menos ainda que ele tinha acertado o triste destino que deu um fim ao navio em que estavam.

Pensando melhor talvez ele tivesse ouvido a fada tagarelar algo sobre,  embora não se lembrasse de ter ouvido,  o que não seria uma absurdo já que Vanessah tinha tanto a dizer que o elfo acabava tendo dificuldade de se lembrar de tudo.

- Bem,  estar à deriva no oceano não contribui muito quando se quer ser pontual,  mas aqui estamos. E devo admitir que estou surpreso de termos, afinal, encontrado o caminho para cá. - Cael não conseguia afastar a sensação estranha de estar próximo àquele homem, mas se esforçava para manter a questão afastada da conversa - Talvez este elfo aqui não tenha entendido direito, não é de se estranhar, depois dessa conturbada viagem, que eu esteja com um pouco de dificuldade de acompanhar o raciocínio,  mas… - deu uma rápida olhada em volta antes de continuar, para os estranhos que frequentavam o lugar, mas principalmente para os novos companheiros, que estavam dispersos pelo salão, imaginando que eles também precisavam ouvir o que o intendente dizia - Mesmo com apenas um grupo tendo sido capaz de chegar… vivo… À esta ilha, ainda assim se dará continuidade ao desafio? - estava genuinamente confuso, pois já não tinha nenhuma esperança de prosseguir com essa ideia de “ilha dos desafios” - Aliás,  deve ser algo muito importante para este lugar para estarem todos nos esperando, como o senhor mesmo disse. Eu deveria imaginar... - pensativo, resmungou a última frase, lembrando-se de que a “Dama” também tinha como objetivo chegar à este lugar, certamente deveria ser algo muito importante e grandioso para que ela se incomodasse em ir até um local tão remoto e, à primeira vista,  sem nada de especial.  Cael suspirou pesadamente ao se dar conta que seus pensamentos tinham retornado à ela.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Fevereiro 14, 2017, 06:36:42 pm
Vanessah sorria para a outra colega de asas.

- Eu na verdade estou mais para ajudar meus amiguinhos. Sabe como são estes povos massivos, todos fortes por fora mas no fundo lá dentro são como filhotinhos fofinhos que precisam de amor. Eu estou mesmo é querendo aprender mais sobre magia elemental, vim então procurar as fadas d'água que dizem haver aqui. Aí achei estes lindinhos que estavam vindo atrás de brincadeiras desafiadoras ou algo assim e você sabe como nós somos né!? Temos que ajudar este pessoal não se perder no caminho. O que pode me falar sobre as fadas d'água? Há muitas na ilha? Sua magia é poderosa?

Ela faz uma careta quando a outra começa fumar:

- Ei lindinha, já te disseram que isto faz mal para a saúde? Tem que manter os pulmões fortes para continuar trabalhando com metal pesado por muito tempo.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Fevereiro 16, 2017, 08:16:40 pm
https://www.youtube.com/watch?v=88VPpm4ZCa8 (https://www.youtube.com/watch?v=88VPpm4ZCa8)


Iyas

Você foca sua consciência na distância necessária, tentando dissimular dos presentes, tanto sua postura aparentemente relaxada quanto seu olhar, fixado n'algum ponto vazio; porque não, a grande vidraça da janela que oferece uma vista resplandecente para aquela vastidão marítima sob o sol matutino, este último, já bastante elevado?

teste de bisbilhotagem
Furtividade: [0]
(http://orig15.deviantart.net/4c29/f/2017/047/e/7/green_d6_3_by_moonlance-dazbtjv.png)

PRES: [1]
CONS: [1]
SONH: [0]
(http://orig12.deviantart.net/fc2c/f/2017/047/0/c/white_d6_4_by_moonlance-dazbtlg.png)
(http://orig04.deviantart.net/9149/f/2017/047/d/2/white_d6_3_by_moonlance-dazbtlb.png)
(http://orig00.deviantart.net/ac27/f/2017/047/0/3/white_d6_1_by_moonlance-dazbtl0.png)

dCAOS: Caos em Sonho
(http://orig09.deviantart.net/55d5/f/2017/047/9/c/black_d6_1_by_moonlance-dazbtiy.png)

* * * * *
SUCESSOS: 2

Aquele tal de Graadmonz era um sujeito bastante perigoso; você tinha certeza disso só em ouvir o timbre da voz; ele poderia esconder boa parte de sua malícia para as pessoas normais, mas você conheceu o Mal de perto, na aridez do Deserto, no suor e no sangue... seu e das pessoas que lhe foram mais queridas na vida um dia. Conhecia aquela sonoridade melodiosamente cruel, de mercadores das mais diversas coisas: inclusive de escravos humanos. Você estaria disposto a enterrar sem hesitar, seu fiel punhal no peito daquele sujeito, no primeiro sinal de malevolência perante alguém - preferencialmente um amigo ou amiga... Sim, pois lhe daria mais prazer ver o sangue daquele verme escorrer...

O que você ouviu dele, e conseguiu compreender no linguajar infame do engomado, foi que ele de fato era um daqueles contatos do Continente, que deveria ter uma relação importante com o grande Concurso na Ilha dos Desafios, que de fato deveria ser esta em que estão; e agora você entende claramente, porque ele pagou todo aquele café da manhã especial para você e seus companheiros: apenas para disfarçar um pouco mais suas reais intenções maquiavélicas. Mas seu jeito irônico e forçosamente meliante sob o véu da astúcia, lembrava o daqueles bucaneiros oportunistas que vinham negociar, não se sabia o quê, às margens dos poucos porém caudalosos rios que havia em sua região natal.

Em toda sua discrição experiente, apesar do cansaço e da atual morosidade de seus ouvidos, você conseguiu sacar diversas outras coisas pequenas mas intrigantes da conversa a fim de complementar a sua hipótese principal; Só que, o mais importante, é que, mesmo que não tenha ouvido e compreendido tudo, pegando a conversa inclusive pela metade, isso foi mais do que suficiente para você se resguardar, precavido, em relação ao futuro de vocês naquela ilha, especialmente, se dependesse de qualquer coisa (adicional, é claro) vinda do Senhor Graadmonz. Sua intuição inicial, desde que percebeu aquela presença, estava se provando cada vez mais concreta, pelo menos até que lhe provassem o contrário - mas isto, seria muito difícil! O que representa, afinal de contas, alguns vinténs, para alguém que consegue tudo de forma desonesta?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Fevereiro 17, 2017, 10:20:42 am
- Hiddvah... - xingou baixinho o sujeito suspeito, balançando a cabeça negativamente por um breve momento.

Após coçar preguiçosamente o nariz por alguns instantes aprumou-se na cadeira e se levantou, aquela sua desconfiança pedia por... uma bebida! Para continuar a ter paciência ao continuar a averiguar o ambiente, e possivelmente interagir com aqueles nativos. Iyas então dirigiu-se sem muita pressa até o balcão e mais uma vez, chamou a atenção do taberneiro erguendo sua mão a meia altura e pedindo de onde estava:

- Vinho... Bebida... - estas palavras ele tinha aprendido bem.   
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Fevereiro 28, 2017, 11:45:42 am
https://www.youtube.com/watch?v=GO3mIaGgf9E (https://www.youtube.com/watch?v=GO3mIaGgf9E)


Syllence

Retornando à mesa do grupo, você encontra ainda alguns vegetais e sobras de temperos, em quantidade suficiente para saciar sua fome; parece que tinham sido separados intencionalmente em favor das raças Não-Humanas - já que Iyas, que tinha estado ali sentado a contemplar o mar através da grande janela, deveria ter se encarregado das comidas mais 'pesadas'. Agora ele tinha se dirigido ao balcão, mas você tinha notado que havia algo de estranho em sua postura quando sentado antes de partir; você podia ter quase certeza de que, se o olhar dele estivera voltado para o mar, o pensamento dele estivera em outro lugar. Ele lhe lembrava um Caçador, como você mesma quando na Floresta, absolutamente estática, em busca de sinais na natureza... E depois, subitamente se levantou irritado, blasfemando, apressadamente afastando-se com uma mente latejante e trovejante...!

Enfim, no momento em que você dava sua primeira garfada, você viu a menina Drow, a qual não parecia ter re-agido um único milímetro a suas últimas falas e ações, se aproximar lentamente, e depositando aquela flecha que tinha pego, ao lado do seu prato. Como ela era baixinha, não realmente enxergava aonde estava a depositar a unidade de municação, mas acabou não sendo um problema. Tudo o que aquela criança Drow fazia, parecia ser retardado no tempo; desse modo, depois de devolver-lhe a flecha, ainda ficou ali perto da mesa, prestando atenção sabe-se-lá em quê, talvez em você comendo? Lentamente, deu meia-volta de repente, e começou a dirigir-se para o lado do balcão da taverna, mas não realmente escolhendo uma trajetória que parecia ser eficaz para uma garçonete ou servidor da taverna em geral.

Você ficava pensando: qual fora a última vez que você teve contato com alguém de sua própria raça, e aliás, algum contato produtivo...? - Se é que dava pra você ou algum de seus amigos, considerar aquilo um contato produtivo. Em todo caso, o caso daquela menina Drow perdida em Arkhóreas, intrigava você, talvez tanto quanto questões relacionadas à sobrevivência de vocês na Ilha dos Desafios e além.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Fevereiro 28, 2017, 12:19:46 pm
https://www.youtube.com/watch?v=nzP8y5VuV5k (https://www.youtube.com/watch?v=nzP8y5VuV5k)


Cael

Agora, o Senhor Gradmonz parecia por sua vez prestar nítida atenção a suas palavras e gestos. Levantava uma sobrancelha ao ouvir sua indagação a respeito da continuidade ou não do Concurso. Também, pareceu a você o intendente evocar micro-reações faciais importantes, quando do fato de você ter simplesmente parado, e olhado ao redor em busca das presenças momentaneamente dispersas, de seus amigos viajantes. O Senhor Gradmonz então lhe diz:

- Bem. Sobre a continuidade ou não do Concurso, dados todos estes eventos catastróficos recentes... Não posso dizer que não cabe a vocês decidirem isso, em conjunto. Pois, materialmente, o Concurso está comprometido; e isto era uma das cláusulas para seu possível cancelamento. De minha parte, eu advogaria pela permanência do Concurso, é claro! pois não vejo que a situação esteja tão calamitosa a ponto de desistirmos. Porém, você aponta algo inegável: e vocês têm o direito de rescindir o contrato, sem consquências negativas à sua parte. Cabe somente a vocês decidirem isso, então.
Sugiro, portanto, que converse com seus companheiros sobre o asssunto. E que só depois de decidirem isso, venham tratar do negócio comigo, Senhor Galadin; dou-lhes até hoje a noite para decidirem, o que o senhor acha?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Fevereiro 28, 2017, 12:51:04 pm
https://www.youtube.com/watch?v=Tx6RLIty-s0 (https://www.youtube.com/watch?v=Tx6RLIty-s0)


Vanessah

Niwo, a Historiadora, põe a mão delicada no queixo, franze a testa e olha para você:

- "Fadas Aquáticas" você quer dizer, não é...? Pois veja... - suspira de leve a Fada da Montanha - elas são muito teimosas estas nossas primas. Elas gostam muito é de traquinar a vida das pessoas; e eu ainda penso que seja plausível que elas encontrem ainda maior prazer em frustar suas próprias primas! Mas não sei ao certo, mas minhas experiências com elas em Arkhóreas não foram das mais divertidas...! Elas adoram nos dar banho; por nada! acho que elas pensam que estamos secas demais o tempo todo. Isso incomoda. Se você andar perto dos lagos, a beira do mar... se você mergulhar mesmo, enfim... é mais provável que as encontre - ou que elas encontrem você! Eu realmente não sei se você vai ter sorte com elas! Mas pode valer a pena tentar... E depois me conte como foi por favor...! Parece que aqui na Arkhórea-Leste, a pessoa mais bem entendida sobre Fadas e coisas da Magia em geral, é O Sábio; ele vive no bosque mais longe atrás do monte da Prefeitura. Não sei o quanto ele é capaz de lhe ajudar em seus estudos, mas, com certeza é a pessoa mais indicada para tratar disso. Senão, você pode visitar a nossa Biblioteca Mística, fica, saindo da taverna a direita, no fundo a direita passando do poço, mas você vai precisar de dinheiro, certo, minha graça? os Feitiços são caros em geral, não é mesmo? Pra mim eu vou lá frequentemente pra consultar livros normais, sabe? como uma biblioteca tradicional pública; às vezes compro algo pra mim também quando posso, principalmente quando era re-corrente vir mercadorias novas através do comércio inter-marítimo... Porém, agora até isso ficou difícil. E pra vocês que se especializam nessas coisas de Magia... vocês precisam consumir os manuais de feitiços, literalmente........ - suspirava outra vez, agora um pouco mais prolongadamente, pois parecia inconformada com alguma daquelas realidades mencionadas.

Layle não parecia surpresa:

- Ah! Eu fumo desde criança quando meu pai começou a me ensinar a forjar broqueis; agora ele já se foi, mas nunca tive problema com isso. As pessoas gostam é de dramatizar.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Fevereiro 28, 2017, 01:21:58 pm
Vanessah bate palminhas de tanto entusiasmo.

- Ai que divertido! Até biblioteca Mística vocês tem. Eu ando meu sem grana, mas isto não importa por agora, ainda tenho tantas priminhas lindas para visitar. - Vanessah passa a mão no braço da outra fadinha - É! Vocês fadas da montanha tem a pele mais seca mesmo né? Talvez nossas priminhas pensem que precisam de uma hidratação. Lá em Yavimaya chove uma vez a cada quatro dias, então estou acostumada ao clima úmido. Mas você também é muito lindinha, eu não conheci as priminhas fadas da montanha do continente porque não passei perto de nenhuma montanha, mas talvez depois eu conheça a sua. Tenho que cuidar de meus amiguinhos primeiros, depois poderei fazer turismo e ver tudo que a ilha fofa de vocês tem para mostrar.

Ela torce de leve o nariz para Layle.

- Você quem sabe, mas aposto que ficaria mais bonitinha se não fumasse, ia arrumar mais namoradinhos com a boca cheirosinha.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Fevereiro 28, 2017, 01:46:04 pm
Cael levantou-se de súbito da cadeira e fez uma breve reverência ao Sr. Gradmonz.

- Eu falarei com eles agora, se me der licença.- queria se afastar logo do sujeito. Não estava em plena condição física e mental de continuar próximo ao intendente, um homem extremamente suspeito para o elfo.

Ao terminar a frase afastou-se com pressa do humano e voltou à mesa, onde agora Syllence estava finalmente comendo sua parte do café da manhã, logo após a peculiar Drow em miniatura se afastar.
Cael sentou-se no mesmo lugar em que estava antes e ficou observando a companheira pensativo, a mente tentando entender o que o humano intendente realmente queria. Sentia-se levemente inclinado a recusar continuar naquele "concurso" que já não lhe tinha grandes significados desde o naufrágio.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Fevereiro 28, 2017, 03:18:44 pm
Iyas

O taberneiro Sokraz, atrás do balcão, percebeu sua chegada e sinal, e erguendo assim um sorriso breve no largo rosto; mas então contrai as pálbebras, apresentando um olhar cabalístico a você, ao mesmo tempo em que seu pesado torso se inclina sobre o mostrador, e com o indicador parcialmente levantado e contraindo-se, parece querer chamá-lo para bem próximo, para um a conversa mais pessoal quem sabe...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Fevereiro 28, 2017, 03:36:46 pm
A Drow pode saciar sua fome, enquanto presenciava o olhar distante de um dos companheiros, este que depois de um tempinho levantou-se xingando, deixando Syllence sem entender nada. Ela que de certa forma não se importava em entender, mas aquilo era bem estranho.

Ela notou sua "pequena nova amiga" se aproximando e devolvendo a flecha, ela sorriu achando a cena engraçada, continuou comendo e observando a guria de canto de olho até que ela se afastou. Algumas coisas lhe passaram pela cabeça naquele momento, como ela chegou ali, quem era ela, que mistérios cercam aquela drow, mas pensaria nisso depois ou talvez a noite, tinha que pensar nos próximos passos do grupo.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Fevereiro 28, 2017, 03:48:50 pm
Iyas então aproxima-se do sujeito, sem saber o porquê dele o chamar.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Fevereiro 28, 2017, 04:24:16 pm
Cael aproveitou que a jovem deixara a flecha na mesa e a pegou antes que a drow guardasse, começou a falar, em uma desculpa para que sua mente não começasse a querer lhe trair:

- Por que deu isso para aquela menina? Eu não entendo muito da cultura de vocês, o que eu acho até meio estranho, já que nem somos afastados em termos de raças, como somos de outros dos quais compreendo melhor. Mas não seria um costume de vocês oferecer armas para jovens que recém conheceram, ou seria? - tentava manter um tom divertido na voz enquanto girava a haste entre os dedos, embora visivelmente perdera algum entusiasmo que tivera antes de falar com o humano na outra mesa.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Fevereiro 28, 2017, 04:52:36 pm
Vanessah ainda estava longe, mas viu seu amiguinho massivo voltar para a mesa, e comenta com a outra fadinha:

- Ih, olha lá meu amiguinho massivo, todo tímido perto da minha amiguinha massiva, hihihihi, eu acho que ele gosta dela, você não acha? Eles não são bunitinhos? Ele tá todo vermelhinho.

Ela apontava para a mesa de vocês mostrando.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Março 04, 2017, 04:59:45 pm
Ainda comendo e Drow vira-se em direção ao colega - Eu não dei, ela simplesmente pegou quando eu me distrai, notei que ela ficou meio encantada com a flecha então não me importei muito!!

- Não tem muito haver com costumes; digamos que eu sou um pouco curiosa, e aquela pequena despertou meu interesse!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Março 04, 2017, 10:08:45 pm
- Quem não teria a curiosidade despertada ao deparar-se com uma jovem Drow, sozinha, em um lugar tão peculiar? - apoiou os cotovelos sobre a mesa e fitou a companheira com um sorriso cortês, no entanto logo franziu o cenho, não tenho certeza se tinha se expressado direito e pigarreou - Uh... O que quero dizer... - voltou a atenção para o balcão da taverna - Para uma ilha tão distante a diversidade é algo impressionante... Só posso imaginar como aquela menina veio parar aqui... Seria vítima de um naufrágio também? Algo mais sombrio, talvez...? - pousou a mão sobre a boca e sua expressão tornou-se pensativa ao lembrar-se da conversa que acabara de ter com o sujeito que se apresentara como intendente.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Março 07, 2017, 03:29:01 pm
Iyas

O grande taverneiro mantinha o torso reclinado sobre o balcão, enquanto um garçom Elfo de cabelos longos e negros mais atrás escolhia uma anciã garrafa de vinho e servia numa grande caneca de madeira.

Sokraz diz a você, de um modo curioso e apreensivo:

- Venha cá, meu jovem. Qual o seu nome...? Você veio mesmo do Continente distante?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Março 07, 2017, 03:57:54 pm
Vanessah

Niwo comentava sobre as características diferenciadas das Fadas:

- Ora, você sabe... Vane.... Vaneziah!... Não é? Existem Fadas de todos os tipos, e em todos os cantos do mundo; nós somos bem piores até do que Elfos ou Anões neste sentido! Brotamos, literalmente, de TUDO quanto é coisa ou lugar! basta haver forças da Natureza fazendo seu legítimo trabalho! Quero dizer, o senso comum faz a gente crer que só existem alguns tipos de Fadas... mas na realidade a variedade é muito maior do que se poderia imaginar!... - De súbito, a Fada da Montanha pausou, para observar a você talvez com mais atenção... como se você fosse um objeto de investigação científica aliás.

Enquanto isso, Layla primeiro riu-se alto numa gargalhada, após você falar sobre namorados, mas depois parou pra refletir atônita:

- Heyy..... Vai ver que é por isso então? Eu pensei que os homens não gostassem era do meu trabalho pesado... e não por causa da fumacinha! Trocou um olhar com Niwo - Hmm... Ela esperta. Não? - ajustava os óculos nos cabelos.

Depois, ambas olharam atentas em direção à sua mesa original, aonde estavam sentados Syllence e Cael.

- O Elfo parece um poeta. - declarou Niwo - Mas a Elfa está mais interessada parece é no conteúdo de seu prato verde...! Bom, pelo menos é o que me parece por enquanto! Hi-hi! - Mas não demorou alguns segundos para ela re-considerar: - Ahh! Desculpe!! Eu sei que vocês estão bem cansados ainda, e estavam famintos e provavelmente traumatizados com o... naufrágio...! De repente a Fada da Montanha teve o rosto iluminado por alguma ideia, e lançou ao ar: - Nossa! Eu preciso escrever sobre isso!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Março 07, 2017, 04:15:40 pm
https://www.youtube.com/watch?v=iijdWiQppq0 (https://www.youtube.com/watch?v=iijdWiQppq0)


Syllence

O alimento que restava estava até bastante saboroso para você, finalmente do que estabelecer uma base sólida para uma nova aventura! Você teria mais tempo e disposição muito em breve, para investigar aquele local todo se quisesse. Cael vinha lhe importunando o almoço, mas mais intrigante é que você percebe que é absolutamente estranho que, do nada, o Elfo silencioso e pasmo de sempre, tinha começou a ficar, assim, tão comunicativo. Será que ele bateu com a cabeça durante o naufrágio e mudou completamente de personalidade...? Não... espere aí...! Na praia ele ainda estava um pouco igual ao de sempre. Deve ter sido agora, na taverna, que ele começou a mudar. Era estranho: era como se você estivesse falando com outra pessoa, mas mais do tipo: aquele amigo ou amiga que você não conversava a muiiito tempo... Enfim, pelo menos, o comportamento de Cael parecia sugerir isso - da parte dele; e é verdade que ele sempre foi estranho, mas agora a estranhice dele parecia emanar outras facetas de sua pessoa. Enfim, talvez tenha algo a ver com aquela "Dama dos Encantos", que lá em Bradbaum causou tanto rebuliço na taverna aonde vocês se conheceram, a fim de fazer justiça com as próprias mãos para salvar aquele bêbado e pobre coitado Iyas............. Aliás, por falar nesse sujeito... Lá estava ele a beber novamente, no balcão!!!


Cael

Realmente, agora que você estava começando a re-encontrar-se a si mesmo, aquela noção toda de um Concurso de alto risco, para conquista de bens materiais... tipo um castelo - normal que a Dama se interessasse, aquela interesseira! Mas, de que mais importava? A Liberdade era o bem mais importante!! Inclusive, a própria liberdade de falar.... e de pensar!! Apesar da fadiga pós-naufrágio, era incrível como você se sentia bem neste momento, inclusive falando abertamente com aqueles seus companheiros novos - e inclusive, atrapalhando seu desjejum...!

Não é que você quisesse abdicar do Concurso absolutamente, talvez isso dependesse mais da decisão coletiva do grupo. Mas era simplesmente que, talvez houvesse tantas outras coisas interessantes e produtivas de se fazer naquela Ilha dos Desafios, agora que já estavam por ali mesmo, provavelmente sem ter como 'voltar pra casa'... Por que então manter-se em algo tão traiçoeiro? Se poderia haver outros caminhos. No entanto, a motivação dos outros devia valer bem mais do que a sua: porque você sabe que já NÃO É mais o mesmo Cael Galadin que começou nessa empreitada de Concurso; você mudou, e continua mudando rapidamente. Porém, os seus companheiros, é possível que estivessem para eles ainda muito claras as motivações que os levaram a cogitar participar de tal desafio maluco.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Março 07, 2017, 10:22:09 pm
 O forasteiro não teve pressa em responder ao taberneiro, estava de olho em seu pedido, logo após olhar o elfo trazendo sua caneca, voltou a atenção ao sujeito que lhe dirigia a palavra.

- Nome... Iyas. Continente... Q'arr Jaf - coçou o queixo, tentando lembrar da maneira como os marinheiros chamavam sua terra natal observando seu pedido se aproximando - Árido Continente - lembrou-se e pegou a caneca antes mesmo que o garçom pudesse o servir.

A este ele apontou para a bebida e disse:

- Outra... Para amigo - pediu ao elfo tentando soar educado. 

E por fim, voltou-se ao taberneiro, degustando sua bebida.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Março 07, 2017, 11:53:10 pm
https://www.youtube.com/watch?v=EocKHVANEgw (https://www.youtube.com/watch?v=EocKHVANEgw)


Iyas

O belo Elfo acenou positivamente com a cabeça, com um sorriso muito sutil nos lábios; voltava-se de novo para a velha pipa, e enchia agora uma segunda caneca de vinho... trazendo-a a sua frente agora, mas mantendo-a suspensa no ar chacoalhando-a, de modo cíclico num gesto harmonioso, mas como que indagando: "Para quem vai esta?"

Sokraz demonstra um ar reflexivo ao ouvi-lo, então ele alisa o bigode e lhe responde:

- Então, meu caro Iyas... do Deserto... conheço algumas estórias de lá... - pousava a mão no seu braço, tentando ser cordial e ao mesmo tempo, empático: - Mas eu preciso ser sincero com você agora: Eu não penso que chegaram na melhor hora possível em Arkhóreas, lamentavelmente... Que bom que conseguiram chegar com vida, é claro; Mas vou ser ainda mais direto: O brutal ataque dos Piratas à embarcação de vocês, associada ao Concurso, é mais uma prova da grave crise pela qual estamos passando neste recanto do Mundo...! Já estávamos isolados do Continente a muitas décadas, isso é óbvio! Mas vivíamos bem, até, em nossa ilha remota; tinha progresso, colaboração, comércio. Mas agora, estamos sendo encurralados! E tudo aquilo que era bom parece que está degringolando rapidamente! O Concurso, para nós, moradores de Arkhóreas, era também uma Esperança de que as coisas poderiam melhorar de vez......... Saúde!! - exclamou ao vê-lo beber. - Eu ouvi dizer que havia grande número de bravos aventureiros tipo você, que navegavam naquele navio....! Quase uma centena!..... Posso imaginar o espírito da coisa... Não entendo exatamente como esses Piratas podem ser tão demoníacos e ousados a esse ponto....!! - zangou-se. - Alégum precisa dar uma lição neles, antes que seja tarde!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Março 08, 2017, 08:37:54 am
Enquanto ouvia a tudo aquilo não conseguiu segurar um suspiro cansado, sabia que devia ter dito com antecedência de alguma forma para que o sujeito falasse mais devagar, se fosse falar tanto assim com ele, porém já estava acostumado a tentar pegar o ponto principal sem entender algumas coissinhas aqui e ali... Além disso, agora tinha vinho para ajudar na tradução: o velho estava se referindo ao ataque dos desgraçados que naufragaram o transporte do grupo.

Quase cem passageiros era um pouco de exageiro, se o nevio em que vinham fosse capaz de acomodar tal número talvez seu tamanho fosse suficiente para resistir a investida dos piratas. Mas tirando do caminho este fato,  Iyas  tinha de concordar com o nativo.
 
- Saber mais esses Piratas? - questionou em seguida tomando mais um gole - Saber aqui piratas estar antes?

O taberneiro tinha seu ponto, se aqueles sujeitos eram capazes de atacar um navio com vários  guerreiros e bruxos o que dirá de uma cidadezinha em uma ilha, muito provavelmente seriam o próximo alvo.

- Cidade precisar defesa... Guardas saber? - falou dando alguns passos e pegando do elfo garçom a segunda caneca com a mão que estava, fazendo uma brave reverencia ao seu serviço enquanto disse "obrigado" a este em sua lingua natal em seguida, voltando para o balcão e para o taberneiro.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Março 10, 2017, 01:04:27 pm
- Não sei, eu senti algo estranho nela, ela é um pouquinho diferente dos outros drows que já vi... - Syllence decidiu não entrar em muito detalhes, pois por natureza também era um pouco desconfiada, assim como outros sempre desconfiaram de sua raça o mesmo se podia dizer de alguns drows - No momento quero me focar em descobrir se este é o local correto!!

Ela suspirou enquanto com o olhar buscava os companheiro dispersos - Nós passamos por muita coisas nesses últimos dias, acho que pelo menos hoje devemos descansar!! - Syllence respondeu com normalidade terminando assim de comer, aquela até que estava sendo uma conversa agradável, apesar das duas raças em si não serem muito amistosas uma com a outra, mas esta Drow não era tão Drow como os boatos costumavam dizer, talvez pelo fato de não ter sido totalmente criada em meio ao seu povo, e ter se juntado a diversos outros grupo e convivido com outras pessoas ela tenha desenvolvido um "jeito" não muito comum para sua raça.

Mas em meio aquela conversa algo lhe incomodava, ela já tinha percebido isso porém só agora resolvera se manifestar. A mesma levou o cotovelo a mesa e apoiou a cabeça na mão, ela então estreitou os olhos e fitou o Elfo - Eu acho que esta ilha e aquela menina não são os únicos mistérios a serem decifrados "não acha"?? - Dizia de uma maneira que deixava claro que estava se referindo a ele - Todos nós temos segredos Elfo, feridas e até traumas, desde que nada disso interfira na nossa missão, eu vou simplesmente ignorar. Mas, saiba que eu estou de olho!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Março 10, 2017, 03:48:46 pm
 O elfo, imitando a companheira, também estreitou os olhos e, com uma expressão indecifrável a observou por alguns instantes, até que um pequeno o sorriso formou-se em seus lábios.:

- Pois bem. Se manter seus olhos sobre mim é o que deseja, milady,- deu de ombros - que assim seja.

Estava planejando dizer a drow que estavam no lugar correto, de fato, é da conversa com o intendente, no entanto, o modo como ela demonstrou certa desconfiança de suas atitudes - e Cael sabia que não fora por causa da frase mal colocada há pouco - não lhe agradou.

O elfo bateu de leve com a mão espalmada na mesa e levantou-se:

- Se não se importa de manter seus olhos longe de mim por alguns minutos, estarei do lado de fora da Taverna. Divirta-se. - com mais um gentil sorriso e uma breve reverência Cael retirou-se de perto da companheira e, dirigiu-se à saída do salão.

Ficara bastante incomodado com as insinuações de Syllence, ainda mais quando ele mesmo já confiava naquelas pessoas como se fossem companheiros há algum tempo e achava que sobreviverem juntos ao naufrágio poderia ter colocado o mesmo senso de união naquelas pessoas, mas obviamente estava errado.  
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Março 10, 2017, 05:33:02 pm
Vanessah

- Óhhh!! Vocês viram isso?! - Re-verberou Layla em voz baixa às duas pequenas Fadas que a circundavam. Obviamente, referia-se a uma hipotética desavença, desencontro ou intriga, que teria acabado de ocorrer entre as duas figuras élficas que vocês vinham observando confortavelmente de longe... e tudo por causa das estórias românticas de Vanessah, Fada de Yavimaya.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Março 12, 2017, 01:06:03 pm
Citar
- Heyy..... Vai ver que é por isso então? Eu pensei que os homens não gostassem era do meu trabalho pesado... e não por causa da fumacinha! Trocou um olhar com Niwo - Hmm... Ela esperta. Não? - ajustava os óculos nos cabelos.

- Então, na natureza todos os bichinhos fofinhos se atraem, consciente ou inconscientemente pelo cheiro de suas fêmeas mais amistosas, não é Niwo? Nós fadas conhecemos bem a natureza, afinal somos nascidas das forças da natureza. Toda vez que uma gatinha, coelhinha, cachorrinha está afim de namorar ela sinaliza com os feromônios para os meninos da sua espécie. Você já é bonitinha, imagina então se...

Ela começa divagar.

-... Ah, talvez meu amiguinho deve estar com o nariz meio entupido devido o naufrágio em que quase morreu! Vou ter que ir lá ajudar ele, mas pode juntar aos meus amiguinhos também, amiguinha. Niwo, depois podemos ver as flores da ilha? Quero preparar bastante perfume para dar um banho na Syllence e na Layla...

No final da fala ela já ia voando de volta para a mesa, nem reparou as última palavras de Layla. Vendo o elfinho lindo ir para fora, ela vai atrás dele.

- Oi Caelzinho, está indo respirar o ar lá de fora? Podemos aproveitar e pegar umas flores, o que você acha? Que tipo de flor vai gosta mais amiguinho massivo?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Março 12, 2017, 05:53:28 pm
Cael só percebeu a presença de Vanessah ao seu lado quando ela começou a lhe fazer perguntas:

-Ah! Sim. Vim respirar. O ar lá dentro estava um pouco pesado. - observava a fada, atônito às suas propostas - Flores...? - pensou na pergunta por alguns instantes, não tinha uma flor favorita, no entanto também não tinha muito mais o que fazer, embora estivesse cansado, ir atrás das flores as quais Vanessah se referia não deveria ser muito complicado - Claro... Quanto à flores que gosto... Não tenho uma preferida, mas gosto de flores com pétalas brancas, elas ficam bonitas várias juntas. As azuis também... Perto de onde eu morava tinha muitos arbustos com belas flores azuis. Eu gostava daquela região... - sentiu uma breve nostalgia e certa tristeza ao lembrar-se que dificilmente retornaria para aquela vida. Não sabia se iria voltar a ver os irmãos mais novos um dia, mas tinha que arcar com as escolhas que fizera, mesmo que houvesse escolhido acreditar na pessoa errada.

- Eu irei lhe acompanhar com todo o prazer, Milady Vanessah mas posso lhe fazer uma pergunta? - os olhos brilhavam junto à um sorriso mais aliviado, depois do pequeno incômodo que teve no interior da taverna - Por que Milady quis vir até esta ilha tão remota? Ah, sim... Aparentemente nós chegamos à ilha correta... Quem diria?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Março 12, 2017, 07:17:29 pm
Syllence

Se sua intenção era extrair informações do misterioso Cael, a sua abordagem talvez tenha sido um pouco abrupta demais, você pensa. Os Elfos da Superfície, são assim mesmo, muito ligeiros e evasivos quando querem.

Mas, bastava a você concentrar um pouco mais os seus ouvidos élficos atenciosos na direção da porta de saída da Taverna dos 7 Mares, para que você pudesse ouvir a conversa em tom normal, entre Cael e a Vanessah, a qual você percebeu foi correndo - ou melhor: voando - até o jovem. Você com certeza notou que estavam falando de Plantas, e talvez mais especificamnete, de Flores. Ora, se tal era o caso, deveriam era ter essa conversa com você; a verdadeira Especialista desse assunto naquele grupo! - ou pelo menos, é assim que você entendia.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Março 12, 2017, 09:22:23 pm
Iyas

Sokraz apoiava-se na mesa com uma de suas mãozonas espalmada, e com a outra, gesticulava no algumas ideias; e agora olhava diretamente em seus olhos, sério; talvez tentando adivinhar o que você estava tentando lhe dizer, já que isso exigia uma boa dose de reflexão:

- Os Piratas da Vastidão, como os chamamos por aqui, - disse-lhe - sempre foram os grandes lobos do mar... porém, nem sempre tiveram o monopólio com tem sido nos últimos tempos! Em tempos de paz, eles às vezes pousavam aqui na minha estalagem, pacificamente, para beber, contar e ouvir estórias, inter-agir com os habitantes de pessoas de Arkhóreas, e comercializar. Às vezes bebiam demais e arranjavam brigas e confusão pelo vilarejo, começando aqui na taverna! Mas geralmente era algo mais na escala pessoal, e raramente levava ao óbito de alguém; Nada parecido como o "estado de sítio" que estamos vivenciando atualmente... Quase ninguém mais tem coragem de abandonar os muros da cidade! E pescar, só bem próximo da costa, porque senão, eles estão de vigia, vêm remando rapidamente em pequenos barcos velozes "cobrar tributo" - isso quando não sequestram nossos pescadores! Ouvi boatos de que eles mudaram de política de uns anos pra cá... algo como, o líder deles teria sido "substituído" de vez; e talvez por isso teriam se tornado assim, extremamente hostis. Não sei ao certo. - Olhou cabisbaixo para o balcão, por uns instantes - Mas, já que falou em Guarda, Mestre Iyas, de fato recém começou ainda uma nova crise! como se não bastassem os Piratas! A nossa Guarda Oficial, que tem um reduto mais ao Norte, e que é a nosso principal regimento militar, do nada, parou de nos enviar relatórios de suas atividades, cortaram até mesmo as relações com nosso bom Prefeito... e não estão mais colaborando. Veja que caos! Estamos com certeza com problemas de segurança e guarnição. Toda a ajuda é bem vinda... Acredito que se você falar com o Delegado de Arkhóreas, lá no Forte, ele poderá até mesmo contratá-lo para algum serviço importante; neste caso, diga que falou comigo, que o recomendei.

Você começava a perceber que a situação estava extremamente bagunçada em Arkhóreas, e que ninguém mais parecia ter muita noção do que fazer para efetivamente tentar reverter as coisas - caso isso fosse possível!

Agora, você percebe que Cael e Vanessah estavam à porta de saída da taverna, conversando sobre algumna coisa. E que Syllence já tinha terminado de almoçar.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Março 12, 2017, 09:54:54 pm
Cael

Não obstante a sua frustração e irritação, você ia refletindo paralelamente sobre o recém ocorrido, e toda aquela desconfiança expoente de sua companheira Drow.

teste de desconfiômetro
CONS: [1]
INTL: [1]*
PRES: [0]
(http://orig00.deviantart.net/ac27/f/2017/047/0/3/white_d6_1_by_moonlance-dazbtl0.png)(http://orig12.deviantart.net/fc2c/f/2017/047/0/c/white_d6_4_by_moonlance-dazbtlg.png)
(http://orig02.deviantart.net/65d5/f/2017/047/3/b/white_d6_5_by_moonlance-dazbtlk.png)
(http://orig12.deviantart.net/f86d/f/2017/047/7/b/white_d6_2_by_moonlance-dazbtl5.png)

dCAOS: Sorte no Intelecto
(http://orig10.deviantart.net/6996/f/2017/047/a/4/red_d6_5_by_moonlance-dazbtkp.png)

* * * * *
SUCESSOS: 2 (Bom)
Eureka!!... E você está agindo como um tonto mesmo. Nem você lembra direito aquilo que você fez no seu estranho passado de "Desencanto"; você nem sabe quem você era direito ou o que você fazia em todo aquele tempo obscuro, quando seus colegas o conheceram - sim porque não foi você exatamente que os conheceu, é mais o contrário dado o abismo existencial em que você se encontrava.
Então... você teve agora um brilhante insight, até porque os Elfos costumam ser atentos a esse tipo de sutilezas da vida: Se nem você mesmo confia e conhece realmente o seu "Eu" daquele passado obscuro, o que dizer então da eventual confusão e (justa) desconfiança por parte de pessoas que, agora, parecem ser obrigadas a conhecê-lo uma segunda vez? Este achado, satisfatório pela clareza, veio seguido de uma forte batida de remorso em seu peito - que não está mais protegido por uma armadura pesada...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Março 12, 2017, 10:07:42 pm
Vanessah

Você nem dava tempo das pessoas, com quem interagia, responderem; mal pôde captar as reações emocionais das suas duas novas amiguinhas de Arkhóreas, àquilo que você dizia por último.
Mas basicamente, elas pareciam contentes, e acenavam positivamente às suas palavras e gestos, já que isso também era uma das coisas que você precisava delas: compreensão e... pensamento positivo!!
Sim; porque, o mundo já tinha bastantes Problemas, mas você era parte integrante da Solução; só que não podia estar em todo lugar o tempo todo - pelo menos, não no seu atual estágio. Agora você tinha que motivar novos corações e espíritos convulsionados...! E isso era algo que você fazia com grande prazer.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Março 12, 2017, 10:43:17 pm
  Mais uma vez Iyas teve de se controlar para não rolar os olhos enquanto aquele taberneiro despejava tantas palavras seguidas. Ao menos não eram informações inúteis, e com a ajuda do vinho, conseguiu se portar pacientemente perante o monólogo do sujeito.

  O estrangeiro acenou pacientemente com a cabeça, demonstrando que concordava com a proposta do barbudo. Mas teria de ver se estas novas ideias entrariam em conflito com seu propósito inicial, que era participar e ganhar o maldito concurso, não bancar o garoto de recados.

- Dhelegado... - seu sotaque fazia a palavra soar bem diferente do pronunciado pelo sujeito a sua frente - Forte... - olhou para baixo rapidamente memorizando as direções informadas - Certo. - voltou a olhar nos olhos de Sokraz - Com licença...

  E virou-se não muito rapidamente em busca do companheiro elfo. Ali estava, quase saindo do lugar e o humano não queria desperdiçar o pedido... Se bem que uma caneca a mais de vinho seria bem vinda se o sujeito estivesse muito apressado para sair dali e seu plano de interação desse errado. Pensamentos negativos de lado tinha uma proposta para fazer ao ruivo e oferecer uma bebida era uma das maneiras mais dignas e formais para iniciar tal tipo de interação.

  As outras duas pessoas mais "intimas" ali eram aquela fada que não parava de falar e ele definitivamente não tinha mais paciência naquele dia para tentar traduzir a falação daquela criatura. A drow que naturalmente era um tanto reservada, embora fosse uma guerreira, o que a tornava mais identificável com o mercenário, era alguém com quem tinha receio de interagir, não queria receber dela um não de cara, o que pensava ser o mais provável devido ao que iria propor.

  Ele era complicado com interações sociais com o sexo oposto, e o cansaço do naufrágio não o ajudavam a se sentir confortável e confiante suficiente para encara-la. Naquele momento, o elfo parecia para Iyas o sujeito mais aproximável,  estava em dívida por ter o ajudado anteriormente naquele incidente na taberna de Bradbaum, onde se conheceram. Syllence a quem ele estava igualmente endividado, teria de achar outra forma de recompensa-la em uma futura oportunidade, quando tivesse coragem suficiente para tal. Quanto a Vanessah... Talvez ela teria o ajudado também, mas sua memória daquela noite estava tão embaralhada o que não recordava e isso teria de investigar posteriormente. 

  Ele então apressou um pouco o passo e chegou perto dele e da pequena fada tagarela, provavelmente os dois estavam no meio de alguma conversa, mas não podia deixar o colega de naufrágio escapar. Pigarreou um tanto incerto mas então continuou:

- Cael. - chamou estendendo a mão esquerda com a segunda caneca de vinho.

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Março 12, 2017, 11:33:34 pm
- Olha! Meu amiguinho gosta de azul! Que bom!

Isto era bom, era muito bom, muito, muito bom...

- Nós fadas somos forças da natureza, e eu já viajara bastante, tenho um pouco de poder mágico ligado a animais, mas percebo que posso desenvolver também dons ligados à água, e vim procurar minhas priminhas, fadas da água. Minha outra priminha ali é uma fada da montanha, ela chama Niwo, e me falou das fadas da água. Mas claro, terei tempo de procurá-las depois, tenho que dar atenção para meus amiguinhos também. Posso preparar uma tiara de flores para você, vai ficar cheirosinho além de lindo, e preparamos uma tiara com flores azuis para nossa amiga azul também, não é uma boa ideia? Quer dizer, ela é mais roxa que azul, mas ela não vai ficar ainda mais incrivelmente maravilhosa cercada de flores?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Março 13, 2017, 12:49:32 am
Levou a mão ao queixo e ficou observando a fada falar desenfreadamente, com o rosto contorcido em uma expressão engraçada e pensativa.
Vanessah fazia Cael sentir-se como se houvesse ido para aquela ilha para uma viagem turística. O que era ótimo unido à nova sensação de liberdade que tinha recém adquirido. Além do mais era divertido te-la por perto, algo precioso depois de tanta seriedade a qual teve de enfrentar nos últimos anos.

Mas...Para que ela queria fazer uma tiara de flores para ele? E outra para Syllence....!?  O elfo tinha certeza que a fada agitada estava tramando algo.

- Sim... Digo, acho que flores azuis combinariam bem com ela... - respondeu à pergunta um pouco disperso.

Syllence....

Cael cobriu o rosto com uma das mãos. Que tolice foi aquela de antes?

Algo no tom da drow e nas palavras dela realmente o desconcertou. Pensando bem, talvez a maioria dos Drows fosse assim, mais diretos e um tanto agressivos em sua fala. Talvez fosse apenas a personalidade dela, mas Syllence tinha razão em não confiar nele, embora Cael preferisse confiar, à próprio risco, nessas pessoas.

Como ele podia esperar que confiassem nele quando não lhes tinha falado toda a verdade sobre o que estava lhe acontecendo e ainda mais com aquela mudança repentina de personalidade que sofreu? Era isso! Se quisesse que confiassem nele precisava contar tudo, por mais dolorosa que a verdade fosse soar à seus ouvidos quando a ouvisse ser expelida pela própria boca. A Drow queria o “mistério” de Cael desvendado, então era o que ela iria ter!

Envolto nos próprios pensamentos enquanto enchia-se de coragem para sua pequena nova missão, o elfo sobressaltou-se com a aparição repentina de Iyas e a caneca estendida em sua frente. Fitou o humano com os olhos arregalados, confuso e pasmo.

- Vinho...? - olhou para a taça mais surpreso ainda.

O que era isso?? O humano tinha lido seus pensamentos e, sabendo que ele precisava juntar toda a coragem que conseguisse, tratou de lhe arranjar uma taça de vinho para ajudar?

- Ah... Obrigado... Iyas... - - observava-o com desconfiança enquanto aceitava a bebida.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Março 13, 2017, 10:17:48 am
A unica certeza que Syllence tinha era que talvez tivesse usado as palavras erradas com o Elfo, ela nunca fora muito boa com as palavras, não tinha intensão alguma de arrancar nada do amigo, ou mesmo intimida-lo, apenas queria deixar claro que ela estava de olho em todos, tanto de uma maneira negativa caso precisasse abordar alguém quanto de maneira positiva caso alguém estivesse com um problema. Então apenas suspirou pegou um pouco de vinho e ergueu a taça para o alto brindando consigo mesmo - A minha incrível habilidade de socializar!! - Disse ironizando a si mesmo, enquanto virava a taça em apenas uma golada.

Ela então se levantou e seguiu até o balcão, já que não tinha nada para fazer resolveu especular sobre a pequena Drow.

- O que o senhor pode me dizer sobre a pequenininha? - Novamente deixou clara sua intenção sendo o mais direta possível

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Março 13, 2017, 11:59:09 pm
O naufrago acenou positivamente com a cabeça após Cael aceitar a bebida, enquanto vislumbrava de canto de olho a pequena fada ao seu lado. Esperou até que o sujeito estivesse segurando a caneca de maneira mais firme para prosseguir:

- Eu... Precisar falar você... - disse, em um tom amistoso enquanto encostou sua caneca na dele em um rápido gesto de brinde que chegou a ressoar em um pequeno estalo, mas com cuidado para que nenhum dos preciosos conteúdos fossem desperdiçados com o choque entre os dois recipientes.

Esperava que o elfo não estivesse planejando se retirar do estabelecimento, mas se aquilo tivesse de ocorrer, voltaria para a mesa para descansar mais e aproveitar o resto de vinho que tinha a sua disposição, checar o estado de suas lâminas, dormir um pouco talvez. 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Março 14, 2017, 04:59:52 am
https://www.youtube.com/watch?v=60oAz-KCemQ (https://www.youtube.com/watch?v=60oAz-KCemQ)


Syllence

Sokraz, o taberneiro, aproxima-se do balcão, com um olhar franco na sua direção; ele estava secando alguns copos:

- Ahh! Eu vi que a menina gostou da Senhorita. - disse-lhe cordialmente; talvez o homem balofo estivesse tentando ser amigável com você; mas também não parecia relutante, apesar do susto que parecia ter levado anteriormente, quando o seu simples olhar fulminante o fizera voltar imediatamente a seus afazeres - Não sei o nome dela. Ela nunca falou uma palavra. Eu a comprei de... - Imediatamente interrompeu sua frase, pigarreando - Já lhe aviso, Senhorita: Apenas cuido dela como se fosse um dindo, então não me entenda mal, por favor!... A história que sei é pequena: Anos atrás, Piratas Mercadores que passavam por Arkhóreas vendiam, entre outras coisas, Escravos, às vezes algumas Crianças. Então resolvi comprá-la, mas com o intuito de libertá-la de possíveis abusos... Foi um preço salgado, e contraí até uma dívida com um amigo! Infelizmente, não sei mais nada a seu respeito, e o vendedor era apenas um negociante alienado..... Ele apenas sabia dizer que ela veio do Continente - Coçou a barba lentamente, pensativo - Hmm..... Sabe, talvez você pudesse cuidar dela melhor do que eu atualmente; Porém, eu não posso oferecê-la de graça a você. Mas se for de seu interesse, podemos negociar.

A ideia de negociar a vida de uma Criança de sua própria raça, era quase abominável...! Claro, você não era tão selvagem a ponto de não entender o significado da justeza de uma tal negociação; e de certo modo, você até gostou bastante da ideia de que ele, espontaneamente, a oferecesse a você (mas a um custo é claro). Entretanto, é bem verdade que, dependendo do seu humor, talvez você fosse bem capaz de tomar a força a menina, "roubando-a", ou melhor, fazendo a devida justiça com as próprias mãos. Agora, por outro lado, a menina Drow parecia bem cuidada por aquele tal de Senhor Sokraz - pois, se não fosse assim, é possivel que este último já estivesse com a cabeça plantada por uma flecha naquela estante ao fundo!!

Dando uma olhadela ao redor, você leva algum tempo pra descobrir aonde ela foi se meter desta vez; agora ela foi lá do outro lado da taverna; parece que estava fuçando de baixo de uma mesa redonda, próxima a mesa onde havia uma Pequenina e um Lagartiano, que a olhavam com curiosidade.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Março 15, 2017, 08:08:05 am
Cael bebeu todo o conteúdo da taça de uma vez, logo após o pedido de Iyas, sem se importar com a etiqueta, naquele instante em que sua mente estava conturbada demais para lembrar-se dela.

- Precisa falar comigo? - repetiu a frase para ter tempo o suficiente de reorganizar os pensamentos - Podemos conversar sim, no entanto acabei de aceitar ajudar nossa pequena companheira, Milady Vanessah, em sua busca por flores. - tomou alguns segundos de silêncio para ponderar sobre o assunto - Bem, se não lhe fosse incômodo, Milorde Iyas poderia nos acompanhar e conversaríamos no caminho. - meneou a taça na direção da porta.

O elfo ruivo franziu o cenho, pensativo e sua atenção voltou-se à Drow do outro lado da taverna.

  - Mas se formos todos fazer tarefas ao ar livre, devemos, ao menos, avisar Milady Syllence. - ficava um pouco incomodado com essa eminente, embora breve, separação do grupo, pois tinha várias informações, notícias e até confissões à lhes dar, porém queria dá-las quando todos estivessem reunidos e com a capacidade de prestarem atenção em suas palavras. E por isso mesmo também era uma boa ideia não permitir que o humano ao seu lado começasse a beber até ficar no mesmo estado no qual o conheceu no continente.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Março 22, 2017, 09:55:56 am
A Drow esperava ter uma conversa amigável e esclarecedora, mas o que presenciou foi algo que fez seu sangue ferver. Ela apenas escutava e a cada palavra cerrava mais e mais seus punhos, usando de toda sua força de vontade para controlar sua furia. A principio ela não o julgou por ter comprado a pequena, afinal como ele disse que havia a comprado apenas para livra-la de um destino pior, a drow tentou acreditar nisso.
Porém... suas palavras seguintes acabaram o condenando - Deixe-me ver se entendi... você está tentando me vender uma criança da MINHA própria raça, fazendo EXATAMENTE O QUE AQUELE MALDITO PIRATA FEZ??? É ISSO!!!

Visivelmente alterada Syllence bate com força a mão no balcão, com um olhar frio cheio de fúria que encarava a própria alma daquele homem - E depois vocês dizem que nós Drows é que somos frios e não nos importamos com nada?!

- A unica coisa que me impede de usa-lo como alvo das minhas flechas é a maneira cortes com que recebeu a mim e a meus companheiros, e o fato daquela pequena aparentemente estar sendo bem tratada!! Mas eu realmente estou me questionando se é seguro deixa-la aqui, afinal você pode tentar oferece-la a alguma outra pessoa!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Março 22, 2017, 03:24:15 pm
- Ah, que lindinho, meu elfinho está preocupado com minha drowzinha, quanto cavalheirismo! Sabia que tinha um coração mais nobre que massivo. Eu aviso ela, hihihihi.

Ela sai rindo consigo mesma pela demonstração de interesse do elfo ruivo. Ao chegar perto de Syllence, ou melhor, Milade Syllence, vê ela falando alto. Qualquer pessoa sensata aproximaria lentamente, já Vanessah chega quase como uma abelha nas orelhas da drow.

- Oi Milade Syllence? Está nervosa? O que foi?

Ela não presencia toda a conversa, ouviu só alguma coisa.

- Não acho que você é fria, deve ter um bom coraçãozinho, porque está brava heim? Nós gostamos de você!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Abril 13, 2017, 02:48:53 am
https://www.youtube.com/watch?v=_3cYZmak8HA (https://www.youtube.com/watch?v=_3cYZmak8HA)


Syllence, Vanessah

A sua amiguinha massiva, Arqueira Drow, estava com um olhar tenebroso, como você nunca tinha visto antes; seus olhos reluziam escarlate, e você sobressaltou levemente, assim que terminou suas palavras e percebeu o estado em que Syllence se encontrava, frente a frente com aquele gigante barrigudo atrás do balcão, que parecia congelado e paralizado, suas mãos abaixadas não obstante indicavam sua tensão pois as mantinha num sinal de 'parar', estático.


intimidações inter-raciais
Drowismo = 0
Potência = 0
Presença = 0
Resolução = 0
Caos = N/A

(http://orig03.deviantart.net/6768/f/2017/047/4/d/green_d6_2_by_moonlance-dazbtjs.png)
(http://orig00.deviantart.net/ac27/f/2017/047/0/3/white_d6_1_by_moonlance-dazbtl0.png)
(http://orig00.deviantart.net/ac27/f/2017/047/0/3/white_d6_1_by_moonlance-dazbtl0.png)
(http://orig12.deviantart.net/f86d/f/2017/047/7/b/white_d6_2_by_moonlance-dazbtl5.png)
(http://orig07.deviantart.net/21b0/f/2017/047/f/9/red_d6_3_by_moonlance-dazbtkj.png)

Uma atmosfera gelada se fez sentir, e pelo menos metade da população da taverna agora olhava na direção do balcão. O Sr Sokraz suava frio em sua fronte adiposa; ele parecia incapaz de dizer qualquer coisa decente que pudesse melhorar sua situação depois do que dissera. O medo parecia estampado em sua face, como se ele se arrependesse mortalmente de alguma bobagem terrível que acabara de cometer. Começou a balbuciar algumas palavras, mas nada emitia que fizesse sentido; a intuição indicaria a qualquer um que seria bastante contraditório um ser daquele tamanho ficar espavorido daquele jeito.

O Elfo auxiliar, silencioso, franzia a testa e observava ora Syllence, ora o Sr Sokraz; e depois ainda olhou na direção dos janelões, em que o ruído de cadeira de alguém se levantando eventualmente chamou a atenção de alguns: era o Sr Graadmonz, e dirigiu-se a vocês:

- Ora! Não vamos entrar em mais desavenças por aqui, meus caros cidadãos de bem! Veja bem, Sr Sokraz, - interpelou-o calmamente, mas certeiro e diplomaticamente - Por que o senhor não entrega simplesmente de bom grado, a linda menininha aos cuidados da moça de uma vez? Não vê que ela e seus companheiros acabaram de ter uma árdua e difícil viagem? Ninguém merece esse tipo de dissabores, muito menos com suas Crianças! E pode deixar então que eu cuido do resto. - Talvez o intendente quizesse realmente dizer "Deixe por minha conta.", mas ele parecia gostar de escolher as palavras.

O Sr Sokraz, ouvindo aquilo, balbuciou mais um pouco, tentou olhar nos olhos de você, Syllence, mas sem muito sucesso, e então disse, humildemente e um pouco mais calmo:

- Erh... Perdõe-me, Senhorita. Foi um grande equívoco meu... isso. Pode levar a menina consigo, adotá-la, se assim o desejar......

Ele agora parecia se fechar, parecendo esgotado, mas talvez, também, extremamente frustrado - teria ele acabado de perder um grande negócio? Em todo caso, não parecia estar psiquicamente disposto a continuar qualquer tipo de diálogo frutífero. No entanto, a mensagem dele tinha sido bastante clara. E do outro lado da taverna, a menina Drow que não parecia prestar atenção à cena, para variar.

Aquele engomado do Sr Graadmonz, se mostrava cada vez mais pragmático e eficiente na resolução de problemas sociais; o taberneiro parece que o respeitava de uma forma bastante especial, ou não o teria dado ouvidos naquele momento de tamanha tensão. Talvez, ele tivesse acabado de salvar a vida do Sr Sokraz, este último em sua perniciosa e insensível pretensão mercante até então relativamente oculta; Hipoteticamente, uma boa oportunidade do intendente chantageá-lo no futuro, com alguma demanda especial de assuntos soturnos... Pois, fato é que o taverneiro gordo, e talvez todo mundo que observava a cena, tinha ficado de tal modo perturbado e sem muito como saber reagir frente àquela estranha situação que havia lhe sido imposta, que talvez o melhor mesmo fosse encerrar a coisa o mais rápido possível. Isto posto, se a tática do Sr Graadmonz estiver certa, isso será descoberto, muito em breve...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Abril 20, 2017, 03:08:54 pm
Syllence olhou rapidamente para a pequena tagarela e respondeu em um tom frio - Depois conversamos Vanessah... - E então novamente focou-se no seu "alvo"

A drow aguardava uma resposta daquele homem, que visivelmente estava apavorado diante dela, algo que talvez a fizesse rever seus atos, mas não naquele momento, sua raiva e ódio já haviam a consumido, podia-se imaginar que talvez ela estivesse até mesmo preparada para tirar aquela vida insignificantemente. Automaticamente deixando-se levar a drow lentamente levava a mão na direção da cintura onde tinha uma adaga, até que a chegada de um "estranho", ao menos para ela, a fez despertar da ação inconsciente que talvez tomaria.

Ela piscou e olhou para o homem que fazia a proposta, e depois para o balconista que nem mesmo conseguia encara-la. Ela ficou em silencio por alguns instantes enquanto respirava fundo - Eu não vou me desculpar pelo que disse ou pelo que quase fiz, ou mesmo aceitar suas desculpas, afinal, o que foi dito não pode ser desdito!!

- Eu vou aceitar sua "proposta"... - Ela rapidamente puxa a adaga do cinto e a crava com força no balcão - Sou uma pessoa que cumpre com a palavra, saiba que já cacei coisas com o dobro do seu tamanho e 4x mais pesadas que você... até que eu converse com meus companheiros e partamos para outra área, ela vai ficar aqui, estou disposta a pagar todos os gastos que ela der com comida e abrigo, tanto com dinheiro quanto com trabalho, o que o senhor preferir, se algo acontecer com ela, não haverá nada e nem ninguém que irá me parar!! - Ela então remove a adaga do balcão deixando ali uma marcar

Syllence então dá as costas para o balconista, e olha para o tal Sr Graadmonz - Parabéns, o senhor acabou de salvar uma vida!! - Ela respira tentando buscar se acalmar - Assim que me acalmar procurarei o senhor!!

- Vanessah, tenho que falar com os outros... me acompanhe!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Abril 21, 2017, 07:44:29 am
Vanessah "dança" nos cabelos e nas orelhas da drow, fazendo-a abanar as mãos como se tivesse sendo atacada por um enxame de abelhas.

::kiss::

- A Syllence vai ser mamãe! A Syllence vai ser mamãe! Eu sabia que você tinha um coraçãozinho cheio de amor materno para dividir! Isto, vamos lá contar pros outros da sua nova adoção, eles vão gostar de saber que você gosta de crianças. Vamos! Vamos logo!

::mag:: ::happy:: ::nha::

Ela tenta puxar a outra por uma mecha do cabelo.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Abril 21, 2017, 04:04:49 pm
Enquanto caminhava Syllence levava a mão ao rosto tentando inutilmente ignorar tudo o que era dito pela fada tagarela. A drow pelo menos achava incrível a maneira como Vanessah conseguia ignorar coisas tão tensas acontecendo a sua volta; ela havia quase cometido um assassinato diante da nanica e aí estava ela agindo como se nada tivesse acontecido - Você deve ter um parafuso a menos...

- E DA PRA LARGAR MEU CABELO!!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Abril 21, 2017, 04:30:24 pm
Cael estava retornando a Taverna para devolver o caneco de vinho agora vazio para o taberneiro e acabou presenciando todo o ocorrido um pouco mais afastado das duas.
 Quase se meteu para impedir Syllence de fazer o que quer que estivesse planejando, mas uma vaga memória dos irmãos pequenos que acabara deixando para trás quinze anos atrás o paralisou. Embora a circunstância fosse totalmente diferente, Cael já tinha experimentado a escravidão na própria pele. Uma que não lhe dava direito nem de ser dono dos próprios pensamentos. Não gostaria de ver ninguém naquela situação, muito menos uma menina tão jovem. Se soubesse antes que a pequena drow era uma escrava, talvez ele mesmo estivesse no lugar de Syllence agora, querendo, a qualquer custo, libertar aquela inocente alma. Quando tudo acabou bem e a drow e a fada pareciam estar tomando um rumo para fora do estabelecimento, o elfo se colocou na frente delas como se houvesse sido um acidente quase se esbarrarem.

Cael observou o semblante da drow por alguns instantes então lançou um olhar de conspiração  para a fada e abriu um largo sorriso de volta para Syllence:

- Parabéns pela filha! - falou alto, como se querendo chamar a atenção de todos os seres da Taverna - Deveríamos comemorar pela mais nova mãe! - E para a próxima frase cobriu a boca com uma das mãos - Só que bem longe daqui. - ao terminar a frase segurou de leve o braço da drow e ajudou Vanessah a levá-la para fora.
 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Abril 21, 2017, 07:13:03 pm
- Não e ótimo Cael, viu como ela é meiga? Não é bom ter uma amiguinha assim? Ah, o cabelo dela é macio também, não acha?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Abril 21, 2017, 07:36:15 pm
 - Ah! Sim, sim, clar... Espere, como eu saberia disso? - ameaçou tocar o cabelo da Drow na altura da nuca dela, mas recuou o braço, lembrando que há pouco tiveram uma conversa não muito agradável e não estavam nos melhores termos possíveis.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Abril 21, 2017, 09:44:11 pm
O estrangeiro não podia se sentir mais confuso com a movimentação que a momentos atrás percebera se formar dentro da edificação e em seguida com a saída de suas outras duas companheiras, as quais foram rapidamente acompanhadas pelo ruivo. Iyas ficou um tempo parado olhando para as pessoas que estavam dentro da taberna e suas  diversas expressões. Estava longe o bastante para não pegar muita coisa do que Syllence e o taberneiro discutiram. A principio assumiu que o homem estava para passar a arqueira as mesmas incumbências, mas definitivamente algo diferente se passou ali.

Não lhe restava muito a fazer além de coçar o queixo com uma expressão perdida, dar os ombros e seguir o trio, tocando brevemente no ombro de Cael para perguntar:

- Que acontecer? 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Abril 21, 2017, 10:07:10 pm
https://www.youtube.com/watch?v=zReWPjreJzI (https://www.youtube.com/watch?v=zReWPjreJzI)


Syllence

O Taverneiro gordo acenou-lhe positivo e nervosamente com a cabeça, meio que com os olhos arregalados ainda. Parecia conveniente a você, que aquele patético imbecil - para não dizer mais -, tivesse entendido "claramente" a sua Mensagem; Desse modo, você pensa, isso lhe permitirá economizar suas flechas, para alvos de Real Valor!

Quanto ao Sr Graadmonz, ele apenas lhe concede uma breve reverência formal com um sorriso gerencial, através da distância do salão que os separava.
Finalmente, você se certificava de que a menina Drow contiava bem; e então volta-se para seus companheiros, ainda com o sangue fervendo em suas mãos.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Abril 22, 2017, 01:46:35 am
A mesma seguiu para junto dos companheiros mas foi interceptada pelo elfo. Ela lembrou-se da curta discussão que teve com ele a pouquissimo e por isso acabou desviando o olhar por um instante imaginando que talvez ele ainda estivesse nervoso com ela, e ela definitivamente não queria causar outra discussão. Porém diferente do que imaginou ele teve uma reação bem diferente.

Sylence se deu ao luxo de se sentir um pouco aliviada apesar de perceber que o elfo havia entrado na vibe da fada - Não comece você também...

Enquanto era arrastada pela dupla a drow quase que automaticamente virou-se para o elfo no momento em que seu cabelo era o assunto - Nem pense em fazer fazer isso!! - Disse com o rosto um pouco corado, a soma da furia que apesar de ter diminuido ainda estava ali, somado ao constrangimento de imaginar alguém do sexo oposto tocando em seu cabelo

Por ela virou o rosto na direção contraria a do elfo e sussurrou - Desculpe... - Referiu -se ao mau entendido

Assim que conseguiu juntar o grupo, ela deu um lingo suspiro - Não sei nem por onde começar. Bem, eu acabei tendo uma séria discussão com o nosso anfitrião por causa da criança Drow. - Ela faz uma pausa enquanto pensa nas passíveis consequências - Não sei como seremos vistos a partir daqui... eu, realmente sinto muito por ter sido tão impulsiva, e ter jogado nossa moral no fundo do poço... - Ja mais calma Syllence avaiza a cabeça e aperta os punhos - Ele estava tentando me vender a pequenina!! - Revelou com uma certa tensão na voz - Eu, eu temi pela criança, se ele a ofereceu a mim o que o impediria de fazer a mesma oferta a outro?

- Eu sei o que é crescer sozinha e sem familia... eu não queria que alguém tão inocente quanto ela passasse por isso. Nós drows somos sim frios entre outras coisas que nos taxam, mas, ela é só uma criança, e por isso eu acabei tomando uma decisão muito importante sem consultar vocês... eu adotarei a drowzinha, mesmo que não concordem, mas, eu realmente goataria de contar com a ajuda de vocês, pois eu não sei o que fazer!!!

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Abril 22, 2017, 02:48:17 am
 Quando a drow o repreendeu por quase tocar em seu cabelo, Cael ergueu as mãos como se entregando-se por ter sido pego no ato.

O elfo não teve tempo de responder à Iyas, já que Syllence resolvera contar tudo.

-Milady Syllence... Eu provavelmente agiria como você, só que eu teria tentado pagar pela menina, não me entenda mal, não quero ver mais ninguém escravizado. - o elfo baixou o olhar, cruzou os braços e arfou.- Faria apenas para evitar o conflito. A comprando o taverneiro não teria mais a chance de fazer o que bem entendesse com a pequena drow. - pousou a mão no ombro da moça e tentou anima-la vestindo uma expressão gentil e alegre no rosto. - Assim também seria possível garantir a liberdade dela.

As palavras da drow tinham causado uma certa comoção no elfo ao que dizia respeito de crescer sem uma família. Lembrava da sua e imaginava que teria sido muito melancólico não te-los por perto, mas tentou não demonstrar nenhuma reação sobre isso e voltou-se às demais palavras dela.

- Não me importo em como estará nossa moral aqui, se quer saber. E quem sou eu para discordar de sua decisão de trazer a menina conosco? É claro que eu aceito! E espero que nossos demais companheiros também a aceitem. - sorriu e passou os olhos por todos os companheiros antes de voltar-se novamente para a drow - Alias, eu não conheço muitos drows, mas se você é um bom exemplo de sua raça, eu então terei muita dificuldade em acreditar que vocês são tão frios assim, pois não vi nada de frio na senhorita.

Em seguida Cael pigarreou e seu semblante tornou-se sério.

- Milady Syllence não me deve desculpas, eu que lhe devo por ter sido impulsivo em nossa conversa antes dessa confusão. Aparentemente - tirando nosso amigo humano, o qual realmente não sei se se encaixa no caso - nosso grupo sofre do mal da impulsividade. - comentou em um tom de descontração e fitou a fada com um esboço de sorriso - A senhorita também, Milady Vanessah.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Abril 22, 2017, 04:53:32 am
- Eu também o que?

Para variar, ela sonhava acordada novamente, tomando as palavras da drow literalmente, ela passa a mão na testa dela:

- Não é fria não, está normal mesmo. Mas que bom que vocês já estão gostando da raça um do outro. Não sabem o trabalho que nos dão com estas picuínhas só por causa da cor de suas peles. Vocês são lindinhos de forma diferentes, mas os dois são lindinhos. Tomara que sirvam de exemplo para os demais azulados e desnatados. Vai ser uma grande festa, também para nós fadas, quando todos vocês estiverem trocado o ódio pelo amor.

Os dois eram meio devagar, mas começavam a se entender, Vanessah antevia um final feliz.

- Nós fadas também nascemos sem família, para não ficar triste nós ajudamos as famílias dos outros. Desde as plantinhas e animaizinhos até vocês, nossos amigos massivos. Claro que vocês são muito mais cabeça-duras e nos dão um trabalho dos sete infernos quando ficam brigando, mas é muito lindo ver vocês cuidados de seus filhotinhos. Deveriam se importar mais com estes momentos! Estaremos sempre lá para lembrá-los disto.

Sem-noção talvez, mas corria muita filosofia naquelas veias da pequenina. Ela espera que tenham entendido.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Abril 22, 2017, 06:46:09 am
https://www.youtube.com/watch?v=0BMMqzli-LY (https://www.youtube.com/watch?v=0BMMqzli-LY)


Todos

Vocês já se encontravam na rua que passava a frente da ampla Taverna dos 7 Mares.
A Esquerda os levaria de volta por onde vieram, que era um Cruzamento em que o caminho de baixo levava às escadarias da Praia; porém, se ao invés de descê-las, vocês seguissem reto pela mesma rua em que estão, chegariam ultimamente na encosta de um monte escarpado sobre o qual erguia-se um Castelinho branco e esguio, talvez gótico.
Já, da Taverna a Direita de vocês pela rua, se passassem por algumas casas no caminho, sendo uma delas um tanto grande numa esquina, logo desembocariam numa bifurcação em "T" e com um poço de água tradicional ao fundo; atrás do poço, um pouco de gramado e mato, e ainda depois, uma larga barreira montanhosa que tapava todo o horizonte naquela direção - e em cuja ponta, aquele antigo Farol se estabelecia.

Na rua, alguns transeuntes curiosos:
Do lado Direito, vinha de longe caminhando e cantarolando talvez, um jovem Anão, que parecia carregar um grande estojo nas costas.
Do lado Esquerdo, de onde vieram originalmente, andava, vagarosa e titubeante, uma Elfa magra com um vestido de camponesa um pouco encardido. Talvez algum destes cidadãos, ou até mesmo ambos, dirigissem-se à Taverna?
É óbvio que notaram suas presenças raras. Também, sentada num banquinho bem na frente de uma casinha bem ao lado da Taverna, havia uma moça Gnoma de cabelos leoninos multi-coloridos, que os observava muito atentamente, com uma perna cruzada sobre a outra, e uma mão num longo cachimbo.

Finalmente, do outro lado da rua, oposto à entrada da Taverna, não havia moradias ali nas imediações do lado de lá, mas havia uma abertura para uma espécie de belo Parque, com uma vegetação espessa e um pouco descuidada em termos de jardinagem, mas em compensação rodeado por algumas árvores bastante velhas e avantajadas, as quais tornavam o local um pouco ilhado do entorno da cidadezinha, e até meio sombrio e com ares de terreno baldio. Era possível dinstinguir um charmoso Coreto no centro daquele parque semi-abandonado, que parecia ocupar uma quadra inteira por sinal, com exceção de casarões construídos em algumas de suas extremidades, e que davam às costas à natureza.

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSDZRzWrjbg2kgWOXx2UQ10R9d_wnwEF920iSmOIigulayesYRQ)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Abril 22, 2017, 03:49:06 pm
Seguia os outros três colegas observando o ambiente e sentindo um pouco da brisa marítima vinda da praia. Não fez questão de se manifestar durante a explicação de Syllence nem sua conversa com Cael, muito embora os assuntos abordados eram muito próximos a suas experiências durante a infância, era incômodo relembrar de tudo aquilo. Seu tempo como escravo, a perda de sua família o fim de sua tribo... A fome, os grilhões, as coleiras, chibatadas... Ser tratado como propriedade. Conseguia compreender como alguém poderia perder a postura sendo exposta a essas mazelas do mundo, provavelmente daqueles quadro, ele era o que mais se identificaria com a condição da criança. Sendo assim, não podia culpar a drow por perder a compostura, de certa forma estava certa no que fez, mas não poderia comprometer a imagem do quarteto demonstrando uma fraqueza emocional tão facilmente provocada. Concordava com o que o companheiro ruivo havia dito. Se ela quisesse tentar melhorar a situação da vida da garota, poderia ter negociado com o homem da taberna. 

Para evitar ir mais a fundo nas mágoas de quando era um garoto tentava focar-se nos aspectos mais objetivos do que aquela desavença na taverna poderia causar: Não era algo sábio a se fazer em um lugar onde não se conhece quase nada, aquela vila poderia se tornar-se um ambiente hostil de uma hora para outra. Tomar a responsabilidade de cuidar de uma criança, sendo que eles nem sabem em que tipo de problemas podem se meter fazendo parte da tal "competição" também não era algo prático. Aquela garota poderia se tornar um fardo uma vez que a arqueira agora terá de cuidar dela, reduzindo sua disponibilidade para ajudar o resto do grupo. Pensar de maneira tão tática era algo que o fazia se sentir parte um canalha, mas não deixava de ser parte de sua maneira de pensar, como um soldado treinado.

Suspirava ao racionalizar esta nova camada na complexidade da situação.

Enquanto os quatro seguiam viu o poço local e desviou da rota para aproximar dele. Um pouco de água para esfriar a cabeça e lavar aquele maldito sal de seu rosto não seria algo nada mal.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Abril 22, 2017, 06:13:14 pm
- Eu devo concordar com Milady Vanessah. Estou muito mais aliviado agora que aparentemente estamos todos nos entendendo um pouco melhor. É bom fazer parte de algo por vontade própria. - sorriu, mas parecia ter feito o comentário  para si mesmo.

- Aliás. Eu cometi um erro neste grupo. -
 a confiança desapareceu de seu rosto e assumiu uma postura cabisbaixa - Esperei que confiassem em mim como confiei em vocês quando decidiram me aceitar neste grupo, por mais estranho que eu deva lhes parecer... -
falou alto para chamar a atenção de Iyas que se afastara um pouco dos três -  Mas a verdade é que não sou merecedor de tal confiança, pois não fui honesto... Ou talvez não tive a chance de ser... - Quando ergueu os olhos trazia uma mistura de remorso e culpa em uma expressão de cãozinho abandonado.

- É sobre minha mudança de... Personalidade, eu diria. - resmungou, inseguro, mas na próxima frase pareceu mais decidido sobre a conversa - Também preciso lhes falar sobre o que o humano na Taverna me disse sobre nossos "desafios", mas eu gostaria de ter essa conversa em um lugar mais tranquilo... - baixou o tom de voz o suficiente para que apenas os mais próximos lhe ouvissem - Sem nenhum oportunista para ouvir. Talvez devamos ir para aquela praça? 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Abril 24, 2017, 11:18:05 pm
O humano assentiu com a cabeça a proposta do colega.

- Vocé... - apontou para o trio, não sabia muito bem usar o plural - ...Ir.  Eu âgua - apontou para o poço - Voltar râpido. - informou ao trio, virando-se e indo rapidamente ao poço, também queria discutir com os outros o pedido do taberneiro. 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Abril 30, 2017, 06:18:33 pm
https://www.youtube.com/watch?v=bqcwbxeyjh4&t=4s (https://www.youtube.com/watch?v=bqcwbxeyjh4&t=4s)


Iyas

Talvez não inesperadamente para um forasteiro feito você num vilarejo, você é interpelado pelo Anão antes mesmo de cruzar com ele em seu caminho pela rua. O cidadão olhava-o com curiosidade e talvez até estupefação, parando no caminho para lhe dizer, com algum tom que parecia bem-humorado:

- Bom dia!! Novo por aqui, o Senhor, não?

Como se não bastasse a sua dificuldade linguística, entre outras coisas, isso tudo lhe o fazia se sentir um pouco ainda mais baralhado; Pois afinal, não parece que você ou seus amigos pudessem realmente se fazer passar por "meros turistas" sem interesse para a população local, o que seria o normal e esperável em qualquer cidade convencional do Continente.


Anão
(https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTREu6c5RxvLNn7HBQvGeSzOv5swXJz0wFwKbYIWlvbhUuvobk1Yw)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Maio 01, 2017, 11:20:12 am
Era cada vez mais óbvio para o forasteiro que dentre todos do seu grupo ele fosse o que mais se destacasse como alguém alienígena aquela ilha, pois ainda não observara ninguém com um tom semelhante ao de sua pele. Assim como ficara admirado em descobrir que fora do continente árido os humanos e tribos elficas possuíam peles muito mais claras, tinham olhos e cabelos coloridos naturalmente, sem a necessidade de tingimentos o que era o mais comum em sua cultura.   

Assentiu para o anão com a cabeça, enquanto isso estudava sua expressão, vestimentas e o grande estojo que carregava.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Maio 02, 2017, 12:49:47 am
Iyas

Fitou-o por mais um momento, e disse-lhe, em tom burlesco:

- Hm!... Posso ver o quanto a brisa fria desta linda manhã, afinal de contas, enraizou as suas cordas vocais inclusive...! - Percebendo que você o observava com atenção, o Anão apalpa a própria barba ruiva, e retoma: - Ahh, sim! Primeiro as coisas primeiras...! Sou Goirphenkht, o Bardo! Muito prazer! - Levantava o chapeu, e um largo e efêmero sorriso no rosto marcado, mais pelas festas e bebidas talvez do que pela idade.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Maio 02, 2017, 09:07:30 am
- Eu acho que eu acabei sendo levada pelos meus instintos, porém ainda assim não acho certo o comercio de pessoas independente da raça!! Depois verei com ele alguma maneira de recompensar, por exemplo eles servem carne, talvez eu cace alguma coisa para eles todos os dias apenas para limpar nossos nomes, mas eu definitivamente me recuso a ceder dinheiro por um ser vivo!!

Citar
-  Mas a verdade é que não sou merecedor de tal confiança, pois não fui honesto... Ou talvez não tive a chance de ser...

- Sinceramente, a unica coisa que me importa no momento é o fato de você estar junto de nós, sinta-se livre para falar do seu passado ou coisas do tipo apenas se você se sentir confortável sobre isso, como eu havia te dito, todos nós temos nossos segredos e fantasmas... acho que eu me expressei mau naquele momento, Drows são desconfiados por natureza. assim como as pessoas também desconfiam de nós. Mas isso não significa que eu não o veja como membro importante deste grupo!! - Falou esboçando um sorriso no rosto

- Quando a pequena Drow, talvez ela venha a ser um atraso ou mesmo uma distração para nós... - Respirou fundo - ...Mas, eu prometi a mim mesma que não daria as costas para mais nenhum membro da minha raça...

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Maio 02, 2017, 07:26:14 pm
- É claro que eu tenho razão! Que bom que perceberam. Mais são fofos mesmo. E não precisa ficar triste, Lady Syllence, todos nós ficamos emocionados com seus gestos de nobrezas, e é tão bom ver meus amiguinhos tão bem, vocês serão exemplos para suas raças. Agora que resolveu ser mamãe, falta arrumar um papai pra pequena também né? Sei que vocês massivos tem muito que preocupar agora, mas se quiser eu te ajudo procurar um bom candidato, para que você não perca muito tempo.

Ela já tinha uma ideia de onde procurar, bastava a amiga ser menos cega, mas tudo bem, Vanessah não iria apressá-la. Talvez só um pouco... Vanessah esperava que ela começasse namorar por bem, mas se não desse seria por mal mesmo.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Maio 02, 2017, 10:20:57 pm
Syllence levava a mão ao rosto em ato de facepalm - Tava demorando...

- Prefiro ser vista como "irmã mais velha" ja que você vai insistir em me dar títulos. E pare de ficar me casando com as pessoas!! - A Drow dizia olhando diretamente para a fada tentando não desviar o olhar pois teve a impressão de que seria pior se fitasse outros membros do grupo - Enfim, vamos esperar o outro chegar, pois temos outro assunto a discutir!! - Referia-se aquilo que o elfo havia dito.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Maio 03, 2017, 12:15:21 am
A maneira como o artista falava o com palavras difíceis o tornava quase tão incompreensível quanto a colega fada. Talvez um pouco mais, pois o jovem homem não entendeu quase nada da primeira frase. A segunda era mais fácil, e o gesto seguinte ajudava-o a decifrar o significado:

- Iyas de Q'arr Jaf disse repetindo o mesmo tipo de reverência direcionada anteriormente ao garçom da taberna,  curvando o torso enquanto tinha a mão espalmada no peito, agora que tinha a mão livre para o fazer.

Em seguida ergueu-se fitando novamente o transeunte, mas não por muito tempo já que desviara o olhar para o poço esperando ver se o sujeito teria algo a mais para falar ou se poderia prosseguir, não queria deixar os companheiros esperando mais do que sua intenção inicial. 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Maio 03, 2017, 06:39:30 am
Cael precisou conter o riso enquanto ouvia a pequena conversa das duas.

Sem ainda conseguir usar um tom de seriedade na voz se intrometeu e respondeu à respeito do comentário anterior da drow:

- Lhe importaria em saber do fato de que não sou capaz de utilizar esta arma? - apontou para a espada de duas mãos presa às costas - Mesmo que já tenham me visto empunha-la em outras ocasiões? - o leve sorriso deu lugar à uma expressão um tanto sombria, enquanto o jovem elfo cruzava os braços e voltava a atenção ao membro humano do grupo, o vendo conversar mais distante, com um anão.

- Talvez falar sobre mim possa evitar futuros problemas que eu venha a causar, pois não estou totalmente certo de que estou "livre".... - a frase foi quase um sussurro, talvez mais para si mesmo do que para os outros.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Maio 03, 2017, 12:39:50 pm
- O que quer dizer com "totalmente livre"? - Disse a Drow com uma expressão um tanto quanto curiosa referente aos fatos apresentados pelo Elfo - O que exatamente te prende?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Maio 03, 2017, 05:30:04 pm
- Desculpe iniciar assim e não continuar, mas é melhor esperarmos Milorde Iyas para prosseguirmos com esta conversa... - depois de pensar no que iria dizer aos companheiros resolveu dar algum detalhe, parte porque sentia que quanto mais tempo levava para dizer, mais difícil lhe seria ter de falar sobre o tempo que foi obrigado a passar com a dama. 
- Mas já lhes digo de antemão que enquanto em empunhava a espada eu não era eu mesmo. Eu... Eu nem sei o que eu era. 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Maio 04, 2017, 07:19:55 pm
Vanessah faz beicinho para o mau humor da amiga massiva. Aquela ali vai dar trabalho ajudar. Talvez tenha que aprender alguma magia do riso que já viu irmãzinhas sua usarem. Não entendia pq tanto mau humor.

Ela vê o "grande diálogo" de Iyas e pensa que é outro que precisa de ajuda, mas este seria ainda mais difícil, parecia fechado como uma noz.

Só observando por enquanto.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Maio 14, 2017, 09:59:38 am
https://www.youtube.com/watch?v=bqcwbxeyjh4 (https://www.youtube.com/watch?v=bqcwbxeyjh4)


Iyas

- Óhh! Então o gato não comeu sua língua, afinal de contas, Sr de Q'arr Jaf! - Soltou piadisticamente. Depois, ficou brevemente pensativo e seu corpo em suspensão, seus olhos talvez procurando alguma coisa na memória profunda... finalmente ergueu-se, e levantou o dedo indicador, Conheço 3 deles em minha tr***k** - A partir deste momento, o Anão falava diversas outras palavras em rápida sequência, e cujo conteúdo e forma você não conseguia mais absorver; o sotaque dele já era bastante ruim. Mesmo assim, ele entonou mais uma ou duas frases, e depois conclui: - Você está convidado para o Espetáculo! Acho que tenho pelo menos um ou dois cânticos bons o suficiente oriundos daquelas bandas! Me despeço! E que a Bela Sorte esteja com o senhor! - Fez uma reverência e continuou seu caminho, deixando-o quase catatônico pois antes de agir, você precisava re-constituir em sua mente todo aquele papo.

O poço não era tão rudimentar para uma aldeia isolada no oceano. Construído no exterior e ao término da trivia, parecia ser de uso público, pois manivelas e balde de madeira estavam presentes e acessíveis.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Maio 14, 2017, 10:22:34 am
https://www.youtube.com/watch?v=r_wmvgmP5dI (https://www.youtube.com/watch?v=r_wmvgmP5dI)


Cael, Syllence, Vanessah

Enquanto discutiam praticamente no centro da avenida, que não era pavimentada, Cael foi abordado subitamente pela transeunte, uma Elfa vestindo trajes medíocres de camponesa; em sua face conspícua e desconfiada, parecia solicitar algum tipo de graça:

- Vossa Mercê... Um trocado para aliviar o padecimento de minh'Alma? - Não sorriu, embora talvez o tenha tentado, sutilmente.

Um repentino estranhamento, ou nova percepção, lhes sobreveio naquele instante;
Talvez, a última coisa que esperassem em Arkhóreas, era que alguém na aldeia marítima fosse pedir esmola a pessoas como vocês, que se não estavam totalmente perdidas, estavam tentando se re-encontrar na vida; Também, deram-se por conta de que, a condição de vocês poderia ser muito melhor do que a de uma boa parte dos habitantes daquele local... ainda que não parecesse a primeira vista.

A Elfa encarava sua "vítima" com um olhar persistente; parecia aquele tipo que não arredaria pé de nenhuma migalha, o que contribuía para tornar o já desconfortável, em talvez quase insuportável.


* * * * *
Elfa camponesa
(https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/236x/8f/99/1a/8f991a0f311a697fca0bd016e43ddd47.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Maio 14, 2017, 11:11:45 am
Cael fitou surpreso com a estranha por alguns instantes, observando o estado em que ela se encontrava.  Logo colocou a mão para dentro do bolso da calça, onde seus dedos tocaram o metal frio das únicas três moedas que ele tinha, o que lhe fez recuar um pouco o movimento.
 Nunca foi pago pelos serviços que prestava, portanto não era de se admirar que praticamente não carregasse dinheiro consigo. Se continuasse assim ele logo teria que aprender a cozinhar e a procurar ingredientes para faze-lo.
 
O elfo não tinha certeza se estava em uma condição muito melhor a da moça à sua frente. era a primeira vez que realmente enfrentava sua nova condição, já que tanto a família que deixou anos atrás quanto a Dama a qual serviu presavam estarem rodeados pelo luxo o qual suas fortunas podiam lhe proporcionar. Ser confrontado com a nova realidade deixou o jovem sem ação.

Ainda um pouco confuso com a própria situação Cael estampou um de seus gentis sorrisos no rosto e perguntou:

- Bom dia. Milady me concederia o prazer de ouvir seu nome?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Maio 14, 2017, 12:40:02 pm
Perante o desfecho daquele encontro, Iyas perguntava a si mesmo se sequer ouvira onde seria o "seja lá o que" que fora convidado.

- ...Onde? - projetou a voz que soava confusa em direção ao sujeito que se despedira.

Enquanto esperava por uma resposta, aproximou-se do poço e empurrou o balde atado a corda para dentro da construção, esperando ouvir o som do impacto com a água. Assim que o objeto atingiu o liquido e submergiu até conter uma boa quantidade, o estrangeiro começou a operar a manivela, puxando-o de volta ao seu nível. puxou o recipiente para a beirada e assim que este estava bem apoiado pegou um punhado de água com as mãos unidas e levou ao rosto, lavando-se com bastante contentamento.  Fez o mesmo com o pescoço, axilas e braços. Tomando certa distância do poço para não contaminar a água de dentro com respingos de seu banho improvisado. 

Sentia a briza marítima soprando em sua pele de maneira refrescante, e aquela sensação era divina. Junto a isso estava de barriga cheia e para alguém que estava naufrago até pouco só lhe restava uma boa noite de sono para recuperar-se. Respirou satisfeito e despejou o restante da água em sua nuca, molhando o corpo inteiro.  Depositou o balde onde havia inicialmente encontrado e rumou em direção aos seus companheiros.

Observava uma mulher interagindo com o colega ruivo, não precisava ouvir o que ela tinha para dizer para entender o que ela queria. Enquanto aproximava deles, puxou o saquinho de moedas muito bem atado aos cintos, de lá tirou uma das peças que possuía. De trás da moça, estendeu a mão fechada que desfez mostrando a moeda presa pela ponta do indicador e seu polegar.

- Pegar... - Disse em uma tonalidade neutra - Comer... ficar forte, shil'la margash - desejou sorte para a transeunte, siga em frente era o queria dizer.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Maio 15, 2017, 12:44:25 pm
- Também acho melhor esperar por ele!! - Disse a Drow voltando seu olhar para o céu, pensando na vida enquanto aguardava o retorno de Iyas. Porém ainda assim mantinha-se ligada na conversa - E que tipo de arma você realmente empunha?

A abordagem feita por aquela Elfa, fez Syllence pensar um pouco, o quanto de dinheiros eles teriam, e se em breve eles ficassem naquelas condições, talvez aquela Elfa assim como eles acabou naquele lugar e com o tempo terminou naquela situação. Assim como os companheiros a Drow pegou uma moeda e entregou a moça.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Maio 16, 2017, 10:38:48 pm
Ah? - o elfo virou-se para a drow, surpreso com a curiosidade dela - Humm... Costumava empunhar a rapieira e, para ser sincero, eu até que era muito habilidoso. - respondeu pensativo, com a mente vagando em outros tempos - - Meu pa--.... O Senhor Galadin, certa vez me inscreveu para uma competição e eu me saí muito bem. Fui o segundo colocado.... - a expressão de Cael tornou-se sombria outra vez e ele suspirou profundamente - Já faz tanto tempo, se eu adquirisse uma nova talvez demorasse um pouco até me recordar como empunha-la com a mesma habilidade que eu tinha há... Acho que se passaram quinze anos já...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Maio 17, 2017, 09:12:43 am
- Isso é bastante tempo!! Minha... - Ela exitou por um momento mas parecia ter buscado forças no mais profundo de seu ser para terminar aquela frase - ... minha irmã também é usuária de rapieira. Eu definitivamente não levo jeito para esse tipo de arma!! - Sua voz parecia ter se tornado tão sombria quanto a de Cael ao falar sobre aquilo, ela então respira fundo

- Talvez fosse interessante para nosso grupo arrumar alguma missão para conseguir dinheiro, não sabemos quanto tempo ficaremos aqui, e o quanto nosso dinheiro vai durar!! - Ela fez uma pequena pausa e levou a mão ao queixo - Talvez eu consiga um emprego com aquele balofo da taverna, assim talvez eu perca minha inevitável fama de ladra de crianças e ao mesmo tempo consiga um dinheiro para sustentar a mim e a drowzinha durante o tempo que ficaremos aqui!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Maio 19, 2017, 06:02:48 am
- Ai, já vão falar de armas? Que coisa mais chata. Porque não aproveitamos o tempo que formos passar aqui para conhecer algo mais legal, como magia, por exemplo? Agora que você se livrou do encanto daquela outra lá, podemos aprender umas magias diferentes, procurar minhas primas... vocês podiam aproveitar as beleza do local, quem sabe arrumar um namoradinho... Que tal colocar algumas flores no cabelo? Ficar só com banho de mar não adianta, vocês ainda estão cheirando a sal.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Maio 19, 2017, 07:15:56 pm
https://www.youtube.com/watch?v=b8UGp-s7Auo (https://www.youtube.com/watch?v=b8UGp-s7Auo)


Todos

- Ettwvä... - respondeu sem muita certeza, a Elfa camponesa. Pareceu desconsertada ao receber as moedas justamente - e tão rapidamente - de quem não havia pedido; mas acabou aceitando-as, com um aceno confuso da cabeça, e fechando os dedos sobre os Contos pré-aquecidos pelas mãos da Drow e do Humano. E, talvez, compreendendo bem a vontade e a ordem indireta declarada por Iyas, e que talvez seu momentum positivo tivesse acabado ali mesmo, ia dando um passo atrás, salientando lentamente seu afastamento, enquanto fitava com alguma seriedade aquele grupo esquisito que se reunia no meio da rua e que era vocês - e que ficava tagarelando sobre qualquer assunto misterioso.


Iyas

A água estava explêndida de fato! e você não sentia mais nenhuma dor muscular ou cansaço físico do náufrago... Aquilo curaria até ressaca! você julga. No entanto, fica pensando se não foi simplesmente o efeito da brisa marítima sobre sua pele molhada e finalmente dessalinizada.

O Bardo havia lhe dito que o Evento se daria no topo do Monte, na Quinta...
Seria bom que você tivesse se lembrado na hora, de perguntar qual dia da semana era hoje, por sinal!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Maio 19, 2017, 10:16:18 pm
Cael ficou ainda mais surpreso em como a drow agora conversava com ele naturalmente, algo que ele julgava que iria ser bem complicado de acontecer depois da pequena conversa que tiveram na taverna. O que ele menos queria era repetir aquele erro. Então ele abriu um sorriso, que era em parte de alívio por parecer ter um problema a menos para enfrentar e em parte por estar alegre de amenizar possíveis desavenças que poderia ser com seu novo pequeno grupo de aliados... Ou talvez amigos:

- Milady, por que iria querer usar uma rapieira quando já é tão habilidosa com o arco? - apontou para a arma de Syllence e meio ao elogio - Mas... Voltar para lá agora? Milady iria apenas fazer o sujeito apavorar-se ainda mais. Talvez fosse melhor esperar até amanhã ou encontrar algum emprego em outro local. - sugeriu pensativo - Provavelmente o ideal seria que descansássemos por hoje. Eu não sei se eu conseguiria ser muito útil no estado físico que me encontro neste momento.

E então Cael ouviu a sugestão de Vanessah:
- Eu não sei se conseguiremos executar todas essas sugestões, Milady Vanessa, mas quanto ao banho, tem toda a razão. - costumava usar um tom mais descontraído quando falava com a fada - E seria um bom começo. Tirar todo o sal... Agora... - voltou a ficar sério - Eu realmente gostaria de saber como você sabe tanto sobre "ela". Como você sabe que... - interrompeu-se bruscamente ao perceber que a elfa que lhe pedira dinheiro estava indo embora, acabou por esquecer de lhe retornar com tantos tópicos sendo tratados. - Ei espere! - gostaria de saber mais da moça e assim, quem sabe ajuda-la, já que ela parecia estar em uma situação ruim, acabou por nem ter tempo de lhe dar o dinheiro e agora já era tarde.

- Realmente.... - suspirou, inconformado e voltou-se novamente para seus companheiros - Então... Por favor, me acompanhem até ali. - apontou para a praça e, em seguida, dirigiu-se para o coreto.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Maio 19, 2017, 10:24:43 pm
Depois de todas essas mini interrupções finalmente poderiam continuar a discutir o que iriam fazer naquele lugar. Iyas acenou positivamente com a cabeça para Cael, rumando para onde o elfo havia apontado. 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Maio 19, 2017, 10:55:08 pm
https://www.youtube.com/watch?v=VJispGmhgYQ (https://www.youtube.com/watch?v=VJispGmhgYQ)


Todos

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSDZRzWrjbg2kgWOXx2UQ10R9d_wnwEF920iSmOIigulayesYRQ)

Ao adentrar naquele pequeno belo parque mal cuidado, e mirando o Coreto, vocês acabam percebendo que não estavam sós: que havia mais um cidadão sentado na extremidade de um banco largo, numa das laterais da vasta clareira, proximamente a um amontoado de árvores antigas, retorcidas e sombrias de onde brotavam alguns arbustos e muitas ervas-daninhas incontroláveis.

A pessoa era na realidade um Minotauro, e estava totalmente quieto e cabisbaixo, olhando para o chão, sozinho; vestia uma túnica formal e de cor clara; será que sesteava? Nem parecia perceber sua presença se aproximando de longe. Diferentemente do que talvez os mais combatentes dentre vocês poderiam esperar, ele não dispunha de nenhum machado de batalha ou arma; mas havia uma grande tabuleta de madeira apoiada no banco ao seu lado.

Como diz uma fala popular do Continente: "A praça é pública". Vocês poderiam simplesmente ignorá-lo e ir ao encontro do fabuloso Coreto branco, ou decidirem-se por outra coisa.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Maio 20, 2017, 09:05:35 am
A Drow ficou meio constrangida com o elogio repentino, apesar de ser muito segura quanto a suas habilidades, mas para responder teria de revirar algo que não gostava muito de se lembrar - Digamos que isso seria mais apropriado para minha posição... - A mesma abaixou a cabeça, deu um sorriso um pouco falso e continuou - Porém isso já não importa mais!!

- Hã? Não, eu não pretendo fazer isso agora, vou esperar um pouco mais até a poeira baixar. - Parecendo bem mais relaxada ela pareceu apoiar a ideia do banho - Eu concordo que precisamos sim de um banho, mas acho que pelo menos eu não vou poder fazer isso naquele local, talvez eu encontre algum riacho próximo daqui!!

(http://i.imgur.com/3IkCS2h.gif)E foi então que algo que havia lhe passado despercebido veio como uma flechada certeira em sua mente, um calafrio sombrio percorria sua espinha, a mesma suou frio, fitando suas mãos notou que estas tremiam como se estivesse diante de um dragão faminto que preparava para incinerá-la com seu bafo ardente. Como ela pode deixar aquilo passar despercebido, talvez nem todos os seus anos de treinamento a tivesse preparado para aquele momento, ela certamente perderia noites de sono pensando sobre aquilo, e talvez quando finalmente conseguisse pregar os olhos seria amaldiçoada novamente pela lembrança daquela simples frase... "procurar minhas primas...".
Com a voz tremula Syllence vira-se para a fada - Vo-você quer dizer que... existe mais fadas como você aqui...? - Perguntou a Drow enquanto imaginava o próprio belzebu sentado em seu trono com uma taça de seu melhor vinho guardado exclusivamente para este momento, gargalhando orgulhoso daquele que talvez tivesse sido seu maior feito contra a humanidade.

Após balançar a cabeça tentando não pensar muito sobre aquilo, ela segui os demais ainda preocupada com a possibilidade de encontrar "outra" fadinha como aquela. Ao longe pode avistar um Minotauro próximo do local onde aparentemente iriam, ela então comenta baixo - Vamos ignora-lo!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Maio 20, 2017, 10:40:38 am
Ouviu a sugestão de Syllence enquanto dava seus últimos passos em direção ao coreto:

- Como desejar.

O elfo parou sob o teto da pequena construção e novamente voltou-se ao trio que o seguia. Ele encheu os pulmões de ar enquanto reorganizava seus pensamentos e então começou:

- O que eu tenho para dizer em primeiro lugar diz respeito ao desafio ao qual nos dirigíamos em nossa viagem mal sucedida. - falava mais baixo do que o normal, talvez para não importunar o sujeito minotauro, no entanto tentava dizer as palavras de uma forma que Iyas também podesse as acompanhar - Eu tive uma breve conversa com o humano o qual o dono do estabelecimento disse ter nos pagado nosso dejejum.
 O sujeito, Sr. Graadmonz, alega ser ele quem estava encarregado de esperar os participantes. Aparentemente,
 mesmo apenas com o nosso grupo como sobrevivente, ainda assim o concurso pode continuar, no entanto ele pôs em nossas mãos decidir se queremos ou não prosseguir com isso.
- suspirou, um tanto inseguro com essa conversa de concurso. É verdade que ele só estava ali, inicialmente, porque a Dama dos Encantos também estaria, talvez, no fundo, ele só desejasse uma forma de retornar para ela quando aceitou fazer parte do concurso. Mas agora, aparentemente, não existia mais a Dama e parte de seu ser estava muito aliviado por isso, assim não existiria mais a estúpida possibilidade dele fraquejar a tal ponto novamente, muito embora a morte tão... simplória daquela poderosa mulher lhe era muito estranha e extremamente difícil de acreditar.

- Bem... - ele retornou de sua breve pausa que só serviu para reembaralhar sua mente - O humano quer nossa resposta ainda hoje sobre se queremos ou não permanecer no concurso, mas, antes que respondam, tem algo que está me incomodando.... Na verdade são dois fatos. - seus olhos passaram de todos os que estavam na sua frente para o sujeito mais distante, o minotauro, antes de Cael retornar à fala - Primeiro, a moça que encontramos na praia. Quando a toquei... - ele ergueu a mão direita e seus olhos repousaram nela - Eu senti algo... Era gélido... Perverso... Eu não sei descrever, mas não era humano e talvez nem deste mundo... - franziu a testa lembrando a sensação muito desagradável do toque.

Ele tentou recompor-se rapidamente para terminar a primeira parte da conversa:

- Segundo, o Sr. Graadmonz parecia saber exatamente que fomos atacados por piratas e que foi essa a causa de nosso naufrágio. Eu não sei se algum de nós revelou isso à ele em qualquer momento de nossa breve estadia na taverna, no entanto, se ele sabe por outros meios... - estava muito sério, parecendo até meio angustiado com tudo aquilo -Eu não sei o que pensar. Teria ele apenas deduzido já sabendo brevemente que existem piratas perigosos nessas águas - e então talvez, se era de conhecimento de uma pessoa envolvida com a execução do concurso, deveria ter sido informado aos residentes do navio - Ou se, talvez alguém tenha visto o ataque e informado à ele - nesse caso, se houvesse mesmo testemunhas, estes seres poderiam ter dado uma pequena ajuda à nós, os sobreviventes do naufrágio, e ainda, talvez, em uma das piores hipóteses, o sujeito talvez tivesse algum envolvimento com o ataque.... Mas é claro, pode ser que eu esteja apenas pensando demais sobre isso e que ele tenha sabido involuntariamente por nós mesmos...

Após o elfo lançar um olhar um tanto depressivo e inseguro, o qual não conseguia disfarçar sua preocupação e inquietação, para cada um de seus companheiros, ele concluiu:

- De qualquer forma, eu lhes peço que tomem sua decisão, quanto a mim, irei aceitar o que decidirem. Não sei se possuo um real motivo para estar aqui, mas a verdade é que desejo ajudar vocês no que quer que decidam.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Maio 20, 2017, 11:53:32 am
- É claro bobinha! Eu vim cá justamente para encontrar minhas primas, fadas aquáticas. Nós fadas somos forças da natureza, então onde tem natureza, tem fadas. Claro que bonita, inteligente e modesta como eu não existe, Vanessah Fada é única! Mas lá na taverna eu encontrei uma priminha minha que é fada das montanhas, e ela me disse que há várias fadas da água na ilha. Eu sou uma fada da floresta, então temos muito a aprender umas com as outras. Vai ser lindo apresentar meus amiguinhos massivos bonitinhos para minhas priminhas. Ah, e como elas são fadas da água podem até ajudar vocês nos banhos, a Niwo, minha prima das montanhas que falei na taverna disse que elas adoram molhar os outros.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Maio 20, 2017, 12:33:33 pm
https://www.youtube.com/watch?v=5RfqB76eHTQ&t=10s (https://www.youtube.com/watch?v=5RfqB76eHTQ&t=10s)


Syllence

Cael, que parecia originalmente tão quieto e reservado, agora tinha se tornado num maratonista da oratória! Felizmente para você, ele não chegava aos pés de Vanessah. E por falar em Fadas... em suas trilhas de andarilha, através de campos e matos do Continente, você lembra de ter cruzado com os mais diversos tipos de seres silvestres, inclusive algumas criaturas fantásticas. Fadas... Sim, Fadas pipocam no mundo assim como Elfos - tem de todos os tipos! As suas personalidades também variam (graças a deus!!), apesar de existirem provavelmente alguns padrões mais comuns. Agora, é seguro que AQUELA Fada, era a mais tagarela que você já conheceu em toda sua vida! E o que a deixava ainda mais medonha, do seu ponto de vista, é que a indiscreta criaturinha - ou talvez inocente mesmo - parecia não se sentir incomodada em discorrer, justamente, acerca de questões que lhe eram, pessoalmente, bastante sensíveis...... Porque você não é uma Drow que teve uma vida social "normal" - isto é, para a Sociedade Drow -; muito pelo contrário! Seu receio era, assim, totalmente justificável; talvez apenas um pouco exagerado... MAS, não impossível!! Talvez aquelas supostas primas fossem de fato até piores do que a Vanessah. E é quase certo que você não estaria preparada psicologicamente para esse tipo de trauma, especialmente quando você agora tinha uma Criança pra cuidar...

Sobre Empregos?
Na realidade, e pensando bem - sem tanto sal nos ouvidos -, a única coisa que lhe deixava realmente insegura, não era tanto a sobrevivência na Ilha dos Desafios. Afinal, você nunca precisou de muito Dinheiro pra sobreviver neste mundo, e na maior parte dos casos, pouco dependeu das sociedades ditas "civilizadas" para viver das florestas; encontrava nestas e nos campos às vezes também, tudo de que precisava - e que era pouco; até mesmo quando era uma geografia nova, você tinha facilidade em se adaptar. O real problema, é que agora, você precisaria talvez fazer o mesmo esforço, em dobro, ou talvez até mesmo em triplo! Porque tinha a menina Drow que você fazia questão de adotar. Ela seria provavelmente um fardo se você tivesse que andar toda hora com ela pra caçar uma lebre; menos talvez para coletar frutas e raízes comestíveis. Se aqueles seus companheiros fossem minimamente úteis quanto lhe deram a entender, a ajudariam de forma produtiva, cuidando da menina enquanto você iria procurar sozinha recursos nos matos desconhecidos da ilha. Na realidade, era um grande Dilema, e perturbador: Pois, empregar-se como uma trabalhadora da cidade era algo absurdamente obscuro ao seu ver; Você estaria disposta a TUDO na vida para evitar esse tipo de dependência burocráticas estúpida... que lhe remontava à sua fuga do Reino Subterrâneo Drow; A única exceção, é que você provavelmente não abriria mão de perder a garotinha Drow indefesa. Mas você seria capaz de ir até a sua Penúltima Gota de Sangue, arriscando sua vida na Selva, antes de se ver "trabalhando para uma Sociedade embrutecedora"; Seria você capaz de arriscar, nessa jogada, a própria vida de uma Criança de sua espécie...?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Maio 20, 2017, 01:20:09 pm
O forasteiro se encostou em um dos pilares de madeira do coreto, cruzando os braços para ouvir o que os outros tinham a dizer. Após ouvir a  todos e mantendo o olhar no assoalho do lugar ele disse:

- Não confiar no homem… Gradmon… - referia-se a Graadmonz.

Tinha uma leve sensação que o ataque pirata estava de alguma maneira ligada ao evento com o qual estavam ali para participar. Não sabia exatamente o porquê, mas de alguma forma em sua cabeça parecia que aquele ataque e o consequente naufrágio eram algum tipo de teste. Talvez fosse apenas sua natureza desconfiada criando aquele tipo de pareidolia nos fatos. 

-  Eu continuar no concurso - disse levantando o olhar para o colega elfo e rapidamente em seguida tanto para  Vanessah quanto para Syllence - Vir para ganhar. - concluiu com segurança na voz, retornando a encarar o chão.   
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Maio 20, 2017, 05:39:57 pm
- Nós certamente ficaremos longe delas... - Disse Syllence baixinho com relação ao comentário da fada tagarela

E então a conversa ficou mais séria, a mesma ouviu atentamente o que o Elfo tinha a dizer, pensou em cada palavra daquilo que ele dizia, e em especial sobre a moça que encontraram na praia - Sobre isso, tem algo que eu até iria pedir ajuda para a Vanessah... eu também senti algo estranho vindo da Drowzinha, não sei dizer o que era. Então gostaria que você Vanessah, usasse seus conhecimentos mágicos para tentar descobrir se ha algo além do que nossos olhos podem ver!! Não sei se isso tem alguma relação com aquela garota da praia, mas ainda assim era algo que eu iria pedir para a fada tagarela!!

- Mas voltando a moça, poderíamos fazer um teste, tocando em outras pessoas daqui, assim saberíamos se esse mau está apenas nela ou é algo "geral"!! Em ultimo caso talvez uma investigação fosse a melhor solução!!

- Agora quanto ao fato daquele homem saber sobre nosso náufrago, pode parecer um pouco frio da minha parte,  mas, talvez aquilo fizesse parte do teste!! E bem, eu não pretendo desistir agora!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Maio 20, 2017, 08:29:12 pm
Cael estreitou os olhos na direção da fada, sem certeza nenhuma de que ela havia ouvido alguma palavra do que ele dissera, mas como dois membros do grupo já tinham se decidido à permanecer no concurso, Cael já sabia que também estaria destinado a acompanha-los em sua decisão.

O elfo voltou-se primeiro à Iyas:

- Eu também não sei se dá para confiar nele... Na verdade tentei toca-lo, tendo a mesma ideia que Milady Syllence acabou de nos dar, no entanto ele me surpreendeu em suas revelações à ponto de me fazer perder a concentração neste aspecto...

 E aproximou-se mais de Syllence:

 - Podemos sim fazer o que sugeriu, no entanto precisaríamos de um bom motivo para tocarmos desconhecidos. É algo um tanto inédito até em nosso grupo, quem dirá naqueles e acabamos de conhecer? - e o elfo ficou novamente pensativo.

 Sua mente começou a imaginar se as pessoas que a Dama enfeitiçava também poderiam causar uma sensação estranha em outros seres... E isso o deixou inesperadamente alarmado.

- Milady Syllence. - ele estendeu a mão na direção dela, enquanto demonstrava certo desespero escondido em seu semblante ríspido - Poderia me dizer se eu lhe transmito a mesma sensação que a pequena Drow lhe fez sentir? Poderia tocar em mim e me dizer? - a fitava com intensos olhos de súplica.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Maio 20, 2017, 09:42:26 pm
- Eu não sou tagarela!

Ela mostra a língua. :P
- Mas ajudo só porque gosto de criança, e também não posso negar o pedido de alguém que acabou de virar mamãe.

Ela voa de volta para a taverna, sem prestar atenção no que os outros dizem, mas ainda consegue ouvir a súplica do Cael e grita de longe:

- VAI LÁ SYLLENCE, TOCA O COITADO DO ELFO, SE NÃO SENTIR NADA, TENTA UM BEIJINHO QUE PODE FUNCIONAR.

#partiuajudardrowzinha.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Maio 21, 2017, 02:20:31 pm
Cael agora agia de maneira esquisita se aproximando de Syllence, com isso Iyas pigarreou mantendo seu olhar no chão amadeirado. Mas o ruivo havia o lembrado sobre a criança na praia e aquilo foi outra coisa bem estranha, uma vez que ela de uma hora para outra sumiu quando o grupo decidiu não dar muita atenção a ela. Podia ser uma criança bem ligeira, mas aquilo o fazia lembrar de histórias de assombrações. Talvez o fantasma de uma criança que morrera afogada naquela praia?

Levemente ignorando o fato da pequena fada tagarela ter dado uma escapada da reunião, o forasteiro tinha algo a falar:

- Navio atacar…. - tentou informá-los em seu sotaque carregado da conversa que tinha tido - Sokraz… taberneiro dizer que eles  Piratas da Vastidão. Nós falar Delegado de Arkhóreas, no Forte… - olhou para o sol em busca de deduzir a direção a qual foi informado - Norte - concluiu apontando para aquele ponto. 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Maio 21, 2017, 09:36:43 pm
https://www.youtube.com/watch?v=79jZWYDMChI (https://www.youtube.com/watch?v=79jZWYDMChI)


Vanessah

De volta à Taverna dos 7 Mares, seus olhos já iam em busca da Drowzinha, quando surpresos por alguma mudança de aspecto na cena local:

Havia um burburinho aqui e acolá, e diversos frequentadores conversando em voz mais alta e exaltada pareciam ter se mudado de lugar. O (extremamente) massivo Senhor Sokraz parecia ter se ausentado, e apenas um Elfo de longos cabelos pretos lambidos parecia atender no balcão, porém estava atarefado demais a conversar com clientes curiosos logo a sua frente, um deles um Anão bem vestido e novo no pedaço.
Assim, ninguém a viu chegar - ou deu bola para sua chegada súbita; ou pelo menos, é o que você pensava, até o momento em que você sobressalta de corpo inteiro, com a presença de um vulto massivo porém esguio, de uma figura que a encarava bem ao lado da porta de entrada, e que você nem tinha percebido antes...! Você a reconhece: era a Elfa Camponesa; esta última só colocou o dedo indicador na frente dos lábios, como a pedir silêncio.

Bom... passado o susto, lhe chama a atenção quanto ao fato de que o Senhor Graadmonz é outro que não estava mais ali. Mas você identifica Niwo, que estava agora misturada com o povo de outras mesas - aquela redonda de supostos guerreiros; Porém você não consegue localizar em parte alguma do salão a sua amiga ferreira, Layle.

O que vai fazer?


(http://4.bp.blogspot.com/-sXGpEjQ_HdQ/UhEAILZq5kI/AAAAAAAAB3Y/E0u4OlgIoVE/s1600/111.PNG)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Maio 23, 2017, 08:41:03 pm
Mais uma lhe pedindo silêncio, como se Vanessah falasse demais. Mas ela tinha mais o que se preocupar e não dá muita atenção pra elfa por enquanto, talvez cuidasse dela depois.

Vanessah voa até Niwo:

- Oiii amiga! Você viu a drowzinha que estava por aqui quando saímos? Ela tava mais ou menos naquele canto. Minha amiga massiva vai cuidar dela e eu quero ajudar. A Layle já foi embora?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Maio 28, 2017, 03:28:58 pm
A mesma levou a mão ao queijo e pensou sobre o que o Elfo falou, seria dificil sair tocando nas pessoas do nada, mais ainda era uma boa opção, até que o mesmo elfo se aproximou um pouco, e disse algo sobre lhe tocar, a drow deu um passo para trás - Er... n-não sei, a-a gente pode tentar... - Por sorte isso aconteceu depois da fada sair, mas... por azar ela havia ouvido - Qu-que? COMO ASSIM??

Se não fosse por sua coloração seria possível ver que a drow estava totalmente envergonhada, talvez até vermelha, se é que essa cor é visível no seu tom de pele. Com a mão tremula e um movimento rápido ela tocou o ombro do elfo em questão de segundos e então virou-se de costas - não senti nada... - Ela falou de maneira rápida para não gaguejar

- Sim, isso vamos falar com o delegado!! - Dizia ainda de costas para o grupo enquanto levava a mão ao lado esquerdo do busto, tentando assim recurar sua respiração normal, que nem ela mesma sabe o porque de ter ficado acelerada.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Maio 28, 2017, 07:22:16 pm
- Hã? Tem certeza?? Milady mal encostou em mim... - na aflição só percebeu o que a fada falou depois de alguns segundos -Não Milady Vanessa!!! - ele falou alto como se a fada ainda pudesse ouvir, um pouco constrangido com a ousadia dela de dar tais sugestões - Não se pode ficar sugerindo essas coisas para as pessoas!!! E depois nós nem--- - parou de súbito e olhou para os dois que ainda estavam com ele, lembrando-se que estavam no meio de algo importante e então voltou ao tom normal - ...Nós temos outros assuntos para discutir.

Cael respirou fundo, tentando se recompor do desespero que há pouco lhe atingira. Quando se sentiu um pouco melhor resolveu responder à Iyas:

- Não me diga que o taverneiro também sabia que fomos atacados? E até por quem...?

... E ouviu a sugestão apressada da drow:

- Sim, nós podemos ir na--- - ia concordar, mas a reação que sua companheira de grupo acabara de demonstrar lhe deixou confuso, decidiu voltar atrás na conversa sobre testar os cidadãos da ilha, ignorando a sugestão de irem ver o delegado - Espera, não! - ele se colocou na frente de Syllence, cruzou os braços e estreitou os olhos na direção dela - Me diga, Milady. Como pretende realizar seu teste de tocar nos habitantes desta ilha se tem receio até de tocar em um membro do seu grupo? - logo percebeu que estava passando um sermão nela, então pigarreou, descruzou seus braços e continuou em um tom mais ameno de voz - Ah... Quero dizer, se realmente lhe incomoda pode deixar isso de testar as outras pessoas comigo... Eu dou um jeito.

- O pedido que acabei de lhe fazer foi porque... - Cael cerrou os punhos, respirou fundo e tomou a coragem necessária para se expor àqueles dois, já que a fada não parecia muito querer ouvir o que ele dizia - Até pouco antes de chegarmos nesta ilha eu.... Eu estava... Bem... - baixou os olhos na direção dos próprios pés-
 Estava sobre o efeito de um feitiço. Estava sendo controlado... Por isso, aquele... Aquele que conheceram na taverna antes da viagem... Aquele não era eu... Era apenas um... Um servo... Um servo daquela... Mulher...
- já tinha até cerrado os dentes com força ao lembrar e ter de mencionar a responsável por todos aqueles anos de servidão forçada. O que deixava o elfo ainda mais inconformado era o fato de que parte dele sentia falta da feiticeira.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Maio 28, 2017, 08:33:55 pm
Ela então coloca o capuz sobre a cabeça cobrindo a área dos olhos - Eu não tenho problemas em tocar meus companheiros... é que bem... se eu tocar você vamos ter mais motivos para a tagarelação da fada!! - Syllence já ia dar mais um paço até ouvir o pequeno desabafo do companheiro, a mesma abaixou a cabeça e deu meia volta, se aproximou a uma distancia de um metro do mesmo e levou a mão ao seu ombro - Todos nós temos nossos fantasmas, uma hora ou outra teremos de confronta-los, mas enquanto isso, vamos apenas pensar no agora, e tentar esquecer um pouco sobre o que já passou!! - Enquanto falava a drow demonstrava um semblante calmo e sereno, bem diferente do que estava a pouco na taverna - E bem... acho que acabei de encostar em você!! - Completou com um sorriso timido no canto do rosto

Ela volta a seu semblante de sempre - Bem, quanto a nosso proximo passo, podemos ir ver o Delegado como o Iyas sugeriu, ou esperar a fadinha voltar e ver qual será nosso próximo passo!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Maio 29, 2017, 08:57:06 am
Sem muita alegria Iyas acenou positivamente com a cabeça, querendo dizer que sim para a indagação do colega. Não lhe parecia muito suspeito um taberneiro conhecer aqueles tipos de informações, uma vez que conversa vai e conversa vem eles são dos sujeitos mais bem informados que alguém poderia encontrar em cidades. Quem dirá em uma ilha, onde o tal concurso provavelmente já deve ter sido fofocado por todos ali infinitas vezes.

- Que Vanesa ir? - inquiriu sem muita paciência desconhecendo para onde a fada havia ido, embora estivesse disposto a esperar pela criatura se ela não se prolongasse demais... seja lá para onde foi, pois não tinha se concentrado no que a pequena estava a dizer pois focava seu tradutor mental no que os outros dois tinham para dizer. 

Ainda estava fazendo a digestão, então descansar  um pouco mais naquele coreto não seria tão ruim. 

Aquilo que Cael falou por ultimo explicava um pouco mais a mudança estranha de comportamento... Mas um feitiço? Era algo que o forasteiro apenas ouvira falar, a habilidade de alguns magos de sangue de conseguir dobrar a vontade das pessoas com seus dons avançados em arcanismo, rituais secretos que apenas as ordens mais elevadas do Império de Quozor possuíam conhecimento, guardando-os apenas para sí juntamente com vários outros segredos da natureza da magia de sangue... Por tudo que conseguiu aprender.

Aquilo era algo que não poderia deixar morrer ali, e em oportunidades futuras queria entender pelo que o colega passou, principalmente pelo fato dele falar como se fosse um prisioneiro contra sua vontade.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Maio 29, 2017, 02:47:11 pm

-Obrigado, Milady. Mas... - Cael ergueu um olhar triste, mas inconformado para a drow- Eu não contei isso para despertar algum sentimento de pena ou remorso em vocês. - E seus olhos também voltaram-se para Iyas enquanto tentava recuperar a postura - Mas para que não desconfiem de mim por tal mudança súbita de comportamento e também caso... - respirou fundo - Caso eu, de alguma maneira, volte a me tornar aquela pessoa... - explicou com desânimo, mas afastou logo aquela ideia da mente, não adiantava ansiar por algo que provavelmente nunca mais aconteceria.

- Deixemos o assunto de lado. - forçou-se à parecer estar tudo bem para ele -Se iremos mesmo fazer uma visita ao delegado eu prefiro que esperemos por Milady Vanessah. Não gosto da ideia de deixa-la muito tempo sozinha pela ilha. - na verdade não pensava muito diferente sobre a drow, já que o pouco tempo que ela ficou sozinha já arranjou problemas na taverna, e nem mesmo o humano, talvez ele resolvesse encher a cara no bar se deixado sozinho e isso já tinha se mostrado outro dos vários geradores de problemas que o grupo tinha.

A pergunta de Iyas deixou o elfo um tanto confuso, mas ele tentou responder enquanto se aproximava da borda do coreto, observando melhor o jardim em que estavam enquanto respondia:

- Eu não sei bem se me perguntou se ela quer ir ou para onde foi, mas se no caso for a segunda opção, pelo que pude entender, Milady Vanessa foi fazer uma pequena visita à mais nova filha, digo, irmãzinha de Milady Syllence. - se ainda não estivesse meio abalado teria rido do próprio erro na hora de evidenciar a posição da criançam ainda mais sabendo que Syllence não gostou quando a nomearam assim da primeira vez -  A pequena drow. E aliás, Milady, sua irmãzinha não tem um nome? Seria interessante sabermos para que não precisemos chama-la o tempo todo de "pequena drow" ou "drowzinha". - esboçou mais um de seus sorrisos gentis.

 Ah sim! - exclamou já parecendo melhor do humor em que estivera segundos atrás - Vejo que os comentários de nossa companheira lhe incomodam bastante. Talvez devesse tentar apenas ignora-los. - sugeriu pensativo - - Ou talvez, se realmente lhe incomodam tanto, posso tentar repreende-la quando forem muito abusivos. Como eu tive irmãos e irmã mais novos, é algo ao qual eu estou.... Ou estive acostumado à fazer. Os dois mais novos eram uns encrenqueiros... - toda vez que falava sobre a família trazia consigo um olhar nostálgico, distante - Bom, se ela irá me ouvir eu já não sei, afinal não pareceu ouvir nada do que eu disse antes dela se ausentar.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Maio 30, 2017, 02:40:31 pm
- Pena? - Ela faz um semblante sério e responde - O que quero dizer é que, você é parte do grupo!!

Aquele grupo parecia bem complicado, o Elfo com problemas de dupla personalidade, a fada do grupo era uma tagarela intrometida e as vezes até bastante inconveniente, e o humano, ela mau conseguia entender o que ele falava, e a própria Syllence tinha seus problemas, era como se os deuses tivessem juntado um grupo de pessoas esquisitas em um mesmo lugar simplesmente para assisti-los, mas, era um bom grupo. A drow já estava se acostumando com aquilo, já havia passado por tantos outros grupos, e talvez esse fosse o que a mante-se mais "distraída". Ela novamente suspirou o ouvir dizerem que a Drowzinha era sua filha, certamente preferia ser vista como uma irmã mais velha... por mais que esse títulos lhe trouxesse mas recordações, e até um pouco de melancolia, mas ela havia prometido que jamais iria abandonar aqueles que estivessem sob seu cuidado, não mais. Ela não fugiria de suas responsabilidades para com aquele grupo.

Logo se sentou aliviada quando o Elfo referiu-se a pequena como "irmãzinha" - Bem... eu acho Drowzinha bonitinho... mas, acho que o taberneiro deve ter dado um nome a ela, talvez ele tenha até me dito, mas não me recordo no momento!!

Novamente suspirou ao ouvir algo que já a algum tempo não lhe agradava, fitou o Elfo e disparou - Vamos fazer um acordo? Você para de me chamar de Milady, e me chama apenas de Syllence, e eu paro de chamo-lo simplesmente de Elfo e lhe chamo pelo nome, que tal?

- Não é que me incomodam... mas enfim, vamos apenas ignorar por enquanto!! - Ela olha na direção em que a fada foi - Não sei se seria uma boa ideia isso mas, que tal irmos atrás da fada? Só de pensar nela sozinha em uma taverna junto da drowzinha, fico com calafrios...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Maio 31, 2017, 01:17:41 am
https://www.youtube.com/watch?v=uMIXZbD-wRI (https://www.youtube.com/watch?v=uMIXZbD-wRI)


Syllence, Cael

Ao pensarem no passado mais remoto, lhes era comum uma condensação de tristeza; e um certo desconsolo pela dúvida que não queria calar: E se, talvez, tivessem agido um pouquinho diferente, sido menos impulsivos, ou estabanados ou ansiosos... não poderiam ter se esquivado de produzir, aqueles tamanhos desencontros de suas vidas?...

Para Syllence, as recordações de sua vida no Reino Drow, e de sua irmã, eram tão distantes que se misturavam em grande parte a construções posteriores de sua vida na margem silvestre do mundo. Na realidade, você já não tinha mais certeza se preferia que chamassem a menina Drow de sua "Filha", ou de sua "Irmãzinha"... Pois, chamá-la de irmã menor, era como que Negar a própria existência de sua Verdadeira Irmã menor, que você não particularmente odiou..... ou, se a odiou, talvez a amou em igual proporção; E aquilo que você realmente odiou, e talvez ainda odiasse, era aquela gente falsa, toda aquela cultura 'civilizada', aquelas cidades controversas...! O que terá sido de sua irmã? Será que ela sequer está viva hoje? Será que se tornou Princesa? talvez até a Rainha do reino? Ou será que aconteceu algo de errado...? Será que ela ainda lembra de você? Será que ela... sente sua falta? Porque agora, você começa a sentir, no fundo, um pouco a falta dela... Talvez, a convivência com a Drowzinha lhe ajudasse a lidar com esse tipo de emoção.

Quanto a Cael, você sabia que não havia mais volta atrás... Tanto para a boa Convivência não-vivida perdida no tempo com sua querida Família, que nunca lhe fez mal algum..... quanto para aquela.. feiticeira..... Maldita...... Miseráv.......! Mas não. Você era simplesmente incapaz de chamá-la assim. Por quê??... Por que ela simplesmente não acabou com sua vida quando viu que você havia se "desencantado" dela...? Se ela costumava dar um jeito de erradicar ou sumir com todos os escravos que seguiam o seu exemplo rebelde... Será que ela tinha outros planos para você... afinal de contas? Talvez... ela até gostasse de você? (você logo tenta rebater brutalmente esta ideia obtusa, mas não consegue desviá-la de todo..) Talvez, ela não quiz matá-lo... simplesmente por porque você foi o preferido dela todo aquele tempo...? E então, talvez, ela queria tentar "recuperá-lo"... de alguma outra forma......?? Quê......! Você começava a se perder mais e mais naqueles sentimentos incompatíveis com a realidade... Sem saber para onde ir ou se esconder, você só podia, senão, agonizar o fato de que agora ela se fôra....... E a mera lembrança de seu belo - e perverso sorriso - que o mar tenha engolido para sempre, o afligia como uma flecha direta no coração.
Recuperando-se, lentamente, daquele embate interior, você percebe que a vida estava mais clara; pelo menos você agora tem uma nova companhia, de amigos estranhos... talvez até mesmo eles estivessem dispostos a partir numa busca a fim de descobrir o destino real da Dama?... Não, espere! Por que você pediria algo assim, absurdo, para eles? Aliás, Por que você quer tanto assim saber? É como se, descobrir aquilo pudesse seguramente lhe tirar uma âncora gigantesca de suas costas; Viver com aquela incerteza, era pesado para você - naquele momento. Mesmo assim, você era capaz de se debater, a fim de enxergar outras coisas boas na Vida, que não só aquela mulher (ou o destino que teve)...; seu único consolo, a Liberdade talvez.. mas era mais... pelo menos naquelas semanas: Era aquele grupo, naquela Aventura maluca, e meio sem sentido (para você é claro).
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Maio 31, 2017, 01:47:41 am
https://www.youtube.com/watch?v=IJHwDDTMf7U (https://www.youtube.com/watch?v=IJHwDDTMf7U)


Iyas

Você tinha razão: Algumas pessoas das redondezas tinham de fato diversas formas de receber informações. Você se lembra de que mesmo no vasto e inóspito 'Oceano do Deserto', havia sempre mensageiros audases e velozes o suficiente para percorrerem muitas milhas em relativamente pouco tempo, fazendo transcorrer as Notícias importantes pelas comunidades e assentamentos da região; não deveria ser muito diferente na Ilha de Arkhóreas... você poderia até imaginar, eventuais homens-piratas que gostam de esbanjar cada uma de suas mais recentes glórias e conquistas, que não pensam duas vezes em prosear abertamente seus feitos a qualquer grupo de viventes com os quais tivessem, nem que fosse, uma breve oportunidade de compartilhar seus audaciosos feitos, junto a uma boa caneca de cerveja - e talvez um bocado de rum para todos...? Vai ver que alguns desses fanfarrões simplesmente vieram aqui contar, como conseguiram dizimaram o navio dos Aventureiros, "com uma mão nas costas". Isso o fazia ficar irado internamente, porque você percebia o quão despreparados vocês foram nessa aventura, e o quão fraco você foi, em não conseguir sucesso em confrontá-los, impedindo inclusive a catástrofe do Naufrágio... Que vergonha que aquilo seria, se Amal soubesse... Você já começava a detestar esses Piratas acima de qualquer outra coisa... O taverneiro Sokraz, podia ser um imbecil ao tentar negociar crianças escravas.... mas de uma coisa ele sabia bem: Aqueles Piratas da Vastidão, mereciam uma Lição apropriada; e seria muito melhor se isso partisse de suas próprias mãos... a coisa começava a se tornar pessoal, e você já sentia a boca seca, para mais uma dose. Dessa vez, Rum?!... Sim: Assim poderia sacar forças da própria Fonte do Inimigo!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Maio 31, 2017, 02:11:11 am
https://www.youtube.com/watch?v=nLwplUrrxiA (https://www.youtube.com/watch?v=nLwplUrrxiA)


Cael

Olhando com atenção, o Coreto, pintado de um branco límpido e que reluzia dourado na luz do sol, era construído de madeira e metal; E possuía ornamentos extremamente refinados, até mesmo para padrões arquitetônicos élficos que você talvez possuísse alguma lembrança antiga de seu povo. Mas algo lhe dizia que não era uma construção élfica; era um pouco robusta demais...

De qualquer modo, era um local que lhe transmitia, e de algum modo inefável, muita Serenidade...
Havia um 'Espírito', ali, muito intenso; qualquer que tenha sido o artista daquela obra, em meio aquele jardim que se negava a morrer; Enfim, parecia ser algo muito especial. Você ficava se perguntando, porque uma ilha tão remota quanto a de Arkhóreas, na Vastidão, que tinha que se preocupar antes de tudo com a própria e árdua sobrevivência, você imagina, precisaria realmente de um parque saudado por esse tipo de relíquia museológica?

Ah...! Você percebe uma Escritura... timidamente talhada em madeira logo acima do rodapé interno, e próximo à área dos degraus. Não era Élfico, nem a língua Comum, mas estranhamente, você até conseguia ler, porque o código parecia deter algumas semalhanças com ambas....... Parecia ser o registro de uma Assinatura; quem sabe, o nome do autor da obra. Era algo como: "Mas'iul"; Um nome estranho, aparentemente Não-Élfico; e mais provavelmente, para nomear criaturas mais estranhas!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Maio 31, 2017, 03:13:23 am
https://www.youtube.com/watch?v=x20AFkjaZqo (https://www.youtube.com/watch?v=x20AFkjaZqo)


Vanessah

Niwo estava atenta às palavras cruzadas que rolavam naquelas mesas que tinham sido juntadas de última hora justamente pra reunir toda aquela gente - que estava bem barulhenta. Você vê um duendezinho (um Goblin) falando alto e zangado no meio de todo mundo: - Eu cansei de avisar-lhe!! Aquilo IA acabar dando errado! -, alguns concordavam outros nem tanto, e a discussão continuava, meio acalorada. Só então, a Fada da Montanha,tendo levado alguns segundos até perceber a sua presença, ainda depois de você a ter interpelado, volta o rosto pra você:

- Ahh..?!..... Oooi, amiguinha!! - exaltou-se de repente, ao reconhecê-la - Aonde vocês foram...?? Sua amiga...... o Sr Sokraz........ Enfim, ele está bem, não se preocupe! Mas vocês precisam ser mais cuidadosos, né?? Aonde estão seus modos, afinal, né? Vanessah! - Ela não parecia muito satisfeita olhando pra você. Como que lhe repreendendo por algo..... Talvez, porque esperasse que você fosse mais atenciosa com seus amigos massivos incontroláveis? E isso vindo de uma outra Fada, legal como a Niwo... Era um pouco desconsertante:

Quem sabe, você ultimamente não vinha sendo a Fada Nota 10 que sempre foi a Vida Toda, e pensava que estava sendo??? Vai que você relaxou só um pouquinho, "Né?". Você não mais poderia suportar aquilo! Tinha que voltar a ser quem sempre foi! Você só não tinha certeza de uma coisa agora: Hipótese 1) Será que você foi morosa demais ao não aproximar com melhor antecedência e o suficiente, o casal de Elfinhos? Tá certo que são de cores diferentes e em geral conflituosas, mas... aí a Drow não aguentou a solidão e foi ter com o Sr Sokraz que não tinha nada a ver com a estória! Culpa sua!; Hipótese 2) Você anda agressiva demais, e talvez esteja "Naqueles Dias", e se esqueceu totalmente disso! por causa daquela Injustiça contra todos bons viajantes, e em que você quase se afogou, e perdeu a noção do Tempo, do Espaço, e, mais importante: dos Grandes Ciclos Elementais da Natureza - isto é, do Amor!
Agora, você, com sua Ampla Consciênca, percebia que você também agora precisava de ajuda...! Pelo menos pra responder a essa grave questão. Porque... se você não soubesse responder a essa questão, você teria 50% de chance de errar o posicionamento de seus futuros esforços! Mas pra você, não tem 50%; tem que ser 100%!

Niwo então retoma a palavra pra lhe responder:

- Ah, a menininha Drow! Claro....! - olhou primeiro para o fundo da taverna, na direção de onde ela e Layle estavam antes; mas, não encontrando nada, franze a testa; então olha pra diversos outros cantos e direções, inclusive levita pra baixo ao lado de sua mesa, para tentar enxergar melhor debaixo dos móveis. Não encontrando a Drowzinha, ela olha pra você novamente, inconformada: - Desculpe, Vanessah... Eu não sei aonde ela foi! Ela costuma fazer isso com frequência! Principalmente quando começa a ter barulho! Pobrezinha! Depois, ninguém mais acha ela em parte alguma... até ela resolver re-aparecer por conta própria......! Mas eu me interessei pela História dos fatos e....... perdi ela de vista; Ah! Mas quando a Layle foi embora, eu ACHO que vi a Drowzinha andar atrás dela, talvez até aquele canto ali perto do balcão e da porta de saída, aonde tem uns barris.........! - Que Mínimo! Ali era justamente o local em que você tinha visto por último aquela Elfa Camponesa grosseira, sofrida, e cheia de desavenças... Niwo ainda declara, de forma ingênua: - Nossa! Será que é ali dentro [dos barris] em que ela se escondia sempre das outras vezes...?!? - A ideia parecia até divertir a Fada Historiadora; Porém, você estava ficando era preocupada!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Maio 31, 2017, 09:17:45 am
- Bem, estou indo para a taverna!! - A drow começava a caminhar na direção da taverna, não estava somente preocupada com a drowzinha, como também com a fada, que por si só já era um problema ambulante - Se quiserem, podem vir comigo!!

Enquanto caminhava pensava sobre o reino ao qual abandonou, suas responsabilidades, sua família sua irmã. Um pouco cabisbaixa ela se lembrava dos momentos que teve junto de Claryen, sua irmã gêmea. Mesmo que não fossem exatamente unidas, ainda assim era sua irmã, que teve se assumir suas responsabilidades. Talvez ela já tivesse até mesmo se tornado rainha, cargo que deveria ter sido dado a Syllence. Porém ela não queria tal fardo ela sempre foi um espirito livre que gostava de fazer o que lhe dava na telha, o que realmente lhe incomodava era o fato de ter deixado seu povo e sua família, saber que não poderia voltar nem mesmo para dar um oi.

Mas agora, ela poderia novamente ter uma familia? Ela realmente poderia considerar a drowzinha como irmã? Seus companheiros como nova familia? Isso seria justo?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Maio 31, 2017, 11:30:14 am
Seus pensamentos estiveram retornando àquela mulher  diversas vezes nas últimas horas. Parecia inevitável, embora Cael tentasse afasta-la da cabeça. Era como se o fantasma dela lhe assombrasse. O elfo quase podia ouvi-la sussurrar em seu ouvido que ele jamais escaparia dela. Aquilo lhe rendeu um calafrio e a auto consciência de que deveria afastar à todo custo qualquer pensamento sobre a Dama. Assim estava apenas se torturando mais, já bastava a lembrança de ter sido convencido a abandonar sua estimada família, e isso antes de ser enfeitiçado! Não precisava de mais memórias lhe sufocando. Cael sacudiu a cabeça e afastou-a completamente da cabeça, tinha que se focar no novo grupo, no objetivo que seus novos companheiros tinham em comum, pelo menos entre eles, pois o objetivo de Cael ali se resumia apenas em ajuda-los como pudesse. Seu grupo é que era real e que parecia realmente se importar com ele. Se não tinha mais coragem de voltar para sua família de sangue pelo menos tinha novas pessoas para as quais podia se dedicar e das quais podia cuidar, como faria com os irmãos mais novos.

Foi tentando manter a mente mais clara que Cael prestou melhor atenção no coreto em que estavam e na beleza que trazia. Era realmente uma obra fruto de muita dedicação. Tantos detalhes... Era magnífico. Rapidinho seus pensamentos já estavam completamente na obra de arte e no belo jardim que a emoldurava. O local teve o incrível efeito de lhe acalmar e apaziguar todos os temores que estavam lhe rondando à algum tempo. O local tinha um ar até... Romântico, pensou enquanto via a inscrição à qual, sem perceber falou em voz alta:

- Mas... Iul? - olhava para a inscrição intrigado, sem reconhecer de onde poderia vir tal nome. Qual tipo de raça será que usaria um nome como esse? E será que o coreto era uma obra nova ou já estava ali há muito tempo? Quem sabe seu construtor ainda estivesse vivo e pela ilha??? Ficou tão absorto observando o local e se admirando sozinho, que demorou para processar o acordo que a drow lhe propôs, só percebendo o que dissera quando ela já estava saindo:

- Ah! - exclamou surpreso e piscou os olhos várias vezes, como se saído de uma hipnose - Esperem! - e então tentou responder à drow enquanto se apressava para alcançar - Um acordo? Se deseja assim, então façamos esse acordo. Mila... Uh... M... - incrivelmente era difícil para Cael chamar qualquer um pelo nome - Mas... Mi... Ah... Você... Esteve me chamando de "elfo" este tempo todo? Não tinha percebido... - deu uma risadinha, lembrando-se que o nome Cael fora usado muito pouco nos últimos anos, mas precisava afastar também essa lembrança, ou voltaria à toda aquela rede tenebrosa de pensamentos que precisava abandonar.

Enquanto seguia a drow deixou escapar um bocejo.

- Ah, me desculpe. - já estava bem cansado, não sabia quanto mais ia aguentar sem acabar apagando sem querer em algum lugar, só que realmente não estava com vontade de ter que tirar o resto do dia para descansar, afinal o sol ainda estava sobre suas cabeças.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Maio 31, 2017, 01:00:54 pm
Enquanto mantinha o olhar no assoalho do lugar pensando sobre o ataque, o sujeito levou uma das mãos a bainha metálica que alojava seu punhal, apertando com certa força. Certamente algo seria feito sobre aqueles piratas, e se houvesse alguma recompensa na cabeça deles seria melhor ainda. Isso era mais um motivo para procurar a guarda local, para melhor informar-se de onde poderia ser o porto ao qual aquele bando atracaria.

Foram pegos de surpresa por aqueles corsários, mas diferente deles, se o forasteiro tivesse a chance d
de infiltrar-se no acampamento daqueles sujeitos só precisaria da cobertura da noite para acabar com todos.

Nâo estava absorto em pensamentos vingativos o suficiente para deixar de notar que o ruivo começou a acompanhar a drow impaciente, desencostou-se e começou a segui-los sem muita pressa. 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Junho 01, 2017, 09:19:27 pm
- Nós fomos ali fora, inicialmente pegar umas flores pra minha amiga massiva que estava de mau humor e fedendo água salgada, parece um bacalhau, um bonitinho, mas ainda um bacalhau. Mas estes meus amigos não resolvem nada, acho que ainda estão meio desnorteados, mas o que aconteceu? Porque os outros estão fazendo tanto barulho?

As duas voam pra baixo das mesas e observam o lugar sem achar a outra.

- Então ela não gosta de barulho, ah, preciso contar isto pra nova mãe dela. Bom, se ela foi atrás da Layle, achando uma eu acho as duas, você sabe pra onde a Layle foi?... Ai, estes meus amigos me dão um trabalho! - Ela olha o gnomo ranzinza que falava com Niwo - Os seus também né? Ai, vida de fada não é fácil! Eu queria achar minhas primas da água, mas... bom, quem sabe não dou sorte da Layle ou da drowzinha terem ido para perto de algum lugar perto de nossas primas, ou talvez nossas primas esbarrem nelas e eu esbarre em todas juntas, aí facilita né? Senão terei que esperar ainda mais um pouco, mas tudo bem, tudo por colocar a Natureza nos eixo né? Se por acaso alguma prima nossa esbarrar com você, me conta depois tá? Ou pede para elas irem atrás da drow cheirando bacalhau, você disse que elas gostam de dar banho nos outros né? aqueles lá tá precisando. Vou ver ali.

Ela despede da prima com um beijinho no rosto e vai vasculhar os barris, a porta de saída e se não achar nada fica voando por ali.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 01, 2017, 10:35:49 pm
Vanessah

Niwo diz:

- Entendo, entendo... - refletia sobre suas palavras, - O bom Senhor Sokraz, que já não é tão novo assim, veja bem, ele tem problema cardíaco! E então, ele quase teve um treco! isso aconteceu logo depois que vocês sairam, ele começou a passar mal...! Eu não quero botar a culpa em ninguém, sabe; E eu sei que você está se esforçando ao máximo pra ajudar os massivinhos! Estamos debatendo essas coisas aqui, agora! Não quer particip... - Ela já ia gentilmente lhe convidar para o debate, mas percebendo que você estava apressada - não só em falar sem parar - Niwo interrompe a si própria, e volta a escutá-la passivamente, apenas dizendo, pontualmente, coisas, como se estivesse numa ligação a distância e difícil de manter: - [Layle] foi trabalhar lá na Ferragem!... Sim! nossa, quanta verdade!... Não é, não...!... É!... Claro!... Tá!... É!....... Até logo! Cuide-se e cuide bem deles! Eles precisam muito de você, Vanessah! - Só faltava a Fada da Montanha vestir uma roupa de animadora [de torcida] e ficar torcendo para dar tudo certo com você e seus amigos! afinal, parece que você foi brindada com uma verdadeira amiga de confiança já no seu primeiro dia de Ilha dos Desafios; isso é o resultado de seu esforço constante, e de seu grande coração!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 02, 2017, 10:52:14 pm
https://www.youtube.com/watch?v=OHqDX1EOf5I (https://www.youtube.com/watch?v=OHqDX1EOf5I)


Cael, Syllence, Iyas

Sentindo-se um pouco atrapalhados por agora ter que ir e voltar assim, por tão pouco, quase titubeavam em algum momento do curto trajeto. Então, quando estavam prestes a terminar de cruzar a rua e acessar a entrada da Taverna dos 7 Mares, são interpelados exaltadamente por uma voz feminina, vindo de um grupo de 3 transeuntes que se aproximava de vocês.

Dentre eles, aparentemente havia um casal de Humanos, vestidos a rigor para combate ou luta, como natos aventureiros, e 1 Minotaura, carregando apetrechos tipicamente associados a atividades místicas ou arcanas. A Humana, vestindo um traje de couro macio e versátil, com na cintura embainhado um sabre, já chegava para vocês num passo duro e de um modo áspero, um sorriso e tom irônicos nos lábios e nas palavras:

- Ora! Se não são Vocês aí! os tais "Desafiantes" da Ilha...? Ou o que restou deles...! Depois que os Piratas fizera....... foi interrompida prontamente no entanto pelo seu colega, também com um aspecto jovem só que pelo visto mais paciente, e ele tinha uma pele bem pálida - especialmente se comparada com a do Iyas -:

- Tá tudo bem, Kassey. - encarou-os, exteriorizando tranquilidade, mas também alguma dose de frieza: - Vocês são bem vindos aqui; Me chamo Arlouwizt, e sou o Treinador. Só peço encarecidamente que não arranjem mais confusão: já temos problemas suficientes aqui, por causa dos Piratas, e também por conta de outras calamidades recentes e inesperadas... - o Homem silenciou e os fitou calmamente, como que aguardando uma resposta ou talvez exigindo uma boa conduta da parte de vocês.


Kassey, Humana duelista
(http://www.invarietateconcordia.de/bgee/DARIAM.png)

Arlouwitz, Treinador
(http://orig14.deviantart.net/b56a/f/2013/232/5/4/setanta_portrait_by_caelicorn-d6ixig9.jpg)

Minotaura
(https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/00/9a/36/009a36fb8ad682466e8ba64e28825ca8.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 02, 2017, 11:26:01 pm
https://www.youtube.com/watch?v=4Wov_lfdyx0&list=PLJAXsS8rpwOaXRdBtVVvleIoJfzXYHKAV&index=9 (https://www.youtube.com/watch?v=4Wov_lfdyx0&list=PLJAXsS8rpwOaXRdBtVVvleIoJfzXYHKAV&index=9)


Venessah

Havia uns 3 barris de pé, num canto, e dentro de um largo buraco no fundo da parede da estalagem, uns outros 5 barris deitados e empilhados em 2 andares.

Dos barris que estavam de pé, 2 estavam vazios quando você empurrou-lhes a tampo - cheiro de bebida alcoólica fermentada e passada...!! "YUCKS!!!!", estremeceu todo o seu corpo. Bom... pelo menos era a vez dos Fungos agora? O último barril estava lacrado, e você não sabia direito como abrir... Também não queria perder muito tempo com aquilo, então apenas batendo-lhe na madeira com força, parece que continha o eco de ondas de líquido - bastante líquido! este estaria quase cheio.

Você então foi bisbilhotar as laterais superiores do buraco na parede aonde estavam enfiados os barris deitados; uma criança ou outra raça pequena provavelmente até coubesse ali e poderia avançar mais fundo na escuridão daquele tipo de passagem sem muita dificuldade, mas para um adulto massivo-massivo, seria bem complicado!! Já, para as Fadas era fácil, mas confinante pra quem tem Asas! Antes que continuasse, certificava-se que de que a Drowzinha não iria surgir de algum outro lugar qualquer do salão da Taverna, ou que ninguém estava prestando atenção diretamente em você, ou se não chegava ninguém pela porta de entrada... Percebe também que a Elfa Camponesa tinha desaparecido, desde sua conversa com a Niwo; adicionalmente, você escuta barulhos de passos e conversa lá na frente da Taverna; pelas silhuetas, você percebe que se reuniam diversas pessoas por lá, provavelmente chegando. Novos clientes massivos, quem sabe? Ou talvez seus companheiros-massivos voltando, justamente porque emperraram e precisam agora pedir socorro urgente a você??

O que vai fazer?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Junho 03, 2017, 09:19:03 am
Cael surpreendeu-se ao ouvir a voz da mulher falando com eles e virou-se para o trio com uma expressão atônita no rosto. As palavras da mulher lhe deixaram intrigado. Por que todo mundo sabia do ataque? As notícias viajavam rápido demais... E o fato de todos parecerem saber quem eles eram, fazia com que o elfo tivesse essa impressão de que estivessem sendo sempre vigiados. Era algo bem provável, visto o que seu grupo veio fazer nessa ilha.

Cael decidiu ignorar por ora as palavras e o tom de pouca gentileza na voz da mulher. Realmente não precisavam arranjar mais confusão naquele momento. Já conhecendo um pouco melhor seus companheiros, o elfo resolveu que seria melhor ele iniciar a conversa com os estranhos:

- Somos gratos. Eu me chamo Cael. - quem sabe até esse trio já soubesse seu nome, como o humano na taverna sabia, mesmo assim era preciso uma apresentação formal - É um prazer conhece-los, Miladies e Milord. - fez uma reverência graciosa e até um pouco teatral -Eu realmente sinto muito pelos problemas que causamos à vocês habitantes, não era a nossa intenção complicar suas vidas. - observou um pouco melhor aqueles dois humanos e a minotaura antes de continuar - Milorde acabou de mencionar calamidades recentes? A situação no lar de vocês está tão complicada assim? - perguntou pensativo, levando a mão ao queixo e observando atentamente os dois que falavam com eles - Se fôssemos tomar como base os poucos lugares que conhecemos do seu lar, exceto o ataque pirata, é claro, até o momento eu jamais teria imaginado que estão com tantos problemas... - imaginava se poderia tirar algum tipo de informação daquelas pessoas, ou se talvez fosse uma boa ideia tentar toca-los... Com os três juntos assim a segunda opção se mostrava um tanto complicada -  Então, esses tais piratas são um constante problema aos cidadãos da ilha?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Junho 04, 2017, 06:47:48 pm
Após Cael reverenciar aquela dupla de transeuntes Iyas fez o mesmo, só que na sua maneira quase robótica de cumprimentar, curvando a parte superior do torso, enquanto mantinha a mão direita sobre seu coração, como era o padrão nas grandes cidades de Quozor... Só que talvez o povo lá o fizesse de maneira mais fluida, graciosa, requinte este que ele nunca tivera se importado de incorporar a sua etiqueta. 

Aproveitando da companhia dos outros dois colegas, o forasteiro de pele escura  deixava que lidassem com as conversações, tentando entender o que ambas as partes falariam.  Era importante extrair o máximo de informações úteis daquele lugar e dos piratas, mas sem entender nem de perto o que era o termo "calamidade" ali citado.
 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Junho 06, 2017, 04:09:24 pm
Syllence permanecia quieta enquanto caminhava, mas quando estava pronta para atravessar a rua com seu grupo, ouviu uma voz vinda de suas costas. A mesma apenas movimentou a cabeça para o lado esquerdo puxando um pouco seu capuz para trás para que pudesse ver quem eram aqueles que lhe abordavam. Enquanto ouvia a humana falar a drow apenas estreitava os olhos. Tinha percebido que visivelmente aquela moça sabia algo sobre aqueles piratas.

Quando Cael começou a puxar conversa, Syllence finalmente se virou na direção do grupo, podendo assim ver cada um daqueles três. Olá os olhos de baixo para cima e de cima para baixo, cruzou os braços e deixou com que seu companheiro fizesse as honras da casa. Caso a humana lhe encarasse, a drow esboçaria um sorriso ironico igual ao que a humana lhes deu.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 06, 2017, 09:20:51 pm
https://www.youtube.com/watch?v=YRnDtuGCfpM&t=23s (https://www.youtube.com/watch?v=YRnDtuGCfpM&t=23s)


Cael, Iyas, Syllence

Os 3 habitantes de Arkhóreas os observam atenciosamente, e também com alguma boa dose de curiosadade; Parecia bastante plausível que, não era todo dia que recebiam visitantes - especialmente não sendo Piratas da Vastidão! Kassey, a duelista, fitava os cavalheiros do grupo de vocês com altivez de uma rainha; não demorou muito até que passasse os seus olhos escuros por cima de Syllence, e reparando em sua expressão jocosa, só balançou pro lado, com desdém, algumas de suas tranças ornamentadas, como que a insinuar quem era a mais fascinante entre as duas; mas não ficou a encarando muito depois disso, pois parecia cobiçar alguma outra coisa naquele momento, do que uma disputa de olhares entre duas Ladies armadas.

Então, o homem jovem e branquela, Arlouwitz, diz a Cael:

- Calamidades...? Heh!... fez ressoar de leve na expiração, com um riso franco e curto, depois de erguer as sobrancelhas fingindo didaticamente estar pasmo com suas palavras - Mestre Cael, você não acreditaria se eu te contasse agora sobre essas coisas...! - disse calmamente, talvez não tanto para esconder o jogo, mas para procrastinar ou escapar de uma árdua e provavelmente longa tarefa explicação de fatos. - Mas tenho uma sugestão para vocês, companheiros: Nosso Prefeito, o Sr Ermórixt estaria mais do que satisfeito em recebê-los em sua casa administrativa... Lá, ele ou auxiliares públicos, poderão lhes explicar com gosto e habilidade, tudo aquilo que se passa por aqui. A Prefeitura, se localiza ao Norte, seguindo reto das escadarias da Praia, atravessando a Praça do Mercado - apontava na diagonal, a Norte-Noroeste de onde vocês se encontravam. - Boa Sorte, Mestres Desafiantes.

Com isso, ele e a Minotaura fazem uma breve reverência, e adentram a Taverna sem mais demora; pareciam estar com alguma pressa. Já, a Duelista prefere soltar: - Não vão se perder, Rapazes!! - Então, ria-se alto depois, enquanto acompanhava seu próprio grupo.

Por um lado, vocês se sentem re-confortados por um momento, pelo fato de Arkhóreas ter pessoas relativamente prestativas, como o Treinador Arlouwitz. Ele parecia transmitir confiança; No entanto, por mais que desejasse, Cael não conseguia se sentir muito confortável em sua presença... Na realidade, é como se ele [Cael] tivesse uma nítida percepção de que estivesse querendo desejar confiar no sujeito a todo custo, sem querer. Esse tipo de sentimento lhe lembrava histórias antigas - ou nem tão antigas assim - que ele queria se afastar de sua vida de vez!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Junho 06, 2017, 09:58:04 pm
- Hah! - Cael deu um sorriso sem humor pelo canto dos lábios e ergueu uma das sobrancelhas, perplexo - Será que quase todos os habitantes daqui são tão apressados que não conseguem trocar mais do que uma ou duas frases? - falou em voz alta, mas não dirigia-se a ninguém além dele mesmo.

O elfo precisava se focar em não cometer os mesmos erros do passado. Não podia confiar em qualquer um que lhe parecesse gentil o suficiente. Aliás, ele nem fazia mais isso, mas as vezes parecia mais forte do que ele... Sua natureza cortês - e quase inocente demais -  as vezes teimava em retornar. Depois de todos esses anos sendo obrigado à ver o pior das pessoas já deveria ter aprendido sua lição. Aparentemente nem as situações horríveis que precisou vivenciar - e participar - foram capazes de lhe roubarem sua essência. Por um lado saber daquilo era um alívio, não queria ser, de jeito nenhum, aquela pessoa que foi obrigada a ser por tanto tempo, mas por outro lado, sentia-se novamente um adolescente, tentando confiar demais em instintos que, por várias vezes, poderiam lhe trair. Será que seus sentidos não tinham mesmo amadurecido junto com o resto do seu corpo?

O elfo já estava fazendo uma careta enquanto pensava, que com certeza deve ter, pelo menos, chamado a atenção dos seus companheiros.

- Ah... - ele piscou várias vezes e ajeitou a postura - Acho que é melhor fazermos o que viemos fazer antes de sairmos nos aventurando atrás de prefeitos ou delegados... - Ele deu um sorriso para Iyas e Syllence e também foi para a porta da taverna.

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Junho 06, 2017, 10:36:20 pm
A drow remove o capuz e continua a encarar a duelista, levando uma das mãos aos longos cabelos prateados e colocando um pouco desta atrás da orelha, com um olhar de "desafio aceito". Assim que a moça desviou o olhar Syllence fez o mesmo, e continuou atenta a conversa.

- Não se preocupe, eu raramente me perco!! - Disparou em tom irônico

Syllence não deu muita atenção ao que Cael havia dito, aquela mulher a desafiou, e ela adorava desafios. Seus olhos focados e frios denunciavam a falsidade de seu sorriso, e davam a certeza de que aquela humana havia se tornado uma presa.

- Eu adoraria colocar uma flecha bem no meio da testa dela... a essa distancia eu dificilmente erraria!! - Comentou a uma altura que possivelmente seus companheiros ouviriam.

Ela novamente colocou o capuz, e deu um suspiro - Acho melhor, eu não entrar ali, por enquanto, então vou ficar esperando do lado de fora!! Assim que pegarmos a fada a gente decide para onde vai, agora temos o delegado e o prefeito, e ainda aquela moça na praia e esse grupo...  pode ser paranoia minha, mas, acho que devemos evitar de nos separar.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Junho 06, 2017, 10:50:33 pm
O companheiro de olhos escuros observava os outros três indivíduos enquanto o homem esbranquiçado conversava com Cael. Não conseguia manter o foco no sujeito intitulado "treinador", muito menos na mulher que havia brevemente os dirigido a palavra uma vez que encarava com uma indiscreta curiosidade no olhar a minotauro fêmea. Esse povo com chifres era uma das muitas raças de criaturas que só veio a conhecer depois que zarpou do continente árido, e nos raros encontros ainda era uma visão um tanto fascinante para ele.

Quando o homem se despediu de seu grupo, ouviu o que Cael tinha comentado, e mais uma vez concordou, o seguindo atrás de encontrar a fada. 

Antes de adentrar na edificação, ouvira ao que Syllence tinha dito. A sua segunda frase ele deixou uma breve risada um tanto rouca escapar, que aos outros não era bem claro se ele estava rindo ao concordar com a bravata da drow, ou se estava achando engraçado aquela súbita rivalidade que esta criou com a mulher aleatória.

Em em seguida respondeu a ela sem a fitar nos olhos:

- Separar... não ser bom...  - acenando positivamente com a cabeça, enquanto rumava ao estabelecimento
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Junho 06, 2017, 10:58:43 pm
 Cael parou no meio do caminho e se voltou pra Syllence, surpreso:

- Uma flecha... "Bem no meio da testa"? Já está planejando mais uma vítima? - estava contendo o riso, lembrando de que há pouco estava pensando justamente que talvez fosse perigoso deixar a drow sozinha exatamente por esse mesmo motivo!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Junho 07, 2017, 07:43:02 pm
Vanessah olha uma última vez para os lados, nem sinal da drowzinha, então ela entra no buraco.

- Drowzinha... você está aqui lindinha compacta? "Titia" Vanessah pode falar com você? Você tá por aqui? Não é hora de brincar de esconde-esconde, embora uma drowzinha linda e novinha como você deve brincar muito mesmo. Ah, não sei se já lhe contaram, mas você acaba de ser adotada, não é legal? Drowzinha...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 08, 2017, 11:56:52 pm
https://www.youtube.com/watch?v=U9tHgFJd9sY (https://www.youtube.com/watch?v=U9tHgFJd9sY)


Todos

De volta à Taverna dos 7 Mares, ainda puderam ouvir a distância o brado estridente da moça, seguramente em resposta à última reposta de Syllence: - E quem disse que falei para Você?!?

A ambientação no interior da estalagem estava um pouco diferente da outra vez que estiveram ali. A maior parte dos clientes ainda eram os mesmos, no entanto havia uma grande aglutinação deles em torno de algumas mesas grandes reunidas, a esquerda de onde vocês vinham, e mais para o centro do salão. Havia uma discussão acalorada, talvez um debate incessante entre os participantes; era tão barulhento quanto se fosse um Jogo valendo fortunas em apostas!
O pequeno trio, do Treinador, dirigiu-se rapidamente a uma mesa distante ao lado dos janelões, e curiosamente, exatamente no local aonde vocês mesmo tinham se sentado da outra vez.
Na direção do balcão, vocês só viam alguns poucos clientes, conversando de pé com o Elfo auxiliar do taverneiro; no entanto, não viam sinal do Senhor Sókraz. Tampouco do Senhor Graadmonz.
Depois de darem uma boa vistoria com os olhos ao redor, não conseguiam localizar a Vanessah; será que a mesma sequer chegou à Taverna...? Tá certo que ela era pequenina, e talvez devessem olhar melhor e mais de perto... Mas agora, tinham um motivo a mais para se preocuparem! E vocês já começam a lamentar a superficialidade de suas palavras anteriores, com pretensões de não se separarem...!

Ninguém parecia ter dado muita bola à chegada de vocês, pareciam todos muito entretidos com eventos atuais e interessantíssimos, senão urgentes...! Até passa pela mente de vocês, uma certa saudade da extrovertida e diplomata amiguinha de vocês, que não ficaria nem um pouco intimidada em falar com meio mundo desconhecido daquele local, e tudo isso num piscar de olhos - ou num bater de asas de libélula...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 09, 2017, 12:40:51 am
https://www.youtube.com/watch?v=92XVfPDr5gs (https://www.youtube.com/watch?v=92XVfPDr5gs)


Vanessah

Você voa rapidamente e se esgueirando com facilidade para dentro da sombria fresta da esquerda, caminhando sobre barril, e avançando com alguma precaução, sua leveza de corpo e alma lhe ajudando mais do que qualquer outra coisa naquele momento; passa por sobre 1... 2, 3... barris deitados um após o outro, o buraco na parede era muito mais profundo do que você tinha imaginado inicialmente...! E se você fosse familiarizada com esses utensílios confeccionados pelas raças massivas (os barris), seguramente se perguntaria: "Quem seria tão tolo pra dispôr tantos deles dessa forma, que torna a maioria quase inacessível?

Finalmente, você parece chegar ao fim do "túnel", e a umidade, mofo e cheiro de depósito frio de recursos bons para massivos, era perceptível; seus olhos feéricos lhe permitem apenas enxergar um pouco na penumbra; Você tinha chego como que num aposento cúbico com palha esparramada pelo chão, e parecia haver uma linha de luz clara vinda da soleira de uma pesada porta de madeira escura do lado de lá, com aparentemente algumas densas barras de metal horizontais lacrando-a pelo lado de dentro..... E você leva um susto, sem sair de seu patamar barrilesco, seu coração disparando! pois percebe que há uma silhueta de uma pessoa massiva e meio acorcundada futricando na porta...!
Segurando sua respiração e freando o movimento de suas asas, torcia para não chamar atenção daquela coisa massiva...! que ficava se remexendo sem parar colada na porta...! Como parece que você não foi notada, e que ia se recompondo, seus olhos acabam percebendo, num cantinho da sala fechada e nojenta, não muito distante da porta e da figura massiva, estava acocorada e quieta, uma Outra Silhueta, mas triste e pequena, meio que com um lençol preto por cima do corpo... Não conseguia distinguir-lhe o rosto, mas você julga que era a Drowzinha......! E mais: você julga que ela estivesse sendo Raptada por aquela outra "coisa" massiva horrenda.....! Até que esta última "se levantou" um pouco de sua frenética tarefa, e você viu que era na realidade não uma criatura corcunda mas uma pessoa massiva e esguia... e que, claro, era a dita suspeita: Vestia as roupas da Camponesa Elfa...! Que coisa mais feia! sequestrar criancinhas!!!! Que Mundo!!! Que Mundo!!! E agora...?!


0-Fadismo | 1-MOB | 1-FRM | 2-INT |
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Junho 09, 2017, 03:37:13 pm
 Inicialmente Cael não dá muita atenção à bagunça da taverna, estava apenas interessado em encontrar  a companheira pequenina, mas ao perceber que não conseguia a encontrar em nenhum local, inclusive agachando-se para procurar debaixo das mesas - afinal uma criatura tão pequena podia se esconder facilmente em um local cheio de pessoas, mesas, copos, etc. Quando não conseguiu encontrar nenhuma pista de Vanessah, o elfo, já um pouco preocupado, resolveu dar mais atenção à bagunça e as conversas que o grande aglomerado estava tendo. Poderiam ter se irritado com seu grupo e resolvido tomar uma atitude mais drástica sobre o membro mais "frágil" fisicamente? Cael enfiou os dedos entre os fios de cabelos ruivos da nuca, começando a ficar ainda mais preocupado sobre o destino da fada, mas ia tentar se controlar e apenas ouvir as discussões, antes de tomar alguma atitude impulsiva.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Junho 10, 2017, 12:37:45 am
Ela entra no buraco, mas nada da drowzinha responder, então Vanessah percebe que aquilo estava mais para um túnel que só para um buraco.

Ela segue voando em silêncio. Sim, ela consegue fazer isto, afinal é doida, e não burra.

Seus olhos se acomodam para ver o que tinha na frente.

"Que lugar mais sujo! Quem deixa uma criança num lugar assim? Que tipo de alma desalmada faria tal barbárie?"

Havia outra pessoa ali forçando a fechadura. Será que aquela porta daria para fora? Com certeza caso ela estivesse mesmo raptando a drowzinha, e a levaria para onde?

Bom, o mais inteligente é esperar ela terminar de forçar a fechadura, interrompê-la agora, transformando-a numa cobra pela sua ovino-ofídeo-morfismo, deixaria a drowzinha presa. Então Vanessah espera, e concentra sua magia para transformar a outra em cobra se fosse preciso.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Junho 11, 2017, 08:28:08 am
Iyas foi até o balcão da taberna, deu as costas a esta estrutura de madeira e apoiou seus cotovelos reclinando-se um pouco, de lá ficou varrendo o interior do lugar com o olhar, em busca da pequena figura voadora. Não seria tão difícil acha-la se ela começasse voar e a tagarelar como sempre fazia, mas a taberna estava movimentada e o barulho das conversas paralelas atrapalhava neste aspecto lhe restando apenas tentar interceptar a minuscula forma voadora com a visão. 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Junho 15, 2017, 07:30:24 am
Syllence entrou em silencio seria isso um trocadilho? acompanhada de seus companheiro, notou que não havia sinal algum da fada. A drow suspirou imaginando consigo mesmo o quão ingenua foi deixando a fada tagarela sozinha. Parecia que o Elfo estava mais preocupado do que ela mesma, Syllence chega proxima a ele e coloca a mão em seu ombro - Não precisa se preocupar, ela deve estar atormentando alguém por aí!!

Ela então olha em uma direção que não queria e nota que o taberneiro não estava lá e sim um substituto - Vamos pegar informações, mas acho melhor você falar...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Junho 18, 2017, 11:39:56 am
 Ao sentir o toque de Syllence em seu ombro, Cael levantou-se do chão e virou-se para ela sem esconder o rosto de preocupação.

- Eu espero que sim, Mila... Syllence... Eu também não encontrei a criança. Espero que as duas estejam juntas... - suspirou - Mas confesso que a comoção deste local mais o sumiço do taverneiro estão me deixando incomodado.

Cael ouve a sugestão da drow e esboça um sorriso, achando a parte que ela pede para ele ser a pessoa à fazer as conversações engraçado. Começou a se afastar ainda voltado para Syllence, sem olhar para frente:

- Como quiser, Mi... Ééé... Como quiiiiii-- - sem prestar atenção no que fazia acabou atropelando uma cadeira que estava em seu caminho e caiu no chão, mas levantou-se no mesmo instante tentando fingir que nada acontecera para não ficar ainda mais constrangido.

- AH! Mas que--! - parou subitamente e pigarreou -Hmmm... Vamos então..... - respondeu sem olhar para a drow e indo em direção á Iyas, que estava no balcão.

Cael dirigiu-se ao elfo auxiliar que estava ali próximo.

- Com licença, será que poderíamos conversar por um momento? Milorde poderia me informar se tem algum conhecimento sobre o paradeiro da criança drow ou da fada que estava conosco mais cedo? - olhou em volta outra vez - E o que estaria acontecendo aqui, com toda essa comoção?

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 18, 2017, 08:36:18 pm
https://www.youtube.com/watch?v=kq59rEVWQNI (https://www.youtube.com/watch?v=kq59rEVWQNI)

(http://game.wakesidevision.com/wp-content/uploads/2010/09/Carline_Canopy1.jpg)

Cael, Iyas, Syllence

Iyas, contemplando os arredores, fisga um pouco da conversa alheia do auxiliar de taverneiro e seus clientes logo a frente do comprido balcão; dentre eles, postava-se, altivo e compenetrado, o já conhecido seu, Goirphenkht - sua capa jogada com estilo para trás de seu torso. Havia ao lado dele duas novas figuras desconhecidas: uma Elfa... - ou talvez um Elfo? difícil de saber, era uma figura muito bela em todo caso - de cabelos muito esbranquiçados e que lhe caíam na altura do peito, vestia trajes coloridos, leves e bufantes, que por estes últimos aspectos até lembravam as vestimentas costumeiras do Deserto; a outra figura era uma Lagartiana Azul, misteriosa espécie humanoide de criaturas para você... primitivos talvez? mas seguramente muito velozes, e também detentores de alguma força física inesperada para sua constituição, nem sempre tão musculosa como se esperaria de criaturas 'semi-monstruosas'; ela parecia vestir-se de peles de animais, e de outros trapos improvisados direto da natureza, como folhas enormes preservadas de algum modo.
Aparentemente, falavam a respeito da intriga envolvendo o Sr Sokraz e os novos "Contestantes", que o Elfo auxiliar da taberna, de cabelos pretos como a noite, pacientemente relatava fato a fato, a medida que lhe iam fazendo perguntas; às vezes, em silência, fazia um sinal negativo com a cabeça lentamente, e outras vezes erguia as sobrancelhas com espanto, a algo que lhe questionavam subitamente. Até que uma hora o Anão percebe sua presença e aponta pra você, abrindo um largo sorriso, faz um ensaio de uma reverência parecida com a de seu povo, e diz alto, indo até sua direção a passos decididos:

- Ohoh! Mestre De Q'arr Jaf, venha cá! lhe ofereço uma taça "do Tinto"! - convite ao qual você provavelmente não conseguiria declinar...! mesmo que não soubesse que bebida exatamente se tratasse, você certamente entendeu a noção da Taça de algo. E você gostaria que seus companheiros o esquececem por um tempinho agora. Goirphenkht observa a sua fisionomia, atento a sua resposta.


Cael, Syllence

Vocês não vêm sinal da Vanessah, mas notam que tem uma outra Fada, bem diferente da pequena companheira de vocês... Era uma Fada um pouco maior, mas com uma curiosa tonalidade cinzenta de pele; aparecia como uma imagem nebulosa, que se enxerga por de trás de leves brumas de uma caichoeira. A Fada está participando também das altas conversas que ocorrem naquele conjunto de mesas aglomerados; havia ali naquela mesa, além dessa Fada misteriosa, outras 8 pessoas; a maioria delas que vocês têm uma vaga lembrança de terem visto anteriormente na Taverna. Enfim, havia uma Pequenina, um casal de Anões, uma Elfa, um Humano, um Goblin, um Lagartiano e um Minotauro.
Cale consegue escutar que estavam a comentar sobre a burrice obsessiva do Sr Sokraz em insistir em vender tudo e qualquer coisa para qualquer um sempre que lhe dava "na telha"; um hábito mercador nocivo, tanto para as pessoas que nem sempre estão querendo comprar algo, quanto para ele mesmo, quando se via encrencado como... foi daquela vez, justamente. Mas parece que Syllence não foi a primeira a se incomodar com o taberneiro-mercador; mas que agora a coisa estava ficando mais séria: não só as pessoas não estavam mais tendo dinheiro suficiente pra comprar às vezes até o básico em Arkhóreas ultimamente, e por isso se frustravam com ofertas extravagantes e autoritárias, como também a saúde do homem já não era a mesma do passado... Tudo aquilo estava sendo debatido por aquele elenco aparentemente bastante civilizado, e você seria capaz de ouvir mais e mais, intrigado, se não fosse a Syllence puxá-lo para outros afazeres.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 18, 2017, 09:27:11 pm
Cael, Syllence

O Elfo atendente vira o rosto para vocês, e responde a Cael:

- Pois não, Vossa Senhoria. Perdão, a Senhorita Fada vossa companheira? Não a vi com este par de olhos, desde que saíram pela entrada... - Você acha graça do modo como o Elfo colocou as palavras, pois parece sacudir alguma sutil lembrança de como Elfos Adultos se expressavam na Cultural de seu povo original. E continua, com um muito tênue estreitamento do olhar a você - ...Mas, penso que você não acharia estranho se eu lhe disser, que a senti voar por este ambiente novamente, com este par de narinas, acharia? - apontava para o próprio nariz; Você ficou um pouco confuso, mas também entretido, com aquele último parecer. Finalmente, ele fala da Drowzinha: - Quanto à menininha: Se Vossa Senhoria a encontrasse quando ela resolve se esconder, então ganharia um Lanche - de vossa escolha! - declarou sem hesitar. Mas você tinha dificuldade de entender o quão do que ele dizia era "sério" ou não. Para Syllence, isso era ainda mais bizarro e desconsertante: ela não conhecia muito bem os modos sofisticados dos Elfos "cara-pálidas", não simplesmente por ser Drow, mas por não ter convivido muito tempo junto a aglomerados sociais depois de sua fuga de seu Reino. O Elfo enigmático então  respondeu a última pergunta do Cael: - Ficamos um pouco desorientados, pelo que se sucedeu neste local, há cerca de 1h atrás. Chamo-me Tutzil, e não penso que esta triste confusão possa ser selada por meio de meras palavras. Sou um Elfo de ação: Digam-me pessoalmente algo que eu seja capaz de fazer para Vossa Senhoria, e perdoem assim meu mestre-empregador; Rogo-lhes. - mirou sóbrio e resoluto, os seus olhos, tanto de Cael quanto de Syllence; essa reação espontânea, talvez só não tenha supreendido a Drow.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 18, 2017, 10:10:43 pm
https://www.youtube.com/watch?v=UNwwnwl8aMA (https://www.youtube.com/watch?v=UNwwnwl8aMA)

Vanessah

Você espera o momento certo para lançar sua poderosa-infalhível Magia Druídica sobre aquela egoísta Elfa...; a escuridão atrapalhava um pouco, mas você consegue definir visualmente bem sua silhueta corretamente no espaço - bem como seu devir serpentino momentâneo...! Certifica-se de que não vai trocar o alvo de sua Magia: só faltava transformar a Drowzinha em Cobra ao invés da Elfa Camponesa! Fica um pouco na dúvida em qual tipo de Cobra realmente deveria transformar a coitada, e até se seu imponente feitiço Ovi-Ofídeo-Morfismo estava tão em dia quanto você realmente acreditava que estivesse......

"ZAP!!!", Você cerra forte os olhnos, quando o raio translúcido castanho-claro e brilhante emerge da ponta de sua unha e gruda rapidamente no coro cabeludo da silhueta da Elfa, logo depois que ela dava o 'click' final de abertura da porta pesada, que se abria pro lado de fora lentamente, a luz a pino do sol começando a penetrar o aposento, e a Elfa se curvando já para pegar na mãozinha da Drowzinha que parecia deprimida em seu canto..
A Elfa não tem tempo de gritar: ela se contorce e se enrosca sobre si mesma, diminuindo, diminuindo, caindo, caindo...! Paf! cai no chão frio uma cobrinha de cerca de 25cm, com escamas manchadas de avermelho e amarelo; e fica ali se debatendo violentamente jogando palha pra todos os lados - obviamente, não tinha a menor noção do que era 'ser cobra', e deveria estar em pânico. A Drowzinha não se levantou nem saiu do lugar, mas se curvou um pouquinho em direção ao animal agitado, como que intrigada ou hipnotizada pelo evento todo, seus olhos fixos.

A luz clara do lado de fora atrapalhava-lhe um pouco as vistas; Ademais, você sabia que tinha relativamente pouco tempo pra fazer alguma coisa, antes que o feitiço terminasse; quem sabe, algo em torno de 3min desta vez? você calculava.


0-Druidismo | 1-PER | 1-INT | 0-RES |
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Junho 18, 2017, 10:49:27 pm
Um leve sorriso se formou no canto da boca do forasteiro de pele escura. Uma taça de bebida oferecida era um dos poucos atos que baixavam a guarda do sujeito, mesmo na presença de estranhos em um lugar desconhecido. Mas pela ação atual, o anão Goirper...algumacoisa parecia alguém de bem.

Iyas ergueu a mão, cumprimentando-o de maneira informal, enquanto se aproximava, aceitando a taça e farejando seu conteúdo.

- Obrigado - disse saudando-o com uma breve reverência.

A bebida produzida por fermentação do sumo de uvas o lembrava dos vislumbres que conseguia se escalasse alguns muros, revelando porções dos jardins suspensos de Vel'parl, a cidade em que foi treinado. Com ajuda dos magos que manipulavam o clima naquela área delimitada era possível que a cidade alta possuísse uma   vegetação abundante e atípica para os biomas desérticos de Quozor. Isso incluía grandes vinculas que produziam uma muito valorizada bebida local que havia experimentado pouquíssimas vezes. É fascinante como aromas podem remeter a experiências passadas.

 

 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Junho 18, 2017, 11:15:22 pm
- Funcionou mesmo?

Ele pergunta baixinho para si mesma, afinal ainda estava treinando aquela magia.

- Mas é claro que funcionou, eu sou muito boa!

Vanessah voa pra perto dos cabelos da drowzinha.

- Oi lindinha. Não se preocupe, eu não a machuquei. Esta magia acaba rápido, não dá nem tempo de cantar "dragon quest caboclo". Mas você não precisa ficar tristinha assim. Sabia que você ganhou uma mamãe nova? Minha amiga massiva ficou toda sentimental quando te viu e resolveu te adotar. Não é lindo? E ela ainda tenta fingir que é "a drow cruel e malvadona que não tem sentimentos". Bah, nunca acreditei nisto, sei que naquele sangue azul dela só tem bondade. Aliás não sei se o sangue dela é azul ou só a pele. Mas isto não importa, você pode rir agora, não está mais sozinha, terá uma família. Só falta arrugar um paizinho carinhoso também, mas eu também estou providenciado isto. Sua mãe ainda não sabe, mas ela já está apaixonada pelo Cael, eu vou abrir os olhos dela. Ah, e você ainda terá a titia Vanessah Fada para brincar com você, ensinar catar frutinhas. O que será que drows comem?

Ela puxa os cabelos da drowzinha em direção à luz.

- Mas agora vamos lindinha, temos que encontrar os outros, não precisa ficar tristinha mais. Vaaaaamoooos... Ah, depois precisamos parar de te chamar só de drowzinha. Qual seu nome? Conta pra titia Vanessah.

https://www.youtube.com/watch?v=M7JeBg-YqeQ (https://www.youtube.com/watch?v=M7JeBg-YqeQ)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Junho 19, 2017, 01:31:47 am
 Por alguns instantes Cael fica apenas observando como o elfo à sua frente montava suas frases, perdido em pensamentos, mas poderia pensar nessas coisas em outro momento, por isso voltou a se focar no que ele dizia.

Por azar ele não parecia ter muito mais informações além das que Cael já tinha ouvindo na conversa das pessoas da taverna e constatado por si só.

A última parte das respostas do elfo de cabelos negros deixou Cael intrigado. Por que estaria ele se oferecendo de tal modo, quando foram os recém chegados que causaram todo o problema, mesmo que o taverneiro gostasse de vender tudo que lhe parecesse oportuno vender. Cael acharia mais pertinente que os "amigos" do taverneiros o defendessem.... Na verdade o comentário do grupo que se formara na taverna para discutir e que dizia respeito às pessoas da ilha estarem ficando com tão pouco dinheiro que nem podiam comprar o básico, também tinha chamado a atenção dele. Cael acabou lembrando da elfa que pedira dinheiro à seu grupo mais cedo.

- Eu agradeço vossa prontidão em oferecer estes cuidados pessoais à este grupo. - fez uma breve reverência, enquanto parecia tentar imitar o modo de falar do sujeito - De minha parte eu não saberia em quais ações milorde poderia nos ser de boa utilidade, à não ser, é claro, com algumas informações. E acredito que nós também devamos nos desculpar com o seu ... mestre. - esperando que algum de seus companheiros pudesse ter algum pedido para fazer ao atendente, Cael virou-se para Iyas e percebeu que ele já estava bebendo algo novamente.

Ele suspirou, esperando que o humano não resolvesse que iria passar o resto do dia ali. Então Cael voltou-se para o elfo atendente, porém olhou para sua companheira drow pelo canto dos olhos, esperando que a ideia de se desculpar com o taverneiro não despertasse algum desejo dela de lançar algumas flechas em sua direção.

- Posso perguntar o que está acontecendo nesta ilha que está deixando seus habitantes com escarças condições financeiras? - dirigiu a palavra ao elfo atendente - E será que milorde conheceria uma jovem humana chamada... Be... Béthia? - acabara por lembrar da história sobre tocar as pessoas que tiveram há pouco. Quem sabe apenas perguntar sobre aquela jovem já resolveria suas dúvidas - Ah, sim. E se milorde soubesse de lugares em que poderíamos procurar pela criança e pudesse nos informar, eu ficaria muito grato.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Junho 20, 2017, 01:53:02 pm
Syllence também estava um pouco preocupada, mais com o drowzinha do que com a fada é claro, porém não poderia deixar isso transparecer, tinha que tentar manter a compostura naquele momento, se novamente acabasse deixando os sentimentos tomarem conta poderia arrumar outra confusão, e já estava bom de confusão por hoje.

Enquanto o Elfo saia e mesma ficou observando o local em busca de algo suspeito, até ouvir um barulho e notar que o Elfo havia caido, a mesma levao ao mãos ao rosto e balançou negativamente, enquanto segurava o riso. O ambiente já estava ficando tenso, mas a queda do Elfo talvez tenha aliviado um pouco.

Seguiu junto dele até o balcão, e ouviu atentamente o que o outro Elfo começou a falar, sem entender nada, ela aproxima o rosto e fala baixo no ouvido de Cael - Você esta entendendo alguma coisa?

Ela não sabia nada do costume dos Elfos, tudo que sabia era que estes não eram os melhores amigos de sua raça, e isso lhe fez pensar um pouco sobre sua relação com Cael... talvez em outros tempos eles fossem inimigos.

Assim que o Elfo falou sobre terem ficado desorientados, a mesma virou o rosto de lado e pigarreou - Eu e ele ja nós "acertamos" quanto a isso... mais do que tudo eu preso a honra, se ele cumprir com a palavra eu nem vou me recordar do que aconteceu aqui!! - Ela comentou sem olhar diretamente para o atendente
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Junho 25, 2017, 12:03:11 pm
Cael é surpreendido com Syllence falando em seu ouvido. Apesar de estar com a guarda abaixada, a ação quase o fez reagir de modo negativo.

A súbita lembrança da Dama dos Encantos fazendo exatamente a mesma coisa com ele lhe atravessou a mente como uma flecha. A Dama fazia aquilo para provoca-lo, embora o próprio feitiço o impedisse de "agir como ele mesmo". Só que agora não tinha o feitiço para amansa-lo. Entretanto Cael ficou sem ação. Apenas virou o rosto para a drow e ficou a encarando de perto, olhando-a no fundo dos olhos sem saber direito como responder ou como se focar no que ela acabara de falar.

Por fim, o elfo engoliu em seco, ergueu uma das sobrancelhas e sua cabeça voltou ao presente, o que o fez se dar conta que estava encarando Syllence de muito perto e isso com certeza não era nada educado. Iria pedir desculpas, mas quando abriu a boca para dizer isso, desistiu, achando não ser uma boa ideia, era melhor simplesmente a responder.

Sim, sim. Estou entendendo. Elfos gostam de conversar com tal formalidade. - ele sussurrou de volta, ainda na mesma proximidade, mas tão logo acabou a frase, virou o rosto de volta ao atendente, esperando que ficar encarando a companheira daquele jeito não houvesse importunado-a muito.

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 25, 2017, 09:43:58 pm
Vanessah

Demorou um pouco pra você conseguir tirar a Drowizinha - pelos cabelos - daquele aposento frio e mofado; A garota, talvez assustada demais, teimava em sair daquele canto escuro...... até ela perceber que você, uma Fada que falava de um jeito engraçado e sem parar, parecia BEM mais interessante do que uma reles Cobrinha; aí não teve outra: quando os incríveis olhos cósmicos dela - que você só agora conseguiu perceber melhor: eram profundos como o céu estrelado! aquilo não era comum em Elfos e outros massivos... em Fadas é que era típico - encontraram com os seus, ela parou a resistência e a seguiu espontaneamente até a luz do dia...

https://www.youtube.com/watch?v=8JjDCji2A_Y (https://www.youtube.com/watch?v=8JjDCji2A_Y)

Livres! Vocês deixam o prédio da Taverna para se depararem com um modesto quintal posterior de uma antiga casa silenciosa, de dois andares; O sol estava quase a pino, e havia uma maceeira no gramado daquele pátio, e algumas flores coloridas; à esquerda ao fundo do pátia, havia uma cerca-viva baixa, e que além dela dava para contemplar a imensidão do mar no horizonte, e do céu azul...... provavelmente passada aquela cerca-viva do quintal, e logo abaixo, haveria um alto desfiladeiro de terra com areia e vegetação selvagem: a típica barragem que antecedia, como uma fortaleza, a praia em baixo. Já, a direita, havia um breve caminho gozando de sombra, lajeado com algumas pedras lisas, e que passava entre a Casa e a Taverna, e que dava para a Rua de sempre, após uma pequena cerca de madeira branca, com seu pequeno portão entre-aberto.

Julgando que seria melhor vocês se eclipsarem logo dali, como se nada tivesse acontecido, deixaria a porta pesada aberta mesmo; foram-se até a Rua, e voltaram para a frente da porta de entrada da Taverna dos 7 Mares, na qual você podia ver os seus companheiros massivos conversando no balcão, um tanto ansiosos.

É claro que você tinha noção de seu grande feito, e sua turma de massivos talvez não acreditariam, porque claro, pouco entendem sobre a Vida. Mas, sozinha, por meio do espírito e coração resolutos, da astúcia, da paciência e da coragem, deu cabo, através de um simples truque de mágica, aos planos de alguém muito maquiavélico! Se você não tivesse se dado conta do perigo que a Drowzinha corria, todo o sonho de constituir-lhe uma boa família, teria ido para o Espaço...! e não haveria senão olhos da Noite, para lamentarem-se.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 25, 2017, 10:28:39 pm
Iyas

Apesar da água incrivelmente refrescante do poço, é verdade que você tinha bebido algum álcool já recentemente, mas também tinha tido um excelente desjejum; este vinho era dos bons! se era capaz de produzir-lhe um leve torpôr assim espontaneamente! Você certamente gostaria de repetir a dose assim que terminasse... Ou quem sabe, a taça de um vinho de menor qualidade e mais barato - pelo menos pra complementar. Você esperava que os seus companheiros, compenetrados numa conversação no balcão, tanto quanto você no vinho, não prestassem atenção em você como já tivera ocorrido n'outros momentos lamentáveis. Talvez, aquele 'controle' era a única coisa que você não gostasse daquele grupo; ao mesmo tempo, você devia a eles isso, pois isso pode ter lhe salvo a vida, ou algo de muito valor, lá no Continente.

Goirphekht, sentado num banco alto, ao lado do balcão, pergunta-lhe com curiosidade no rosto:

- Conte-me um pouco, Mestre De Q'arr Jaf, como foram seus dias no Continente logo antes do navio zarpar? Gosto muito de ouvir as estórias dos viajantes.

A questão lhe fez lembrar de sua ansiedade pelo Concurso, ansiedade que você tinha quase esquecido, após conhecer seus companheiros, a briga avassaladora na taverna em Bradbaum, os incríveis longos dias de navegação interrompida pelo ataque dos Piratas da Vastidão... Você também começa a se recordar do quão vinha sendo difícil o trabalho naqueles tempos - até mesmo para mercenários.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 25, 2017, 11:20:22 pm
https://www.youtube.com/watch?v=CR74vDbzpJg (https://www.youtube.com/watch?v=CR74vDbzpJg)


Cael, Syllence

Tutzil apreciou atentamente suas declarações; e disse, parecendo um pouco mais aliviado, ou menos tenso:

- Certo. Fico contente em ouvir de vocês, vossa Senhoria, que posso auxiliá-los desse modo. Pois vamos então logo ao caso. - Inclinou-se na direção de vocês sobre o balcão, como que para tratar de assuntos sérios e confidenciais:

- Nossa Economia em Arkhóreas nem sempre foi modesta, basta ver as obras de construção que temos por aqui, e a diversidade de talentos e pessoas. Mas sempre foi Sustentável. Os Piratas da Vastidão costumavam ser nossos aliados comerciais; mas isso mudou de uns meses pra cá, eles tornaram-se hostis para nossa aldeia em Arkhóreas, assim como são hostis para a maioria dos navegantes da Vastidão. Ocorre que, sem a ajuda das mercadorias piratas, a vida fica muito mais difícil para nós; somos forçados a nos virar de um jeito ou de outro. Para piorar, alguns pequenos grupos de habitantes se afastaram e começaram a se organizar criminalmente, e também a assaltar nossos fazendeiros a Oeste! Por isso estamos ainda mais preocupados! Estamos num momento também em que a Maga-Conselheira está ausente - justamente para buscar auxílio. Mas, sofremos ainda outro golpe do destino: pouco antes da data prevista de vossa chegada, a nossa Guarda Principal rebelou-se, sem motivo aparente! Estamos virtualmente desguarnecidos; e nossa sorte é que talvez os Piratas ainda não saibam disto! O golpe de misericórdia, talvez: a tragédia que lhes sucedeu! E que é também, a nossa tragédia de certo modo; pois alimentávamos esperanças de que o Concurso iria trazer reforços numa situação crítica... - olhou com pesar para os janelões do mar da estalagem.

- Ah! A Béthia... Humana? - conteve um riso natural - Não, meu caro Senhor. Mas está certo em achá-la estranha. - Inclinou-se um pouco mais a frente, e disse baixinho: - Ela é só uma Vampira. - e voltando a posição original: - Não se preocupe. - "ela é só uma Vampira? não se preocupe" Aparentemente, isso não era um problema para essa gente estranha; nem mesmo para os Elfos dali. Não fazia muito sentido para você...! Ou será que o mundo tinha mudado tanto durante os 15 anos em que você passou "anestesiado"?

- Quanto à menina Drow...... - começava a separar umas taças.

Só que neste momento, um outro Elfo próximo ao balcão, e bastante jovem e bem vestido, e muito belo também, tomou a palavra de Tutzil, dizendo, num tom espetaculoso e meio divertido, apontando para a porta da Taverna:

- Prezados Viajantes, seu problema encerra-se aqui. Presenciai; a dos Olhos da Noite!

Vocês olham na direção, e percebem Vanessah puxando levemente por uma mecha de cabelos negros, a Drowzinha...


Tutzil, Elfo Garçom
(http://orig14.deviantart.net/1750/f/2011/150/8/3/male_elf_by_emmil-d3hky5g.jpg)

Elfo melodramático
(https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/236x/e7/6d/6b/e76d6b6e2f9f22cbd900f52ed05c89bc.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Junho 25, 2017, 11:27:54 pm
Vanessah continuava segurando uma ponta do cabelo da drowzinha, como se evitasse que ela fugisse caso a soltasse.

- Mmm, viu como aqui é melhor que aquele lugar escuro? Se bem que dizem que os drows nascem em lugares escuros e subterrâneos, isto é tão triste. Mas não vai ser mais. Você é tão bonitinha pra ficar tristinha. E tem olhos tão bonitinhos! Mas porque não fala comigo? Ainda está tímida? Poderia pelo menos me falar como se chama. A titia Vanessah não pode passar o resto da vida te chamando só de "drowzinha" né? Se não me disser seu nome vou ter que inventar um. Sua mãe já chama "Silêncio", apesar que você conversa menos que ela. Se falasse um pouco mais poderíamos te chamar de Melody, ia combinar com Syllence, mas quietinha assim o máximo que podemos te chamar é Sonata. Mas Sonata é muito feio. Claro, tem quem gosta, acha até romântico ouvir uma sonata ao luar. Mm, o que você acha? Se não quiser falar me dá um sinal. Que tal assim: se gostar você pisca os olhos duas vezes, se não gostar você mostra a língua, pode ser? De que nome você gosta? Melody? Sonata?

Ela vai voando pela rua e olhando pra cara dela, vendo se ela piscava os olhos ou mostrava a língua. Neste meio tempo ela avista os outros:

- Ah, estavam todos perto. Se bem que não há muito pra onde ir também né? O importante é que agora você vai estar protegida. E olha, sua mamãe já está falando no ouvido do ruivo. Mas vamos tentar não ser tão entusiasmadas, ela está tentando se fazer de mulher difícil. Ai, estas massivas são tão bobinhas... Titia Vanessah vai te ensinar não ficar com estes joguinhos quando você crescer. Mas tem tempo para isto, você ainda e um botãozinho de flor lindinho, e vai me ajudar colocar aqueles dois na linha, certo?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 25, 2017, 11:45:53 pm
Vanessah

Você percebe que a Drowzinha olhava frequentemente pra você, com curiosidade, enquanto andavam; ela tropeçou diversas vezes no caminho em função disso. Em algum momento, você tem a impressão de que ela faz uma careta feia; Não puxou a língua ou algo assim, mas tinha reagido - talvez aos nomes que você lhe sugeriu... Talvez, ela fosse capaz de entender alguma coisa que você falava, afinal de contas.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Junho 26, 2017, 12:10:07 am
- Vai menina! Faz alguma coisa, mostra a língua pra tia. Você tem língua, não tem?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Junho 26, 2017, 01:25:40 am
Vanessah

Você consegue que ela fique um pouco zangada, não só pela expressão facial fechada, mas também por conta de uma leve tonalidade roxa na pele da Drowzinha. Ela tenta vagarosamente agarrá-la no ar com uma de suas pequenas mãos, em sinal de inconformidade.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Junho 26, 2017, 05:32:55 am
Vanessah também fica um pouco impaciente.

- Mas que coisa menina! Porque com mil demônios você não quer fa... - Ela então perde a cor e fica apavorada - OH NÃÃOOO, POR TUDO QUE SÃO DEUSES... NÃÃOOOOOO... NÃO ME DIGA QUE... OOH NINGUÉM FARIA ISTO COM UMA CRIANCINHA, SERIA MUITA CRUELDADE. NÃO ME DIGA QUE CORTARAM SUA LÍNGUA!

Vanessah abraça o pescoço da drowzinha com lágrimas compulsivas.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Junho 26, 2017, 11:56:08 pm
Syllence demorou alguns segundo para notar o constrangimento do elfo e então sua ficha caiu, ela corou um pouco e afastou o rosto - Foi mau... - Falou baixo, mas o que a surpreendeu foi quando o balconista começou a falar normalmente lhes explicando um pouco da situação, pensou ela que talvez aquele jeito de falar fresco fosse apenas uma fachada, ou não. Porém quando ele cita a verdadeira origem da jovem, Syllence pisca algumas vezes e fala lentamente - Só uma Vampira?

Tantas revelações fizeram a drow pensar que talvez o grupo devesse se reunir para analisar tudo aquilo, aquele lugar era muito mais estranho que ela imagino. Finalmente ele falaria sobre a pequena drow até ele ser interrompido por outro elfo, Syllence já ia fuzilar o mesmo com o olhar, porém quando olhou na porta ali estava a Fadinha e a Drowzinha. A drow suspirou aliviada, olhou para o elfo balconista - Agradeço pela sua grande ajuda, gostaria de conversar mais uma outra hora!! - E então respirou fundo e foi em direção aos recém chegados.

(https://s14.postimg.org/gzpq372dd/1374879450569.jpg)Enquanto caminhava notou a leve "desavença" entre as duas, uma tentando pegar a outra e no fim a fada abraçando o pescoço da drowzinha. Syllence ficou tentado buscar no mais fundo de seu ser o real motivo para ter pedido exatamente para Vanessah ir atrás da pequena. No fim deu de ombros e continuou caminhando na direção das duas, até que algo lhe vem em mente como uma flecha rápida atirada por ela mesma... -" O que eu vou dizer?"

Diversas coisas começaram a se passar na sua mente, coisas que ela ignorou a principio talvez devido ao ódio que estava sentindo do balofo, ou mesmo por imprudência, sua cabeça lentamente se abaixava -" E... se la não me aceitar...? "- Syllence muitas vezes era dura com as palavras, sarcástica, as vezes ate mesmo fria e mortal; talvez seu grupo jamais tivesse a visto exitar, em combate ou mesmo caçando ela sempre se mostrou como uma predadora, mas naquele momento ela parecia estar com... medo?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Junho 27, 2017, 10:12:17 am
Cael ouviu atentamente às explicações do atendente. Finalmente alguém resolvia explicar algo para eles sem cortar as informações pela metade, ou pelo menos aquela era uma explicação bem mais útil do que a maioria das que ouvira ali até então.

Ao ouvir sobre Béthia, o rosto de Cael se fecha completamente, talvez assumindo a expressão mais séria desde a chegada deles à ilha. Agora entendia perfeitamente a sensação que a moça lhe causara.

O elfo, em geral, era bem tolerante com outras raças. O motivo de ter desavenças inter raciais não lhe faziam muito sentido. Não esteve envolvido em nenhuma disputa ou guerra entre raças. Tinha crescido muito longe desses conflitos, por isso não tinha motivo nenhum para odiar outro ser apenas por óbvias diferenças físicas. Mas no caso de um vampiro, ele realmente sentia-se muito desconfortável de ter de lidar com um. Só a sensação que teve ao tocar Béthia já era o suficiente para lhe reafirmar esse incômodo com a raça. Não pareciam... Naturais... Cael não conseguia entender muito bem como aquele elfo se sentia aparentemente bem perto da jovem vampira.

Então o outro elfo intrometeu-se para falar da criança drow e Cael virou-se n direção apontada, vendo a menina e a fada ... Se entrosando? Cael ergue uma das sobrancelhas. E volta-se para o atendente e o outro elfo:

- Faço das palavras de minha companheira as minhas. Os agradeço por serem prestativos, preciso ir agora. Talvez voltemos mais tarde neste dia e então, quem sabe, possamos conversar um pouco mais. - com um sorriso Cael fez uma pequena reverência e seguiu Syllence.

Ia chamar Iyas também, mas quando se voltou para o humano percebeu que estava entrosando-se com um anão no balcão. Talvez fosse algo bom. Talvez pudesse treinar um pouco sua habilidade com a língua comum enquanto os dois resolviam a situação ali fora. Cael apenas acenou à Iyas, tentando lhe dizer que poderia ficar um pouco mais ali - mas esperava que o humano não estivesse com o objetivo de exagerar na bebida, pois certamente não era a melhor hora.

Estava seguindo a drow e logo notou que ela parou repentinamente no meio do caminho. Ao chegar ao seu lado notou certa confusão em seu rosto antes dela abaixa-lo. Não sabia exatamente o que passava por sua cabeça, mas aquilo certamente não combinava com ela.

Cael pousou a mão no meio das costas da drow e, ignorando totalmente o modo como reagira à pouco com ela, lhe deu um gentil sorriso tentando lhe reconfortar:

- Está tudo bem... - pausou por uns instantes para não acabar lhe chamando de milady outra vez - Syllence? Você a libertou. Não quer falar com ela? Talvez eu possa tentar. Não entendo de crianças de sua raça, mas talvez ela queria me ouvir? Podemos tentar. - ao terminar a pequena "conversa", o elfo deslisou a mão das costas da drow até seu ombro e logo afastou-se dela, saindo da taverna para se aproximar da fada e da criança.

O elfo agachou-se ao lado das duas e com mais um gentil sorriso pronunciou-se:

- Olá pequena Milady. Nossa amiga aqui está lhe incomodando? - com um gesto tentou convencer a fada à vir para o lado dele - Ela é bastante agitada e adora falar, mas é uma boa criaturinha. Provavelmente estava muito ansiosa em lhe ajudar da melhor maneira que conseguisse encontrar. - e provavelmente da mais maluca também.

Ele não sabia se a criança falava a mesma língua que ele, mas imaginou que talvez ela pudesse, pelo menos entender um pouco, já que na taverna deveria sempre estar cercada de pessoas que a falavam o tempo todo. Assim como fazia quando tentava se comunicar com Iyas, Cael começou a falar mais devagar que o normal.

- Á propósito, eu me chamo Cael. - tocou a mão no próprio peito - E pequena Milady? Teria um nome? - estendeu a mão na direção dela.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Junho 27, 2017, 03:02:22 pm
Ela estava distante totalmente perdida em pensamentos negativos, pensando se realmente tinha feito a coisa certa, pela primeira vez ela se questionou sobre isso, estava confusa não sabia o que fazer ou como lidar com aquilo, até sentir uma mão tocar suas costas. Imediatamente Syllence saiu daquele transe, era como se a voz de Cael a puxasse de volta de um abismo, ela piscou algumas vezes e o olhou para o mesmo. Por um momento um sorriso se fez em seu rosto e ela balançou a cabeça graciosamente em sinal de positivo.

Enquanto companheiro se afastava indo em direção a pequena criança, ela juntou suas forças e lembrou-se "Você a libertou". Talvez ela ainda fosse muito jovem para entender o significado disso, mas Syllence começava a acreditar que fez a coisa certa. Caminhou até o pequeno grupo, e se posicionou ao lado do elfo, também se abaixando - Como o Cael disse, a fadinha costuma ser um pouco chata, eu mesma tenho vontade de alveja-la pelo menos 40 vezes por dia, mas ela é só um pouco doidinha, acredito eu que seja inofensiva!!

Ela levou gentilmente a mão a cabeça da pequena Drow - Talvez eu tenha sido um pouco aterrorizante ah algumas horas atrás, e isso deve ter acabado te assustando não é...? - Ela fez uma pausa - ... eu fiquei nervosa, e perdi a cabeça, você é só uma criança inocente, e não merece ser tratada como uma mercadoria!!  - Ela então tira a mão da cabeça da pequena - Talvez isso possa te irritar um pouco mas eu espero de coração que você entenda... eu... eu assumi sua guarda, o que significa que agora você vai ficar conosco. Isso pode parecer um pouco assutador, mas eu posso te garantir que essas pessoas aqui são gentis, apesar de nos conhecermos a tão pouco tempo, sinto que posso confiar um pouco neles. Nós nos damos suporte, e nos apoiamos, ou pelo menos é o que temos feito desde que chegamos aqui!! - Ela momentaneamente olha para Cael e novamente volta sua atenção a pequena Drow - Eu prometo, que quando você tiver idade suficiente, você vai poder escolher seguir seu caminho ou continuar conosco!! - Syllence tentou ser o mais sincera possível, ela estava falando com o coração, sendo totalmente transparente. Por outro lado sabia que a pequena não era muito comunicativa, então ficou atenta a qualquer reação que esta fizesse - E bem... eu posso ensinar você a usar um arco e flecha... - Sorriu meio sem graça 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Junho 27, 2017, 10:28:38 pm
O forasteiro segurou a taça de vinho com as duas mãos, olhos pensativos recaiam sobre o líquido avermelhado por breves instantes antes de responder: 

- Dias… Interessantes são... - queria dizer que “foram interessantes”, mas na verdade foram bem difíceis. Sair sem nenhum rumo específico, com o único objetivo de se tornar muito mais influente do que um mero mercenário, e depois voltar para Vel'parl com algo que o fizesse importante o suficiente para conquistar seu objetivo...

Sempre que parava para pensar no absurdo que suas ambições pareceriam para os outros sentia ansiedade. O simples fato de começar dar os primeiros passos naquela língua falada fora de Quozor foi um grande desafio e a forma como ele atualmente conseguia se comunicar uma imensa vitória, mas nem de perto o suficiente para ter uma conversa satisfatória que seja. A fonética era tão diferente que sentia que nunca iria ser algo natural para ele por mais que viesse se esforçado durante todos  aqueles vários dias de jornada, o que tornava todos os dias um tanto solitários. Sentia falta de conseguir trocar mais do que algumas poucas palavras limitadíssimas com outras pessoas.

-  Navios… - mostrou os dedos formando o numeral dois para o anão, indicando a quantidade de embarcações que havia utilizado para sair do Continente Árido - para chegar em terra... em continente, eu dividir convés com almusiqiiyn… músicos, artistas. - sorriu - eles ajudar em idioma comum, dar livros. - Um destes era um curto dicionário manuscrito dos dois idiomas que um musicista do continente havia o vendido,  item que infelizmente fora perdido no naufrágio junto com todo o resto de sua bagagem. Neste momento viu Cael acenar para ele enquanto saia de onde estava com   Syllence. Iyas então acenou de volta demonstrando que havia captado a mensagem- livros ajudar a estudar - completou um pouco incomodado - Não ser barato sair de onde eu vir.

Enquanto conversava com o anão viu a dupla dos orelhas pontudas indo em direção a criança. Ao que parecia a fada tinha a achado, o que para ele chegou a ser algo que não esperava que fosse acontecer, impressionado ele sorriu brevemente enquanto via o quarteto reunido e deu mais uma golada degustativa no vinho. 
   
Goilpect ser do continente? - continuou a puxar assunto de forma descontraída enquanto ainda observava a movimentação ao longo do estabelecimento.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 01, 2017, 12:54:40 am
https://www.youtube.com/watch?v=Xepbmq2eQAU&t=0s (https://www.youtube.com/watch?v=Xepbmq2eQAU&t=0s)


Vanessah

Você não conseguia decifrar qualquer coisa sobre o passado daquela criancinha massiva, mas é seguro que seu abraço a reconfortou de uma forma especial; ao invés de suas mãos fecharem-se sobre você de um modo bruto e impulsivo, lentamente acalmaram-se, e tatearam acariciando suas asas, como que com medo de provocar qualquer estrago, como se a Drowzinha tivesse plena consciência de que estava lidando com algo vivo, muito delicado ou valioso; você percebia que a partir de um dado momento ela tentava examiná-la atentamente de perto, com seus raros olhos da noite; procurava entendê-la, apesar de você estar assim tão próxima e colada em seu pescoço.
Por outro lado, você começava a ter uma sensação muito estranha em relação à menina: você sentia em seu corpo e em suas mãos, vibrar uma energia profunda e latente; mas era uma sensação ambígua porque havia 2 energias; uma era brilhante e a outra sinistra...

Em algum dado momento, quando chegavam próximos Syllence e Cael, você não sabe se ouviu algo, algum murmúrio vocal da parte da Drowzinha... ou se foi algo dentro de sua cabeça. Mas você acha que ouviu sua voz ou alguma noção sonora, dizendo-lhe, ou significando-lhe algo tão inusitado quanto: "Alma-Gêmea...".

Isso tudo deixou-lhe bastante intrigada.


| 1-HRM | 1-AÇÃ | 1-EMO | 1-CH'I | 0-DEV |
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 01, 2017, 07:01:27 am
https://www.youtube.com/watch?v=wEVsbQzG8yw (https://www.youtube.com/watch?v=wEVsbQzG8yw)


Syllence, Cael

- Pois sim; uma Vampira de fato - enfatizou Tutzil a Syllence - Mas recordo-me de que, algumas décadas atrás, quando muitos de nós, hoje habitantes de Arkhóreas, viemos do Continente, isso não era tão comum nas comunidades. Aprendemos a conviver.

Tutzil, embora sempre com seu ar sério, parecia orgulhoso de sua função como Atendente, e de poder lhes prestar serviço, ainda que apenas com aquelas informaçõões, que para ele talvez fossem até algo banal em seu cotidiano. Então, com um olhar límpido, mira vocês nos olhos, um de cada vez, primeiro Syllence e depois Cael, dizendo-lhes:

- A seu dispôr estarei, Minha Senhora e Meu Senhor. É de meu agrado poder ouvir-lhes seu contentamento. Até breve!

Junto ao balcão, despedia-se de vocês com uma reverência o outro Elfo que os havia anunciado da presença da Drowzinha, bem como, do lado dele, uma Lagartiana Azul a qual tinha muitos vegetais em sua indumentária rudimentar; o que havia chamado a atenção de Syllence pois reconhecia ali claramente alguma sabedoria do mundo selvagem; No entanto, a pressa do momento ditou o afastamento.

Ao caminharem em direção à saída para se juntarem à Vanessah e à Drowzinha, Cael, observando Iyas, constatou um pouco aliviado que o rapaz precisaria de muito mais tempo ali para afogar-se na bebida, já que se esforçava na comunicação; além disso, ele não parecia mais tão cansado... pelo contrário, você nota nele um vigor renovado como se nada tivesse ocorrido naquele fatídico dia em que despertaram, náufragos e arrasados, na beira da praia. Intrigante como tal, esta percepção nítida de repente lhe faz ter um breve mal-estar, de seu próprio cansaço físico.


| *0-SAÚ | 2-PER | 1-CSC |
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 01, 2017, 03:15:15 pm
https://www.youtube.com/watch?v=XL5g2LlFJc0&index=18&list=PL78444D846F379E2F (https://www.youtube.com/watch?v=XL5g2LlFJc0&index=18&list=PL78444D846F379E2F)


Vanessah, Syllence, Cael

Vocês se encontram logo a frente do assoalho antes da porta de saída da Taverna dos 7 Mares, um pouco deslocados ao lado para não ficarem no caminho da clientela que porventura poderia passar.

A Drowzinha observava, devagar como vinha sendo seu jeito, os "massivos" Elfos que se abaixavam entusiasticamente para tentar lhe falar um monte de coisas supostamente importantes e numa ordem muito técnica... Syllence percebe que a pequena parecia menos interessada em seus semelhantes adultos, do que talvez a primeira vez em que teve contato direto com ela, quando catou suas flechas por mero acaso; Talvez, ela estivesse apenas aborrecida por aquela confusão toda, e estivesse cansada de se esconder e de caminhar de lá para cá erraticamente. Por mais que falassem e se prolongassemn, se a Drowzinha - cujo nome não tinha ou lhes era desconhecido - realmente estivesse entendendo algo, parecia não prestar atenção. No fim, parecia mais evidente naquele momento que, vocês tinham muito mais a aprender com as crianças pequenas, do que elas com vocês. Cael consegue muito pouco retorno ativo daquele primeiro contato, talvez estivesse cansado demais para sequer prestar atenção de fato em reações muito sutis de uma infante silenciosa demais. Mas nem saberiam dizer ao certo que idade ela tinha... Seriam uns... 30 anos? [o quê, para uma criança da espécie Humana, equivaleria a cerca de 5 anos de idade]. HAh! e querem saber? Talvez, ela realmente não entendesse bulhufas do que diziam! por isso tavez ela lhes apresentava aquele ar monótono e demasiado plácido, ou talvez até meio estupefato, pelo fato de, do nada, receber tanta atenção de uma vez só...

Vanessah sabia o quão ingênuos vocês estavam sendo, e já matutava em sua mente criativa e generosa, uma lição pedagógica para os coraçõezinhos massivos estressados pela materialidade de um duro cotidiano. Preparem-se....!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 01, 2017, 04:03:40 pm
https://www.youtube.com/watch?v=MV-FvxoR1PQ (https://www.youtube.com/watch?v=MV-FvxoR1PQ)


Iyas

- Não duvido! E longas distâncias são. E sua capitania desértica qual é: o Dazkh'arr ou o Quozor? - Interrogou-lhe, entusiasticamente... e de repente lembrava: - Ah! sim, Mestre De Qarr'jaf, eu infelizmente só conheço algumas... sharrzik? [expressões] de sua região; MAS, eu tenho aqui na Ilha um ou dois contatos que conhecem a cultura do Deserto; e uma dessas pessoas é Escriba, e fez doações de uns livros importantes para a Biblioteca Mística daqui. Seu nome é Sav'firr, e ela mora numa casa perto da Igreja.

- Sim, sou do Continente, Radrofft! vulga "Terra dos Rasos". Vim para Arkhóreas na última "leva" de imigrantes, isto é, há 12 anos atrás! Ohoh!! Eram bons tempos ainda, você deve se lembrar; Viajava-se muito mais para lá e para cá, e inclusive o comércio no Continente e com o Deserto; a sua seda era muito valorizada! - Goirphenkht agora levava aos próprios beiços uma taça de vinho metálica.

- E então, Mestre De Qarr'jaf; o Concurso do Intendente Monz, vai ter?? - arregalou os olhos, intrigado e suspeitosamente muito ansioso. Parecia ser algo bastante importante, de seu ponto de vista; afinal, ele deveria gostar bastante desse tipo de Desafio, ou Espetáculo, enquanto músico, artista, viajante e contador de estórias. E você se questionava, o que haveria realmente para "assistir"...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Julho 01, 2017, 04:37:19 pm
Syllence deu um longo suspiro - Eu já esperava por isso!! - Confessou, imaginou que talvez devesse usar uma abordagem diferente, o problema é que ela mesma amadureceu muito rápido, e não sabia muito bem como lidar com crianças

- Ok, vamos mudar a estratégia!! - Syllence bateu bem de leva na cabeça da Drowzinha e depois na sua própria cabeça enquanto dizia - Você e Eu... - Ela então juntou as mãos - Juntas!! - Ela falava de vagar para que a pequena pudesse entender.
Na verdade o que ela não queria era sair arrastando a pequena Drow por aí sem ela saber o porque, Syllence achou justou ao menos tentar explicar isso para ela.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 01, 2017, 05:24:21 pm
 Cael deixou o corpo cair para trás, sentando-se no chão e suspirando. De certa forma, estava arrasado. Achava que conseguia lidar com crianças relativamente bem, mas pelo jeito não sabia se comunicar com crianças drow.

Chegou até a achar que o modo tão inesperado - ou inesperadamente gentil- com o que Syllence falou com a pequena fosse surtir efeito, mas nem isso. Imaginou que a companheira deveria ter se esforçado para dizer abertamente tudo o que dissera, visto que, pelo que conhecia dela, Syllence não costumava ser desse jeito.
 Ele também estava incomodado porque acabara de incentiva-la à falar com a menina, de modo a parecer que isso iria resolver o problema, mas aparentemente foi inútil. Qualquer receio que Syllence antes tinha, poderia muito bem continuar ali depois da tentativa falha. Cael sentia-se culpado agora de indiretamente incentiva-la a se expressar mais abertamente com a pequena e falhar.

Com o corpo cansado demais, sua atenção também estava comprometida. Se continuasse desse jeito, logo iria começar a atrapalhar seus companheiros, no entanto não queria deixa-los por conta própria. Agora estava em dúvida do que fazer.

Cael ficou observando a nova tentativa de Syllence de se comunicar com a criança em silêncio. Observando como ela se saía e pensando no que faria à seguir.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 03, 2017, 10:51:56 pm
Ainda com os olhos atentos no movimento do lugar, principalmente nos companheiros ouvia o que o anão tinha a dizer, tomando outro gole:

Sav'firr... Escriba... - repetiu para guardar aquela informação, juntamente com a localização ao qual foi passada, embora não soubesse ainda o que aquele termo usado para referenciar  - Que ser igreja? - inquiriu um tanto curioso depois de alguns momentos não conseguindo deduzir o que se tratava. Em seguida o sujeito respondeu pondo a mão livre em seu próprio peito - Ser de Quozor. - Abstraiu a resposta.

Seus ancestrais eram de uma tribo mais para o centro do continente fora dos territórios tanto de Dazkh'arr ou Quozor, na área conhecida pelos nativos como "terra de ninguém" afastados em um assentamento próximo a um oásis, infelizmente o caos da guerra civil conseguiu os alcançar. Nada daquilo valia a pena compartilhar com o estranho, então resolveu dizer que era do local onde cresceu, a capitania a qual Vel'parl e a Companhia pertencem.

- Concurso ter... sim. - por alguns segundos fitou o companheiro de bebida com um olhar decidido enquanto respondia - Meu grupo continuar.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Julho 04, 2017, 04:44:42 pm
- Vai lindinha, me diz que não machucaram você. Diz que você não fala nada porque não quer, porque este pessoal a sua volta é chato, e não porque tá sem língua. Senão vou ter que enfiar a mão na sua boca pra ter certeza que tá inteira. Titia Vanessah sabe que você quer falar com ela.

Vanessah sente a energia dela.

- Olha, ela também tem o coraçãozinho bonzinho. É igual a mamãe nova dela. Vocês parecem chatas por fora mas são boazinhas por dentro.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 05, 2017, 01:09:36 pm
https://www.youtube.com/watch?v=LjOqKxGz4yw (https://www.youtube.com/watch?v=LjOqKxGz4yw)


Syllence, Cael, Vanessah

A Drowzinha fica olhando, com as pápebras pesadas, para o rosto de Syllence, a qual tenta fazer graça... Sem provocar muita reação - ou pelo menos, não imediatamente na Drowznha; ou pelo menos, que não fosse alguma modesta reação de surpresa de Cael, e talvez de Vanessah.
Passou-se alguns segundos, a Drowzinha de repente avança a mão direita para tocar no arco longo de aspecto rudimentar, da Drow adulta, que recostava sobre suas costas atrás do manto cinzento-escuro.

"De novo!", fulminou no pensamento de Syllence, a menina tentava brincar com suas ferramentas de trabalho...!

Vanessah e Syllence também agora começavam a ficar cansadas, percebiam...
Sim, parece que, agora que, finalmente, a mãe encontrou com a filha, depois dessa erraticidade toda, agora davam-se por conta de que tinham que descansar um pouco; e o estado cansado de Cael, e noção de missão cumprida, também ajudavam-lhe a lembrar de que precisavam repousar um pouco. Não estavam particularmente com fome ou sede - havia somente algumas horas tinha saciado suas necessidades nutrcionais com o magnífico café da manhã da Taverna dos 7 Mares -, mas a lembrança do Naufrágio e do despertar na praia lhes veio de súbito como uma pontada de flecha nos ombros. Uma Fada cansada era só uma Fada que se movimentava menos em seus gestos de vôo; e uma Vanessah cansada então, devia ser uma Vanessah que falasse a metade do que costumava falar normalmente - agradeceria Syllence.

Bom... estavam um pouco cansados de ficar às voltas da estalagem - se não fosse para comer ou dormir! - Aliás, como seriam os quartos? Em todo caso, aquele ambiente de salão, saturado de gente estranha, não lhes era dos mais reconfortantes naquele exato momento - especialmente para Vanessah e Syllence, que tinham motivos mais profundos para evitar aquele tipo de lugar. Mas, talvez fosse bom para Iyas - com sua taça de vinho na mão; e quem sabe a Drowzinha não se importasse. Quanto a Cael, o Elfo Alto parecia não se importar, ainda que gostasse da abertura para a natureza.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 05, 2017, 01:38:44 pm
Iyas

- Uma Igreja...! - fez o bardo, um gesto com as duas mãos, de um templo religioso... lembrando-lhe claramente o símbolo da mais famosa religião do Deserto, e seu profeta das dunas celestes, Hammrah'vi, que formavam as dunas invertidas nas nuvens do céu e nas nebulosas do espaço...

De repente, ao lado de Goirphenkht, aproxegaram-se com uma reverência, o belo Elfo e a Lagartiana Azul, talvez para interagirem na conversa também. O Anão, de prontidão, exclamou-lhes:

- Ah! Lyeek-var, Shmaxmath! Deixem-me apresentá-los, ao Senhor De Qarr'Jaf, Homem do Quozor! De muito longe vieram ele e seus amigos, assim como nós mesmos...! A tradição não muda, não é mesmo? Ohoh! - aguardou que terminassem seus cumprimentos e cordialidades, então retomou: - Se puderem levá-lo depois para visitar Sav'firr em sua casa, seria um grande favor para mim, meus caros!

- Pois não, Mestre Goirphenkht. - Respondeu o Elfo, acenando positivamente, com um olhar brando, na sua direção. - Vollluntarrriameeenti. - Sibilou a Lagartiana, quiçá de uma forma... polida? mas que lhe fez estremecer; não tinha convivência suficiente com aquele tipo de ser.

- Mestre De Qarr'Jaf e sua comitiva, vão encarar o Concurso!! - disse emocionado o Anão, aos seus companheiros.

- Mesmo depois de tudo isto pelo que passaram?? É muito corajoso! - Surpreendeu-se o elegante Elfo, olhando em sua direção. - Ésss. Ésss. - Disse a Lagartiana, ela então tirou de sua bolsa uma pulseira de folhas... entregou-lhe na mão meio que contra a sua vontade, dizendo-lhe: - Vaissss prrecisssssaarr; parrraa sssss-sssorrttte! Snh'orrrr Qarr'Jafffss. - Você aceitaria aquele presente inusitado de uma estranha?...

Naquela estranha interação, ainda assim, lhe chamou a atenção que as roupas que o Elfo vestia, eram leves e um pouco bufantes; alguns padrões lembravam-no de roupas típicas do Deserto... mas ao mesmo tempo, talvez fosse só uma moda passageira de outra região... pois ele não tinha nem a pele nem o sotaque de nenhum povo do Deserto que você conhecesse; e os Elfos de lá tinham a pele morena - mas não tão escura quanto a de Syllence - e muito menos aroxeada!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Julho 05, 2017, 03:52:10 pm
A drow revirou os olhos quando ouviu os dizeres da fada, a insistência naquilo já estava começando a cansar, até finalmente houve uma reação -" De novo? "- Foi a primeira coisa que passou pela cabeça de Syllence, a mesma fechou os olhos suspirou e sorriu um pouco - Você é mesmo bem curiosa não é? - Disse enquanto removia das costas o arco e entregava a pequena curiosa, enquanto se voltava para o resto do grupo

- Acho que ela vai falar quando sentir vontade, se ficarmos insistindo vamos acabar incomodando; além do mais, acho que vocês devem estar tão cansados quanto eu, não é?

Enquanto deixava a pequena brincar com seu arco, a drow levantou-se - Temos muitas informações para compartilhar, pessoas para conversar, além dizer ao cara chato que vamos sim participar do desafio... - Ela fez uma pausa - ...então vamos apenas avisar sobre nossa decisão, e tirar o resto do dia para descansar!!

Ela aguardou que os outros se pronunciassem - Eu preferia deixar vocês aqui na taverna e procurar um lugar mais ao ar livre, mas não sei dos hábitos da pequenininha, então vou me dar ao sacrifício!! - Falou um pouco desanimada e então olhou novamente para a pequena curiosa - Quando ela estiver mais "focada", vou tentar descobrir se ela tem um nome... chama-la de Drowzinha soa um pouco estranho para mim que também sou uma drow!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Julho 05, 2017, 05:27:09 pm
- Ela não gostou de Melody nem de Sonata. Podemos chamar de Allegro então. Assim ela terá a nobre missão de quebrar o silence e alegrar nossos corações. Acho que fica bonitinho em você.

Vanessah fazia trancinhas no cabelo da drowzinha, esperando que ela gostasse do novo batismo.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 05, 2017, 07:51:15 pm
Iyas recebeu com bastante surpresa em sua mão esquerda o inesperado colar da reptiliana, era extremamente raro ganhar coisas sem ter de suar bastante por elas... e até chegar naquela ilha já havia ganho comida e agora aquilo… seja lá o que fosse. Talvez a sorte estivesse o compensado de alguma maneira inusitada por todo aquele problema do naufrágio. 

- Obrigado… - falou em seu sotaque carregado, aproximando a pulseira que repousava na palma de sua calejada mão para mais próximo de seus olhos cor de madeira escura, examinando o presente.

Seria aquilo um mero costume da cultura da criatura? Ou seria algo do povo da ilha? Era aquele adorno um simples item de artesanato, ou seria algo mais especial? Sempre se perguntou quando iria se deparar com um artefato mágico. Sempre invejou a espada cor de sangue do Mestre Faris, que era inacreditavelmente afiada, podendo cortar troncos grossos de palmeiras com apenas um golpe bem aplicado do renomado espadachim. Algo que deixava todos os na Companhia que presenciavam uma demonstração sempre embasbacados… Quem dera ele conseguisse encontrar algo com aquele tipo de poder. Sobre o colar, sempre podia pedir a opinião das suas duas companheiras de naufrágio… A fada de qualquer maneira entende muito mais de magia que ele e se aquelas folhas tivessem alguma propriedade natural escondida a selvagem mas nem tanto drow talvez pudesse indicar, se ele conseguisse ter capacidade de falar com ela.

Tirando a cabeça das nuvens e voltando a realidade, guardou colar em um dos dois saquinhos vazios que tinha preso em sua cinta, no mais seco de preferência e agradeceu a  lagartiana mais uma vez.

- Shukraan - agradeceu em sua língua, fazendo uma breve saudação. Voltou a fitar o Anão para perguntar algo que havia deixado escapar da última vez: - Que dia ser? - se referia ao dia da semana -  Quando você tocar? - inquiriu, tomando mais um gole, deixando a taça apenas com um pouco sobrando.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 06, 2017, 02:03:16 am
 Cael não reagiu muito mais ao que Vanessah e Syllence disseram após ele se sentar no chão. Apenas as ouviu em silêncio. Acenou a cabeça positivamente quando Syllence perguntou sobre estarem cansados.

Preguiçosamente ele se levantou do chão e suspirou, sem ter conseguido se recuperar do repentino desânimo que lhe atingiu.

- Primeiro... - fez uma pausa para inspirar profundamente - Vamos reaver Milorde Iyas. Ele me pareceu bastante energético ali no balcão da taverna. Sobre o humano que espera a nossa resposta... - estava cansado demais para lembrar seu nome - Talvez o atendente nos ajude com isso.

Com uma expressão fechada e desanimada, Cael deu as costas às moças e voltou para onde Iyas estava conversando com o trio. O elfo tentou melhorar um pouco sua expressão e cumprimentou os desconhecidos da maneira mais gentil que conseguiu.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 06, 2017, 08:27:24 am
https://www.youtube.com/watch?v=88VPpm4ZCa8 (https://www.youtube.com/watch?v=88VPpm4ZCa8)


Todos

A Drowzinha não parecia prestar atenção senão ao usado arco longo da Caçadora, não parecendo muito dar atenção aos padrões que Vanessah produzia em sua cabeleira, nem ao novo nome sugerido, que passara-lhe pelos ouvidos talvez desapercebidamente - em todo caso sem resistência. Ela tateava a arma lentamente, de cabo a rabo, talvez procurando por detalhes microscópicos em sua madeira carcomida... deparou-se então com a flexibilidade e elasticidade maior da corda, e ali ficou puxando e soltando, de leve, sempre olhando de muito perto - o que deveria deixar qualquer um vesgo!

Talvez Syllence tivesse razão, e não devessem forçar a barra com Allegro, ou a Drowzinha; tentando tirar dela aquilo que ela talvez não tivesse.....

O colar, de folhas secas, tinha um cheiro muito forte; não era um cheiro ruim, mas contundente, de ervas estranhas; com certeza a Syllence, a Caçadora, ou Vanessah, a Fada, teriam algo a importante a dizer-lhe sobre aquela planta misteriosa... Quem sabe até mesmo Cael, o Elfo ex-escravo, que aproximava-se agora de vocês agora, pudesse saber algo a respeito; mais tarde...

Shmaxmath, como deveria ser o nome da Lagartiana Azul, retornou a palavra a você:

- Tommarrrr, cuiddd'addo! Com assss ssssaíddassss... nottt'urrrnasss! -

- Ohoh! Mestre De Qarr'Jaff, imaginei que deviam ter se perdido um pouco no tempo, também... - Disse Goirphenkhtz. - Eu estava aguardando justamente por esta pergunta! Então! Estamos hoje, numa Segunda-Feira, Dia 01 de Julho! Meu Evento é na próxima Quinta, Dia 04! - Então via ele, e os demais, a aproximação e apresentação de Cael - Ahh! Mestre Galadin, é uma satisfação tê-lo conosco! Sou Goirphenkht, O Menestrel! - Ofereceu-lhe, de pronto - ou o mais rápido possível - um cálice de vinho que logo veio das mãos de Tutzil. Você logo ficou animado com aquela pequena e nova companhia.

Aquele outro Elfo Alto, chamado Lyeek-var, e que era muito esbelto e elegante, e que vestia trajes parecidos com aqueles que se vestem no Deserto ou que utilizam os mestres de circos itinerantes, diz-lhe, num tom dramatúrgico: - Ora, mas que surpresa! Sr. Galadin; De tantas espécies amigas prováveis de vir, "um dos nossos"... cruzar a Vastidão...? e com sucesso? - Sorriu levemente, como que ironizando a própria coragem ou a capacidade dos Elfos Altos na frente dos demais, que aparentemente sacaram o teor humorístico.


Shmaxmath, Lagartiana Azul Xamã
(http://pre01.deviantart.net/dd70/th/pre/i/2015/031/d/b/zyrro_the_lizardfolk_ranger_by_faullyn-d763zwm.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 06, 2017, 11:35:06 pm
Eu tentar ir - respondeu ao anão com um tom amigável, brindando sua taça quase vazia, a qual o sujeito empunhava  sem nenhuma etiqueta, com a mão inteira fechada em torno do bojo como que segurasse um copo.

Ao notar a presença do colega ruivo, o jovem deu um breve aceno com a cabeça, antes de voltar a palavra a reptiliana, sem a olhar nos olhos ofídicos mantendo a visão em seus pés:

- Noites? Ilha ter animais, ter monstros? - questionou curioso o que ela havia advertido.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 07, 2017, 12:03:10 am
- É um prazer conhece-lo. - o elfo fez uma breve reverência com a cabeça, como conseguiu em meio à seu cansaço.

Desta vez ele nem prestou muita atenção no fato do anão conhecer seu sobrenome sem ele ter se apresentado. Não tinha muitas forças para continuar matutando sobre isso e, no fim, provavelmente era do mesmo jeito que o humano de antes sabia.

 - Mas por favor, não me chame de Galladin... Ou de Mestre. Não há nada em que eu poderia ser um mestre. - com um sorriso ele aceitou a taça e antes de beber continuou - Me chame de Cael. - ergueu a taça em agradecimento e deu um grande gole na bebida. Talvez com a bebida ele conseguisse ficar um pouco mais desperto.

Enquanto enfeitiçado lembrava de viver se enchendo de bebidas fortes, mas o álcool não parecia ter muito efeito em seu corpo. Provavelmente, depois de tanta bebida nesses quinze anos, seus corpo já deveria estar bastante resistente aos seus efeitos... Provavelmente. Como era só vinho não tinha problema.

Então o elfo, que antes apontaram para eles o paradeiro da menina drow, resolveu o cumprimentar como se fosse a primeira vez que estivesse lhe vendo.

- Milorde chama um naufrágio de sucesso? - o perguntou com um sorriso estampado no canto dos lábios.

Desta vez não estava dividindo a atenção com o que estava acontecendo diante de si e o resto do grupo que deixara para trás. Estava urgentemente precisando afrouxar todas as preocupações que pairavam sobre sua cabeça.

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Julho 07, 2017, 05:02:37 pm
- Você tem razão!! - Concordou com Cael, e então virou-se para a Fada, por algum estranho motivo a Drow sentiu uma pequena pontadinha de indireta na frase "Assim ela terá a nobre missão de quebrar o silence" - Você quis dizer "quebrar o SILENCIO" não é? - Falou estreitando os olhos, porém sem demonstrar ameaça

Ela se abaixa na direção da pequena - Até descobrir seu nome verdadeiro, acho que nos resta chama-la de Allegro mesmo... por mais estranho que ele pareça, é melhor do que chamar você de Drowzinha!!

- E então? Vamos de encontro aos garotos? - Apesar de falar isso ela mesma não queria ir até lá, não só pelo incidente que teve, mas também porque começou a achar que talvez ela fosse a culpada por deixar Cael um pouco desanimado, afinal ela o fez andar de um lado para outro, enquanto brincavam de casinha.

Ela levantou-se e segurou no ombro de Allegro, para tentar faze-la seguir em frente junto de si, preferiu isso ao invés de segurar sua mão para que assim não atrapalhasse a brincadeira da pequena, e então seguiu novamente para a taverna, puxou uma cadeira próxima aos dois - Uma bebida fraca por favor...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 08, 2017, 10:45:19 am
https://www.youtube.com/watch?v=ruZ9ReiQ4LM (https://www.youtube.com/watch?v=ruZ9ReiQ4LM)


Retha

- Ãhh?... Ora....... - Dizia ela, numa voz meio penosa, enquanto os seus próprios olhos apenas se acostumavam a enxergar a silhueta que ali se formava, acima da tampa entre-aberta da caixa, ao topo.

A jovem era uma adolescente de pele muito clara, roupas simplórias e despojadas, e com um ameno sorriso de surpresa estampado no rosto.

Você queria muito era sair daquela sua caixa e caminhar, esticar-se um pouco mais, respirar o ar puro e receber a luz do dia que se aproximava...! Estava um pouco frio ali fora, naquela praia...


jovem adolescente; obs: sem as marcas no rosto
(http://t12.deviantart.net/XrfF3J2LKUCBYZo1ovm1a7UaLfA=/300x200/filters:fixed_height(100,100):origin()/pre11/4505/th/pre/f/2013/227/2/5/vampire_portrait_by_i_m_m_o-d6i9kn4.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Julho 12, 2017, 08:54:44 pm
- Pronto, terminei. - Falava do agora todo trançado cabelo de Allegro. Vanessah ficou feliz por ela e os outros terem gostado do nome que propôs. - Talvez eu possa arrumar o cabelo de Cael também - fala voltando-se para Syllence, sem se importar em responder a pergunta dela - Como você acha que ele ficaria mais Bonito? - Fala destacando "bonito".

Todas seguem até os "garotos".

- Aff... Já vão beber de novo? Vocês massivos...

Vanessah cruza os braços e faz cara de aborrecida. Algo a incomoda também naquele cheiro de ervas. Já tinha sentido isto antes em algum lugar...

- Não é melhor procurar outra coisa pra fazer além de ficarem embriagados? Afinal aquela mulher que estava atrás de Allegro lá atrás já deve ter deixado de ser uma cobrinha.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 13, 2017, 02:33:34 pm
https://www.youtube.com/watch?v=QNLpm0UMS6k (https://www.youtube.com/watch?v=QNLpm0UMS6k)


Iyas, Cael, Syllence, Vanessah

- SSsss.. - sibilou a Reptiliana observando Iyas lentamente em seu questionamento cabisbaixo - Sssim, há muitos Animaisss... e também, muitosss Monstrossssss, na Arkhóreass Oesssteee em essspeciall...! E a noite temosss ouvido ruídos essstraanhooossss na rua...! Por issssssoo... Por issssso......! - Pegou e segurou firmemente por um momento na palma da sua mão que havia recebido o Colar. O contato da mão um pouco fria, e escamosa (...!), da Reptiliana quase o deixava com um permanente calafrio na espinha.

- Ahh! É o Toque de Recolher. - Esclamou Goirphenkht a vocês, novos chegados; o que poderia os deixar ainda mais ansiosos...!

Vanessah reconhecia aquelas Ervas... era uma espécie da família das Kraktumniae, utilizadas em culturas silvestres para desintetar feridas e purificar o corpo de certas formas de intoxicação; porém, era famosa no âmbito xamânico, mas sobretudo nos cleros das civilizações urbanas, para espantar criaturas nefastas e espíritos do Além... No entanto, se isso era realmente eficaz, não se saberia dizer ao certo. Você nunca se interessou por essa fama toda - apesar de ter tomado conhecimento dela eventualmente -, pois sabia que as Kraktumniaes já eram úteis o suficiente eplo que eram, e era muito provável que as outras culturas massivas, mal-costumadas com o mundo natural, apenas acreditassem nos poderes místicos da planta, enquanto a mesma tinha muito mais a oferecer. Aquela Largartiana de escamas azuladas, deveria conhecer bem a natureza a ponto de não incorrer no erro comum da maioria dos massivos.

- Óh! Mas é claro. Cael lhe chamaremos então. E para suas amigas recém-chegadas; sejam bem vindas, Mestra Beltyth, e Prima-Dona Vanessah! Chamo-me Goirphenkht, o Trovador! - O Anão sorridente fez uma reverência - Pode deixar, eu cuido disso... E com um único gesto da mão, sinalizou ao atendente Tutzil, já bastante atarefado, para que apanhasse taças adequadas e com as bebidas apropriadas a vocês duas. Uma taça de madeira com graspa fria chegou à mão de Syllence, e uma mini-taça com néctar de uva chegou à mão de Vanessah também. - E estes são meus bons amigos, Lyeek-Var, o Figurante, e Shmaxmath, a Botânica. - que também fizeram breve reverência.

Respondendo a Cael, Lyeek-Var, o belo e jovem Elfo Alto, inesperadamente, segura sua mão sem hesitar... e então, olhando direto em seus olhos, com ar de espanto, mas depois seguido brevemente de um alívio cômico, declara:
- Ahh! Perdõe-me, bondoso Cael; Mas precisava verificar, se não eras um Fantasma que tinha cruzado a Vastidão! - e conseguia ousadamente manter seu feitio sóbrio, ao contrário do Anão que quase se engasgava em sua bebida naquele instante, rindo-se...! - Perdão, perdão - tossia - Somos a Companhia do Humor afinal de contas! Temos que nos divertir e fazer com que os outros se divirtiam com alguma coisa, não é mesmo? Nestes dias sombrios!!...

Conversa vai e conversa vém, é verdade que também ouviram Vanessah comentar algo estranho e perturbador, em relação à Drowzinha... ou Allegro; e não era possível dizer que apenas Syllence ficou intrigada, dentre vocês.


Iyas: | 1-PRE |  0-HRM | 1-DEV |
Vanessah: | 2-CSC |  1-NOÇ | 0-EMO | 1-FRT |
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 13, 2017, 06:08:28 pm
Ao ver Syllence também chegar ao balcão e pedir algo para beber, o elfo quase derrubou o próprio copo já vazio de cima do balcão. O que eles estavam fazendo agora? A pergunta mental veio como um estalo que o fez perceber que estivera agindo meio diferente nos últimos minutos.

- Ah não... - resmungou, enquanto enfiava os dedos das duas mãos por entre os cabelos ruivos, encostando a testa na superfície do balcão e suspirando. Aquilo parecia efeito do feitiço. A sensação era bem conhecida para ele.

Ele reergueu a cabeça, agora com o cabelo ruivo meio bagunçado, com o rabo-de-cavalo em que estava preso mais afrouxado.

Com certeza alguma coisa estava errada com ele ainda e, pelo jeito, o tal resquício de feitiço ainda tinha chances de se manisfestar parcialmente, provavelmente por culpa da exaustão do corpo e da mente de Cael. Se sua constatação realmente estivesse certa então aquele era um bom motivo para não ficar perdendo tempo ali. Precisava descansar para evitar alguma nova recaída. Entretanto... O elfo ainda não sentia confiança na ideia de deixar aqueles três para trás, "sozinhos", para descansar. Do jeito que eram, temia que quando retornasse eles iriam ter posto fogo na taverna e começado uma revolução!... Tudo bem, talvez a mente cansada de Cael estivesse exagerando só um pouquinho.

Cael ia falar com Syllence sobre estarem perdendo tempo ali, mas o outro elfo interrompe seus pensamentos ao segurar em sua mão repentinamente e olhar no fundo de seus olhos daquele jeito estranho. O ruivo recuou o corpo um pouco e devolveu um olhar assustado, talvez um pouco confuso e nervoso. Se perguntou por que o elfo lhe encarava daquele jeito e nem se deu conta que a própria mão livre tateava, presa ao cinto, o cabo de uma adaga agora imaginária, mas que um dia já estivera ali. O ruivo já não se lembrava mais de como tinha perdido aquela arma, mas sabia que sempre a carregou ali enquanto esteve enfeitiçado. Não queria ferir ninguém, mas parecia que o próprio corpo não estava de acordo neste termo. Logo se deu conta que, se a arma ainda existisse presa ao seu cinto, ele teria sido o responsável por uma tragédia.

Quando o anão começou a rir, Cael voltou outra vez à si, ao que ocorria à sua volta. Para disfarçar seu estado ele também simulou um sorriso amarelo, embora bastante desconcertado com a própria reação. Após alguns segundos para se recuperar, admitiu:

- Às vezes,tenho a mesma dúvida, Milorde Lyeek-Var. - tentou dizer em um tom de brincadeira, mas talvez não tenha conseguido ser muito convincente - Perdoem-me se não estou sendo das companhias mais animadas no momento, mas o final da nossa viagem foi especialmente turbulento e exaustivo. - explicou, enquanto tentava esconder as mãos trêmulas apoiando-as contra o balcão.

Será que o impulso também fora obra do resquício do feitiço? Mentalmente Cael começou a se perguntar se ele poderia ser alguém perigoso para as pessoas à sua volta. E será que isso poderia ocorrer também mesmo quando não estivesse se sentindo tão exausto?

Quando Vanessah se aproxima deles reclamando e falando sobre uma mulher. Sua atenção se volta rapidamente para a fada, tentando ignorar os pensamentos que estavam lhe puxando ainda mais para baixo:

- Uma mulher estava atrás dela? E o que quer dizer "ter deixado de ser uma cobrinha"?? - a afirmação lhe deixou bastante intrigado.

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Julho 13, 2017, 06:51:13 pm
Vanessah retribui as reverências ao ser chamada de Prima-Doma e receber um calicezinho de néctar de uva.

- Olha, amiguinhos novos! E que educados! Vai ser bom mesmo Iyas ficar perto de massivinhos tão fofos.

Citar
- Uma mulher estava atrás dela? E o que quer dizer "ter deixado de ser uma cobrinha"??

- É, quando ela estava presa lá atrás, mas transformei ela numa cobrinha. Funciona com mentes não muito inteligentes.

Vanessah dizia como se não fosse muito importante, e também acrescentava nota mental "melhor nunca testar esta magia no Iyas, vai que com a mente dele ele nunca mais volte..."
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Julho 14, 2017, 02:29:02 am
A Drow pegou a bebida e bebeu um pouco, assim como os outros ela também estava cansada, por sorte ela era boa em esconder isso, ou pelo menos imaginava que era, talvez a bebida fosse apenas uma desculpa para respirar e relaxar um pouco, porém, algo lhe incomodou um pouco, Cael... sempre ele, este estava agindo de maneira estranha novamente, mas desta vez Syllence apenas o observava de canto de olho.

Olhou para o anão e ergueu uma das sobracelhas - É um prazer, mas... não lembro de ter me apresentado, como sabe meu sobrenome? - Visivelmente ela se mostrava desconfiada

Quando notou que ele levara a mão ao cinto, a Drow tentaria segurar sua mão, para impedi-lo, já que não sabia que este poderia ter alguma arma guardada ali ou não; mas por sorte aparentemente ele não tinha.
Porém ao ouvir os dizeres da fadinha, a mesma vira toda sua atenção para ela - Como assim queria sequestra-la?!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Julho 14, 2017, 07:59:13 pm
- Pois é, minha prima disse que as vezes ela se escondia lá atrás quando estava tristinha, mas ela quase sempre tá tristinha, mas vai melhorar, pois ela pareceu ficar mais animadinha quando contei que ia adotar ela e ia ter uma família feliz já que você tá quase namorando, então tinha a outra que estava com ela mexendo na fechadura, mas eu fui mais esperta e transformei ela numa cobrinha assim que ela abriu, puxando Allegro pelos cabelos, ainda é meio teimosinha, só não podemos deixar ficar igual a mãe, mas titia Vanessah vai ajudar, assim quando ela ficar alegre vocês dois melhoram também. Ah, mas como eu disse a magia já deve ter acabado.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 14, 2017, 10:29:47 pm
- E essa mulher... Ela disse alguma coisa? - estava cansado e conturbado demais para prestar muita atenção na história, porém conseguiu absorver alguma coisa do que Vanessah dizia.

Syllence parecia em melhor estado que ele, se teria outra parte importante da explicação que a fada deu e ele não conseguiu acompanhar - pois ela gostava de falar bastante - esperava que a drow houvesse entendido.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Julho 14, 2017, 11:09:53 pm
- Acho que ela disse: aaahhhh quando eu a transformei numa cobrinha. Até a Allegro achou meu truque divertido, não fui, lindinha da titia?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 14, 2017, 11:12:26 pm
Iyas, Cael, Syllence, Vanessah

- Não seja por isso, caro colega. - Lyeek-Var não pareceu ter prestado atenção em suas motivações violentas ocultas, tanto é que nem ele, nem Goirphenkht por sinal, essa "dupla da folia", mostravam-se assustados depois de seu sinistro lapso. Então ele retomou a palavra: - Vejo que talvez queiram repousar um pouco? Afinal, longas jornadas, devem vir acompanhadas de imensos sonhos! Permita-me levá-lo, jovem Cael, e quem mais quiser descobrir, o seu próprio aposento nesta linda pousada! - Trocou um sinal de olhares com Tutzil no balcão, este  lançando de uma curta distância ao Figurante, uma chave atada a um cordão de couro, tendo na outra extremidade um cubo talhado em madeira. Lyeek-Var, aquele cômico prestativo, fazia menção com sua palma da mão aberta e para cima, para que o acomphasse(m).
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 14, 2017, 11:19:16 pm
Iyas, Cael, Syllence, Vanessah

Allegro, embora estivesse "cuidando" do arco de sua mãe adotiva Drow, pelo visto acabou escutando e virou o rosto na direção de Vanessah quando lhe dirigiu a palavra próximo ao ouvido... a Drowzinha então mirou o chão, e, encontrando os pés de Cael mais próximos, começou a tentar pisoteá-los com um de seus leves pés, como se estivesse tentando matar uma cobra no chão; mas não fazia para machucar realmente, e talvez, mesmo que tentasse, provavelmente não provocaria ao jovem Elfo Alto, senão brando incômodo...

Talvez, pensou Vanessah, Allegro estive ressentida por algum tratamento bruto ao qual a Elfa lhe submeteu, logo antes de sua chegada salvadora... E por isso, agora descarregava aquilo numa brincadeira impetuosa com a cobrinha imaginária, e com os pobres pés já deveras cansados, do jovem lorde élfico.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 14, 2017, 11:50:34 pm
- Barulhos? - inquiriu instigado - Como ser? - Imaginava criaturas predadoras como chacais ou leões... Ou até coisas mais terríveis, como a quimeras controladas pelos magos de sua terra natal, como as assustadoras manticoras.

Enquanto ainda estava incomodado com a sensação do contato com a Xamã de sangue frio e curioso com o assunto, o humano conseguiu notar de canto de olho que Cael agira um tanto estranhamente, mas não o suficiente para entender o que acontecera. Já tinha ouvido da boca do próprio elfo que ele havia sido enfeitiçado, mas que tipo de feitiço e demais detalhes não foram explicados, uma hora teria de tentar entender o que se passava com aquele suspeito, se a final de contas, teria de trabalhar em equipe para o concurso. Enquanto isso também acontecia uma conversa paralela entre Syllence e Vanessah a qual o jovem não tinha capacidade de conseguir acompanhar enquanto prestava atenção nas pessoas as quais já estava interagindo.

Sobre a proposta de mostrar aposentos ao grupo vinda do elfo Lyeek-Var, Iyas respondeu com um aceno positivo, desencostando-se do balcão, mas sem muita pressa de terminar a conversa com os sujeitos que estavam ali. Ele adorava ouvir estórias e histórias, e provavelmente se a língua não fosse um empecilho, estaria podendo interagir e se informar mais daqueles locais.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 15, 2017, 12:10:34 am
 Cael voltou rapidamente a atenção à Lyeek-Var. Não queria deixar aquelas pessoas, que pareciam ter feito amizade com seu companheiro de grupo, Iyas, falando sozinhas - ainda mais depois de quase atentar contra a vida de um deles sem querer!

- Seria uma excelente ideia, entretanto ainda precisamos avisar sobre nossa decisão ao senhor Gra.... - tentou puxar o nome da memória - Graadmonz. Também necessito saber sobre o valor deste apose--. - de repente sentiu a pequena pisando em seus pés e a viu pelo canto dos olhos. Temendo que seu corpo reagisse com aquele estranho instinto - ou resquício mágico - de antes, o elfo jogou o corpo para trás, tentando se afastar o mais rápido que conseguisse dela e batendo com as costas contra o balcão.

Meio agachado e encolhido contra o balcão, Cael manteve o olhar de espanto sobre Allegro, enquanto tentava normalizar a respiração acelerada que aqueles poucos instantes de tensão lhe proporcionaram. Não tinha coragem de erguer os olhos para os demais à sua volta depois que agira daquele jeito.

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 15, 2017, 12:58:21 am
Todos os 4

- Relaxe, Cael....! - declarou Lyeek-Var, ousadamente numa voz manhosa e com um sorriso nos lábios delicados, expondo dentes graciosos - Ela AINDA é só uma Criança! - Tinha uma maneira muito satírica de falar, aquele Elfo Alto; Mas não estaria ele começando a ser abusado demais...? Ou seria daquele tipo tão impulso, que perdia os amigos mas nunca a piada?... Ou então, os Elfos Altos comediantes (ou metidos a comediantes) eram assim mesmo?

Cael acharia mais graça das piadas dele, se não estivesse cada vez mais perturbado consigo mesmo...! Gostaria de poder explicar tudo sem rodeios e se fazer entender por todos...; mas sentia que seria confuso demais e talvez até perigoso, numa hora dessas...
Syllence não era muito acostumada ao humor dos palcos e das côrtes, e muito menos àquele tipo de humor altivo e elficamente rebuscado - para seu gosto. Mas não pôde não levar um choque de realidade com a estória ambiguamente racista ou crítica de racismo, de um dia Allegro, uma criança Drow, crescer um dia e aí sim querer arruinar, instintivamente e de verdade os pés de Cael, Elfo Alto... Aquilo... fazia bastante sentido - como piada. Os Drows não eram tão bons em contar piadas; ou melhor, em seu Reino, o bobo-da-corte só tinha repertório de piadas de humor negro, muitas delas assustadoras demais para as criancinhas que eram você e sua irmã.
Iyas também não estava acostumado ao humor além daquele do Continente Árido; mas como sempre, a língua é que lhe era o difícil de compreender: nem sempre sabia identificar a diferença entre o intuito de contar uma verdade ou uma piada... costumava demorar para entender portanto, em vários estágios.
Já, Vanessah, tinha seu próprio humor feérico exclusivo e incompreensível pra maioria das espécies massivas, mas compartilhava de algumas das "trapalhadas" que seus longínquérrimos "primos" massivos silvestres élficos denominavam 'piadas'.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Julho 16, 2017, 02:51:33 pm
- Eu to quase o que!? - A drow usou todas as suas forças para não desviar o olhar da fada, pois sabia que qualquer passo em falso geraria uma confusão ainda maior

Os olhos de Syllence se estreitaram conforme a fada ia explicando a situação, se não estivesse em um grupo já teria saído para literalmente caçar essa mulher.

Ela mesma se assusto com Allegro pisoteando de leve o pé de Cael, isso logo após Vanessah ter comentado sobre a mulher. Ao menos agora tinham a certeza de que ela não ignorava totalmente tudo o que falavam.
Assim que notou o movimento de Cael a mesma levantou-se da cadeira rapidamente e se aproximou notando que este não estava bem, preocupada levou a mão ao ombro do rapaz.

- Vocé esta bem?


- Não se preocupe Elfo, ela não será uma pessoa ruim... - Retrucou imediatamente - Todos nós temos nosso lado feio e brutal, mas o que realmente importa são as decisões que tomamos a cada passo que damos!!

- Acho que estamos todos cansados! - Ela vira-se para o balconista - Onde podemos encontrar o engomadinho? - Então olha para o resto do grupo - Vamos acabar logo com isso pois precisamos descansar, acho que ja tivemos muita dor de cabeça por hoje!! - Disse em uma tonalidade bem séria, ela bebeu mais um gole da bebida e continuou - Por outro lado acho que eu e a fada podemos cuidar disso!! - Ela tentou ao maximo não parecer rude com suas palavras, mesmo que talvez fosse dificil, mas sua visão voltava-se principalmente a Iyas, ela não o conhecia, e nem mesmo chegou a falar com ele, mas naquele momento notou que ele parecia estar tão bem a vontade ali, que não queria atrapalha-lho. Cael também não estava exatamente no seu normal, se é que ele era normal, talvez ambos precisassem relaxar um pouco, assim como ela... ah como Syllence estava cansada, física e psicologicamente, aquele fora um dia muito cheio.

Porém antes de fazer qualquer coisa, como sair dali talvez, ela olha para os lados e aproxima o rosto proximo a fada e fala baixinho - Vanessah... obrigada por cuidar da Allegro... - E então rapidamente vira-se para o lado oposto, pois sabia que algo bem ruim estava por vir depois dessa, afinal talvez aquela tivesse sido a primeira vez que chamara a fada pelo nome.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 16, 2017, 07:06:48 pm
Todos os 4

Pouco antes de Cael ter se jogado contra o balcão, Goirphenkht procurava explicar a Syllence aquilo que havia lhe questionado sobre seu sobrenome; ele havia começado a dizer:

- Ahh! Pois então, cara Mestra! É que todos os seus nomes, inscritos no Desafio, chegaram até nós pela Lista do Sr. Graadmonz! E o Intendente está difundindo a lista rapidamente pela cidade, a fim de que todos os Arkhoreanos saibam quem são os recém-chegados e valorosos Desafiantes, que cruzaram a Vastidão para vir até aqui conosco! Não é ótimo??

Nem um pouco, vocês pensam. - Bom, exceto Vanessah talvez!

Iyas por sua vez não conseguiu maiores informações naquele momento... havia muitas conversas cruzadas que interromperam aquela linha de diálogo... E sua dificuldade em se comunicar na língua comum não ajudava nem a ele, nem a seus interlocutores, decifrarem o que ele realmente buscava.

Quanto ao balconista, resumiu-se a dizer, rapidamente, algo que era do interesse imediato de todos:
- O Intendente Graadmonz saiu pela cidade, Vossa Senhoria; provavelmente em espaços administrativos ou no Mercado poderia ser encontrado. Mas ele voltará a noite seguramente; das 18h00 em diante, lhes asseguro.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Julho 16, 2017, 07:57:54 pm
Citar
- Eu to quase o que!?

Vanessah põe a mão na cintura e se balança no ar, com ar de impaciência, como se tivesse explicando algo para uma criança lerda.

- Quase namorando oras! Ou será possível que EU vou ter que dizer para VOCÊ que você está apaixonadinha, ou pelo menos quase já? Aaafff! Vocês massivos!

Já era um feito Syllence ter compreendido a linha temporal do que Vanessah tinha dito, ainda mais prestar atenção neste detalhe. Vanessah realmente não tinha noção do perigo.

Citar
- Não se preocupe Elfo, ela não será uma pessoa ruim...

- Pois é, ela vai ser linda e delicada como a mãezinha dela, vai aprender deste cedo não maltratar os elfos só pq eles são desbotados e que podemos ser todos uma grande linda família. Ah, que coisa mais linda gente, fico até emocionada!

Citar
- Todos nós temos nosso lado feio e brutal, mas o que realmente importa são as decisões que tomamos a cada passo que damos!!

- Ah, isto é mesmo! Até eu que sou boazinha às vezes tenho que ensinar o que é certo para os outros! É uma coisa cansativa viu!

Citar
- Vanessah... obrigada por cuidar da Allegro

- Ora, é um prazer cuidar desta coisinha lindinha aqui, olha só que fofa, com estes olhinhos, como alguém pode não gostar dela né? Pra isto serve a titia. Mas eu acho que agora você precisa dormir mesmo, tá parecendo um caco. Deve ser cansativo você ficar o tempo todo fingindo que é malvada. Os outros também não estão com aparência muito boa. Quer dizer, o Iyas nunca esteve, mas o Cael tá um bagaço igual você amiga! Fofinho (já falando pra ele), acho que você devia dormir um pouco agora, e como nós fadas conseguimos às vezes entrar no Mundo dos Sonhos, eu talvez possa te ajudar a se desligar destes seus pesadelos pessoais. (Depois fala com a drow de novo) Mas não fica com ciúme amiga, vou ajudar só nos pesadelos, pois sei que os sonhos dele já são seus.

Citar
...todos os Arkhoreanos saibam quem são os recém-chegados e valorosos Desafiantes, que cruzaram a Vastidão para vir até aqui conosco! Não é ótimo??

- Ai gente, que chique, somos famosos! Adoro ser famosa!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 16, 2017, 08:28:33 pm
Iyas ficou um tanto desconfiado com a sequencias de reações do elfo ruivo. A final de contas qual era o problema dele? Estava passando mal? Ou seria algo a ver com aquela conversa de "feitiço" que ele disse. Com certa cautela o forasteiro botou a mão esquerda no ombro dele sem saber o que falar.

Estava um tanto incomodado que aquilo havia custado a conversa que estava tendo com a local de voz ofídica. Ele respirou fundo frustrado em não conseguir mais informações interessantes enquanto estudava o estado do colega mantendo uma firme postura.  Enquanto isso, ouvia as outras duas colegas conversando mas sem prestar atenção diretamente em que cada uma delas falava nem conseguiu perceber que a fada o citara. Após alguns momentos ele deu um passo afastando-se de Cael e o deixando recuperar-se.

Aquele tipo de reação era preocupante por que não queria ter um companheiro que possivelmente fosse instável em situações que exigissem de todos os competidores aptidão para quais quer que fossem os desafios daquele concurso. Seu lado extremamente prático não havia gostado daquele decisão da Drow "adotar" a criança calada, embora tivesse empatia pela situação em que a pequena estava... Mas agora isso? Precisava discutir a fundo esta condição do colega com o resto do quarteto antes que os tais
"desafios" começassem...     
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 17, 2017, 12:11:34 am
Cael percebeu que tantos Iyas, quanto Syllence se aproximaram dele, praticamente o cercando e com o balcão às suas costas não tinha como recuar.

Não tinham dado a ele nenhum tempo hábil de se recuperar de todos os temores que vieram junto com a inexplicável vontade de atacar uma pessoa que não lhe apresentava ameaça nenhuma, apenas pelo fato de ter sua mão segurada. Se aquilo era efeito do que sobrou da magia de controle, Cael sabia que não poderia controlar.

Se sequer tentasse atacar seus companheiros, o elfo ficaria desolado. Então ele se adiantou e antes que tocassem nele, Cael segurou cada um dos dois pelo pulso, aplicando certa força sem perceber.

O elfo olhou no fundo dos olhos deles, primeiro Iyas depois Syllence. Era um olhar severo e sombrio. Dava a sensação de que queria intimidá-los com aquele olhar, entretanto havia um ar de súplica implícito ali. Ele parecia até querer dizer algo, mas não achou as palavras necessárias e desistiu. Depois disso levantou-se e se dirigiu à Lyeek-Var com a voz fraca, exausta:

- Com licença. - pegou a chave das mãos do elfo e, sem falar mais nada com ninguém se dirigiu para a direção em que imaginou que os aposentos que a chave abria estavam. Não sabia se iria achar, na verdade só queria se afastar de qualquer um o mais rápido que conseguisse. Mas quem sabe a chave não trouxesse consigo alguma indicação que lhe ajudasse. Mesmo totalmente transtornado, ainda podia fazer isso.

Não prestou atenção no que seus companheiros estiveram conversando, nem no que os novos amigos de Iyas diziam. Se pegou alguma coisa das conversas foi muito pouco.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 17, 2017, 12:51:29 am
https://www.youtube.com/watch?v=ku2FoC860qg (https://www.youtube.com/watch?v=ku2FoC860qg)


Todos os 4

Vanessah sente de repente uma aura horrível, originária de... Cael. Algo indecifrável e de arrepiar as boas almas; a Fada percebe imediatamente que sabia muito menos sobre a natureza da magia da Dama dos Encantos do que gostaria... vinha muito mais preocupada talvez com o sonho da Syllence que lhe vinha parecendo mais urgente ou pelo menos mais rapidamente acessível... mas talvez estivesse enganada todo esse tempo? e o maior perigo residisse, na realidade, no coração enfeitiçado do próprio Cael...!!
Aquilo durou pouco, dissipou-se rapidamente. Mas com certeza não era o término.

Cael sentiu uma forte pressão no peito, um ódio profundo carregou por toda sua cabeça de repente - um pesado vigor macabro!! Num instanto, em que ele pensou ficar cego ou efetivamente esteve cego, agarrou os pulsos dos dois companheiros... fazendo um grande esforço consciente de firmar suas destras mãos sanguinárias a fim de não machucar mais ninguém, especialmente aquelas pessoas mais chegadas ou mais vulneráveis ali proximamente... Sentiu com um forçoso lamento, o qual fazia franzir rudemente toda sua gentil face, uma descarga sombria, a qual encontrava nos pulsos de Syllence e Iyas as presas finais... E por um instante, Cael interiormente riu-se deles, num impulso que não era o do Cael jovial e bondoso..........
Aliviado, saiu sem mais dizer.

A pressão com que Cael sugurou os pulsos de Iyas e Syllence foi tão forte, que estes estranharam e assim que os soltou, recuaram aturdidos, a pele inflamada queimando... Aquela dor latejante e incomum que não pareceria ir embora, os impediria ambos de utilizar: a mão esquerda de Syllence, e a direita de Iyas..... adequadamente, por algum tempo. E caso espiassem a si próprios, assustariam-se por descobrir uma marca negra em forma de chamas, numa geometria de pulseira...!!

Syllence consegue percebe que, na mesa daqueles 3 sujeitos de Arkhóreas que haviam cruzado na entrada da Taverna dos 7 Mares, o Treinador e suas outras 2 companheiras lhes observavam agora, bastante atentamente, e com um ar de inquietude... Nas outras mesas reunidas, só algumas pessoas olhavam por acaso, mas sem grande repercussão pois lá a conversa continuava em alto tom.


Cael: | 2-CSC | 1-DSJ | 2-PRE | 1-CHI |
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 17, 2017, 01:21:13 am
Cael

Em sua travessia tropeçante e acelerada pelo meio do salão, ciente de estar com a visão semi-turvada por uma misteriosa escuridão familiar... Cael sente que suas mãos pediam-lhe para agarrar uma arma... uma arma grande............. Então, Cael começava a perceber algo pavoroso consigo mesmo: Ele estava na realidade tendo Consciência desta OUTRA Consciência que habitava comumentemente sua psique....!!!! Ela queria que Cael empunhasse a todo custo uma espada-de-duas mãos..... a primeira que encontrasse em sua frente.... Mas, por sua sorte, e talvez pela sorte da clientela inocente, não havia nada para AQUELE Cael ali naquele momento. Assim, a sombra de Cael acabou por acalmar-se lentamente, para não mais voltar tão cedo... esperava-se.
No outro pólo extremo ao do balcão, o salão da taverna abrigava uma abertura central para um estreito corredor fundo, de pura de madeira lustrosa, e em que no final, passadas algumas portas laterais, destacava-se um lance de escadas de degraus altos, e depois continuava a subir pelos dois lados, e uma janela para fora, no centro daquele meio-andar.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Julho 17, 2017, 07:40:54 am
- Não consigo ver isso como ponto positivo... - Respondeu aquele que tirou sua duvida. Sua preocupação quanto ao desafio diminuiu ao saber que o homem voltaria ali, era uma preocupação a menos, e então a fada solta mais uma de suas pérolas.

Syllence leva a mão ao rosto e balança a cabeça negativamente - Acho que no fundo é você que não entende o que é amor!! - Suspirou

Por outro lado a fada falou bem, não pretendia deixar Allegro ir por um caminho ruim, por outro lado ela ergueu a sobrancelha ao ouvir "delicada" - Delicada? Eu?

A drow de ombros porem achou boa a ideia de entrar no sonho de Cael para ajuda-lo, por outro lado conhecendo a fada sabia que isso poderia se tornar algo perigoso.

Assustou-se com a maneira com a maneira como Cael a olhou, e então entendeu o que se passava. Syllence então o encara da mesma forma. Enquanto ele saia ela comentava com o grupo - Ele precisa descansar... e nós também!! - Assim que ele sumiu de sua vista ela levou a mão ao braço rapidamente, por um instante fez cara de dor. Ela estava se segurando para não transparecer diante dele, agora que ele havia saido ela pode ver o que aconteceu, olho para Iyas - Aconteceu com você também?

Ela olhou para Allegro com preocupação, pois sabia o poderia ter acontecido com a pequena. Respirou aliviada e então percebeu que algumas pessoas os encaravam -Nos tornamos o foco... - Comentou baixo

Ela deu alguns passos até Iyas - Peço desculpas por novamente atrapalhar seus planos, mas... depois do que acabou de acontecer precisamos conversar!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 17, 2017, 09:17:10 am
E com mais aquela reação inesperada do sujeito, que até agora a pouco parecia tão amigável, Iyas estava bastante incomodado. No momento em que ele rapidamente segurou seu pulso sentiu um tipo de adrenalina com a qual apenas experienciava quando estava a lutar por sua vida. Sentiu na hora uma vontade instintiva de contra-atacar o ruivo, principalmente quando sentiu seu pulso arder. Tinha certeza que um soco bem aplicado no mínimo faria largar dele e de Syllence, mas o fato de ter sido companheiro do sujeito até então o fez hesitar, e o fato de não ter tido reação nenhuma o deixou mais bravo ainda. Tinha que reprimir o impulso violento de virar umas mesas dali para liberar toda aquela tensão, e provavelmente o faria, se não estivesse ilhado ali com o objetivo de vencer aquela competição em mente.

Respirava fundo para acalmar-se, enquanto que com uma expressão fechada e rangendo os dentes olhava para a marca que havia se formado em seu braço. Enquanto isso, viu que a drow se aproximara mais uma vez, lhe dirigindo a palavra. O sujeito então fechou os olhos e tentou trocar o semblante para algo mais neutro, embora aquilo não fosse sua especialidade.

- Umhum - concordou o pedido da colega, virando-se em sua direção para melhor lhe dar ouvidos, mas como sempre fazia, sem fitar diretamente em seus olhos anis.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Julho 17, 2017, 11:09:16 am
A mesma fez um sinal para a fada "tentar" trazer Allegro junto, pois notara que de alguma forma, as duas haviam se tornado "amigas" ou algo parecido com isso. Sua intensão era ficar proxima a porta da Taverna em um local mais isolado dos curiosos e então falar.

- Não sou a líder desse grupo, apesar de as vezes acabar induzindo vocês a me seguirem, talvez por querer vencer este desafio tanto quanto vocês, então independentemente dos nossos problemas pessoais e sociais, precisamos uns dos outros, não faço ideia o que esta por vir, então prefiro confiar e ter vocês como companheiros de grupo do que tentar fazer algo sozinha... já dei as costas a algo muito importante para mim, e não quero fazer isso novamente, não pretendo abandonar o Cael!! - Disparou - Eu sei que é uma situação difícil, podemos até dizer que ha duas pessoas vivendo dentro dele, e não sei qual Cael ira ao nosso encontro amanhã de manhã, eu também estou preocupada com isso... - Ela olha para Iyas - Isso pode nos prejudicar de alguma maneira, mas... - Ela olha para Allegro com um sorriso de quem busca por consolo - Quem sou eu para julgar se isso ira ou não atrapalhar em alguma coisa?

Ela foca-se novamente no grupo - Mas sinceramente?! Não sei como podemos lidar com o Cael nesse momento... esperava que algum de vocês pudesse ter uma opinião parecida ou alguma ideia do que podemos fazer... - Ela aponta o dedo na direção de Vanessah antes que ela pudesse insinuar algo - E NÃO, nós NÃO somos namorados!! - Tosse duas vezes e continua - Enfim o que acham de tudo isso?!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Julho 17, 2017, 02:18:15 pm
Citar
- Delicada? Eu?

- Claro! Você é uma jaca.

Syllence olha com cara de "que p***a esta doida tá falando.

- Dura e cheia de espinho por fora. Mas por dentro é uma doçura. Se isto não for amor, então nada é...

Citar
Não sei como podemos lidar com o Cael nesse momento...

- Se ele não dormir logo, você pode dar uma porrada na cabeça dele pra apagar, então invado seus sonhos.

Na cabeça de Vanessah aquilo era fácil. Bom, na cabeça dela muita coisa era fácil.

Citar
E NÃO, nós NÃO somos namorados!!

- Ainda... não são AINDA minha cara...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 17, 2017, 11:08:54 pm
Tropeçando em cadeiras aqui e ali, Cael atravessou o salão com muita pressa, sem se importar com o que derrubava no caminho. A sensação de que iria perder tudo de novo.... Tinha apenas algumas horas que estava "livre" do feitiço e estava tão contente com aquilo... Não teve tempo para fazer nenhum plano, apenas o de ajudar seus companheiros, mas gostaria de ter sido capaz de viver a vida que perdeu quando encontrou a Dama. Talvez agora fosse meio tarde para pensar no que gostaria de ter feito. Tudo tinha desmoronado diante de seus olhos quando a visão ficou turva e ele já não se sentia como o Cael que chegou naquela ilha.

Não tinha muitas esperanças de ser capaz de resistir ao feitiço, já que ficara sob seu efeito por tantos anos, entretanto lutou como pôde para afastar o desejo de gastar toda aquela energia obscura que o feitiço lhe dava.
De desconta-la em algo...

...Ou em alguém.

Enquanto subia as escadas, arrastando-se pelas paredes, pegou-se pensando na Dama outra vez. Será que aquilo queria dizer que ela poderia estar viva? Mas então onde poderia estar e por que o feitiço aparentava estar "falhando"? Mas Cael não conseguia matutar muito mais do que isso. A adrenalina tinha tomado conta de seu corpo por alguns instantes, mas ele continuava muito cansado.

Não sabia se o quarto ficava para onde estava indo, só sabia que tinha subido o lance de escadas, passado pela janela e ido pela esquerda meio que automaticamente, atordoado demais com os próprios pensamentos embolados para saber para onde ia.

Quando as escadas terminaram e ele estava finalmente no andar de cima, Cael apoiou as costas em uma das paredes e deixou o corpo escorregar lentamente até sentar-se no chão. Precisava recuperar um pouco do fôlego, juntar os cacos no qual sua mente se tornara. Só depois de respirar fundo algumas vezes e se culpar mentalmente por causar problemas ao seu grupo - quando já tinham aquele grande problema, que eram os tais desafios para se preocuparem - foi que Cael resolveu olhar melhor o local onde havia parado, ainda de onde estava, sentado no chão logo após o ultimo degrau.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 18, 2017, 11:24:11 am
Iyas tentava acompanhar o monólogo da arqueira, saiam da boca dela muitas palavras... E algumas que ele não conhecia, parecia que naquele grupo apenas o elfo ruivo tinha até então entendido melhor que era mais eficiente se comunicar com ele com frases mais simples. Porém o mercenário achava que havia entendido o sentido geral daquele discurso, embora ainda estivesse muito irritado para ter a calma de pedir educadamente para Syllence que  o explicasse mais uma vez. O que compreendeu daquilo tudo era que ela estava preocupada com aquele tipo de surto que o elfo poderia ter, e com toda razão. Infelizmente o forasteiro de pele escura não estudou nada sobre magia e o que entendia sobre o assunto não ia muito além do que as conversas e histórias das pessoas com quem conviveu puderam lhe fazer compreender sobre aquela misteriosa faceta do mundo.

- Cael fazer isso em concurso ser perigoso. - disse, esticando o pulso queimado bem perto de Vanessah, demonstrando a marca - Vanesa saber sahar - magia - Saber que isso? - inquiriu após liberar um suspiro em de derrota.

Lhe irritava ser tão limitado nessas áreas de conhecimento. 

- Nós precisar achar pessoa para ajudar Cael. - concluiu levando os dedos do outro braço para próximos da marca, tocando-a levemente.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 18, 2017, 01:25:29 pm
https://www.youtube.com/watch?v=ZkQyQzzhft0 (https://www.youtube.com/watch?v=ZkQyQzzhft0)


Cael

Subido mais aquele lance de escadas, abria-se a esquerda e de volta para trás, um longuíssimo corredor um pouco mais largo, com várias janelas na parede da direita e também muitas portas de possíveis quartos da pousada a esquerda...

No pequeno cubo de madeira do chaveiro, havia inscrito em tom prateado o número "8"... Deveria ser uma das próximas 6 portas.

Naquele momento, só havia uma pessoa no silencioso corredor: um homem jovem-adulto, fazendo a faxina munido de um balde, um pano e uma vassoura.

Cael se sentia um pouco melhor, na questão de se ver livre agora daquela sub-consciência assombrosa; mas continuava cansado e particularmente receoso de que, se não repousasse em breve, abriria mais brechas a acasos infelizes em sua vida e na de seus companheiros.


Humano, Faxineiro
(https://thumbs.candybanana.com/755ukZzOc_YCdTSLWkMWAHic0AQ=/320x180/smart/filters:no_upscale()/https://s.candybanana.com/meta/de2f/video2993_240x180.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 19, 2017, 08:40:14 pm
https://www.youtube.com/watch?v=R1DRTdnR0qU (https://www.youtube.com/watch?v=R1DRTdnR0qU)


Vanessah, Iyas, Syllence

- Hrrmmm... - fez grave e rouco o Anão Menestrel, que viu tudo aquilo acontecer bem na frente de seu narigão redondo - Mestre Galadin não parece muito bem...! - Lyeek-Var, quase parecendo preocupado, acenou positivamente com cabeça, batendo com o pé no chão, impaciente.

Quanto a Shmaxmath, provavelmente desconfiando de algum fenômeno esquisito, e apesar de Syllence ter afastado Iyas da companhia deles no balcão em direção à área de saída, aproximou-se da dupla mesmo assim a passos lentos e arrastando sua longa cauda reptiliana vagarosamente. Chegando a proximidade, interrogou-os em voz baixa e, naturalmente, sibilante:

- Sssssst....... O que aconntesssssssceeu, jovensssss? - Allegro foi-se atrás da cauda dela, e com um pé tocando em seu ombro, Vanessah foi junto.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Julho 19, 2017, 09:20:29 pm
Vanessah tenta perceber algo nas marcas do punho de Iyas, mas a magia é só residual.

- Mmmm, eeeehh, aaannnn... só dá pra ver que é energia ruim. Vou ter mesmo que esperar o Cael dormir para ver se consigo entrar em seus sonhos.


0-PER
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 20, 2017, 10:21:14 am
 Após o momento de reflexão, Cael levantou-se de forma desanimada do chão e voltou a atenção ao corredor, vendo o faxineiro. Não pretendia se comunicar com mais ninguém, visto o desastre que protagonizou no andar de baixo, porém o ruivo queria chegar o mais breve possível em seu quarto, o número 8, por isso tentou obter uma resposta do homem apenas erguendo a chave para tornar visível o número encravado na esfera, enquanto mantinha uma distância segura. Ele apontou com a mão livre para o objeto e depois uma das portas. Sua expressão estava fechada, amargurada. O elfo mal ousava olhar para o humano.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 20, 2017, 02:24:15 pm
Cael

O jovem homem se posiciona ereto, voltando-se para Cael; e, meio desconsertado, analisa o número, declarando:

- Huhh..... O quarto 8?... é este - aponta para uma das portas próximas; todas tinham plaqueta pregada com o número bem destacado - Mas Senhor, acredito que está ocupado já........... Você é..... parente...? - Estava visivelmente perturbado com a situação.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 20, 2017, 06:12:33 pm
 Cael colocou a mão sobre a testa e resmungou algo enquanto arquejava. Será que não dava para ter algo fácil para variar? O elfo não queria arriscar acabar ferindo alguém só porque sua mente resolveu agir sem seu consentimento. Estava convicto de que precisava recuperar as energias para ter algum controle sobre aquilo, se é que dava para se controlar algum feitiço da grande Dama. Cael tomou coragem para se comunicar mais apropriadamente com o humano:

- Desculpe-me por ter sido tão abrupto agora. Me chamo Cael e me deram esta chave lá embaixo. Não existe outro quarto número 8 por aqui?  - mantinha a distância e sua expressão não melhorou em nada.

Ele não gostava de ser muito impositivo com as pessoas, muito menos de tratá-las de um modo pouco educado, mas estava exausto demais, assustado demais para conseguir agir como queria. Tudo o que o ruivo desejava no momento era desaparecer aos olhos de todos.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 20, 2017, 09:00:55 pm
Cael

O rapaz não apresentava a Cael um olhar ameaçador ou de condenação; e talvez, percebendo o cansaço do jovem elfo, pulou direto ao assunto:

- Não, só tem um quarto 8. Mas bom... se deram chave a ti, então é!... Entrar. - voltou a faxinar, jogando a vassoura, enrolada no pano, dentro do balde. Mas não antes de ter: pego a chave da mão do cliente, destrancado a porta entre-abrindo-a com um leve ranger, e retornado o objeto a sua posse.

Mesmo não tendo decidido ainda se entrava ou não no novo quarto, e apesar do estado lastimável de Cael naquele momento, algo lhe parecia familiar no jeito de falar daquele homem de pele bronzeada... Parece que tinha um sotaque semelhante ao de Iyas, do Continente Árido...; será que... seria possível isso...?..... Mesmo assim, Cael preferia tentar resolver seu sono antes, a tentar resolver aquela curiosidade.
O que fazer? Da fresta através da porta, o aposento parecia escuro, silencioso e convidativo.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 20, 2017, 11:12:43 pm
Aproveitando que já tinha o pulso esticando para que a fada pudesse analisar aquela marca que parecia uma queimadura ele virou o braço sem muita pressa na direção da reptiliana, para que ela também pudesse dar uma olhada naquilo.

O que Vanessah havia concluído de sua rápida análise fora capaz de acalma-lo... bem pouco. Ao menos se aquilo fosse verdade não teria de esfolar a pele de seu próprio pulso por conta de algum tipo de maldição mágica... ou qualquer coisa naquele sentido. De qualquer forma, não era suficiente para tirar aquela vontade de socar alguém bem no meio da cara por conta daquilo. O sujeito fingia uma expressão mais branda, o melhor que podia, mas não conseguia esconder a cara emburrada com aquela situação.

- Cael... - suspirou - Pegar - indicou com a mão livre para aquela marca no pulso, em seguida mimicando a forma como o elfo atacou. Mesmo que reproduzindo aquilo com quase a mesma carga agressiva acabava sentindo um pouco de dor no processo.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 21, 2017, 12:13:01 am
Iyas, Vanessah, Syllence

A Xamã observou a média distância a marca escura... depois inclinou a cabeça, piscou seus pequeninos olhos âmbares de fenda, sibilou e declarou enfim:

- É mallldisssção, ssssimm! -

Depois, contemplou por um tempo Vanessah, que flutuava ali perto... a Reptiliana Azul tirou a língua sibilante pra fora, e a fada da floresta sabia que a outra a estava xeretando...! mas também sabia que aquele era... simplesmente o modo como alguns reptilianos faziam. Então de repente, disse na sua voz rouca e lenta e cheia de esses alongados:

- Ssssenhoritaa Vanessssssah....! - tirou de um de seus muitos bolsos um charuto de ervas enroladas por umas folhas secas, estendendo-a. - Para aliviarr a dorr delessss... -

O modo de uso era tradicional de druidas massivos; e algumas dessas formas eram conhecidas vagamente por Syllence... mas aquele charuto era especial, e requiria para bom funcionamento uma ignição pelo Fogo das Fadas, ou as propriedades do produto silvestre seriam desperdiçadas; era com certeza algo de se sentir losonjeada, ou bajulada...; mas, as Fadas apreciavam muito o fato de serem respeitadas e levadas a sério pelos viventes silvestres mais sensíveis como Shmaxmath - diferente de algumas companhias massivas severas demais e com o coraçãozinho tão partido, que precisava de amor urgente...!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Julho 21, 2017, 12:33:06 am
Muito tempo atrás....

- Ãhh?... Ora....... - Dizia ela, numa voz meio penosa, enquanto os seus próprios olhos apenas se acostumavam a enxergar a silhueta que ali se formava, acima da tampa entre-aberta da caixa, ao topo.

A jovem era uma adolescente de pele muito clara, roupas simplórias e despojadas, e com um ameno sorriso de surpresa estampado no rosto.

Você queria muito era sair daquela sua caixa e caminhar, esticar-se um pouco mais, respirar o ar puro e receber a luz do dia que se aproximava...! Estava um pouco frio ali fora, naquela praia...


jovem adolescente; obs: sem as marcas no rosto
(http://t12.deviantart.net/XrfF3J2LKUCBYZo1ovm1a7UaLfA=/300x200/filters:fixed_height(100,100):origin()/pre11/4505/th/pre/f/2013/227/2/5/vampire_portrait_by_i_m_m_o-d6i9kn4.jpg)

Retha levanta a mão a atura dos olhos para protege-los contra a forte luz que entrava no pequeno local, até se adaptar. A mente dela estava em branco por alguns minutos antes dos instintos falarem mais alto: "Estou em terra firme."

– Com licença! Rapidamente Retha sai da caixa quase que pulando, deixando a mochila para trás, e senta-se no chão, quase deitando de costa para ele. Ela dá uma rápida olhada para o sol, mas logo protege os olhos.

– Olá sol, senti sua falta e do seu calor. Após renovar seus pulmões e sentir o convidativo calor por um minuto, ela se levanta abruptamente e tira a poeira da própria roupa produzido pela ação, pois, recorda do porquê estar finalmente fora daquela caixa. Sentido o martelo amarrado em sua cintura, enquanto tirava a poeira, retoma a sua habitual confiança e caminha até a jovem adolescente para falar. Quando ela se aproxima, reclina a cabeça e tronco em alguns ângulos para baixo como uma reverência.

– Muito obrigada por me tirar de lá e desculpa por esse infortúnio. Levantava a cabeça para olha-la. – Ou surpresa, se preferir. Com um sorriso no rosto e corrigindo a postura, estende a mão até a moça. – Eu sou Retha Ayodele. Qual o seu nome?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Julho 21, 2017, 08:03:18 am
- Como assim, uma jaca? - Encarou séria a fada, achando que se tratava de outra de suas brincadeiras estranhas, e ao ouvir a resposta, apenas revirou os olhos, e nem se deu ao trabalho de imaginar se a comparação da nanica estava certa ou não.

- Você é quem merece uma porrada na cabeça... - Respondeu baixo de maneira que a fada não pudesse ouvir. Talvez até um pouco furiosa com a fada por aparentemente não estar levando aquele problema a sério, mesmo sabendo que aquele era o jeito dela.

Assim como Ilyas ela também temia que essa troca de personalidade de Cael pudesse acontecer durante o concurso, e aquele que ele falara sobre procurar ajuda, fazia sentido - Sim vamos fazer isso!

Então aquela estranha reptiliana se aproxima e interroga-los, a Drow ergueu uma das sobrancelhas e respondeu - Nada demais, problemas internos, só iss... - Nesse momento Ilyas já havia virado seu pulso na direção da reptiliana, Syllence suspirou imaginando que talvez não devesse confiar tão facilmente em estranhos, apesar de que não conhecia tão bem seu grupo assim, mas ao menos já estava convivendo com eles a algum tempo.

Ela não chegou a mostrar sua marca a grande lagartixa, e então ouviu a palavra maldição - Droga... - Praguejou baixo.

A analise da reptiliana parecia bem mais precisa que a de Vanessah, ao ve-la entregar aquele item a fada, ela levemente imaginou o que poderia ser, mas não tinha um conhecimento apurado para ter uma certeza. Virou-se para a Repitiliana e falou ainda em tom baixo - Sabe como remover a "maldição"?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 21, 2017, 10:37:03 am
Cael conseguiu perceber no sotaque do faxineiro a semelhança com o de Iyas, era mais fácil ainda porque Iyas era provavelmente o único humano que Cael conhecia com aquele sotaque distinto. Infelizmente não podia dar atenção àquilo. Não podia arriscar com o feitiço.

O jovem elfo se aproximou dos aposentos e empurrou levemente a porta, abrindo-a um pouco mais, mas antes de entrar, ficou parado diante o cômodo e fez outra pergunta ao humano sem virar em sua direção:

- Tem certeza do que disse? O senhor viu alguém entrando neste quarto? - a última coisa que queria era entrar ali e encontrar alguém, pelo bem deste ser e de sua própria sanidade.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Julho 23, 2017, 11:20:33 am
- Pois é, pensamos que estava resolvendo, mas vamos ter que resolver esta maldição pela raiz. Por enquanto aquelazinha é forte e eu não posso transformá-la na cobra que ela é, mas deixa eu ficar mais forte para verem, nem em cobra vou transformar, vai virar é uma barata, e ele poderá pisar nela com prazer, e vamos rir do prazer disto, huhauhauhauhauuhaheheuhauhuahaueheheeeehuauauaeeua.

Depois que a mente da Vanessah volta para o mundo real, ou pelo menos volta segundo os parâmetros do que seria normal para ela. Ou menos surreal, já que "normal" para ela não é algo com muito significado...

Ela vê a lagartixona lhe oferecendo um charuto e faz uma careta.

- Ah, sério? Mais drogas? Vocês massivos tem uma mania de se entupir com porcaria né? Com tanta coisa boa na natureza, tanto perfume, tantas frutas, tantas cores, tanta gente pra namorar... e o que os massivos fazem? Se entopem com cigarro, álcool, briga de buteco... aaaaffff por que vocês nos dão tanto trabalho?

(ela gesticula com as mãozinhas como se fosse uma italiana falando)

- Tá... tá... Vou acender esta porcaria para você, mas que fique registrado que eu sou contra, se o Iyas quer se entupir com cigarrinho do capeta, oh, desculpa, devia dizer cigarrinho de lagartixa, é força de expressão não se magoe, mas também vai ser problema dele, eu lavo minhas mãozinhas.

Ela canaliza seu chi, não deve gastar muita energia só pra acender um cigarro de palha.

- Per Piro, Fayrus invocat!

- Pronto, já fiz minha parte, podem ficar aí se intoxicando e se matando aos poucos. Vou lá em cima colocar aquele lerdo para dormir.

Ela sai, mostrando a língua para vocês :P e cantarolando uma cantiga de ninar.

https://www.youtube.com/watch?v=tiuErzIQkhg (https://www.youtube.com/watch?v=tiuErzIQkhg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 23, 2017, 10:14:20 pm
https://www.youtube.com/watch?v=dqkGxvhhGSc (https://www.youtube.com/watch?v=dqkGxvhhGSc)


Retha

- Não foi nada... nada mesmo. - declarou a garota, com um brando sorriso, talvez ainda confusa pela sua "vinda-surpresa". - Retha, é? E eu, sou Béthia! Muito prazer...... - Por um breve instante, ficou em dúvida entre apertar ou não a mão da recém-chegada, mas em seguida apertou-a rápido e firmemente... e que mão gelada!... Tá certo que era um amanhecer um pouco frio com aquela brisa marítima e o sol recém se levantando, e também que Béthia parecia ser meio paupérrima, a julgar por suas vestimentas simples, envelhecidas e meio desbotadas, e também talvez por um rosto meio abatido; mas ainda assim...

Então, Béthia, desviando a atenção de Retha, debruçou-se sobre, das duas, a grande caixa aberta em que ela havia viajado na escuridão total provavelmente por mais de 1 dia inteiro - Bom, vamos ver o que eles trouxeram pra nós desta vez.......! - Ela parecia remexer o grande amontoado da carga, de folhas secas estranhas e pontiagudas, e daquelas sementes comestíveis e nutritivas das quais Retha tinha se alimentado... Então de repente pára, e olha para um canto da caixa, e, com apenas uma só mão, puxa de lá...... a sua pesada mochila de forja...!!! como se fosse uma mochilinha qualquer! - Ahh! Acho que isto é seu, né? - meio que soltou o material na frente de seus pés e depois, voltou a olhar pro interior da caixa, mas, sem encontrar mais nada de interessante, voltou-se novamente para Retha, sacundindo as mãos nas vestes pelo trabalho concluído.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 23, 2017, 10:27:33 pm
https://www.youtube.com/watch?v=_oOfUOODkyM (https://www.youtube.com/watch?v=_oOfUOODkyM)


Cael

- Pois sim, Senhor!...- respondeu resoluto, mas ainda assim ansioso, o rapaz. - Isto é... não ver direito quem entrou, mas ouvir esta porta bater, sim! de longe...

Aquelas informações o jovem elfo não sabia ao certo se lhe ajudavam ou não; mas a maçaneta já estava a 1cm de sua mão agora; Se o objetivo era não incomodar ninguém, Cael estaria no mal caminho agora... por outro lado, não poderia ser muito pior voltar a descer lá em baixo, e arriscar-se no meio da multidão no salão... ainda que seus companheiros estivessem provavelmente por lá, preocupados, ou ainda pior, bêbados?... Se pudesse trocar a chave, seria ótimo... ou trancafiar-se naquele mesmo quarto sozinho - caso descobrisse que não houvesse ninguém no final das contas! Mas haveria motivo para desconfiar do funcionário?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 23, 2017, 10:56:17 pm
Syllence, Iyas, Vanessah

O charuto em posse de Shmaxmath é aceso pela luz faiscante que sai das mãos de Vanessah... é um fenômeno bastante intrigante e raramente visto; a Lagartiana Azul observa o brilho, depois estende o charuto incinerado a Iyas:

- Caso sssssentir muita dorrr, fume um poucoo disssto...! - Em seguida, volta-se a Syllence, disse também baixo, mas sempre sibilante: - O Ssssábio...! pressscisam consssulltá-lo...! fora da sssscidade ele vivvve...! No Bosssque de Arkhóreasssss. Massss, eu não tennnho muito maissss como ajudá-losss diretamennnte....! Ahhhh...! Quem ssssabe também...... a Igreja..........? Quem ssssabe.... algum sssssacerdote.... - A senhorita-grande-lagartixa parecia um tanto relutante com aquela última alternativa... Ainda assim, não parecia aos Desafiantes uma má alternativa; bom, especialmente para Iyas parecia razoável pedir auxílio a uma instituição religiosa urbana.

Vanessah foi-se a caminho do segundo andar, mas a medida que atravessava o salão voando velozmente, foi interpelada por... Niwo, a Fada da Montanha: - Vanessah?! Espera, mocinha!


Syllence: 1-CRD, 1-PRE, 1-DEV
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Julho 24, 2017, 10:36:29 am
- Obrigado. - agradeceu sem muito ânimo. Se ele apenas ouviu a porta bater, como sabia que era aquela? Talvez ele houvesse se confundido.

No atual humor, Cael tinha muito pouca paciência para lidar com aquilo, muito diferente de como ele normalmente era. Estava quase mudando de ideia e descendo as escadas para ir dormir em algum canto na rua em que pudessem lhe deixar em paz. Mas precisava conferir se havia alguém naquele quarto, pois ainda era sua melhor opção.

Com a mão na maçaneta, o ruivo tenta uma última vez antes de abrir a porta:

- Com licença. Há alguém utilizando o quarto? - inquiriu com o tom de voz um pouco mais alto, esperando que se houvesse alguém ali dentro, pudesse ouvi-lo e responder.

Se não houvesse resposta, só lhe restaria entrar nos aposentos.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Julho 24, 2017, 02:10:14 pm
Niwo puxa Vanessah pelo rabo, fazendo ela dar um 180 no ar.

- Oooiii Niwo. Que foi, priminha?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Julho 26, 2017, 04:36:42 am
Muito tempo atrás....

Quando Retha aperta a mão da nova conhecida, recebe o choque de temperatura com surpresa, mas não larga de imediato. Ela não sabia se era comum para pessoas que vivem, ou trabalham, no porto terem tal temperatura. Entretanto, ela própria não poderia avaliar pois, de onde veio, pessoas que trabalham tem sangue quente, como a dela ou de sua própria família. Aquela fração de pensamento lhe dava um sentimento pesado do qual não gostava de pronunciar, então logo foi substituída para o que fazer por agora.

Notando que Béthia remexia na caixa, comentou, aguardando ela terminar: – Oh bem, desculpa pela bagunça ai dentro da caixa. Sabe como é? É dificil deixar tudo no lugar quando não consegue nem sair ou nem se mover por dois metros. Retha estava tentando pensar em seu próximo passo, mas todas aquelas informações e acontecimentos eram desconcertantes. Ela ponderava enquanto falava: – Aaaaqueles caras eram despachantes ou eram os piratas, mais ao estilo roubar dos ricos e dar aos pobres? Sem julgamento ou nada, mas...

A pequena garota se interrompe quando Béthia volta a falar novamente, mas principalmente, para por ter a visão da própria mochila; Tão pesada, mas com igual importância para ela, com a qual teve tanto trabalho em separar entre extremamente necessário e o quanto ela mesma poderia carregar. Como novata, talvez nem tenha feito um bom julgamento, mas por hora, eram suas ferramentas para realizar o próprio sonho.

O motivo de estar ali.

– Ah sim, ele é meu sim, valeu! Assim quando a mochila cai próximo, Retha se abaixava para examinar a mochila, mais por hábito de vasculhar do que desconfiança de algum conteúdo tenha saído de lá. Em seguida, testava o peso da mochila puxando um pouco acima do chão, recordando do quanto era pesado. Porém, ela acreditava que iria se acostumar, ou talvez até ficar mais resistente. Todavia, ela não levanta a mochila até as costas da mesma, apenas deixa ela no chão antes de conversar novamente: – Aqui é a Ilha dos Desafios? Droga, desculpa por não recordar o nome da tal ilha. Se sim, onde posso me apresentar para o desafio? Não, espera! Retha gesticulava muito enquanto falava, mas ela cessa somente para olhar para cima e determina as horas antes de voltar a atenção para Béthia. – Conhece algum lugar onde eu possa passar a noite?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 26, 2017, 11:47:55 pm
A aquela altura, e com tudo que já havia acontecido, Iyas já não se importava com o ir e vir caótico, e para ele sem sentido da fada. Pensava que ela seria o ponto de maior instabilidade do grupo, até ver o outro colega surtando do nada.

Mas logo depois se surpreendeu com aquele gesto solidário da desconhecida de sangue frio, foi inesperado o suficiente para apaziguar, mesmo que apenas momentâneamente, a raiva irracional do forasteiro. Agora
o sujeito mudava sutilmente seu semblante emburrado para uma feição intrigada.

- Ah...Shukraan... - agradeceu, recolhendo o charuto aceso da mão da xamã, levando a altura dos olhos e o examinando por uns breves instantes.

Parecendo um animal ele trouxe o item para mais perto do rosto, farejando a base e rapidamente afastando ao sentir o cheiro forte do conteúdo.

O ato de consumir certas ervas a través do fumo não era algo desconhecido para a cultura do estrangeiro, embora lá a coisa que mais se assemelhasse aquele charuto era como Faris fumava, com um longo e lustroso cachimbo. Era muito comum encontrar em casas prazeres instrumentos como o narguilé, embora o jovem adulto nunca possuísse dinheiro sobrando o suficiente para tentar aquele tipo de coisa... Ainda por cima, sendo que bebidas eram muito mais práticas na hora de serem consumidas do que aquelas fumaças em sua opinião... E ainda por cima, bebidas eram geralmente sempre mais baratas. 

 Voltando-se para a Drow, mas sem olhar diretamente para ela mantendo em vez disso o olhar em uma das mesas ao fundo Iyas disse:

- Muitas pessoas nós ter far agora - comentou sem muita animação - Mas nós falar com Gadmos primeiro ... Falar do Concurso. 
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Julho 28, 2017, 04:54:34 pm
Syllence revirou os olhos quanto ao "chilique" que a fada havia dado, apesar de que por um lado ela não estava errada.

A mesma deu de ombros e escutou a resposta da lagartixa, esta que parecia ter um certo receito ao falar sobre a igreja, ao seu ver ambas as opções apresentadas eram boas, mas talvez por já estarem na cidade um sacerdote fosse a melhor escolha no momento, por outro lado era mais uma coisa para fazerem e decidirem, quanto mais tempo ficavam acordados mais problemas surgiam. Fez sinal de positivo como quem agradece pela informação e encostou-se na parede, enquanto olhava para a marca da tal maldição.

Ao ouvir o colega humano fazer tal comentário, a Drow deu um sorriso irônico e respondeu - Sim, nos tornamos pessoas bem ocupadas!! - Suspirou e olhou o que Allegro estava fazendo, cobriu a marca com a manga e concordou com os ultimos dizeres do humano - Espero que ele não demore, precisamos descançar, amanhã vai ser um longo dia!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 31, 2017, 02:35:28 am
https://www.youtube.com/watch?v=_oOfUOODkyM (https://www.youtube.com/watch?v=_oOfUOODkyM)


Iyas, Syllence, Vanessah

Em meio à ansiedade, à irritação e preocupação, mas também à comodidade do paraíso artificial do momento - as bebidas que já havia tragado começavam a surtir efeito finalmente... - , Iyas desejava ir ao encontro do próximo copo. O mercenário do Continente Árido, diferentemente de seus companheiros, não se sentia mais exausto pelo naufrágio; mas ele já não poderia entender claramente a indisposição dos outros naquele momento; então crescia no jovem humano uma intensa disposição, não só de encontrar o Sr Graadmonz nas próximas horas, talvez ir atrás de uma alternativa para a maldição, mas... também, e sim, principalmente, crescia nele uma boa disposição para mais vinho, ou quem sabe rum...? Mas já não era tão evidente que o Anão ofereceria a ele mais uma rodada... talvez tivesse que arcar do próprio bolso agora, mas e então?
Syllence podia reconhecer no estado de Iyas, o princípio de seu vício... será que iria acontecer tudo de novo? (lembrando-se da briga na taverna em Bradbaum, que começou com a bebedeira dele).
Allegro tinha parado de perseguir a cauda da Reptiliana; agora ela tinha ido sozinha para baixo de uma mesa próxima, em que não havia ninguém... e ela levava o arco longo da caçadora Drow.
Syllence pensa que seria bom se pudessem descansar um pouco, todos... mas lá em cima, tinham o quarto reservado da estalagem aparentemente... só que também tinham que lidar com a inconsistência de Cael, agora. Raios! Na realidade, Syllence agora se via solitária, em que tinha que lidar simultaneamente com o devaneio dos 4!! - incluindo Allegro, embora dela fosse razoável descontar um pouco, lógico... Mas agora todos pareciam ter um único nome: Problema!

- Óh! Perdão, Vanessinhah! Eu não sabia que sua cauda faria isso com você! - disse Niwo a Venessah que andava apressada - Eu nunca vi uma Fada com uma cauda antes...! Aí eu quis "experimentar"...! E você estava tão apressada e surda que foi o único jeito que achei de chamar sua atenção... - refletiu brevemente e então retomou, mais compenetrada: - Olha, eu quero que você depois me conte TUDO sobre TUDO que viu nesta viagem, tá bom?? Eu vou entrevistá-la! Podemos? Seus amiguinhos também. Agora, seria bom você descansar um pouquinho antes, né? Suas asas estão pálidas...!! - cruzou os braços, um pouco brava: - Porque, sério! Vocês já causaram problemas demais por hoje! Então, se precisar de algo, "me liga"! - aquela última frase soava estranha.... será que a Fada da Montanha estava se referindo a algum tipo de comunicação especial através do mundo feérico ou algo assim? algo que Vanessah nunca parou pra hipotetizar ser possível ou não.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 31, 2017, 03:01:30 am
https://www.youtube.com/watch?v=D46hz-MoCag (https://www.youtube.com/watch?v=D46hz-MoCag)


Retha

- Ilha do queê....?? - interrogou Béthia atônita; porém, depois parece que algo lhe veio a tona, trazendo o indicador à testa... -..... Aaaahhhh............. Ééééé...! Se é o lugar para um tal de campeonato... coisa e tal, é aqui mesmo...! Mas eu pensei que vocês viriam todos juntos, num mesmo naviozão...!! - Então, olhou para as grandes caixas - Tem mais alguém ali? - indagou curiosamente, apontando para aquela que estava fechada ainda.

Já, sobre a pergunta de Retha, a adolescente da praia lhe respondeu, mas fazendo um ar meio monótono:
- Pra dormir...? - olhou então pros lados, e depois em direção à barreira da praia; Retha agora percebe que parece existir uma cidadezinha mais acima, em meio as uns morros escarpados, mas estava um pouco escuro ainda no amanhecer, e é por isso que nem tinha visto direito. - Tem lá... uma taverna... se tiver moeda. - Béthia agora parecia ficar um pouco nervosa... esfregava as mãos nos braços, como que pra se aquecer.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 31, 2017, 06:58:59 pm
Aquela familiar tentação que o sujeito sentia já era algo praticamente natural em seu dia dia. O que lhe realmente incomodava era um leve olhar julgador, que conseguia observar de canto de olho, vindo da colega Drow. Não sabia se era o caso, ou se sua cabeça já lhe importunava com novas paranoias e ansiedades sociais... O que ele não queria era acabar mais uma vez tendo de ser ajudado por ela... ou por qualquer um outro membro de seu grupo por conta de uma bebedeira, já estava em dívida com aquela mulher, algo que não sabia nem como iria pagar para começo de conversa, não queria nem um pouco acabar parecendo um crianção irresponsável aos olhos do grupo. Não enquanto estivessem ali a trabalho, com aquele desafio para vencer.

As bebidas infelizmente tinham de ser mais moderadas, se quisesse estar apto, principalmente quando não podia confiar na estabilidade do colega ruivo... ou no foco da colega de pele azulada, uma vez que essa tinha arrumado uma criança para cuidar do nada! Ele levou a mão livre a ponte do nariz, massageando brevemente aquela área enquanto suspirava.

Baixou o braço olhando para sua mão direita, a qual ainda tinha aquele objeto aceso. Deu de ombros e levou o cigarro da xamã a boca, dando uma tragada para ver o que aquilo o proporcionaria, sem não antes tossir de manira desajeita, impedindo que completasse uma tragada completa, pela falta de experiência com aquele tipo de coisa. Queria com aquilo acabar distraindo sua vontade por mais uma garrafa de vinho. Demorou uns segundos com aquilo nos pulmões, exalando para o alto, tentando imitar a pose estoica que Faris fazia quando fumava, e tossindo mais um pouco antes que pudesse terminar de exalar, com os olhos comicamente merejados pela fumaça.

Olhou tentando parecer sério para a Drow, se dando conta uma fração de segundos depois que não conseguia encara-la direito nos olhos, desviando o olhar dessa vez para uma pilastra, fitando a estrutura de madeira um pouco nervoso, por fim informando a arqueira:

- Eu... Sair aqui... Andar... - disse, mantendo o tom sério e apontando de maneira redundante em direção a saída da taberna - Você querer? - esticou o braço que segurava o cachimbo na direção de  Syllence, enquanto ainda olhava em outra direção - Eu voltar mais tarde... Tentar aprender cidade - completou.   

   
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Agosto 01, 2017, 01:35:13 am
Muito tempo atrás...

Retha aproximava a mão a nuca e alisava, com um sorriso torto. – Engraçado você disser isso, pois está ligado ao porquê de eu estar ali dentro. Ela começava a falar, enquanto gesticulava, pois não pensou que aquilo poderia estar relacionado.

– Seguinte: Lá antes de eu entrar no navio, do qual usávamos para chegar aqui, eu estava com o um grupo relativamente "excêntrico". Se assim posso definir. Enfim, era composto por um cara ruivo caladão meio sombrio com orelhas pontudas, inclusive tem uma outra mulher com as mesmas orelhas, mas com uma pele roxo escuro e cabelo prateado, tentei ver do que era o arco mas não consegui. Também um cara negro com manchas brancas e cicatrizes, talvez analfabeto ou estrangeiro de muito longe... e por ultimo uma fada tagarelante com cauda, eu gostava de como ela brilhava e voava livremente, menos quando tentava achar um pretendente para mim.

Retha passa por devaneios sobre as pessoas que conheceu naquele barco, mas depois retoma ao principal assunto.

– A sim, perdão... O "naviozão" a qual estávamos foi atacado por piratas... e eu não tive escolha a não ser me esconder naquela caixa, eu... Não sei se os demais tiveram a mesma sorte de saírem vivos do ataque. Quanto mais falava, mais era perceptivo o abatimento da garota artesã. Ela olha para a direção apontada pela Béthia meio confusa, mas compreendendo a indagação. Ela própria era prova disso. – Ãhn... Eu não sei lhe responder essa.

Após aquilo, Retha respirava profundamente e olhava para a cidade à vista por algum momento. Depois volta a atenção ao chão, se prepara e levanta a mochila até colocar em suas costas, em dois movimentos. Após ajustar as alças nos ombros, voltava para Béthia. – Valeu pelas informações e tenha um bom dia. Bem, eu vou seguir o meu rumo. "Enquanto ainda tenho um." Pensava, mas rapidamente descartava o pessimista. Era um novo lugar, logo poderia haver novas técnicas e cultura com a qual aprender. Conseguindo retomar a confiança de antes, acenando um adeus ou talvez um até logo enquanto se afastava. Quem pode prever? – Espero te ver em situações menos inusitadas Béthia!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Agosto 01, 2017, 03:03:28 am
Tempo atual...

- Obrigado. - agradeceu sem muito ânimo. Se ele apenas ouviu a porta bater, como sabia que era aquela? Talvez ele houvesse se confundido.

No atual humor, Cael tinha muito pouca paciência para lidar com aquilo, muito diferente de como ele normalmente era. Estava quase mudando de ideia e descendo as escadas para ir dormir em algum canto na rua em que pudessem lhe deixar em paz. Mas precisava conferir se havia alguém naquele quarto, pois ainda era sua melhor opção.

Com a mão na maçaneta, o ruivo tenta uma última vez antes de abrir a porta:

- Com licença. Há alguém utilizando o quarto? - inquiriu com o tom de voz um pouco mais alto, esperando que se houvesse alguém ali dentro, pudesse ouvi-lo e responder.

Se não houvesse resposta, só lhe restaria entrar nos aposentos.

O quarto sim estava sendo utilizado, mas por alguém que talvez Cael já tenha visto antes em momentos melhores, ao menos antes do navio ser atacado. A garota lá dentro estava sentada em umas das camas com as pernas cruzadas, ainda lendo um pequeno livro do qual adquiriu no caminho antes de se instalar no quarto. Quando ouve a voz por aquela porta, olha rapidamente para ela a fim de responder ao estranho no outro lado.

– Oi! Sim-sim, quarto ocupado! Entretanto, ela estranhou. "Essa voz não me é familiar?..." A garota ponderou por alguns segundos, encarando a porta, antes de ligar os pontos e estalar os dedos. Ela deixa o livro sobre a cama e vai em direção a porta.

– Quais as palavras mágicas!?... Brincadeira Cael, pode entrar!Ela esperou a porta ser aberta pelo rapaz caladão.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 01, 2017, 05:58:24 am
https://www.youtube.com/watch?v=5HWCcYG_4gk (https://www.youtube.com/watch?v=5HWCcYG_4gk)


Cael, Retha

Por essa, ninguém esperava... absolutamente ninguém!

Cael não acredita em seus próprios olhos - primeiro, ouvidos é claro. Aquela voz, e depois aquela visão, já que a porta do quarto tinha se aberto mais além, era.... aquela garota.... Sim! O último e "Quinto Elemento" (totalmente esquecido!) daquela estranha Comitiva de Desafiantes, e que o Elfo julgou tão brutalmente como morta afogada ou trucidada pelos Piratas... nem sequer lembraram-se dela... Agora, no entanto, a menina artesã parecia bastante real ali, em carne e osso.... MAS COMO ASSIM?!?...

Para Cael, uma mistura de espanto, choque e remorso (consigo mesmo), alegria, e re-tomada de Consciência ou Memória do que fizeram juntos desde a saída de Bradbaum, até finalmente o trágico Ataque Pirata em plena Vastidão... em que haviam se separado, e perdido (quase) tudo...

Para Retha, a qual havia ingressado por último no grupo ainda logo antes do navio zarpar do Continente - e mais meio que para "preencher" a vaga restante (e obrigatória!) para o Concurso -, era também surpreendente, em algo, ver Cael, vivo, mas ele estava num estado um pouco catatônico ou cansado.... Como tinha chego ali?? Será que ele viajou numa caixa também assim feito a menina artesã...? Só que ele era adulto, grande, e nem tão esguio assim para um elfo comum. Enfim... Parecia ser uma boa notícia, apesar de tudo.

Para ambos!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: UrbanShark em Agosto 01, 2017, 10:17:25 am
Por um breve momento a Drow recordou-se do que acontecera naquela taverna em que conheceu Iyas. Levou a mão a face ao brevemente imaginar que talvez aquilo pudesse acontecer de novo, e tudo que queria evitar naquele resto de dia era uma outra briga em taverna. Seus olhos se direcionaram para Allegro que se escondera em baixo de uma mesa, ao menos estava no seu campo de visão, ela pensou.

Já estava bem cansada, e ainda tinha que lidar com o problema de Cael, sem contar a pequena fada, que por si só já era um problema, por incrível que pareça talvez Allegro fosse a menos problemática desse caótico grupo, e ali estava ela "a babá". Balançou a cabeça negativamente em sinal de ironia.

Quando o humano levantou-se estendendo aquela coisa esquisita que ela sabia exatamente o que era na ua direção a mesma apenas fez sinal de negativo com a cabeça. Apesar de achar que talvez não fosse uma boa ideia se separar naquele lugar, não impediu Iyas, afinal ele era livre para ir e vir, além de também imaginar que não adiantaria muito tentar impedi-lo - Vou esperar e confirmar nossa presença no torneio, se não me encontrar aqui em baixo é porque já fui para meu quarto!!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Agosto 01, 2017, 12:45:42 pm
Cael abriu a porta após ouvir aquela voz, mas ficou parado na entrada com um olhar atônito para a jovem. A surpresa em vê-la tinha o deixado sem ação. A memória meio nublada que ele costumava ter sobre momentos em que estava totalmente sob o efeito do feitiço talvez houvesse afastado as lembranças de que havia mais uma pessoa naquele grupo e que esta pessoa estivera desaparecida... Até agora. O elfo não tinha certeza de como algumas memórias pareciam se esconder bem fundo em sua mente, como se houvessem acontecido à séculos atrás, mas também existiam muitos outros fatores difíceis de compreender sobre o feitiço.

Passado o momento de surpresa, o ruivo não conseguiu conter um sorriso de alívio e satisfação em ver a pequena humana ainda viva e não mais perdida. Lembrava que não tinha se comunicado muito com ela na viagem - e nem com os outros - mas sua euforia em lhe ver era genuína.

- Milady Retha! É muito bom saber que Milady sobreviveu! Mas... Como? -  a boa notícia diante de seus olhos tinha apaziguado uma parte de todas as emoções negativas que sufocavam o verdadeiro Cael e traziam algo que ele não tinha certeza se era possível ser controlado.

Só então ele entrou no quarto e se aproximou da humana, percebendo também que haviam mais camas naquele lugar, o que queria dizer que talvez mesmo seu sono fosse complicado, se fosse temer representar algum perigo aos companheiros até no descanso deles. Mas deixou aquilo de lado por enquanto, ia se concentrar em Retha agora.

Ao ver a jovem à sua frente do mesmo jeito que à vira da última vez, o elfo até teve vontade de ajoelhar-se à sua frente abraça-la, como se estivesse vendo um amigo há muito tempo perdido retornar, porém, ao pensar melhor viu que aquilo não faria muito sentido, já que mal falara com ela antes deste momento. Talvez esse desejo tenha sido só porque a humana não deveria estar muito longe da "fase de crescimento" que sua própria irmã da última vez que a vira, quinze anos atrás.

O cansaço ainda estava bem presente em suas feições, mas, de algum modo, ele sentia-se levemente melhor ou talvez momentaneamente anestesiado pela animação que surgira nele após a descoberta.

|1-RAZ|
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 01, 2017, 08:12:05 pm
https://www.youtube.com/watch?v=jNEiDBqMKvg (https://www.youtube.com/watch?v=jNEiDBqMKvg)


Retha, Cael

O dormitório era de médio porte, e comportava exatamente 5 camas... talvez, a Taverna dos 7 Mares estivesse de fato informada e preparada para receber os Desafiantes, no mês de sua chegada.
De estrutura e mobiliário relativamente simples, porém espaçosa e ao mesmo tempo aconchegante, fazia juz ainda, ao espaço glorioso do salão no andar de baixo.
Apesar de nada muito pomposo, tudo estava pronto para uso dos clientes, que nem nos mais requintados serviços de hotelaria do mundo... Mas banheiros no entanto deveriam encontrar-se no corredor quem sabe. Havia uma janela de correr que dava para uma espécie de pátio interno (no 2º andar!) retangular e ao estilo espanhol, com piso de madeira e vegetação arbustiva disposta em grandes vasos diversos... e era possível ver através daquela janela e das folhagens centrais, muitas das venezianas fechadas de outros quartos. Mas aparentenente o acesso ao pátio interno seria por outro local.

(https://bw-1651cf0d2f737d7adeab84d339dbabd3-bcs.s3.amazonaws.com/products/product_76977/product_image_thumb_113342.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Agosto 02, 2017, 01:39:35 am
Apertava os grossos lábios com uma expressão de tédio ao perceber com sua visão periférica que Syllence recusara o item oferecido. O humano meio que já esperava que esse seria o caso, e uma parte dele até que apreciava o fato de não ter que dividir aquilo com ela... Concluía que se acabasse morrendo envenenado por conta daquele "remédio", pelo menos  com aquele truque a xamã de olhos fendados não faria mais do que de uma vítima naquele grupo, para seus possíveis sacrifícios rituais! Toda essa ponderação talvez já fosse efeito do álcool, se bem que só havia tomado tão pouquinho até então...

Ouviu o que a colega tinha a dizer enquanto abaixava a mão que segurava o charuto e observava agora a criança de pele azulada e cabelos negros.  Concordou com o que a Drow adulta tinha se disposto a fazer, mimicando o mesmo tipo de aceno com a cabeça que ela tinha feito momentos atrás, só esperava que nem aquela pirralha, nem a fada, nem o agora instável Cael atrapalhassem aquela que atualmente parecia a colega com a qual ele mais poderia contar... Por mais que aquilo não era algo que o deixava confortável.

Shil'la - despediu-se após um suspiro enfadado, fazendo sua costumeira, breve e quase mecânica e reverência.

Girou em torno do próprio eixo e rumou na direção do exterior da taberna, sem muita pressa no andar, trocando a mão com que segurava aquele recém adquirido "medicamento", colocando a direita no bolso, esta que possuía uma grande mancha branca que cobria as das costas de sua mão até as pontas de três de seus dedos de maneira irregular o indicador e o polegar ainda mantinham a mesma coloração das partes não afetadas. Com a esquerda, levava o fumo a boca para mais uma inexperiente tragada, que resultava em breves s tosses. Ainda sentia o pulso latejando e aquilo o fazia ficar com uma expressão emburrada, nada amistosa.

Enquanto passava pelo arco da entrada da edificação estreitava os olhos castanhos bem escuros que entravam em contato com a luz do dia: Estava a varrer a paisagem local em busca de um comércio ou mercado local. O sujeito estava interessado em adquirir algo importante que havia perdido durante o caos que foi o maldito ataque ao navio...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Agosto 02, 2017, 08:19:27 pm
Citar
- Óh! Perdão, Vanessinhah! Eu não sabia que sua cauda faria isso com você!

- Não tem importância, no ar eu faço acrobacia e nem dói, olha!

Ela voa que nem doida, fazendo piruetas.

Citar
- Eu nunca vi uma Fada com uma cauda antes...! Aí eu quis "experimentar"...! E você estava tão apressada e surda que foi o único jeito que achei de chamar sua atenção...

- Pois é, é que sou da floresta e algumas de nós pegam características de alguns bichinhos fofos. Mas eu também nasci de uma orquídea, então modéstia a parte, sou especial né! E diz a verdade, fico super sexy com esta caudinha, não fico? Hihi, nós fadas somos vaidosas, né?

Citar
- Olha, eu quero que você depois me conte TUDO sobre TUDO que viu nesta viagem, tá bom?? Eu vou entrevistá-la! Podemos? Seus amiguinhos também. Agora, seria bom você descansar um pouquinho antes, né? Suas asas estão pálidas...!!

- Ah, tá, tudo bem. Eu vou ver se ajudo meu amigo dormir, sabe o ruivinho bonitinho? Estou querendo entrar no País dos Sonhos perto dele, para ver se tiro uns sonhos ruins que ele tem com uma feiticeira filha da $@%$, e vou aproveitar e ver se enfio na cabeça dele uns sonhos eróticos com minha amiguinha drow, sabe aquela azulzinha peituda? Então, os dois são apaixonadinhos mas morrem de timidez, e é função nossa das fadas de ajudar a natureza proliferar. Que tal se você vier me ajudar? Duas fadas no País dos Sonhos são mais fortes que uma só!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Agosto 04, 2017, 08:18:10 pm
Citar
- Milady Retha! É muito bom saber que Milady sobreviveu! Mas... Como?

Coçava a nuca com a mão livre, depois usava as duas mãos para gesticular. – Há, por pura sorte consegui fugir dos piratas em uma caixa; sabe, desse tamanho. Era um saco porque não conseguia nem me esticar. Graças as minhas coisas, consegui passar um bom tempo lá até parar aqui nessa ilha. Conheci uma garota que abriu a caixa num porto daqui, ela chamava Béthia. Desconfio que os piratas que nos assaltaram levaram o saque para aqui, mas ainda falta algumas informações para fechar os pontos. Será que era tudo planejado ou eram apenas oportunistas?

Retha finalmente para de falar e começa a pensar sobre o assunto, colocando uma mão do queixo enquanto fazia careta, mas aos poucos muda o tópico da conversa enquanto olhava para o elfo. Como se estivesse examinando o rapaz de cima a baixo e quase circulando envolta dele a procura do que o afligia, mas sem muito sucesso. –... Caramba Cael, por onde esteve? Não só esta vivo como esta pálido. Ela encarava o rapaz com olhar inquieto. – Onde estão os outros?

|0-PER|
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Agosto 07, 2017, 12:04:14 am
- Aparentemente estes tais piratas estão causando bastante problema por aqui... - cruzou os braços e fitou a parede sem janelas do quarto.

O elfo ouviu o nome daquela garota e sua expressão se fechou um pouco - Ah. Béthia. A vampira... Foi a primeira... Criatura que encontramos ao chegar nesta ilha também. - mencionava, enquanto aproximava-se à uma das camas vagas e sentava-se nela - Eu ainda não sei muito sobre os piratas, mas aparentemente aparecem por aqui regularmente. Devem mesmo trazer seus saques para esta ilha. Parece que estão atormentando os moradores. Não é impossível que planejem algo. - passado o momento alegre de reencontrar a companheira perdida, Cael começava a voltar lentamente à seu estado de nervosismo em que se encontrava antes. Suas mãos e dedos estavam agitados como se ele precisasse ocupa-los com algo.

- Eu estive.... Bem.... À deriva, no mar... Até chegar à praia, nesta manhã... E os outros... Lá embaixo, na taverna... - agora mantinha o olhar inquieto em vários locais do quarto, como se procurando algo em específico. Dividir o quarto com os companheiros poderia ser perigoso... Não queria correr este risco outra vez. Os olhos pensativos continuaram viajando pelo cômodo até encontrarem a mochila de Retha - Diga-me, Milady. Em sua mochila há algum pedaço de corda que possa ser usado?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 07, 2017, 03:20:30 am
Vanessah, Syllence

Niwo tentava dar conta de todas as questões abordadas "ao mesmo tempo" por Vanessah, fazendo sinal de concordar, em diversos pontos. Embora conhecesse muito de História do Mundo, ela não era tão conhecedora acerca das espécies de flores a ponto de poder realmente admirar - ou até invejar - a condição da colega Fada da Floresta "nascida de uma Orquídea", pois não saberia o siggnificado fundamental disso... Mesmo assim, sorriu tentando manter sua cordialidade intelectual.

- Obrigada, Vanessah!... Ahh sim, eu vi os dois..., quem sabe, né...? Se você diz...! Sim, eu posso ajudar você, se ficar difícil, mas eu não gostaria de me intrometer muito... Me chame no Mundo dos Sonhos se realmente estiver tendo dificuldades com eles...........! É que... eu não penso que eu seja nada qualificada para estas questões....... - olhou cabisbaixa por um momento - Eu poderia até acabar atrapalhando...! Eu gosto mesmo é dos Livros Empoeirados...... - Por alguma razão, sacou um par de óculos de leitura, que faziam bem o seu estilo quando postos a frente de seus olhos perspicazes. - Mas olha, no Mundo dos Sonhos, nesta geografia, você vai encontrar-se com muitas vizinhas, as Fadas Aquáticas. Você não tentou ainda...? Tenho uma grande amiga lá, a Xaille. Pode dizer que é minha amiga. Ela vai poder orientar você, Vanessah, se eu não puder... porque eu não vou me eclipsar ainda. Estamos entendidas?


Syllence, aborrecida e cansada, não queria realmente contar com ajuda de ninguém ali, e sobretudo, tinha receio de buscar informações a respeito do Sr Graadmonz com as pessoas de Arkhóreas, e com isso, correr o risco de difundir pelos arredores ainda mais boatos sobre as aspirações do grupo naquele momento relativamente delicado. Ademais, tinham os 4 até a noite pra tentar resolver aquela questão, segundo o que Cael lhes revelou... Então, teria de dar tempo de descansarem, e de resolver tudo no final do dia ainda; esta pareceia ser sua melhor cartada agora, ou aposta.

Assim, ela resolveu que tinha antes que "arrumar a casa" do melhor jeito que dava, e isso significava descansar algumas horas, nem que fosse naquele quarto da taverna reservado a eles afinal de contas... e aproveitaria para investigar mais de perto o que vinha acontecendo com Cael; mas só em pensar no jovem Elfo conturbado, a ardência da suposta maldição em seu pulso esquerdo lhe fez lembrar da provável seridade do assunto... Cerrou os punhos e foi buscar Allegro e seus instrumentos de Caçadora... e deu um pouco de trabalho convencer a menina a sair debaixo da mesa.... Aí então, atravessando o Salão, ao passar por Vanessah, disse-lhe em voz baixa no caminho, com má vontade, mas ao mesmo tempo sabendo que a presença da Fada poderia ser essencial na situação com a qual poderia se deparar no andar de cima:

- Você vem ou não?...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Agosto 08, 2017, 11:35:25 pm
A garota pensou se Cael ficaria melancólico de novo, enquanto o observava, mas foi surpreendida pela nova informação. Ela levantou os dois braços na altura do peito com as mãos abertas, balançando-os para frente e para trás. – Uou-uou-uou! Ela é vampira?!... Retha tinha certos conhecimentos do folclore e cultura, mas a própria experiência com tais criaturas eram quase nulas aonde morava, tendo aumentado mais e mais durante a sua singular aventura.

Ela acompanha com os olhos e se aproxima do elfo quando ele se move, ainda pensando em como ela não pensou nisso antes. A imaginação começou a se manifestar: "Será que tinha tritões entre os piratas?" pensava, mas o devaneio não a permitiu perceber a inquietação em seguida de Cael. Ela prestava atenção ao que o ruivo falava, ainda usando a imaginação para tentar preencher o que não foi dito. Retha ficava feliz por saber que o próprio grupo teve a sorte semelhante a dela, mas a pergunta de Cael a deixou confusa, para não dizer perplexa.

– Ãh... Apenas para alguns pequenos objetos meus, como minha cabaça. Fora isso, não tenho nada muito longo. Retha procurava com os olhos e, após achar e alcançar, puxava o objeto até a altura da cabeça. Levantando uma sobrancelha para Cael. – Mas... O que precisa ser amarrado? Acho que posso pensar em algo de improviso. Repousava as mãos no quadril e olhava ao redor, novamente pensando em como poderia modificar o quarto em pró de algo mais, além da própria curiosidade.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 09, 2017, 12:25:17 am
https://www.youtube.com/watch?v=Fm33MMa9d_A (https://www.youtube.com/watch?v=Fm33MMa9d_A)

Iyas


Enfim, sozinho... de novo. Podia respirar mais aliviado o ar fresco e a brisa do mar na rua... mas não poderia continuar bebendo... Foi aliás a única alternativa plausível que você encontrou pra se afastar do vício.

Para onde seus pés o levariam agora naquela terra estranha e já tão distante do Continente Árido...? A sua sorte, é que não dependia mais de embarcações para se deslocar.

Poucos transeuntes ao meio-dia de sol-a-pino... provavelmente a maioria almoçando ou siestando em suas casas; você podia notar alguns moradores de seus lares mirando o movimento, e você nele.


mapa de Arkhóreas [sem legendas], vide Drive
(https://scontent.fpoa4-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14202701_10154434623505912_7039751597851942355_n.jpg?oh=c0b598d0a68cf3d72fad5fab59b86ced&oe=5A32AD07)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 09, 2017, 12:38:56 am
https://www.youtube.com/watch?v=NcIZtREgbsE (https://www.youtube.com/watch?v=NcIZtREgbsE)


Cael, Retha

Retha era uma artesã engenhosa e tinha muitas noções de materiais, seus usos e possíveis transformações... Assim, poderia encontrar nos lençois das camas, nas toalhas de banho, e até mesmo nos cobertores e nas cortinas, bem como nas roupas - quaisquer que fossem - , e nos pequenos trechos de corda, cintos e tiras que pudesse encontrar, meios de improvisar uma corda boa o suficiente para.... suportar peso para descer por uma janela da taverna até o térreo - se isso fosse realmente necessário.

Cael continuava intrigado pela incrível sorte que a garota teve... Não obstante, estava preocupado com o Mal que ainda poderia causar a seus companheiros... decididamente: por mais cansado que estivesse, era iminente encontrar uma alternativa; talvez, devessem trancá-lo num quarto isolado da taverna, para que dormissem todos seguros - como se o Elfo fosse realmente um louco perigoso e descontrolado...!
Percebia no entanto que estaria menos perigoso neste momento.... porque, afinal de contas, acabava de perceber que tinha esquecido sua espada de duas mãos em algum lugar para atrás... Como isso foi acontecer? E quando foi isso exatamente? Aquilo, o deixava mais ansioso e preocupado com sua própria Consciência de algum modo, ainda que... é de se convir que, seja lá o que vinha tendo em mente ultimamente, a Consciência que o fez esquecer a temerária arma, o fez - provavelmente - por bem...
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Agosto 10, 2017, 01:13:56 am
Iyas continuava a olhar em volta, como um completo alienígena aquela cidade, enquanto andava sem pressa e aparentemente, sem rumo, em busca de um mercado, comércio, loja… Já estava até acostumado a estar perdido, já que desde que havia deixado Vel’parl não havia parado em uma cidade por mais do que duas ou três noites. Sempre em um lugar novo, de cidade em cidade, seguindo estradas, navios...  Ao longo desse tempo, já havia se acostumado a abordar transeuntes para perguntar direções. Quanto a este aspecto, ele havia mudado bastante do jovem que cresceu na cidade-estado costeira de Quozor, onde conhecia todas as ruas e vielas da porção baixa, e grande parte da cidade alta, ao menos as partes em que ele era permitido perambular, onde era o mercenário quem informava aos outros onde achar o que.

 Ele apagou o cigarro em uma das placas de sua cota de talas, guardando o item em um de seus saquinhos presos em seu cinto, sob a grande faixa que se amarrava a sua cintura. Tentou aprumar sua expressão, ao aproximar de um cidadãos que Iyas percebeu que estava a observá-lo da varandinha da casa. Aproximou-se, da edificação, que era a segunda casa da rua a direita da taberna, erguendo a mão direita, acenando.

Olá - coincidentemente, essa palavra possuía um sotaque muito forte saída de seus lábios - Dizer… Onde ser mercado? - inquiriu, tentando esconder suas feição ranzinza.


*Casa 19
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Agosto 10, 2017, 06:25:54 pm
- Eu... - ele respondeu à pergunta de Retha cabisbaixo, com os olhos voltados ao chão - Tem um feitiço em mim... Um que faz eu me tornar alguém... Diferente. Perigoso às pessoas à minha volta. - ele suspirou sem erguer os olhos para a jovem.

Ele se deu conta da falta da espada só agora... O que teria acontecido se ela ainda estivesse ali? Se a adaga ainda estivesse em seu cinto? Estava certo de que ele era um perigo para todos no estado atual... E começava a se perguntar se descansar o corpo e a mente realmente fariam o efeito de afastar aqueles sintomas mágicos terríveis.

- Eu acho que eu ataquei eles... Eu não sei direito o que eu fiz, mas alguma coisa aconteceu... - o desabafo final do elfo tornara-se um tanto vago, a voz quase falhando e o os olhos sonolentos, distantes.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Agosto 10, 2017, 08:51:36 pm
Vanessah faz beicinho, vendo que a prima queria sair de fininho.

- Ah, eu também gosto de livros, mas tem certeza que não quer me acompanhar um pouco, é tão legal ir no Mundo dos Sonhos!

Na verdade nem sempre era legal, dependia de onde se aparecesse, pois alguns lugares lá eram bem dark, mas Vanessah tentava parecer bem animada.

- Mmm, Xaille? Tá bom, vou procurá-la. Tomara que eu ache nossas primas aquáticas também. Mas se puder dá uma passadinha lá também. Por favorzinho!

Ela começa voar de novo, e ainda esbarra com Syllence no meio do caminho.

- Tô tentando ir. Que bom que você também resolveu, assim podemos ir todos para o Mundo dos Sonhos brigar com aqueles pesadelos chatos. Talvez até ajude se durmirem pertinho...

Subindo a escada:

- Uai, ele tá falando com quem?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Agosto 12, 2017, 03:49:30 pm
Enquanto ela observava o quarto e escutava, pensando no que usar, olhou novamente para o elfo com uma mistura de curiosidade e receio. Era claro o ar pesado o qual cercava Cael, mas Retha pouco sabia sobre magia ou como amenizar esse fardo. Por agora, seus conhecimentos de artesã deverão atender a demanda do ruivo. Andando um pouco para o centro da sala, vasculhando com os olhos.

– Hum... talvez eu consiga fazer algumas cordas com aquelas cortinas, se o grupo não se importar em acordar cedo. Olhava para a janela por alguns segundos esfregando o queixo, antes de olhar para as camas com a mesma expressão. – Ãh..., se o taverneiro não ficar mega incomodado, posso rasgar um lençol como aquele e fazer uma corda mais resistente. Só precisamos ver onde você poderá dormir para determinar a melhor amarra... Falava apontando para o mesmo, observando se havia brechas para permitir fazer as amarras e o quanto poderia durar. Entretanto, não parecia certo para ela, independente de com que ângulo se via. "Por que se submeter a auto-privação daquela forma?" Retha olha para Cael de forma afável, ainda não engolindo aquela sugestão ser a única solução.

Ela volta a se aproximar do elfo, ainda em pé e com os braços cruzados. – Não acho que você ficará confortável se ficar nesse estado. Vale mesmo a pena? Não há outro jeito?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 17, 2017, 04:11:40 pm
https://www.youtube.com/watch?v=AUeXa5PibXY (https://www.youtube.com/watch?v=AUeXa5PibXY)


Todos

O silêncio do vazio dos corredores do 2º andar da Taverna dos 7 Mares, permitia que, com a porta entre-aberta do quarto número 8, os ouvidos um pouco atentos já pudessem ouvir a conversação entre Retha e Cael...

Syllence dizia, aborrecida, e com os olhos cansadamente fulminantes, para Vanessah, enquanto chegavam no longo corredor de cima:

- Me poupe disso!... Quero transitar sozinha no meu repouso...! Será que nem a isso mais, tenho direito...?!? - Se ela começava a se vitimizar daquele jeito, talvez fosse porque a Fada a estivesse quase convencendo?

Syllence então, segurando a mãozinha de Allegro e com Vanessah sobrevoando sua cabeleira, sem hesitar abre a porta do aposento, interrompendo subitamente a conversa de quem lá estava.....
A Caçadora Drow avançava um passo adentro, quando então, vendo a companhia que lá se encontrava, suspende seus movimentos, pasmada, como que não entendendo o que acabara de ver; Vanessah, por sua vez, nunca acreditou na morte de ninguém, até porque os espíritos fazem travessias entre os Mundos e os Planos cósmicos - às vezes retornando quando não eram chamados. Mas a Fada de Yamivaya ficava não obstante surpresa porque tinha completamente esquecido de que havia um 5º Elemento no grupo de Desafiantes que vocês tinham formado...! Aquela era Retha, a tenaz garota artesã, que encontrava na Arte da Forjaria sua grande paixão - embora para Vanessah, é claro, aquilo era apenas o sinal da emergência do "Primeiro Estágio do Amor Verdadeiro", afinal, Retha era ainda uma massiva adolescente e tinha muito ainda a descobrir.

Cael fica um pouco reconfortado, ao ver as companheiras chegando, ainda que abruptamente... e Retha fica intrigada em re-ver os antigos companheiros... parece que fazia tanto tempo...! Eles estavam fisicamente meio abatidos, e cheiravam a sal marinho e maresia!


* * * * *

Vanessah

Antes de se despedir de Niwo, esta sorriu e prometeu a Vanessah ficar de olho nela especialmente naquele sonho. Talvez, a circunspecta Historiadora tenha notado de fato alguma preocupação extra, no comportamento sempre agitado da prima; porém, não deixou claro exatamente Como agiria na futura ocasião.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 17, 2017, 04:49:48 pm
https://www.youtube.com/watch?v=YzV5A_Z1Xa8 (https://www.youtube.com/watch?v=YzV5A_Z1Xa8)

(https://i.ytimg.com/vi/t4JqqWV5Mdc/maxresdefault.jpg)


Iyas

A edificação era uma casa bem cuidada e estruturada; Mas, para o desconforto de Iyas, a pessoa a quem se dirigia era uma mulher, adulta; inclusive, tinha uma pele de tom preto, bronzeada com um claro reflexo; um ar de certa nobreza parecia extravasar de seu semblante, embora não vestisse roupas particularmente ostentadoras.
Seu olhar contemplativo fixou-se no jeito estranho de Iyas, de repente; aproximou-se lentamente da beira da varanda alta. Demorou até que respondesse algo ao rapaz, mas então apontou em direção ao Noroeste:

- Fica bem ali. - disse. - Mas posso saber quem é você, e o que faz aqui? - O tom de sua voz era calmo, sóbrio, mas não por isso sem uma dose de altivez...!

Iyas logo se lembra intuitivamente da natureza social da difícil relação serviçal entre patrões e escravos, de seus tempos mais remotos da juventude......!


Humana Nobre
(https://i.pinimg.com/236x/78/9f/8e/789f8e802cd9156c8df115ca02c7ce9f--fantasy-characters-female-characters.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Agosto 17, 2017, 08:08:41 pm
- Me poupe disso!... Quero transitar sozinha no meu repouso...! Será que nem a isso mais, tenho direito...?!? -

- Credo! Tá bom, se não quer ajudar tudo bem, eu dou conta sozinha, até porque você deve ter pesadelos também e eu podia ajudar os dois ao mesmo tempo, mas já que você é tão independente e empoderada, tudo bem, nem vou te ajudar mais, nem se você pedir. (pausa dramática) Mentira, eu tenho o coração bom demais, iria te ajudar mesmo você sendo uma feminazi chatinha, afinal eu sei que mais tarde você vai precisar de ajuda mesmo. Eu treino com os sonhos do Cael e quando for você tendo pesadelos eu vou acabar ajudando, afinal vocês massivos só são fortes para compensar a imaturidade, por isto que precisam sempre da ajuda de nós fadas para conduzi-los dos pesadelos aos sonhos, e também para encontrar o caminho da emoção verdadeira.

No quarto:

- UAI! Que isto, você voltou? Onde você estava? Pensamos que tinha morrido. Por que não procurou a gente antes? O que vai fazer com estas cordas?

Ela voa por cima da cabeça de Retha.

- E você Cael, porque não está deitado ainda? Vou ter que jogar algo pesado na sua cabeça pra você dormir?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Agosto 20, 2017, 05:47:48 pm
- Talvez... Talvez seja melhor eu tentar arranjar outro quarto, mas... - neste instante Vanessah, Allegro e Syllence entraram no quarto repentinamente e o elfo se calou, chegando a encolher-se sobre a cama ao perceber que eram elas. O alívio momentâneo deu lugar ao medo. Medo não só do que poderia fazer, ou do que tinha feito com Syllence e Iyas no andar da taverna, mas medo da reação que aquilo geraria em qualquer um deles. Como iriam reagir à uma pessoa que poderia resolver atacá-los sem motivo nenhum, quando antes era seu amigo?

Não tendo coragem de encarar o julgamento no olhar de seus companheiros, Cael manteve os olhos no chão até que ouviu o tom habitual da fada se dirigindo à ele... O elfo imaginou que a fada não daria a real importância para o que estava acontecendo. Ela era assim. Mas Syllence, por outro lado, era bem diferente...

Sem erguer os olhos ele tentou responder em um tom de voz falho e acuado:

- Eu... Talvez seja melhor eu... Melhor eu ir dormir em outro lugar. - apesar de dizer isso não chegou a se levantar. Continuou na mesma posição, dividido entre vários pensamentos, mas sem saber realmente como agir.

Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Jean Valjean em Agosto 20, 2017, 09:50:17 pm
- Afff... Mas que elfinho difícil, pra que tanta frescura? Aff, vocês elfos são formais demais. Será que eu vou mesmo ser obrigada a fazer você dormir na marra? Allegro, vê se acha uma maça ou uma pedra grande, talvez vai ter que ajudar a titia Vanessah aqui. Agora deixa de frescura e deita logo Cael. Aproveita que tá só o bagaço de cansado e dorme.

Ele ainda resmunga, mas Vanessah massageia a cabeça dele enviando energias para seu córtex pré-frontal, responsável por pensamentos abstratos, ao mesmo tempo que cantava para ele.

https://www.youtube.com/watch?v=tiuErzIQkhg (https://www.youtube.com/watch?v=tiuErzIQkhg)

Assim ela o enfeitiça para dormir mais rápido.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 21, 2017, 04:51:30 am
Vanessah

Enquanto se esforçava de forma até hiper-bólica a tenta fazer o pobre do Cael a dormir "a força", Vanessah de repente tem um estranho insight, sob a atmosfera de Arkhóreas: Ela percebe como se não precisasse de fato aguardar que outros dormissem, de modo a acessar algum conteúdo precioso de suas mentes confusas; era como se um Espírito grandioso, como talvez, quem sabe, o do Oceano, a estivesse transmitindo tal mensagem, por cada gotícula de vapor d'água do ambiente que encostava em sua pele...

Por que então, estava Vanessah quase a enfiar tampa-ouvidos e tapa-olhos na figura do jovem elfo massivo exausto e irrequieto - na (des)esperança de que, com tal feito talvez, o fizesse cair no sono espontaneamente -, se ela podia simplesmente ela mesma buscar a sua própria "caminha", e dali justamente, começar a acessar o Mundo dos Sonhos - e dos Pesadelos? navegando pelos conflitos emocionais profundos das mentes alheias?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Agosto 23, 2017, 05:48:29 pm
O sujeito olhou para o caminho apontado pela estranha, e após um breve momento escolhendo as palavras que iria utilizar, voltou-se a ela: 

- Meu nome ser Iyas… Ser viajante. - respondeu em um tom neutro, enquanto estudava… ou fingia estudar, os detalhes arquitetônicos da casa da endivida - Estar aprendendo a ilha.  Por você perguntar? - Inquiriu, sem muita vontade de manter uma conversa muito longa com aquela pessoa. 

Mesmo com aquele preconceito que acabava por sentir ao estudar a desconhecida por não mais que alguns segundos, o jovem adulto tentava usar a razão e se esforçava para não expressar o incômodo que aquele ar nobre da mulher o fazia sentir. Iyas mais do que ninguém entendia o que era ter pessoas o julgando precipitadamente pela sua aparência, principalmente depois que as manchas em sua pele começaram a aparecer e muitas pessoas evitavam chegar perto, com medo dele portar alguma doença contagiosa ou algo do tipo. Sua mente sempre chegava em conclusões precipitadas sobre tipos de pessoas mesmo ele sabendo que não era o melhor em deduzir como alguém era apenas analisando seus comportamentos. Portanto tentava no mínimo não parecer um completo arisco… Embora muitas vezes suas habilidades sociais não lhe ajudavam muito. 


Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Agosto 24, 2017, 09:51:47 pm
- UAI! Que isto, você voltou? Onde você estava? Pensamos que tinha morrido. Por que não procurou a gente antes? O que vai fazer com estas cordas?

Enquanto a fada falava e se dirigia voando ate a cabeça de Retha, a artesã respondia com a mesma velocidade, mas não com a mesma sagacidade.

– Em outras palavras, sobrevivi. Primeiro em um bau, depois estive no porto, depois em ... Mas é claro que tentei procurar por vocês, contudo eu ... O quê??

A garota estava a olhar para a fada quando a ultima pergunta a chama a atenção. Ela olha para baixo e de fato havia uma corda improvisada em suas mãos, não recordando a que momento tivesse começado o projeto. Retha se sentia desconfortável com aquilo. Não era a primeira vez que tinha lapso de atenção, ou de memória, onde a um momento ela estivesse a fazer algo e depois estivesse a fazer outra coisa diferente. A mais grave, uma vez, foi quando Retha estava no teto do celeiro da família Khurshid sem lembrar como chegou ali, apenas recordando como estava de passeio na varanda da fazenda, o qual mais tarde a garota foi flagrada pelo irmão Oluchi tentando descer do teto. Ele apenas contou para Mauru, onde ambos trocavam conselhos e zombarias com Retha sobre o assunto por um tempo. Após o devaneio, entretanto, a garota retoma a atenção para Syllence e para a nova personagem semelhante a Drow.

Enquanto a fada partia para Cael, Retha colocava as cordas sobre os ombros e caminhava para cumprimentar as duas. – Oi pessoal. Estão tão cansados como Cael? Falava para Syllence e depois para a criança, acenando para a garota, ao mesmo tempo abria um sorriso. – Oi, eu sou Retha Ayodele... Ou se preferir, o 5º elemento. Era intrigante, e talvez excitante, para a artesã conhecer alguém com a mesma idade, mas de um povo diferente. Afinal, será que todas as crianças eram semelhantes?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Agosto 31, 2017, 11:47:06 am
- Eu sou capaz de dormir sozinho... - falou em um tom arrastado, mas também um tanto incomodado com o súbito desejo da fada de que dormisse.

Ele segurava as próprias mãos com medo de que agissem sem perceber, agora que a fada estava na cabeça dele. A massagem que ela fazia conseguia relaxa-lo apenas parcialmente, pois com a proximidade Cael temia pelas próprias ações.

Em um tom sonolento, resmungou:

- Eu não quero... Ferir vocês...- esforçava-se à ficar acordado, apesar de se tornar bem difícil com Vanessah mexendo com sua cabeça e cantarolando em seu ouvido.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Setembro 07, 2017, 08:33:32 pm
https://www.youtube.com/watch?v=WZVuHsC1Y08 (https://www.youtube.com/watch?v=WZVuHsC1Y08)


Retha, Cael, Vanessah, Syllence

Retha tinha reparado na criança de pele escura, feições élficas provavelmente as mesmas da Drow, a Caçadora Syllence que a segurava pela mão... como se fosse sua própria mãe.

- Seu nome é Allegro. Mas ela não fala... eu acho. - disse-lhe Syllence, observando-a intrigada, mas também com um certo cansaço na voz. - Você...... - parecia que ia começar uma frase importante, mas depois, sem saber como continuar, ajusta a cabeleira, olha para Cael e para o aposento com camas, e então deita-se de costas num dos colchões do canto mais próximo da janela, espichando ali os membros do corpo, aliavada. - ... Que bom vê-la com vida!! - disse dali de seu posto, de repente, e recompondo-se.

Syllence começava a sentir uma dor incômoda na mão esquerda, que sofria o efeito da maldição de Cael Sombrio; no entanto, não deixava isso transparecer, além disso, não era uma dor que lhe impedisse o repouso... pelo menos não naquele momento. Tirou e lançou a capa ao lado, e disse a Cael, talvez entendendo algo da situação problemática: - Pode dormir aí...! Mesmo eu dormindo não vou descolar o olho de você!! - as palavras dela eram bem contundentes, mas que significado tinham exatamente...? Bom, vindo de uma Caçadora Elfa Negra, acostumada a dormir no mato sozinha, ela deveria estar falando sério. Mas Cael ainda tinha dúvidas, é claro, de como aquilo seria realmente seguro... Por outro lado, pelo menos Syllence não o ameaçou com seu arco e flecha ao entrar no quarto.

- Eu vou descansar um pouco! Então tratem de fazer Silêncio! - berrou autoritariamente, para não ter que repetir uma segunda vez. Com o pé, puxou a cortina pra diminuir a luminosidade do início da tarde do lado do quarto... e tirou as botas, cobrindo-se.

Allegro, que tinha ido junto dela, ouve o pedido da Fada Vanessah, e então, nem sequer cumprimentando Retha - embora talvez tivesse se dado conta daquela nova presença - procurando por algo 'grande e pesado', acaba encontrando na Mochila de Forja de Retha, que estava no chão, algumas ferramentas importantes... a pequena Criança Drow (talvez com a metade da idade de Retha, se fosse Humana) examinava o conjunto, intrigada, com os olhos e as mãos, tateando.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Setembro 10, 2017, 01:28:15 am
A garota artesã observou Syllence junto a criança enquanto a Drow falava e partia para uma cama. Era um incômodo a falta de presença própria a fim de conseguir atenção, mas aos poucos aprenderá a usar esse defeito ao seu favor. Retha dá um sorriso e um gesto para a mulher pela afirmação. Ela ainda sentirá os calafrios daquele lugar pequeno e escuro por um bom tempo, entretanto ela poderá superar essa ansiedade pois agora ela está ali, relativamente sã e inteira.

Retha, após a declaração firme de Syllence para Cael, olha para o elfo e a fadinha. Raras foram as vezes que presenciou uma magia como aquela, logo era queria se aproximar para ver como era. No entanto, algo no campo de visão percebeu a nova criança, Allegro, muito próximo da mochila. Ela leva alguns segundos contemplando a outra criança, tentando determinar o quão grande é a diferença de idade. Para o azar de Retha, havia uma grande diferença entre as duas crianças; mesmo ela tendo mais de dois irmãos e uma irmã, era ela a mais nova da família e ainda teve pouco contato com crianças mais novos, quanto mais de raça diferente. Todavia, assim que ela vê uma tenaze sair da própria bolsa, ela corre em direção as suas coisas a fim de protege-las:

– EI!! Cuidado com isso ai, eles sãos meus! Quando ela se aproxima, sem pensar muito, ela puxa o item e quase toda a bolsa para ficar em suas respectivas costas. Não era possível determinar se a reação quase impulsiva veio no sentido de proteger os pertences de Retha da Allegro ou de proteger a criança dos pertences da artesã. Aquelas coisas não eram brinquedo, mas sim ferramentas. De certeza, Retha sentia-se desconfortável.

Ela suspira, coça um pouco na parte de trás da cabeça e, em seguida, senta próxima a criança:

– Olha, eu posso te mostrando uma-a-uma e falar o quê elas fazem, mas você só pode pegar em algumas delas. Você me entende? Tentava se comunica com Allegro também através de gestos. Retha sentia um déjà vu por aquela cena, pois ela própria já esteve no lugar da criança Drow quando importunava os seus pais, colegas e o próprio Sr. Pondé. Ela recebia muitos tipos de reações em retorno, alguns mais leve e outros até exagerados. Apenas poucos deles feriu o sentimento da garota na época e ela não queria repeti-los nos outros.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Natbear em Setembro 12, 2017, 02:39:00 pm
Cael acenou a cabeça para Syllence, sem olhar para ela. Acreditava nas palavras dela. Que a drow poderia sim se defender de qualquer coisa mesmo não estando totalmente alerta, o que deixava o elfo inseguro era ele mesmo. Só a possibilidade de tentar ferir alguém já lhe deixava desolado. Então o melhor a fazer era descansar o corpo e a mente e rezar para que o comportamento alterado não se repita mais uma vez. Rezar para que o feitiço não esteja ganhando força outra vez e que seu sono seja tranquilo, sem que nada indesejado aconteça durante o descanso e que quando acordar, isso torne-se algo distante e improvável... Cael precisava lutar por sua liberdade, se isso fosse possível!

E com esse pensamento o elfo acaba deixando o corpo cair suavemente contra a cama e é vencido pela exaustão.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Outubro 07, 2017, 12:04:55 am
Iyas

- Porque tenho um serviço para você, jovem Iyas. - disse sem titubear, a mulher altiva; como se já tivesse há muito um plano para aquela conversação e o que poderia seguir dela mais adiante. - Preciso que você vá até a Feira, com esta bolsa de dinheiro - puxava do mesanino uma sacola de couro e lhe apresentava de longe - e traga para mim algumas frutas e legumes frescos. Espero poder contar com sua colaboração. - Agora, ela aguardava sua resposta em silêncio e com um olhar sereno, como se fosse uma estátua.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Outubro 08, 2017, 09:47:04 pm
Iyas fez uma careta que durou alguns segundos apos ouvir aquele pedido vindo daquela estranha. Aquele tipo de pedido remetia a tempos de sua infância dos quais não gostava de se recordar. Vestiu uma expressão neutra, tentando ignorar aquele incômodo que aparentemente a vida alegremente havia lhe apresentado tão gratuitamente.

- Feira… - Repetiu, levando o olhar na direção apontada pela mulher. Poderia encontrar o que queria no mercado local… nessa tal de “feira”.

Como um mercenário da Legião, não recebia tarefas triviais que um simples garoto poderia resolver, era alguém que era mandado para proteger, ou matar pessoas… Guardar propriedades, coletar informações...

Por mais que seu orgulho lhe permitisse trabalhar convencionalmente para conseguir alguns trocados, em sua condição de viajante… Uma tarefa tão simplória não parecia valer seu tempo… A não ser que a estranha o fizesse valer, a final de contas seu tempo era extremamente valioso.

Deu alguns passos, se aproximando da varanda, fitando a bolsa de couro:   

- E em troca? - pronunciou em seu sotaque carregado, uma das primeiras frases que procurou aprender no idioma comum.   
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Outubro 11, 2017, 11:38:53 pm
https://www.youtube.com/watch?v=JL60rvPo1Us (https://www.youtube.com/watch?v=JL60rvPo1Us)


No Quarto da Taverna...

Quando você (Retha) retira das mãozinhas da criança Drow, foi tão rápido que ela nem pode resistir; apenas ficou olhando com seus impressionantes olhos negros e brilhantes, profundos como o espaço, para o vazio que restou bem a sua frente... Porém, não parece que ficou irritada ou triste na hora, mas se entendeu o que você lhe agora propunha ou não, não saberia dizer ao certo; Allegro a observava sentar, inerte. Syllence, por sua vez, a mãe adotiva da menina, observava com um olho entre-aberto, a cena se desenrolando, com a atenção de uma caçadora. Você começava a ficar com um pouco de receio, de que estivesse fazendo algo de errado...!

Allegro então volta os olhos de você para a sua mochila, encostada no pé da cama... e ia dando um passo a frente, vagarosamente! Talvez pensasse que merecia de fato ganhar alguma coisa sua? Algum prêmio para poder brincar de algo...?

Vanessah de repente diz a você, quase "gritando alegremente" em sua interrogação:
- Você vai dormir também, menina teimosa?? Ahh!! Que nada, já vi que vai ficar brincando com a Allegro!! Ensine a ela alguma coisa bonitinha!!! Se eu acordar e ela estiver chorando ou de mau humor, a culpa vai ser toda sua!!! Mas eu confio em você, sei que tem um coraçãozinho bonzinho - apesar de ser uma massivinha! e vai saber o que fazer na hora certa! Boa Noite!!! Ou Bom Dia!! - com isso, suas asas pararam de bater, e ela vai caindo quase como uma pluma, ao lado do rosto de Cael, sobre seu travesseiro; o jovem cansado, e com os olhos cerradas e coberto quase até o queixo, se esforçava educadamente para murmurar e balbuciar suas últimas palavras, algo como: -Bbvoa Nnoitx.... psoal...........

Eles estavam começando a cair no sono, e Vanessah estava se preparando para uma de suas navegações feéricas pelo Mundo dos Sonhos. Aliás, você se lembra que havia experienciado, na viagem de navio, uma presença mágica em uma noite estrelada na Vastidão; era Vanessah que, de surpresa, chegava no meio de seu sono inconsciente, e de repente lhe revelava que podia guiá-la naquela jornada psíquica... Mas você ficou com muito medo na hora, por alguma razão, e negou o convite abrupto - você não tinha certeza se era Vanessah de verdade ou talvez alguma outra entidade, ou apenas uma halucinação onírica...? E misteriosamente, você também se esqueceu de perguntar diretamente depois à Fada ao longo dos dias de viagem... mas a resposta lhe veio numa outra intervenção ocasional de Vanessah; na última noite antes do Ataque Pirata... e a partir dali, vocês nunca mais haviam se encontrado até hoje.

Bom, os outros indo dormir (exceto Allegro aparentemente), e você já tendo repousado (sentia-se relativamente disposta), você poderia fazer alguns planos para o restante do dia. Mas era péssima a ideia de se afastar deles de novo, justamente quando os encontrava - embora exaustos daquele jeito...! Você provavelmente encontrará algo para fazer sem se entediar e sem arriscar muito.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Outubro 26, 2017, 12:00:43 pm
Retha observava a garota após a pergunta, esperando uma resposta. Por alguma razão sentia um calafrio na espinha, mas logo ela sabe o porque: O olhar da caçadora. Ela reconhece que Syllence não tinha intenções de machuca a artesã, lembrando também em como a própria mãe olhava para os irmãos quando ambos traquinavam. Dai lhe ocorreu o pensamento: "Espera... Como elas se conheceram?" Em nenhum momento teve a oportunidade de perguntar a respeito, todavia Retha conheceu a garota a apenas alguns minutos atrás. Sentindo ter começado com um pé esquerdo com a criança drow.

A artesã arruma o cabelo novamente e nota o movimento da Allegro inda até a bolsa, mas é surpreendida pela fala da fada. Ela olha para a Vanessah indo dormir, demonstrando aborrecimento com uma careta. Mas meu rosto muda quando tenho outro estalo de memoria, recordando de ter sonhado e a fada ter aparecido nele, em minha viagem no navio oficial. Era outra pergunta que ela precisava fazer, mas assim como a anterior, não era oportuno. Ouço o barulho das minhas ferramentas novamente e viro para a minha bolsa com surpresa, notando a garota drow remexendo novamente nela. Aproximo e gentilmente crio uma pequena distância entre ela e a mochila, olho para Allegro e gesticulo com uma mão em sinal para ficar:

– Olha, talvez eu não consiga lhe ensinar muito se não souber a língua comum... Ponderava, mas voltava a falar.– Mas ainda posso lhe mostrar outras coisas, além das minhas ferramentas. Retha então vira para abrir a mochila e vasculhar, à procura de alguns itens. O primeiro que ela tira a pedra de topázio

– Ouvir dizer que o topázio, essa pedra, pode portar sabedoria, inteligência ou boa comunicação para quem a carregar. Se isso for verdade, pretendo fazer algumas joias para conseguir usar tal poderes facilmente. ISSO se eu conseguir sincronizar e não desperdiçar as propriedades dela... Também acho bonito quando colocam pendurados próximo a entrada da casa... Aqui!. A artesã coloca a pedra na mão de Allegro, com um sorriso de confiança. – Talvez já tenha visto ele por ai, mas talvez não como matéria-prima. Retha aguarda para ver a reação da garota, antes de puxar outro objeto da mochila.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Novembro 06, 2017, 09:15:32 pm
https://www.youtube.com/watch?v=jNEiDBqMKvg (https://www.youtube.com/watch?v=jNEiDBqMKvg)


Iyas

- Em troca?... - suspeitou a senhora. - Tem uma boa porção de dinheiro na minha mão, Iyas. - amostrou de longe um saquinho de couro tintilando a moedas pesadas - Aquilo que puder economizar no mercado, de minha lista de compras, será doravante seu.

Então, aproximou-se da varanda e estendeu as mãos, com intuito de deixar cair até a sua posição em baixo, caso aceitasse o incomum negócio. Você, evidentemente, sabia que muitos patrões, ainda por vezes nem sempre os mais generosos, costumavam apesar disso confiar em seus servos para que saíssem com dinheiro na mão, e voltassem com o serviço solicitado realizado. Todavia, o que era incomum, era uma confiança indisciminada em alguém que sequer era um empregado, um doméstico, um servo... ou pior, um escravo.

Estaria disposto a você, abdicar de seu precioso tempo, por algum potencial trocado, ainda desconhecido?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Novembro 06, 2017, 09:27:37 pm
https://www.youtube.com/watch?v=9He2s-TUhJ0 (https://www.youtube.com/watch?v=9He2s-TUhJ0)


Cael

De repente, seus olhos despertam... no mais puro Vazio....... aquoso, ciano... ou turquesa..... Inicialmente, uma escuridão. Mas seus olhos élficos, antigamente cansados pela ilusão, acabam percebendo os vultos clareantes da movimentação ao seu redor.... do próprio Ar.... que você respirava.

Você não tinha corpo. Mas só percebe depois de algum tempo; então, navegava parado, no Vazio amplo sem horizonte visível. Mas havia uma tranquilidade e um silêncio... uma Harmonia como nunca tinha sentido antes. Um frescor que transcendia a mais suave brise marítima.

Você se sentia renovado, sem nenhum pesar, nenhum cansaço físico, corporal; talvez mental - ainda a confusão dos dias últimos tinham lhe abalado a existência. Mas, aquilo parecia tão distante... tão irrelevante, frente ao momentum que estava presenciando, quase angélico; embora não percebesse nenhuma presença singular além da sua própria... e talvez... a do Outro... não o "seu Outro", sombrio! mas aquele Todo; aquela......... Vastidão?

Aonde é que você estava, realmente? Seria um sonho? Cadê todo mundo?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Novembro 06, 2017, 09:43:59 pm
https://www.youtube.com/watch?v=LyAgF2d6QuA (https://www.youtube.com/watch?v=LyAgF2d6QuA)


Retha

Allegro, primeiro parecendo frustrada por não poder chegar na rica diversidade de apetrechos que a mochila de forja apresentava (só do lado externo!), rapidamente prestava atenção em outra coisa talvez mais imediata; olhou com certa curiosidade pra você, enquanto falava um monte de coisas que ela provavelmente não entendia nada (mas, como saberia? além disso, o que vale não é a intenção?...), mas, assim que apresentou a pedra preciosa, parece que seus olhos, profundos e sombrios como a noite, vibraram!

Assim que você depositava o mineral lapidado na mãozinha dela, ela puxou com intensidade, primeiro olhou bem de perto do rosto, boquiaberta e contra alguma luz que havia no quarto, e depois saiu correndo, para debaixo da cama de Cael e de Vanessah, em que ali se escondeu, com seu "novo brinquedo"...! Mas, você podia agora enxergar uma leve protuberância extra, quase estática, na lateral da cama por trás das cobertas que ficavam suspensas e quase encostando no assoalho do quarto.

Parabéns...!! Você salvou as suas ferramentas!! e talvez tenha conseguido algo extraordinário para entreter a pequena Drow.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Novembro 13, 2017, 01:54:26 am
A expressão confiante de Retha permaneceu ao ver a reação da criança drow com a pedra, mas a própria expressão mudou aos poucos, quando toda aquela ação passou por seus olhos. "Mas o quê...?!" Foi o primeiro pensamento dela em uma expressão de duvida, ainda refletindo a respeito. "Bem... Isso servirá! Depois recupero."

Fato é: A mochila dela, por hora, estava a salva. Também era a chance de arruma-la e achar um local para colocar, longe das mãos da Allegro caso Retha estivesse ausente. Sapeca por experiência, enquanto percorria os olhos pelo quarto, passava em sua cabeça onde ela poderia colocar a mochila e como a criança drow poderia tentar pega-la. Após achar o local infalível, segundo sua opinião -por sobre um armário- , ela apresentava certa disposição do que os demais lá dentro. Mas Retha não pretende passar o dia todo vigiando seus companheiros, como a própria fada comentou, em silêncio.

Enquanto seus colegas dormiam, e a outra brincava, ela recorda também do ultimo membro ainda não presente no quarto: O mercenário antissocial, Iyas. "Ué, cadê o malhado?" Mais uma pergunta sem resposta por aquele dia. "Pior, ainda não sei muito sobre o desafio desde de que me estabeleci aqui... Será que vamos precisar lutar até a morte pelo prêmio?.. ou talvez um labirinto? Parece excitante!... de inicio." A garota artesã decide ir até uma janela para receber a ventania do dia, tentando esvaziar a sua cabeça de tantas perguntas, ainda mais sem respostas imediatas. Após abrir um pouco, ela se encosta em um dos lados da janela, a tentar observar a cidade e o céu.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Novembro 15, 2017, 12:37:49 am
O jovem homem estreitou olhar, fitando o horizonte, que no momento não passava das paredes daquela casa, enquanto torcia os lábios por uma fração de segundos. Ponderava em tudo aquilo que seus pensamentos o traziam sobre a situação. Desfez aquela cara ligeiramente emburrada em uma expressão neutra, olhando para a senhora desconhecida de maneira agora decidida, ou o mais decididamente que lhe era possível, uma vez que não chegou encontrar seu olhar com o dela sequer uma vez.

Deu dois passos adiante, estendendo a mão direita e já encontrava-se posicionado a receber o saquinho que a mulher havia mostrado. Acenou positivamente com a cabeça, mostrando que havia concordado com a proposta. A mulher então largou o saco, que foi pego sem nenhuma dificuldade pelo viajante.

- Escravo o que… - murmurava ranzinza de maneira inaudível, fitando o saquinho. Já se irritando com os próprios pensamentos…

Não bastava a raiva que o elfo ruivo o fez passar, aquele machucado estranho, agora sua mente estava querendo fazer paralelos que não iriam melhorar nem um pouco aquele dia… Dia que acabara de chegar em terra firme! Escapado de uma morte nada digna de náufrago à deriva. Era para se sentir grato por ter um futuro que não fosse ser comida de peixes e serpentes marinhas, em vez de ficar remoendo o passado. Não queria isso, não agora, e definitivamente não sem uma bebida bem forte para ajudar. Havia literalmente, tropeçando em uma oportunidade de ganhar uma gorjeta, sabe-se lá qual fosse a quantia... Mas isso deveria com isso esfriar mais a cabeça…  Ao menos esse era o plano e por isso que havia saído da taberna para começo de conversa.     

Deu alguns passos em marcha ré, voltando a erguer a cabeça em direção a local, enquanto guardava o saquinho dentro de sua camisa.

- Até - disse, no tom mais neutro possível.

Iyas então fez um de suas reverências desprovidas de qualquer fluidez ou elegância, curvando-se  brevemente em despedida e logo se endireitando. Então, virou-se na direção indicada e começou a rumar ao mercado tão procurado.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Janeiro 24, 2018, 01:30:12 am
https://www.youtube.com/watch?v=GIFU_Ypx3rY (https://www.youtube.com/watch?v=GIFU_Ypx3rY)


Cael, Retha

Retha, de repente vê Cael se levantando num sobressalto, sentado na cama ainda sob as cobertas, e Vanessah caindo em direção ao chão ao lado da cama mas conseguindo evitar o choque com um curto vôo planante e raso... Os olhos de Cael estavam bem despertos.

Tanto Cael quanto Vanessah, tinham acordado de súbito - mal tinham ido dormir - de um suposto sono perfeito... como se tivessem dormido uma inteira noite como qualquer outra - ou talvez um pouco melhor do que qualquer outra -, e não se sentiam mais exaustos pelo fatídico naufrágio... Estranham a já não-ardência das órbitas oculares, e a leveza do corpo e da mente. Vanessah levitava então lentamente para cima, olhando ao redor com curiosidade, buscando as pessoas; enxergou Retha, percebeu o vulto escondido de Allegro, viu Cael acordando, ficando em dúvidas de quanto tempo tinham realmente dormido... olhou pela janela, suspeitando de algo; e depois para Syllence, que, esta sim, parecia dormindo profundamente.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Janeiro 24, 2018, 01:54:47 am
https://www.youtube.com/watch?v=79jZWYDMChI (https://www.youtube.com/watch?v=79jZWYDMChI)


Iyas

O sol a pino do início da tarde na ilha começava a aquecer o solo e as ruas da cidadezinha de Arkhóreas; o Mercado não setaria muito longe; pela orientação solar, você percebe que a rua da Taverna dos 7 Mares, a qual você pega novamente, é Leste-Oeste, e depois você chega na encruzilhada em que, para o Sul, havia as largas escadarias em direção à praia, e, ao Norte, seguindo talvez mais de 150m em diante ao longo de uma rua larga de terra com esparsa grama e uma série de lajotas claras e semeadas de forma relativamente ordenada, ladeada por algumas árvores e alguns poucos casarões sem entradas, isso desembocava numa larga praça, com uma fonte d'água central, e algumas diversas tendas de comércio improvisadas por cá e por lá, e até que algum movimento não insignificante para um local tão remoto... Talvez seria possível contar umas 20 pessoas que por ali circulavam...?
Além da larga praça comercial, mais ao Norte erguia-se um altíssimo monte crescente, mas não muito íngreme; antes da ladeira mais inacessível, no entanto, um pouco acima da altura da praça, havia uma mansão com grande pátio frontal e que parecia ter uma relevância grande para a cidade; talvez uma Prefeitura ou Centro Administrativo. A Oeste e a Leste, abriam-se vias largas e importantes, mas com relativamente pouca circulação - a maioria das pessoas estavam concentradas na praça mesmo, fazendo compras e negócios, ou simplesmente jogando conversa fora em duplas ou pequenos grupos; chapeus de palha ou couro, bandanas e lenços nas cabeças, ou as próprias lonas listradas das tendas mercantis, eram disseminados pelas pessoas dali, provavelmente por conta da intensidade da luz solar, na Vastidão.

Você abre a sacola de pano da dona, e, mediante o tintilar de moedas ao fundo, encontra, antes de mais nada, um rolo de um papel espesso e duro, com uma lista de inscrições numa caligrafia decente... mas claro, impossível para você decodificar...! Haveria ali talvez uns 6 itens para comprar, seria...?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Janeiro 24, 2018, 02:44:18 pm
A janela aberta dava vista apenas ao vastidão azul do mar, revelando apenas alguns pontos interessantes da ilha, mas sendo impossível ver a cidade. Retha fechou os olhos para sentir a brisa no rosto, quando teve um leve sobressaltou pelo despertar repentino da fada e do elfo ruivo. Ela olha para cima, falando com a fada:

– O que foi isso? Já recuperaram as forças com, o quê, minutos de sono?... Eu não fiz barulho, eu acho.

Retha se distanciava da janela, surpresa pela (suposta ou não) magia da fada, para ir ate a ponta da cama de Cael, quase que de forma abrupta. Com os olhos brilhantes de curiosidade e quase pulando para sentar na cama, ela cruza as pernas no colchão, apoia os cotovelos em cada joelho e olha para Cael. Aquele comportamento da garota era comum quando queria ouvir uma historia a qual interessava:

– E ai, como foi o "sonho de fadas"? Foi o seu futuro? Ou seu passado? Ou melhor, um desejo seu se realizando? Ou a Vanessah apenas lhe apagou e despertou, nem permitindo sonhar?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Fevereiro 14, 2018, 02:41:38 pm
Ao notar a listinha de compras, o viajante deu de ombros, não chegando a se incomodar muito com aquilo. Já sabia que teria que pedir ajuda de algum local para saber o que aquela mulher de atitudes no mínimo esquisitas queria para seu amoço... chá da tarde... jantar... ou seja lá qual fosse a refeição que quisesse fazer com aquelas compras.

Durante esses meses em que viajava já havia se tornado algo bem comum ter de parar alguém para pedir informações. Só tentava escolher alvos que tinham a cara mais amigável, para não ser passado para trás com informações incorretas, ou deliberadamente falsas. E para isso não havia pressa. As primeiras vezes que havia feito isso fora um tanto assustadoras, mas conseguiu chegar até aqui se virando dessa forma e aprendendo um idioma novo no processo.

Seu real interesse a final de contas era arrumar um novo turbante para proteger sua pele manchada do sol, que não era muito diferente em intensidade de sua terra natal. Aquele tipo de peça  de vestimenta era uma parte constante do seu vestuário a anos, e quando estava forçado a andar por ai sem, se sentia estranho.

Adentrava no mercadinho local, passando pelas diversas barracas e conferindo o que era comercializado por ali. Mais uma vez se lembrando de Vel'Parl e comparando as localidades. Diferente daquela ilha, os mercados era enormes e capazes de sobrecarregar os sentidos de quem passeasse por entre as tendas de cores berrantes, os barulhos dos vendedores gritando, competindo com suas vozes pela atenção dos transeuntes, e os cheiros que iam dos mais agradáveis perfumes e sabonetes a odores que era melhor nem saber de onde estavam vindo, tudo isso misturado em um caos efervescente.

Era bom fazer compras em um lugar pacato para verear, e sem pressa o estrangeiro se aproximou-se de uma tenda onde podia ver alguns tecidos e roupas sendo vendidas. Despretensiosamente, passava a mão por alguns, sentindo a textura dos materiais com os quais eram feitos.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 12, 2018, 05:46:28 pm
https://www.youtube.com/watch?v=d7QIW7UDQm0 (https://www.youtube.com/watch?v=d7QIW7UDQm0)


Retha e Cia. [-Iyas]

Cael, ainda perplexo pelo súbito despertar, mas sem aparentar o cansaço físico de antes, fitava-a nos olhos. Então balbuciou algumas palavras incompreensíveis, depois conseguindo articular as seguintes palavras dirigidas a você:

C-c-como é...? S-senhorita Retha, eu simplesmente... eu não sei o que aconteceu! — parou e pensou olhando para as próprias cobertas, e depois para a janela — Que horas são agora? — indagou um pouco aflito.

Vanessah rapidamente toma a palavra e diz quase gritando:
Mas é óbvio, né, Caelzinho?! Minha magia mágica incrível neutralizou toda a rebentação que essa ressaca horrível do mar provocou na gente...! HAHAHAHAHA!!! — assentava-se numa gargalhada estridente e orgulhosa; depois de um momento, disse a você: — E você, Rethinha? Você não parece cansadinha hoje, não é mesmo...? Aaah! Vamos conhecer a cidade então?? — disse de repente, exaltada.

Quanto à breve vistoria que você fez através da janela do quarto, havia do lado de fora uma espécie de jardim a ceu aberto, ou corte interna, de área retangular comprida (com piso na altura do 2º andar mesmo) apresentando bastantes plantas diversas e bem cuidadas, com longos caminhos de um madeirame enquanto assoalho, ladeando as paredes limites.


não existe uma boa representação imagética no momento, mas o conjunto destas imagens deve contribuir para uma melhor visualização do tipo de ambiente:

(https://thumbs.dreamstime.com/b/traditional-japanese-house-inner-garden-uchiko-japan-march-kamihaga-residence-edo-period-merchant-historic-uchiko-89033171.jpg)
(https://static.trip101.com/paragraph_media/pictures/000/172/345/large/-20131128165327-F6EAA71EE226423BBDC80102093B4817.jpg?1497341683)
(http://www.viahouse.com/wp-content/uploads/2010/11/Modern-Wooden-House-from-Japanese-Architect-Garden.jpg)
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Julho 14, 2018, 08:00:08 pm
O brilho em seus olhos logo sumia tão rápido quanto veio, Retha bufava pela leve tristeza que teve em não haver nada para ouvir. Quando estava para responder Cael, a garota leva um susto pelo movimento, ou entusiasmo, da Vanessah. Naquele momento levantava a postura, agora com os braços esticados com suas mãos segurando ambos os calcanhares, com as pernas cruzadas. Acompanhava a fada com uma risada leve até perceber que Retha estava sendo o foco das atenções, piscando rapidamente:

— Ãaah, Claro! Vamos sair e descobrir mais sobre a ilha e sobre o desafio. Eu própria depois de um longo sono, esqueci dos detalhes. He,he,he. Levava uma mão para atrás da cabeça e coçava com um sorriso torto. Continuava, mais determinada: — Bem, agora tendo o dois acordados, podemos sim sair para a cidade!

A garota se movimentava para fora da cama, logo que terminou a fala, dando espaço para o elfo ruivo pudesse fazer o mesmo. Se fosse o caso de sair, ela levaria apenas o necessário e não a mochila inteira, enquanto estivesse fora o objeto estaria em um local seguro no quarto, ou ao menos seguro da Allegro. Tendo um súbito estalo, fala novamente para qualquer um dos dois acordados: — Olha, a Allegro agora esta debaixo de uma cama com um tropázio azul. Então... Quem ficará para cuidar da criança? Um pouco depois caiu a ficha de que ela também era considerada criança para a maioria dos mais velhos, mas preferiu ficar em silêncio nesse aspecto.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 15, 2018, 12:50:10 am
https://www.youtube.com/watch?v=Aa4U02lZczM (https://www.youtube.com/watch?v=Aa4U02lZczM)


Iyas

Chamou-lhe a atenção do tato uma textura muito macia de algumas calças e coletes coloridos e um pouco espessos demais para seu gosto, mas que pareciam ser combinações de indumentárias típicas de regiões desérticas­ — interessante coincidência...! —, quem sabe de alguma etnia desconhecida do Continente Árido? Algum lugar mais frio talvez.

Enquanto analisava aquelas misteriosas roupagens, quase não percebeu a presença sutil de uma figura larga e sombria se aproximando ao seu lado; estranhamente, apesar do tamanho não-humano, seus movimentos eram tão pouco ameaçadores que você não se sentiu desconfortável, até olhar aturdido para seu rosto...! Isto, no momento em que uma voz bem grave porém inusualmente vagarosa o cumprimentava:

Booom diia, Senhoor! Como posso ajudáá-lo? — tratava-se de um robusto minotauro de pelagem preta e lustrosa. Mas tinha um aspecto protocolar bastante educado e...... bucólico, por assim dizer! Ele era o mercador daquela tenda; então ficou a olhar pausadamente para você, talvez de memória comparando seus trajes com aquilo que ele vendia, ou quiçá examinando traços de seu distante fenótipo do Quozor. Por sua vez, o vendedor ruminante-antropomorfo vestia uma túnica azulada com um recorte aberto na altura do peito no qual pendia um talismã dourado incrustado de joias brilhantes diversas, e tinha um cinturão de pano com várias bolsas do mesmo material; tinha no focinho e nas orelhas alguns piercings metálicos elegantes demais pro seu gosto (homens do Continente Árido comumentemente usam brincos e às vezes outros tipos de adornos, porém raramente desta excentricidade aqui) com várias correntezinhas penduradas e cheias de adornos e sim, mais cristais. No todo, a você parecia, uma efígie pra lá de cabalística.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 20, 2018, 05:25:06 pm
O forasteiro deu um passo para o lado, assim posicionando-se em frente ao grande vendedor peludo. A quantidade de adornos que aquele sujeito carregava mostrava que seus negócios andavam bem ao que parece. Iyas tentava não usar sua costumeira cara fechada e nada amigável, preferindo uma expressão mais despreocupada que lhe ajudasse na comunicação.

   - Olá. - puxou uma das calças que estava tateando, e casualmente começou a enrolar em volta do pescoço como faria com seus turbantes - Eu procurar shemagh. Querer comprar - disse completando a ação com um dos canos da calça sobre a cabeça - Defender Sol… Poder ser tecido. - esticando o cano da calça com as duas mãos, gesticulando que obviamente queria uma peça mais larga para o propósito que descrevia. - ser… - Abriu os braços na envergadura máxima para demonstrar o tamanho e em seguida aproximou as palmas a uma distância de meio metro, demonstrando o tipo de largura que procurava.

Esperava que o vendedor estivesse com paciência hoje para acompanhar o que ele queria dizer com essa explicação improvisada.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 25, 2018, 02:58:11 pm
https://www.youtube.com/watch?v=F1jtJdvGNyg (https://www.youtube.com/watch?v=F1jtJdvGNyg)


Retha e Cia.

Uma voz familiar próxima à janela respondia com um ar sério:

Eu é que vou cuidar dela! — era Syllence que também tinha despertado, e embora parecesse sentir algum desconforto num de seus braços o qual enlaçava com a outra mão, a Drow parecia, assim como os demais, ter perdido o cansaço aterrador de antes. Agora, ela fitava através da janela, em silêncio, dando as costas a vocês.

Cael, ainda sentado na cama, tentando compreender o occorido, passava a mão nos cabelos ajeitando-os como podia, diz a você, talvez lembrando-se de suas interrogações:

My lady Retha...! Lembro-me do que sonhei...: eu estava no fundo do mar... e eu estava... Respirando! Mas... durou tão pouco tempo... — seu rosto parecia inicialmente perplexo, talvez inconformado de um sonho bom que tivesse sido interrompido subitamente na melhor hora, porém sua expressão parecia ao mesmo tempo solene, não esbanjando nenhum sorriso ou aflição, como se sua mente ainda estivesse transitando de um mundo dos sonhos para o outro mundo, real — Acordamos assim tão depressa, mesmo? — olhou para você, erguendo uma sobrancelha.

Ai, que lindinha!! Você vai ficar cuidando sozinha da nossa Allegrinha enquanto nós vamos passear em Arke... Arkhuário.. AAKH!! ARKHÓREAS?!!!! — bradou Vanessah a Syllence; que pouco fez menção de responder, exceto talvez com um breve e lento movimento assertivo com a cabeça.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Julho 29, 2018, 01:37:47 am
Olho surpresa para Syllence, de costas para mim e os demais. "Talvez estivesse refletindo sobre o sonho ou os problemas pessoais. Quem poderia saber?" Fazia biquinho enquanto pensava, jogando a cabeça levemente para o lado e repousando as mãos no quadril. Todavia, minha atenção é tomada pelo elfo Cael e ouço cada sentença com um pequeno sorriso. Estava para lhe fazer várias perguntas, mas não parecia apropriado diante daquele rosto neutro, ainda mais quando o próprio admitia que não recordava muito. Quando a pergunta foi proferida por ele, dou de ombros:

— Eu não contei o tempo, mas tive a impressão que passou rápido. Sem falar que você acordou e dormiu duas vezes. Dava uma risada com a declaração, mas ela ficou mais larga quanto a tentativa da fada em pronunciar o nome corretamente. Contive a risada com uma mão a boca e balançando a outra. — Ok, vamos para o centro, hahaha!... Ai, ai... Senhor Cael, você vem conosco ou vai ficar? Enquanto perguntava, aproximava da mochila e puxava a bolsa de dinheiro e a cabaça para encher de água mais tarde. Já havia esquecido uma vez e dessa vez ela não deixará passar.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 29, 2018, 10:58:37 pm
https://www.youtube.com/watch?v=WwmOgWPO-wg (https://www.youtube.com/watch?v=WwmOgWPO-wg)


Iyas

Mmmmm — mugiu pensativo o minotauro comerciante. Alguma coisa em seu olhar parecia sugerir que ele entedia o que você solicitava.

Então, entrou pra dentro da lona numa parte obscura, e depois de alguns segundos morosos, ele retorna não com um shemagh senão com uma boina castanha-clara sem visor, e parando em sua frente, estende o produto com as duas mãos na sua direção, dizendo:

Estamos em falta; de artigos de sua região; bem como de piratas. Mas, tenho ainda no estoque; chapeus assim. — insistiu na venda.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Julho 29, 2018, 11:47:45 pm
https://www.youtube.com/watch?v=4gi_IGuKx4U (https://www.youtube.com/watch?v=4gi_IGuKx4U)


Retha e Cia.

É verdade que Syllence sempre pareceu bastante independente do grupo desde que a conheceu; mas alguma coisa na reação dela levava você a intuir, misteriosamente, de que havia algo a mais que passava através do espírito dela naquele momento. Mas pensar um pouco a respeito por alguma razão incompreensível lhe arracava um calafrio da espinha.

Cael fica visivelmente desconsertado com sua fala; se é que sequer a tinha entendido direito: — D-dormir duas vezes?? — disse. Então, de repente seus olhos pareciam procurar alguma outra coisa, mas logo parou de se inquietar e empenhou-se, respeitosamente, em se levantar da cama, frente às damas presentes naquele aposento. Suas mãos então rondam e tateiam sua cintura, mas não havia nada junto a seu corpo, então como que parecendo um pouco mais relaxado, diz, olhando para você e Vanessah: — My ladies, eu acompanharei vocês. — então, começa a arrumar a cama e a colocar os sapatos.

Vanessah já começa a pensar nos planos na cidadezinha antes do anoitecer: — Então, meus lindinhos e lindinhas! Vamos arrasar na cidade! Primeiro, vamos visitar várias lojas!! O mercado massivinho!... e fazer umas compras e gastar o dinheiro!! Depois, vamos visitar uns castelinhos! Ou quem sabe primeiro fazer turismo nas igrejinhas ou templinhos! AH! Mas tem as pracinhas também! E tem os montes ali do farol pra subirmos! Mas antes, tem a biblioteca dos livros mágicos que eu quero conhecer! Vamos então fazer uma expedição na Ilha dos Desafios bem antes do anoitecer! Aí a gente volta pra cá e toma o café da tarde às 18:00, e resolve a pendência com o Sr. Massivo-Graadmonz! Que tal?? Vamos, vamos!! Tchau, tchau, Syllencinha! Cuide bem da Allegro! Tchau Allegrinha, cuide bem da Syllencinha! — Vanessah sumia pra debaixo da cama aonde estava a criança, depois ressurgia e pousava, finalmente, no seu ombro. Mas você que escolhe a programação, Rethinha! Afinal não teria graça nenhuma se eu comandasse tudo! porque seria perfeito demais, né?! — revela orgulhosamente.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Julho 30, 2018, 06:57:21 pm
Citar
— Estamos em falta; de artigos de sua região; bem como de piratas. Mas, tenho ainda no estoque; chapeus assim. — insistiu na venda.

Aquele chapeuzinho além de ridículo para o senso de estética do mercenário do deserto não parecia algo que permaneceria na cabeça do sujeito durante uma situação de combate em que sua velocidade e energia explosiva eram utilizados frequentemente. Bem, ao menos estava contente que a grande criatura a sua frente teve a paciência de lhe atender mesmo não conseguindo se comunicar, e portando-se nada a altura esperada de pessoas com recursos para ostentar uma aparência como a do próprio vendedor.   

O forasteiro abaixou os olhos suspirando em decepção… quase melancólica, resmungando alguma coisa em seu idioma natal, difícil de entender sequer as sílabas utilizadas. Desenrolou aquela calça seu pescoço, e a estendeu em direção ao minotauro mercante, com a mão não machucada pela magia estranha de Cael:

- Quanto ser? - questionou levando os olhos, com uma expressão ainda interessada em fazer negócios. Aquela adversidade não seria capaz de frustrar os planos de um Lobo da Companhia. - Eu querer.

A cor era carmesim mas todas as calças que via ali eram igualmente coloridas se não mais berrantes, o tecido era mais grosso do que queria, mas suave o suficiente para seu gosto, aquilo deveria servir. 

Também queria aproveitar a oportunidade de ter encontrado alguém comunicativo logo de primeira e pegou a lista da mulher estranha, desdobrando o papel. Posicionou-se ao lado do vendedor, erguendo o papel com a mesma mão em estado normal que segurava a roupa:

- Onde eu comprar? - usando de assistência ao o questionamento a outra mão, que meneava em direção as outras barracas daquele mercado.

Matar logo aqueles dois coelhos com uma cajadada.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Julho 31, 2018, 12:50:27 am
Ela conferia novamente o que levava consigo no corpo antes de sair para a cidade, sentindo-se satisfeita com a decisão tomada. Levava um pequeno saco contendo dinheiro, a cabaça vazia e as luvas, tudo atadas ao cinto simples de aldeã. A garota sorriu para Cael quanto recebia a resposta do elfo, confirmando a companhia

— Eba! Borra passear. Até reparou na atitude de Cael em pé arrumando a cama e depois olhou em direção à cama que usava. Ela não vendo necessidade de fazer o mesmo com a própria cama, mesmo que houvessem pessoas que pensariam diferente a primeira vista, Retha deu de ombros para a ideia. Depois que ela retoma a atenção a fada, talvez perdendo metade do que era falado. Tendo a Vanessah em seu ombro, a criança ponderava por um bocado de tempo sobre as opções.

— Hum... Ok-ok! Primeiro, para a praça central. Eu não sei vocês, mas eu quero descobrir qual é a desse desafio para nós antes de passear pela cidade. Estou curiosa! Depois decidimos, talvez dando um giro em todos os lugares.

A criança energética avançava sem muita cerimonia para a porta do quarto, todavia parando depois de abrir e olhando para Syllence. Ela queria fazer muitas perguntas, mas apenas uma foi proferida, pois as demais poderiam esperar. — Moça, quer alguma coisa da cidade?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 05, 2018, 08:47:35 am
https://www.youtube.com/watch?v=3xbBuLdE9S0 (https://www.youtube.com/watch?v=3xbBuLdE9S0)


Iyas

Mmmm... Estas calças estão a 2 contos. Mas, com a atual liquidação, faço para você... por 1 conto e 5 escudos. — Era um valor relativamente acessível por uma peça de roupa com tanto tecido. No entanto, iria você fechar o negócio, mesmo não sabendo se iria ter condições de recuperar honestamente o dinheiro deste investimento, na Ilha dos Desafios?

De qualquer modo, o vendedor, pendendo a cabeça sobre a lista de compras a qual você expunha, e talvez intuindo sua dificuldade linguística, diz-lhe: — ­Mm. É no setor rural. Ali. — estendeu a mão direita para a porção do mercadinho que ficava à esquerda da fonte central, a Oeste, em que havia outros estandes, visivelmente com frutos grandes e legumes encaixados a mostra — Mas, o leite o senhor não vai encontrar hoje aqui. Mmm. — concluiu com inquietude.

Você já começava a supôr que ia ter mais problemas com essa lista do que gostaria...!
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Wyczek em Agosto 05, 2018, 09:57:11 am
Retha; Vanessah, Cael

Um pouco surpresa, Syllence olha pra trás, na sua direção, e fica a fitando em silêncio por uns segundos que pareciam demorar demais pro seu gosto... ela então declara: — Eu não quero nada. Agora, se você conseguir pensar em algo de útil pra Allegro, então eu agredeceria; e saberei recompensar você! — Os Elfos Negro pareciam pensar de um modo um pouco "intenso" demais, em leis sociais de dívida e de retribuição, até mesmo nos detalhes aparentemente mais triviais da vida...! Afinal, o que haveria demais em fazer um pequeno favor qualquer...? Era difícil para você entender; os adultos em geral aliás!


https://www.youtube.com/watch?v=wMntblDX0Bg (https://www.youtube.com/watch?v=wMntblDX0Bg)


Descendo pelas escadarias por onde vieram, encontram a taverna mais vazia do que antes; pelo visto, muitas pessoas se retiraram enfim para seus afazeres cotidianos na pequena cidade de Arkhóreas e talvez só regressariam ao entardecer ou quem sabe noutro dia. Cael aproveitava para lhe contar sobre o que tinham aprendido sobre o Desafio até aquele momento. Não muita coisa, por incrível que pareça, ainda que tenham conversado diretamente com o responsável pelo evento na Ilha dos Desafios, um tal de Sr. Graadmonz, descobriram também que a vida cotidiana em Arkhóreas estava sendo afetada de forma extrema por alguma série consecutiva de adversidades estranhas, dentre as quais uma espécie de hostil embargo comercial dos Piratas da Vastidão que estava a dizimar lentamente a economia insular, sem falar da agressão a toda e qualquer embarcação que sai ou que vem para a ilha — o que explicaria a tragédia do navio de vocês, o qual era ansiado por todos os habitantes, originalmente só por conta do Concurso, porém, depois da sucessão de infortúnios, a chegada dos grupos de desafiantes passou também a ser vista como uma ligeira esperança para ajudar a reverter os problemas locais. — Por conta dessas calamidades todas, my lady Retha — disse Cael — a própria ideia do Concurso, que era pra ser uma festa, está agora comprometida. Então, precisamos apenas decidir até hoje a noite aqui [na taverna], se vamos permanecer no Concurso... ou abandoná-lo de vez. Afinal, somos o único grupo de desafiantes que chegou vivo. Isso é... bem triste. — lamentou.

Vanessah, que não poderia ficar quieta por muito tempo, diz, quando vocês saem para a rua da frente da Taverna dos 7 Mares: — Ahh, né! Mas ninguém mais tem coraçãozinho pra esse Concursinho bobo, né?? Tanta coisa pra fazer de bom aqui, minhas lindinhas e lindinhos!! Não vamos trabalhar a toa né...?? O que você acha, Retinha???....... AHHH!!! Mas porque tanto PEEESOOOOO?!?!? — ela olhava para você aflita. Você fica meio perdida, até que percebe algo de.... engraçado: Você tinha certeza que tinha deixado sua mochila de forja no quarto...! Só que não. Você estava tão habituada a carregar aquele monte de apetrechos pra lá e pra cá, ainda mais nesses últimos tempos de viagens incessantes, que você simplesmente era incapaz de tirá-la das costas, exceto talvez para dormir ou descansar! E tinha horas que até pra comer você não a retirava de si! Pois desta vez, foi algo assim e você começa a se lembrar vagamente: "Espera aí...! Acho que vou levar meu martelo de prata também; é tão leve...! Já sei! Vou levar as tenazes média... porque, nunca se sabe, né? O esmeril a manivela portátil é ótimo também de carregar...! E um pouco de carvão, vai que preciso fazer fogo forte e prolongado...! AH!! Quer saber? Vou levar a mochila de forja inteira então!" E foi algo assim que lhe sucedera, Retha a artesã. No entanto, se havia uma coisa com a qual você estava particularmente intrigada e receosa de deixar para trás, era aquela folha rasgada de um livrão empoeirado que você pegou de um baú do Pondé; nessa folha, havia a imagem de um Golem metálico, e algumas instruções sobre seu intrincado processo de forja. Um Golem, que é uma criação artificial poderosíssima, encantada magicamente; e tudo isso, por contraditório que pareça, não uma obra de magos ou feiticeiros, mas de artesãos lendários ancestrais, que resolveram deixar sua marca eterna no mundo! Então, de fato, aquela lista estava num dos bolsos laterais de sua mochila especial, e fazia um tempo já você não teve a ocasião de dar uma boa estudada nela... Será que esta saída agora vai ter tempo?
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: JP Vilela em Agosto 10, 2018, 05:46:48 pm
Mas era claro que iria fechar aquele negócio. Um homem tem suas prioridades, e no momento aquela era uma das maiores. Acenou com a cabeça guardando a lista de compras da estranha e pegando sua leve bolsa com moedas.

O valor  não importava muito, contando que o preço lhe parecesse justo. Era assim que o forasteiro operava, se ficasse sem dinheiro, trabalharia ali e conseguiria mais, tinha plena confiança em sua capacidade como profissional.

Retirou o valor e estendeu o punho para o mercante, para fechar negócio.

- Shukraan! - agradeceu com sua saudação desprovida de fluidez ou elegância. Ao erguer-se jogou a calça sobre um dos ombros, acenando em despedida para o homem touro. Virou-se  olhando na direção apontada.

Matutava que não conseguir achar leite era compreensível, já que estavam em uma ilha provavelmente não era algo que poderia ser obtido quando se quisesse. Sabe-se lá quantos mamíferos os moradores criavam em um espaço limitado. Deu de ombros pensando que quanto a isso a mulher desconhecida teria que se virar, ao em vez de deliberadamente delegar sua feira a uma pessoa aleatória... O que agora começava a soar suspeito na mente conspiratória do jovem mercenário.

Sacou o resto da listinha e rumou a outra parte do mercado, passando por várias barracas mostrando a lista para as pessoas que ali vendiam coisas, esperando que esses lessem em voz alta o conteúdo para o forasteiro finalmente entender o que eram e se livrar dessa atividade inusitada.
Título: Re:Capítulo Um - A Ilha dos Desafios
Enviado por: Ninna N. P. Gomes em Agosto 13, 2018, 07:52:26 pm
Droga, se não há outros competidores, então não há concurso... Vamos ter que desistir. — Retha se frustava por não ter pensado por esse lado antes, enquanto entrava na ilha. Mas agora um pouco mais ciente da situação onde o grupo se encontrava, parecia não haver muitas opções. Colocava uma mão no queixo de forma pensativa e a outra no quadril. "Vamos ver... Os piratas vão continuar a saquear e a fazer o que querem se nada for feito contra eles... O que pode ser feito? Há alguma guarda do mar contra eles? Alguma coisa?" Pensava examinando, mas um frio passava na espinha quando lembrava da noite do ataque ao navio. Ela não gostaria de passar por aquele terror novamente, por mais que gostasse de historias de heróis e ser como um, a sua impotência estava muito evidente em frente ao perigo. Talvez com algo a mais, aquela página...

Todavia, tudo aquilo era substituído pela exclamação da fada quanto aos seus pertences. Novamente a falta de desapego manifestava novamente na criança, mas teimosa como era, levou quase tudo outra vez. Respondendo com um humor mais animado:
Ora, isso? — Gesticulava para a mochila e dava de ombros para Vanessah.
Estou acostumada, talvez eu adquira tanto fôlego quanto esse elfo aqui, quando eu crescer. — Retha dava um tava leve no braço de Cael, enquanto todos estava a caminho à cidade. Mas antes que estivessem fora da estalagem, Retha para bruscamente entre os companheiros.
Espera! Esqueci de algo. — A criança avança até o balcão a procura do estalageiro.
Ô moço, eu gostaria de mais água, por favor?